Arquivos do Blog

Tava Demorando…

E o que parecia ser um ano novo só de esperança pode dar lugar a uma das maiores decepções com essa diretoria, maior ainda do que a campanha ridícula do ano do centenário, cruz essa que Paulo Nobre e cia. terão que carregar não o importa o que aconteça no futuro.

Começa a circular a notícia de que o AVANTI sofrerá drásticos reajustes e alterações que deixarão o torcedor do Palmeiras indignado. Pra completar, a diretoria estaria disposta a fixar o preço básico do ingresso em valores absolutamente impraticáveis pra maioria absoluta da nação palmeirense.

Caso isso seja mesmo verdade, está preparada a cama pra um dos maiores tiros no pé de que se tenha notícia. Na falta de outro termo, será uma gigantesca burrice.

Atualmente, lembremos que os planos do AVANTI são os seguintes:

COMO É DESCONTOS
PLANO VALOR Gol Norte Superior Gol Sul Oeste Leste
Especial (sócio SEP) 9,99 50% 50% 50% 0 0
Bronze 9,99 0 0 0 0 0
Prata 19,99 50% 50% 50% 0 0
Ouro 69,99 100% 75% 75% 25% 25%
Platina 139,99 100% 100% 100% 50% 50%
Esmeralda 299,99 100% 100% 100% 50% 0
Diamante 599,99 100% 100% 100% 100% 0
           

Tenhamos em vista, ainda, que dos 75 mil sócios atualmente, estariam assim divididos entre os diferentes planos (informação esta também disponível nas redes sociais):

PLANO %
Bronze 48,61%
Prata 39,64%
Ouro 6,96%
Platina 4,24%
Esmeralda 0,33%
Diamante 0,22%

Se o que está circulando por aí de fato ocorrer, eis os planos e valores do Avanti que seriam praticados a partir de fevereiro:

COMO PODE FICAR DESCONTOS
PLANO VALOR Gol Norte Superior Gol Sul Oeste Leste
Especial (sócio SEP) ? ? ? ? ? ?
Bronze 9,99 (+0%) 0 0 0 0 0
Prata 34,99 (+75%) 50% 25% 0% 0 0
Ouro 99,99 (+42%) 50% 50% 25% 0% 0%
Platina 149,99 (+7%) 50% 50% 50% 25% 0%
Esmeralda 249,99 (-17%) 50% 50% 50% 50% 25%
Diamante ? ? ? ? ? ?

Logo de cara, temos uma situação de inegável discrepância no tratamento dos sócios dos diferentes planos atualmente mantidos: enquanto sócios Bronze não terão nenhum aumento, e os sócios Esmeralda terão redução de 17% no valor atualmente pago (!), os Sócios Prata, Ouro e Platina terão aumentos de 75%, 42% e 7%, respectivamente. Já os planos Especial e Diamante, não se sabe pela informação que circulou até aqui se serãiam mantidos ou descontinuados.

Se a justificativa – dada pelo presidente em entrevista à Fox semana passada – é que o valor do AVANTI está defasado, por evidente, todos os planos deveriam sofrer aumento por igual. É a única medida aceitável. Precisa reajustar, muito bem, todos os sócios bancam o aumento de forma igual e proporcional ao valor até aqui pago.

Dirão que o reajuste diferenciado reflete a nova realidade do Allianz Parque e dos diferentes setores do estádio. Mesmo assim, nada justifica que reajustes distintos sejam aplicados aos diferentes tipos de associados. Em especial se um determinado grupo de sócios que representa 40% do universo de STs, irá sofrer um aumento astronômico de 75%, e outro grupo que representa quase metade dos AVANTIS, não irá receber reajuste nenhum.

40% de 75.000 pessoas significa nada menos do que um universo de 30.000 Avantis. Vamos supor que 20% dos sócios Prata não possa arcar com esse aumento colossal e não se interesse pelo plano de 9,99 sem nenhum desconto em ingresso. O resultado será 6.000 sócios a menos numa só tacada, ou R$ 120.000,00 a menos de receita no mês.

Outra consequência deverá ser a migração de planos. Caso metade dos sócios Prata, ou 15.000 palmeirenses, decidam migrar do plano que custava R$ 19,99 para o de R$ 9,99, serão 150 mil reais a menos por mês, ou 1,8 milhões de reais a menos por ano.

Mas, se fosse apenas esse o problema, ainda dava pra tentar relevar, mas o pior é que os benefícios dos planos estão sendo alterados de forma unilateral sem que o contrato de adesão assim autorize.   

Com a mudança, caso ela ocorra, o sócio Prata que tinha direito a 50% de desconto pros setores Gol Norte, Gol Sul e Superior, passará a ter direito a 50% de desconto para o Gol Norte, 25% de desconto para o Superior e PERDERÁ o direito ao desconto no Gol Sul.

O sócio Ouro, que tinha direito a 100% de desconto no Gol Norte, 75% no Superior e no Gol Sul, e 25% nos setores Leste e Oeste, será o mais prejudicado: o desconto pros Gol Norte e Superior são reduzidos para 50%, e o desconto para o Gol Sul reduzido para 25%, enquanto que os descontos para o Leste e Oeste serão excluídos.

Vamos aos números então. Mas, antes, outra informação que “caiu na net” é o preço básico dos ingressos pretendido para 2015. O Palmeiras quer cobrar, prum jogo contra o XV de Piracicaba, numa quarta-feira, 19:30 (por exemplo), os seguintes valores, dignos de um Manchester x Chelsea em Old Trafford na final da Copa da Rainha:

Gol Norte: 80,00

Superior: 120,00

Gol Sul: 200,00

Oeste/Leste: 350,00

Um sócio Prata que frequentasse todos os jogos num mês em 2014 na arquibancada gastava 19,99 por mês mais, em média, 33,00 por jogo (50% mais taxa), num total de R$ 151,99 mensais. Caso o aumento do sócio torcedor e do ingresso de fato ocorra, esse mesmo torcedor pagará R$ 34,99 mais R$ 44,00 por jogo, num total de R$ 210,99. 39% a mais. É esse o aumento real no bolso do palmeirense.

Já o sócio Ouro que frequentasse a arquibancada todos os jogos num mês em 2014, gastava R$ 69,99 por mês. Agora, pagará nada menos que R$ 275,99 pelo mesmo plano para frequentar o Gol Norte 4 jogos por mês. Aumento de 295%! Caso opte pelo Superior, o desembolso será de R$ 363,99, contra os atuais 201,99. Acréscimo da ordem de 80%.

Novamente, o que se pode imaginar é que os 7% de sócios Ouro, cerca de 5.200 palmeirenses que rendiam ao programa R$ 367.447,50 mensais – 4,4 milhões anuais – simplesmente mudem de plano, ocasionando uma perda de receita que pode chegar a 50%, isso caso optem pelo plano imediatamente abaixo.

E o que isso tudo quer dizer? Simples, ou o seu bolso será estuprado, torcedor, ou você vai parar de ir aos jogos do Palmeiras, ao menos com a mesma frequência que tinha possibilidade nos anos anteriores. A se confirmarem esses fatos, a mensagem será clara: O Palmeiras não é lugar pra gente pobre.

O engraçado é que essa diretoria sempre defendeu que o preço do ingresso seria caro, pra justificar a associação do torcedor aos benefícios do AVANTI e que, quanto mais o torcedor fosse, mais benefício ele teria. Mas agora, com o ingresso ainda mais caro, e o AVANTI também, qual será a vantagem pro torcedor?

Nós, os 13 mil tontos que bancaram o programa durante esses anos todos desde 2010, assistindo times miseráveis vestindo nossa sagrada camisa, e os 62 mil novos associados desde 2013, queremos saber, senhor Presidente, qual será o discurso dessa vez?

Porque não adianta ter o melhor estádio do Brasil e não ter preço acessível pro povão lotar cada assento disponível. Marias e Galo que o digam. Pior ainda quando além do ingresso absurdamente caro (o aumento, de 2013 pra cá, é de nada menos que 100%), o programa de sócio torcedor passa a ser igualmente caro e incapaz de garantir aos seus associados um preço de ingresso justo ou alguma vantagem significativa.

A consequência, já sabemos, (tão logo se esgote o interesse pela novidade de conhecer a nova casa, o que vai rápido, viu…), além dos jogos pra 7 mil pagantes, a marca registrada dos preços abusivos dos ingressos do mandato anterior dessa gestão, será um plano de sócio torcedor que namorou com a grandeza da segunda posição no Brasil pra se estabilizar ali no meio da tabela, aquele mesmo lugar que, nos últimos anos – os que tivemos muita sorte – vimos o Palmeiras habitar de forma tão moribunda.

Ainda é tempo, Paulo Nobre. Que toda essa boataria não passe disso mesmo. Que esse post seja motivo de gozação daqui a 15 dias quando e (se de fato) for anunciado o aumento do Avanti, que nenhuma dessas aberrações seja de fato verdade.

Porque se tem uma verdade no futebol, presidente, é que time que tá ganhando não se mexe. E um programa de sócio torcedor que tem 15 mil novas adesões (25% de aumento) entre o término da temporada mais boçal que o Palmeiras já disputou na sua história e o início da próxima, não é apenas ganhador, mas tem tudo pra ser o maior programa de ST do Brasil. Isso, é claro, se deixarem…

A conferir.

AVANTI PALESTRA!    

Manifesto Palmeirense por um #CentenarioPopular

É apenas quarta-feira e podemos dizer que já atravessamos a semana mais maldita do Palestra desde o fim de 2012.  Perdemos uma referência no time e um dos jogadores mais importantes do elenco, tivemos que ouvir – e rebater – impropérios do mais desclassificado dos inimigos, enquanto vemos a imprensa suja se deliciar por um dos maiores infortúnios vividos pelo campeão do Século XX desde que essa diretoria chegou ao poder.

Passado o baque e decepção iniciais, nós, OS TORCEDORES DA SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS, entendemos que não é hora de apontarmos os dedos para os culpados, mas de unirmos nossos braços em prol do nosso Verdão!

Chega de divisão, chega de racha – no bom sentido porque aqui não tem bambi – chega de verdadeiros versus organizados, chega de segregação!

É hora da TORCIDA DO PALMEIRAS AGIR E ABRAÇAR A CAMISA MAIS GLORIOSA DO FUTEBOL!

 Precisamos mostrar nossa FORZA no ano do Centenário! A torcida fará a sua parte, se a diretoria corresponder e permitir.

Faça um teste, Presidente, confie no torcedor palmeirense, reduza o preço do ingresso para o jogo contra o Goiás para R$ 10,00 e veja como nós responderemos ao chamado e lotaremos o Pacaembu tal como fizemos tantas e tantas vezes.

Presidente, se una ao palmeirense no #CentenarioPopular! 

Vamos carregar juntos esse time nos ombros ao lado dos nossos corações, e assim seremos sempre imbatíveis!

Faça-o pelo resgate da alma Paletsrina! 

Por um Palmeiras de todos e para todos!

Deixe o torcedor do Palmeiras ser o seu maior reforço, o seu melhor jogador!

Centenário Popular 

Nós não decepcionaremos, presidente!

AVANTI TORCIDA PALESTRINA!

A valorização da Camisa

Blog do Menon, ontem, trouxe fato alarmante, levantado pelo jornalista Rubens Leme da Costa: nos últimos 31 anos, o Palmeiras sofreu 35 eliminações em casa. Eis os jogos relacionados na matéria:

TODAS AS 35 ELIMINAÇÕES DO PALMEIRAS EM CASA NOS ÚLTIMOS ANOS:
Copa do Brasil (9): Ceará (1994), Grêmio (1995), Cruzeiro (1996), Flamengo (1997), São Paulo (2000), ASA (2002), Santo André (2004), Ipatinga (2007), Coritiba (2011).
Sul-Americana (3): São Caetano (2003), Goiás (2010), Vasco (2011).
Libertadores (4): Grêmio (1995), Boca Juniors (2000), Boca Juniors (2001), Tijuana (2013).
Mercosul (2): Flamengo (1999), Vasco (2000).
Conmebol (1): Bragantino (1996).
Brasileiro (4): Vasco (1983), Corinthians (1989), Cruzeiro (1998), São Caetano (2000).
Paulista (10): XV de Jau (1985), Inter de Limeira (1986), São Paulo (1987), Ferroviária (1990), Corinthians (1995), Corinthians (1999), Santos (2000), Santos (2009), Corinthians (2011), Ituano (2014).
Rio-São Paulo (1): São Paulo (2002).
Supercampeonato Paulista (1): São Paulo (2002).
Lembro de praticamente todos esses tristes dias. Tá bom, vai, 83 eu não lembro muito, tinha 5 anos. Mas foi na minha vigência.
Primeira Academia, Segunda Academia, 06 títulos brasileiros, 20 Paulistas, só ouvi pelo Laurão e pelo Rubinho, meus mentores na palestrinidade.

Pior, dessas 35 eliminações, boa parte delas eu estava, como muitos de vocês, de pé, cantando ao Palmeiras, no concreto do Palestra, do Pacaembu ou do Panetone.

Triste constatar que tão grandes são nossas conquistas do passado quanto são os constantes tropeços dos últimos anos. Nem mesmo épocas áureas como 1996 e 1999 nos livraram de perder, em casa, num jogo eliminatório.

Mas desses todos, nem todos são vexames, podemos excluir os jogos perdidos pra rivais como Flamengo, Gambá, Bambi, Lambari, Vasco, Gremio, Cruzeiro e Boca.

Mesmo assim, impressiona, e incomoda, constatar a quantidade de fiascos pra Ipatinga, Ceara, Asa, Santo André, Coritiba, Tijuana, Bragantino, São Caetano, XV de Jau, Inter de Limeira, Ferroviaria e Ituano. Mais de um terço. “Feitos” praticamente inconcebíveis até os idos de 76.

E o que tanto mudou de lá pra cá, e que vem se repetindo ano depois de ano a acumular essa marca tão frustrante pro palmeirense?

Parabéns a quem souber “a” resposta. Porque não existe uma. São inúmeras as causas.

E nem me proponho aqui a respondê-las. Mesmo porque, transcendem à atual gestão, à anterior, e à que veio antes daquela, etc.

É apenas uma triste constatação. De que, no fim das contas, o palmeirense tem que ser maluco da cabeça pra continuar impondo o manto alviverde nas ruas ano após ano, desgraça após desgraça. Aqui não há, como sempre disse o grande Barneschi do saudoso Forza Palestra, o tal do sofrimento seletivo.

Aqui a gente sangra mesmo, como insiste em publicar por todo o Facebook o lendário Maníaco.

E quanto mais vemos diretores, técnicos e jogadores incompetentes desvalorizarem nossa camisa – SIM, O PALMEIRAS É NOSSO – mais sentimos a obrigação de valorizá-la, estampá-la no peito e empurrar o time além dos limites imagináveis, contra todas as previsões e a secação alheia, que no mais das vezes – mas nem todas – saem vitoriosas às nossas custas. 

E paro pra pensar e percebo que passo semanas sem ver uma camisa do Bambi na rua, meses sem avistar uma do Lambari e dias sem ter o desgosto de encontra o pano de chão da gambazada, mas não tem um santo dia sequer que não vejo o manto alviverde a circular pela cidade. E não é só aqui, como anotou o carioca Edu Goldenberg no seu Boteco do Edu. A ostentação da fibra é pelo mundo afora.

E amanhã, sejam os 6 mil de sempre, ou os 31 mil de de vez em quando do último domingo, estaremos lá no Pacaembu, na frente da TV ou do lado do radinho, 16 milhões de apaixonados, esperando por um triunfo, mas sem nunca arredar o pé caso venha mais um vexame.

Não se esqueça nunca disso, senhor presidente, o Palmeiras só é o gigante de sempre graças à essa torcida, ela inteira e não segregada, todos os milhões e não apenas os 40 mil sócios torcedores, os sei-lá quantos torcedores “verdadeiros”, os sei lá quantos sócios do clube. Somos nós todos que não desistimos nunca, que sempre estamos de volta, que não deixamos de valorizar e honrar esse camisa, não importa o tamanho do fracasso, o quanto vocês a maltratem. Não desmereça isso, ou sucumba como seus antecessores no esquecimento e na mesmice.

Diretores passam, treinadores passam, jogadores passam, mas a torcida, essa é pra sempre.

PORQUE NÓS SOMOS O PALMEIRAS!

AVANTI PALESTRA!

Nineteen Eighty-four

1984-Big-Brother

Depois da guerra atômica, o mundo foi dividido em três estados e Londres é a capital da Oceania, dominada por um partido que tem total controle sobre todos os cidadãos. Winston Smith é um humilde funcionário do partido e comete o atrevimento de se apaixonar por Julia, numa sociedade totalitária onde as emoções são consideradas ilegais. Eles tentam escapar dos olhos e dos ouvidos do Big Brother, sabendo das dificuldades que teriam que enfrentar.

A sinopse acima é do filme britânico 1984, adaptação do romance homônimo de George Orwell, escrito no ano de 1948 e publicado em 1949. No livro, Orwell mostra como uma sociedade oligárquica coletivista é capaz de reprimir qualquer um que se opuser a ela. A expressão Big Brother, que dá nome ao programa de TV dos dias de hoje, reporta a um personagem fictício do livro, que era mencionado na propaganda do Estado para lembrar aos cidadãos que estavam sendo vigiados a todo momento: “Big Brother is Watching You”.

– x –

Esses dias, lendo as notícias do Verdão, o cidadão palmeirense se depara com as seguintes manchetes de jornal:

Construtora inova em sistema de segurança, e Arena terá ‘Big Brother

Palmeiras lança campanha para evitar incidentes nos estádios

Neste último texto, tem a informação de que o clube criou um e-mail para que os próprios “torcedores” denunciem infratores nos estádio. Na quinta-feira a seguinte faixa foi exibida durante o jogo: 

Ajude na identificação dos infratores Denuncie: ouvidoria@palmeiras.com.br  

– x –

Também durante essa semana, outra notícia chamou atenção:

Palmeiras não recua e presta queixa contra torcida uniformizada

Se já não se trata de uma notícia estranha por si só, o que dizer se comparado a um trecho da entrevista concedida logo após a eleição da atual diretoria?

O maior patrimônio do Palmeiras é a torcida.

– x –

Lembro a primeira vez que fui ao estádio, eu tinha de 05 pra 06 anos, e a sensação de LIBERDADE era impressionante, afinal, não estava com meus pais – o Sêo Malucão, coitado, é gambá. Lembro da multidão de palmeirenses na arquibancada do Palestra e da festa de Bandeirões e dos instrumentos musicais, lembro de ter ganhado uma corneta de plástico que mais parecia um berrante (que em 2010 ganhou o igualmente irritante nome de vuvuzela), lembro do meu tio e e do meu avô tomando uma gelada durante o jogo, lembro de ter comido amendoim que vinha na casca – amostra grátis, lembro que no estádio podia falar palavrão – desde que não repetisse na frente da minha mãe depois – e que xingar os jogadores era um direito do torcedor, que não seria respondido com gestos obcenos, lembro que não precisava sentar no lugar marcado, que dava pra andar a arquibancada inteira sem ter que se preocupar com grades e divisórias, lembro de não ficar preocupado da polícia chegar emborrachando geral.

O ano? Era 1984…

AVANTI PALESTRA! 

Torcida Mostra Sua Força. Já a Diretoria…

E a torcida do Palmeiras deu mais uma demonstração de sua grandeza na data de hoje.

O Shopping Eldorado foi invadido por mais de 6.000 palmeirenses que foram prestigiar o livro biográfico Nunca Foi Santo, escrito em parceria por Mauro Beting e o próprio Santo. A quantidade de livros vendidos só hoje, 3.000, é a maior já registrada num lançamento nacional, superando a marca anterior de um certo ignóbil goleiro cujo maior feito na carreira foi ter sido reserva do reserva do Santo em 2002.

O número, senhores, é emblemático. Corresponde, praticamente, à quantidade de torcedores que ainda resistem e se deslocam ao cafundó de Barueri a cada novo jogo. É quase o dobro do público pagante naquele mesmo estádio na Copa Sulamericana semana passada, contra o Botafogo.

A Procissão de São Marcos, ocorrida em 25 de janeiro último, por outro lado, foi responsável pela peregrinação de mais de 4.000 torcedores pelas ruas da Pompéia e Pacaembu, e reuniu mais de 25.000 palmeirenses num jogo amistoso sem qualquer importância senão por representar a primeira partida do time no ano da aposentadoria do maior ídolo da atualidade.

São provas de que o palmeirense não perde chances para prestigiar aquilo com o que mais se identifica: o amor de torcedor pelo clube, coisa que ninguém melhor que Marcos simboliza. Aposto que se o Marcos ainda estivesse jogando, Barueri teria um público bem melhor. E basta estar lá o Marcos que a torcida vai atrás onde ele estiver, até mesmo num shopping center em pleno dia útil no meio da tarde. É uma questão de reconhecimento, de identidade, de paixão.

Enquanto isso, a diretoria insiste em fazer de tudo para afastar o torcedor do time e desse amor maluco que o torcedor tem pelo Palmeiras. Jogos naquela pocilga de Barueri, preço cheio, programa de sócio torcedor mal lançado e sem atrativos justos (hoje o que se economiza na compra do ingresso certamente se gasta em dobro com pedágio, estacionamento e combustível pra ir até Barueri), lojas oficiais longe de serem lançadas – é o único time grande da Capital que ainda não as tem, enfim, esses são apenas alguns dos inúmeros atentados praticados contra o torcedor e que só prejudicam o próprio Palmeiras.

Isso sem falar no descaso absurdo com que o clube é tratado por árbitros, pela CBF, pela Globo, pelo STJD, sem que a diretoria tome providências enérgicas e exija o devido respeito que o maior campeão nacional fez por merecer.

Agora imaginem se o Palmeiras tivesse uma diretoria à altura de sua torcida? Imaginem se os jogos fossem marcados no Pacaembu porque é melhor pra torcida, ao invés de Barueri, que é mais barato pro clube (o que aliás é mentira, conforme confirmado pelo Barneschi, pelo Nespoli e por tantos outros)? Imaginem se uma parcela dos ingressos fosse vendida a R$ 15,00, pra que mais torcedores do Palmeiras pudessem ir aos jogos? Imaginem se o palmeirense pudesse economizar em pedágio, combustível e estacionamento, e aplicar esses valores na compra de produtos licenciados do clube? Imaginem se se o palmeirense pudesse contar com lojas oficiais espalhadas em diversos endereços da cidade, ao invés de ter apenas uma opção na Rua Turiassu?

Não é nada difícil de imaginar, mas é pouquíssimo provável que venha acontecer, ao menos enquanto permanecerem no comando do clube dirigentes mais preocupados em manterem-se no cargo do que em exercer o mandato. E a reeleição, que seria natural, caso o torcedor pudesse se sentir prestigiado pelo clube e pelas atitudes da diretoria, não seria mais um problema, mas uma mera consequência.

Com uma torcida tão dedicada, tão leal, tão empenhada em estar incondicionalmente ao lado da camisa e do time, chegaria a ser covardia com os adversários políticos se a atual diretoria se empenhasse o mínimo que fosse pra tornar a vida do torcedor mais fácil. Mas os que hoje estão no comando parecem não enxergar isso. E provavelmente nunca irão.

Afinal, porque outra razão mais de 6.000 torcedores se disporiam a ir a uma livraria e não a um jogo do Verdão? Parece incrível, mas é a realidade do Palmeiras hoje, livrarias cheias e estádios vazios. E está na mão de quem não faz a menor idéia do porque isso acontece para resolver.

E aí, COMOFAZ?

AVANTI PALESTRA! 

Terceiro Ato de Fé do Ano Santo

E a torcida do Verdão não para. Vem aí o Terceiro Ato de Fé do Ano Santo, em homenagem a São Marcos de Palestra Itália.

Dessa vez a homenagem será para Carlos Pracidelli, o preparador de goleiros e mentor do nosso Santo Goleiro na maior parte da Santa Carreira.

Representantes da torcida palmeirense irão entregar uma placa ao preparador de goleiros como reconhecimento pelos serviços prestados à coletividade alvi-verde na manutenção da tradição da escola de goleiros do Palmeiras, chegando ao seu ápice máximo na pele e nas luvas do nosso Santo Goleiro.

 Saiba mais sobre o Terceiro Ato de Fé do Ano Santo aqui.

AVANTI PALESTRA!

Não Tem Explicação!?

Eu sei o que é. Você também. Estamos acostumados. Vivemos isso desde os primórdios. Aquela inexplicável vontade de estampar o manto alvi-verde no peito e sair pra rua: “Sou Palmeiras!”. E é sempre que possível. E até quando não é possível, o verde acaba predominando na gravata, na meia, na camisa social, na bermuda, mas está ali presente.

E passa a ser uma coisa que a gente começa a reparar na rua. Dificil passar um dia sem avistar outro palestra pelas vias, desfilando a nossa camisa verde, amarela, azul, ou branca – sem qualquer referência as cores da bandeira nacional, é claro. Pra mim é quase uma obsessão. Eu, que todo santo dia vou pro trabalho, com a minha mochila do Verdão nas costas, fico procurando outro maluco que vai estar pela rua, orgulhoso, carregando o manto no peito, nas costas, na cabeça e, principalmente, no coração.

Sair do estado de São Paulo sem pelo menos 03 camisas do Palmeiras? Nem pensar. E contar quantas camisas do Verdão a gente vê nos outros estados é quase uma obrigação. As minhas últimas férias eu passei assim, na foto ao lado. Mas nada disso é novidade pra você, palmeirense como eu.

Mas e para os outros? Como será que é pra um torcedor de outro time ver os palestras sempre estampando no peito o orgulho que é ser palmeirense, todo santo dia?

Finalmente poderemos descobrir: essa dica é do Felipe Giocondo, um dos palestrinos que mais se empenhou pra tornar realidade a procissão de São Marcos, um dos que arregaçaram as mangas e fizeram acontecer, junto, é claro, de muita gente que dedica muito do seu tempo pelo bem da SEP.

O trecho a seguir foi retirado do Boteco do Edu, blog do @edugoldenberg, carioca, Flamengo (como ele se auto-definiu) e que basicamente tem de tudo, de futebol a receitas culinárias, música, política e por aí vai.

Eis que, de maneira muito talentosa, o blogueiro fluminense se põe a tentar explicar aquilo que, segundo ele, seria um fenômeno: a camisa do Palmeiras perambulando pelas ruas cariocas todo santo dia. Vou tomar a liberdade de separar alguns trechos do post (publicado em 2008), sem me furtar, é óbvio, de antes indicar o texto na íntegra, que você lê aqui (e não percam também mais este, este e, finalmente, este post do Buteco do Edu, todos sobre nós, palmeirenses!):

Todos os dias – eu disse TODOS, com a ênfase szegeriana – eu esbarro com pelo menos uma pessoa envergando, orgulhosa, a camisa do Palmeiras. E eu disse “pelo menos uma” porque às vezes – estou sendo preciso do início ao fim – eu esbarro com duas, três, quatro, cinco camisas do Palmeiras, no mesmo dia, em horários e locais diferentes.

No Rio de Janeiro, por razões óbvias, é fácil dar de cara com camisas do Flamengo, do Vasco, do Fluminense, do Botafogo, do América.

Mas por que razão – esta a pergunta que faço com as mãos espalmadas pedindo ajuda – a camisa do Palmeiras é onipresente na cidade do Rio?!

Quando o Palmeiras joga, então, você tem a impressão, em plena Tijuca, de que está caminhando pela rua Turiassu ou descendo, animadamente, a avenida Francisco Matarazzo.

Dia desses, inclusive, eu estava dentro do 239, voltando pra casa. Era dia de jogo do Palmeiras (não me lembro qual, nem à fórceps). O ônibus parou no sinal (no farol, palestrinos), na esquina da Frei Caneca com a Marquês de Pombal, onde há um buteco de primeira, vagabundo, como devem ser os grandes butecos. E do teto do bar – creiam! – pendia uma enorme, uma gigantesca, uma impressionante bandeira do Palmeiras. Diante do balcão da espelunca, uns dez, doze, sei-lá-quantos homens vestidos a caráter bebiam e faziam algazarra, como se estivessem devastando sanduíches de pernil com cerveja numa das kombis da Turiassu e prestes a entrar no estádio.

E é assim, meus poucos mas fiéis leitores. Desconheço a razão desse fenômeno. Pois é, de fato, um fenômeno.

Meu caro Edu, posso te garantir: para a gente verde e branca, não se trata de fenômeno algum. Ser palmeirense é isso aí mesmo. Você faz questão que o mundo todo saiba que você é palestra, porque orgulho maior não há. Inexplicável pra alguns? Pode ser, mas pra quem é Palmeiras, isso é uma simples e mera redundância, já diria o Joelmir…

AVANTI PALESTRA!

PorcoNews n.65 – Especial Procissão de São Marcos

Crédito: Ademir Castellari - Blog do Divino

Difícil descrever o que se passou na tarde de ontem pelas ruas da Pompéia e do Pacaembu. Uma multidão se dignou a comparecer a um jogo amistoso, que não valia absolutamente nada, pra assistir o mesmo time medíocre do ano passado, sem atacante, sem jogada, sem novas contratações e, principalmente, sem São Marcos.

A Procissão, organizada pelo torcedor palmeirense, tomou conta rapidamente das ruas Caraíbas e Turiassu, aquela esquina tão sagrada pro palmeirense. Cerca de 5.000 torcedores mostravam o quanto a torcida do Palmeiras pode ser apaixonada por quem veste esse manto com dignidade, respeito e honra.

Ao todo, 25 mil palestrinos estiveram no Pacaembu pra ver a primeira atuação do time em 2012 que, apesar da vitória, foi bem mediana, nada além do que se podia esperar do time praticamente igual ao do ano passado. Mas não estamos aqui pra falar do jogo, certo?

Boa parte dos 25 mil torcedores vestiam a camisa 12 que foi eternizada nas costas de São Marcos. Uma homenagem mais que justa por quem tanto fez pelo nosso Palmeiras.

É uma pena que a diretoria do Palmeiras não seja composta por mais gente como esses caras que, sem pedir nada em troca, botando dinheiro do bolso, e apenas por amor ao Palmeiras, se propuseram a organizar a mais bonita das homenagens que um jogador de futebol já recebeu. Ainda tiveram a habilidade de reunir tantos grupos políticos diferentes, todas as organizadas, sites da mídia paletsrina, blogs, todos concentrados num único ideal, o de render a devida homenagem ao Santo. Uma pena que quando o ideal é o bem do Palmeiras a mesma união não ocorra… Quem sabe a partir de agora, não? Seria o 13.o milagre do nosso Santo salvar o Palmeiras das mãos de quem tanto o prejudica?

E até a imprensinha Gambá acabou se rendendo à nossa torcida. Ontem, nós paramos a cidade, e quem via de fora, dos carros parados na rua para que a multidão passasse, parecia não acreditar no que estava acontecendo. Deviam estar se perguntando que título o Palmeiras tinha ganho. Não ganhamos nada, é apenas um amistoso.

Dêem um time para essa torcida, diretoria! Dêem e verão do que somos capazes! É como sempre dizemos, o Palmeiras é imenso! E graças à sua torcida, apaixonada, leal, irracional em seu amor pelo Verdão! Se fazemos isso por um ídolo como Marcos, imagina só o que seria com 11 jogadores que fizessem 10% do que o Marcos fez pelo Palmeiras?

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Procissão na mídia:

Lance!

Globo.com

IG

Terra

UOL

AVANTI PALESTRA!

Tem Jogo! Flamengo x Palmeiras

Hoje o Tem Jogo! dá lugar ao inconformismo com a atitude covarde adotada por um grupo de torcedores contra o jogador João Vitor.

Começa que ele foi agredido enquanto comprava camisas do Palmeiras. Mesmo que fosse visto comprando camisas do Gambá ainda assim nao dava pra entender ou aceitar.

Segundo que violência nao vai resolver. E mesmo que fosse, o alvo nao poderia ser o João Victor. Na fila da surra, ele seria um dos últimos.

Terceiro que a atitude covarde foi, acima de tudo, burra. Bastou o fato ocorrer para que os srs. Judas e Tirone arrumassem um jeito de tirar a bunda da seringa. Tirone já falou que acha difícil conseguir contratar o ano que vem, como se ele fosse conseguir trazer Iniesta e Fabregas antes do episódio. E o Judas arrumou mais um jeito pra nao jogar.

Por ultimo, agora a torcida vai ser de novo considerada a grande culpada pela pindaíba do Palmeiras, como se o time já nao viesse caindo pelas tabelas.

Parabéns aos irresponsáveis autores dessa imbecilidade. Vocês foram o bode expiatório que diretoria, comissão e jogadores tanto sonhavam.

Quanto ao jogo, que se foda. Se perder de 3×0, depois disso tudo, terá sido lucro.

AVABTI PALESTRA!

O Palmeiras precisa de Você!

Alo palestrinos primo campione mondiale, oinctacampeões brasileiros!

Passada a dor de cabeça de mais uma injusta derrota, dessas que só o Palmeiras sabe levar, está na hora de reagir!

É tempo de retribuir todas as alegrias que o Palmeiras nos proporciona!

Agora é o momento de ajudar nosso Palestra Imenso!

E como ajudar o Palmeiras? Muito simples…

Dizem que somos 1, de cada 10 brasileiros. 18 milhões de almas alviverdes. Nossa força é impressionante!

Se cada um de nós der 1 Real…

… pagamos a multa rescisória do Conivaldo, do Caramujo,  do Maurício Ramos e do Telmário, duma só vez, e ainda compramos um camisa 9 que tenha o aval da massa alvi-verde, sem depender da diretoria criar vergonha na cara.

Quero ver perder pros Gambás com essas tranqueiras longe do nosso Palestra e com um especialista em botar no barbante jogando ao lado do Gladiador!

Também podemos contratar um departamento médico inteiro, inclusive com um enfermeiro/leão de chácara 24hs, assim o Valdívia nunca mais perde um clássico, seja por causa da fibrose ou da cirrose do Mago!

Saleta, tá incumbido de abrir a conta aí no Bradescão, irmão!

Se der pra batizá-la, tipo aquelas de bacana na Suíça, pode chamar de Fundo de Resgate da Honra do Manto Palestrino. Ou Porquinho da Vergonha na Cara. Ou Vaquinha do Saco Cheio. Ou sei-lá-o-que…

Meu 1 Real tá na mão já!

Quem tá dentro?

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: