Arquivos do Blog

Palmeiras 2×0 São Bernardo – Paulistão17

 

Finalmente um placar convincente, mas apenas pelo futebol jogado em parte do segundo tempo.

Depois de um primeiro tempo sofrível, de pouca ou nenhuma criatividade por parte da equipe, muito por conta da inoperância do RG, enquanto Moisés e Guerra jogavam em linha sem conseguir produzir muito, foi do excelente banco de reservas do Palmeiras que saiu a vitória.

Primeiro, a saída mais que comemorada do inofensivo Roger Guedes, com a entrada do Michel aberto pela direita deu vida nova ao Palmeiras no jogo. Com a entrada do Veiga no Guerra, o lado esquerdo do ataque também começou a fluir, e aí a retranca do São Bernardo foi pras picas…

Foi num lance pela direita com participação do Michel, Moises e Jean, .que o Palmeiras abriu o placar com Dudu.

E foi nele também o pênalti que originou o segundo gol, convertido por Jean.

No fim, o time titular foi mal, mas a vitória saiu do banco de reservas, com atuações convincentes de Keno, MB e RV.

É isso que queremos ver do Eduardo. O Palmeiras tem muito elenco pra entrar mal escalado, e principalmente para não produzir depois de alterações equivocadas. Que o fiasco de Itu tenha sido só um susto. Que o professor tenha entendido que esse time tem como render muito mais.

E com a produção mais que limitada do nosso centroavante, que aliás, nem centroavante de ofício é, já passou da hora do Baptista dar ao menos uma chance ao Barrios. Em 3 jogos, só Alecsandro e William jogaram, e nenhum dos dois marcou, ou fez alguma coisa de útil. Qual o problema de escalar o paraguaio?

Por último, de um novo recado pra diretoria: 23 mil pagantes, menos de 60% da ocupação… 19:30, quinta-feira, prum Palmeiras e São Bernardo, precisa ter ingresso mais em conta…

AVANTI PALESTRA! 

OS GOLS:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 0 SÃO BERNARDO
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data-Hora: 16/2/2017 – 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: José Claudio Rocha Filho
Auxiliares: Daniel Luis Marques e Evandro de Melo Lima
Público/renda: 23.708 pagantes/R$ 1.238.229,74
Cartões amarelos: Keno e Willian (PAL), Marcinho, Geandro e Vinicius Kiss (SBR)
Cartões vermelhos: –
Gols: Dudu (19’/2ºT) (1-0), Jean (32’/2ºT) (2-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo; Róger Guedes (Michel Bastos, aos 14’/2ºT), Guerra (Raphael Veiga, aos 13’/2ºT), Moisés (Keno, aos 25’/2ºT) e Dudu; Willian. Técnico: Eduardo Baptista.

SÃO BERNARDO: Daniel; Eduardo (Marcinho, aos 23’/2ºT), Edimar, Anderson Conceição e Breno; Geandro, Vinicius Kiss e Rafael Costa (Alyson, aos 24’/2ºT); Rodolfo, Walterson (Patrick Vieira, aos 24’/2ºT) e Edno. Técnico: Sergio Vieira. 

Palmeiras 2×0 São Bernardo – Paulistão16

Com 16 pontos ganhos dos últimos 18 disputados, o Palmeiras chega à semi-final do Paulistão para enfrentar os Lambaris, em jogo único, naquela banheira que eles chamam de estádio.

E a considerar o tempo que o meia dos Sardinhas, aquele cabeça amarela que mora no bolso do Matheusinho, perde pra debochar do Palmeiras em redes sociais, dá pra apostar em um jogo tenso.

Mas o nervosismo é todo deles: jogam em casa, torcida única, e com a responsa de não poder perder uma partida eliminatória pra gente.

Depois do nó que o Cuca deu no Tite, não vai ser Dorival que deve nos preocupar. Mas, treinadores à parte, o :}Lambari vai ser um adversário duro de ser batido, mas não impossível.

Basta o Cuca perceber o que está funcionando no time e o que não está: Arouca e Robinho, por exemplo, não têm vindo bem, e o último então, tá tirando a torcida do sério faz tempo. Allione é outro que não sabe o que quer da vida.

Alecsandro e Gabriel Jesus, Matheus e Gabriel, Jean na direita, Dudu, esses têm que continuar jogando sempre.

Os atacantes, cada um com 9 gols marcados esse ano, finalmente saíram da má fase da temporada anterior: Gabriel tinha marcado 7 em 2015 e Alecsandro 10. Em pouco mais de 03 meses, já mostraram muito mais serviço que o ano passado inteiro. Hoje cada um fez um.

Roger Guedes, que fez sua estréia com a camisa do Verdão, deu o passe pro segundo gol, do Jesus, e mostrou ser uma opção bem interessante pra disputar posição com o até aqui inútil Erik (aliás, como é difícil jogador do Goiás vingar aqui…). Acompanhemos.

Sobre o jogo, ainda é muito sofrível a saída de bola do Palmeiras, os zagueiros abrem demais pelas pontas pra receber a bola e invariavelmente não tem com quem jogar. O Palmeiras ainda não entendeu que os times que saem jogando com a bola no pé tem muita aproximação, sempre 02 ou 03 opções pro passe, e não esses hemisférios que separam os defensores do verde a cada nova reposição de bola…

Tem que aproveitar a semana de treino pra aprimorar e, principalmente, pra montar o time em cima do jogo do Santos, o que o Cuca já mostrou saber fazer muito bem.

Pra cima das Sardinhas!

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 0 SÃO BERNARDO

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data-Hora: 18/4/2016 – 21h (horário de Brasília)
Árbitro: Vinícius Furlan
Auxiliares: Alberto Poletto Masseira e Eduardo Vequi Marciano
Público-Renda: 30.731 pagantes. Renda: R$ 1.759.380,50
Cartões amarelos: Gabriel Jesus (PAL), João Francisco, Eduardo, Tatá e Luciano Castán (SBE)
Gols: Alecsandro 35′ 1ºT (1-0) e Gabriel Jesus 41′ 2ºT (2-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo e Egídio; Arouca (Gabriel 25′ 2ºT), Matheus Sales, Robinho (Dudu 14′ 2ºT) e Allione; Gabriel Jesus e Alecsandro (Róger Guedes 33′ 2ºT). Técnico: Cuca

SÃO BERNARDO: Daniel, Lucas Néwiton, João Francisco, Luciano Castán e Eduardo; Marino, Cañete e Fellipe Mateus (Tatá 15′ 2ºT); Alyson (Túlio 46′ 2ºT), Walterson e Henan (Jefferson Kanu 23′ 2ºT). Técnico: Sérgio Soares 

São Bernardo 0x1 Palmeiras – Paulistão15

Mais uma vitória na sofrência. Oswaldo segue amarrado nesse esquema tático que já começa errado na lateral esquerda, prejudicando a armação da equipe com o melhor armador da equipe sacrificado na defesa.

Até entendo que num jogo mais pegado, a experiência do Zé Roberto possa ser útil na lateral. Mas contra o modestíssimo São Bernardo, cujo lance mais agudo da partida foi ter o mascote expulso de campo, foi um desperdício.

Sem Allione, substituído por Rafael Marques (o melhor em campo), Robinho não conseguiu render o mesmo dos últimos jogos, além dos inoperantes Cristaldo e Dudu, e o que se viu foi um Palmeiras pouco eficaz.

Coube de novo aos jogadores de defesa resolverem a fatura. Vitor Hugo, numa meia bicicleta no rebote de um escanteio, garantiu os 03 pontos, assim como na zaga, ele Victor Ramos e Prass seguraram o placar.

Sim, o Oswaldo ainda não tem um meia à disposição, o time está em formação e tals, mas a essa altura já era tempo de ter achado uma solução pra esse problema. Tenta um 4x4x2, 3 atacantes, sei lá, mas não, é sempre esse 4x2x3x1 mais manjado que andar pra frente, que funciona na bacia das almas só contra os pequenos.

Mesmo porque tem clássico quarta-feira, e tem que entrar com fogo no zóio. Se o Palmeiras ganhar, passa a turma da Floresta enCantada na classificação geral, e isso vale o direito de jogar as quartas de final em casa. Além de ser um Palmeiras e bicharada, porra!

Pra cima delas!

O GOL:

A FICHA TÉCNICA:

SÃO BERNARDO 0 X 1 PALMEIRAS

Local: Primeiro de Maio, em São Bernardo (SP)
Data/Hora: 22/3/2015 – 19h30
Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Vitor Carmona (SP)

Renda/Público: R$ 308.945,00 / 11.650 pagantes
Cartões Amarelos: Cañete e Luciano Castán(SBE); Cristaldo, Rafael Marques e Fernando Prass (PAL)
GOLS: Vitor Hugo, 9’/2ºT (0-1);

SÃO BERNARDO: Daniel; Rafael Cruz, Diego Jussani, Luciano Castán e Vicente (Jean Carlos, 16’/2ºT); Dudu Lima (Vanger, 36’/2ºT), Moradei, Marino, Magal e Cañete (Lúcio Flavio, 30’/2ºT); Maikon. Técnico: Roberto Fonseca.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel, Arouca, Robinho (Renato, 40’/2ºT) e Rafael Marques; Dudu e Cristaldo (Gabriel Jesus, 24’/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

AVANTI PALESTRA! 

Palmeiras 2×0 São Bernardo – Paulistão14

O Palmeiras enfrentou um adversário que tinha ganhado dos Gambás e empatado com os Bambis e por isso podia ate ser considerado um adversário mais qualificado.

Mas uma escalação finalmente coerente do treinador – somada à volta de Wesley e Kardec – levou pra campo um time bem mais organizado e combativo e que não encontrou muita dificuldade pra confirmar os 03 pontos. Sinal positivo de recuperação, mas fica um alerta também de que o Palmeiras não tem hoje à disposição peças de reposição à altura do 14 ou do 11.

Com Eguren à frente da zaga como único volante – Marcelo Oliveira foi a campo como zagueiro – e um meio formado por Wesley, Valdivia e Marquinhos Gabriel, jogando de falso terceiro atacante pela direita, ao lado do Kardec pelo meio e do Vinicius pela esquerda, Kleina reeditou o esquema tático que deu resultado em vários jogos do ano passado na Série B.

Com isso, ficou ainda mais evidente que – apesar dos desfalques – foi culpa exclusiva do Kleina a derrota vexatória do último domingo, por ter optado por um esquema com 03 volantes – de uma vez por todas, Mendieta é VO-LAN-TE – ao invés de 03 jogadores na frente. Eguren, Mendieta e Valdivia, Marquinhos, Miguel e Vinicius seria outro jogo bem diferente do que vimos em Ribeirão Preto.

Enfim, que bom que o Kleina finalmente está avaliando os erros, parar de insistir com o Mazinho foi uma alegria pra qualquer palmeirense.

Sem destaques especiais, o time foi bem como um todo. Como quer o torcedor.

Quinta que vem, voltamos ao Pacaembu pra enfrentar a Lusa. Valdivia, na seleção chilena e suspenso, não joga. Vejamos se o treinador entendeu o recado ou se vai entupir o time de volantes de novo. Torcendo pela primeira hipótese…

AVANTI

O Maluco pelo Palmeiras, assim como alguns outros blogs e sites da Mídia Palestrina, foi convidado pelo Palmeiras a testar gratuitamente o programa de sócio-torcedor do clube pelo período de 01 ano e, com isso, ajudar a contribuir para que o programa seja cada vez melhor.

Após breve reflexão, resolvi aceitar o convite, mesmo já sendo sócio do programa desde os seus primórdios, mas o fiz apenas com o compromisso irrevogável de realmente avaliar – e criticar, como sempre faço aqui com o time – o programa, seus benefícios e vantagens, com o objetivo de contribuir para que o programa alcance todas as metas traçadas e seja de fato o melhor do País.

Meu compromisso segue sendo com o Palmeiras, seu torcedor e comigo mesmo, e na medida do possível, sigo sendo sempre alheio às questões políticas do clube, seja por não frequentar o clube tanto assim ou por não ser afeto a esta ou aquela corrente política, de forma que não me senti obrigado nem a aceitar nem a recusar o convite. A escolha foi livre.

Assim, desde logo e já partindo para a primeira análise, sigo insistindo em um ponto que desde o início entendo que precisa ser revisto: o preço do ingresso não pode servir de motivo pro torcedor se associar ao programa. O torcedor não tem que se associar ao programa porque, literalmente, “vale a pena”, mas sim porque o programa é bom pro torcedor e pro clube também.

São 37 mil inscritos no AVANTI e, mesmo assim, temos de 6 a 7 mil pessoas em campo nos jogos como mandante no meio de semana.

É preciso se questionar porque 5/6 dos associados ao programa (isso a se presumir que 100% dos presentes nesses jogos sejam associados – o que é bastante improvável) não têm ido ao estádio. Se pensarmos – e de novo, presumo por não ter os dados – que a maioria dos torcedores tenha optado pelo plano Avanti de entrada – que dá direito a 50% de desconto no ingresso – mesmo assim o jogo custaria R$ 30,00 para o sócio torcedor. Ao final de um mês, além da cota do Avanti, são de R$ 90,00 a R$ 120,00 por mês.

Enquanto isso, o Gambá cobra R$ 30,00 no ingresso preço cheio (presumo também que o sócio torcedor pague ½ – R$ 15,00) e ontem, colocou quase o dobro de pessoas no Pacaembu do que tivemos hoje.

Assim, acho que o que mede a eficiência do programa de sócio-torcedor não é apenas a quantidade de inscritos, mas também a capacidade de encher o estádio. Se os números do Palmeiras desse início de ano estão bons em termos de público (como anunciou a mídia recentemente), poderiam estar muito melhores se o ingresso não fosse tão caro, lembrando que nenhum outro time cobra os mesmos R$ 60,00 todo santo jogo do seu torcedor. Qual seria essa média se metade dos sócios do Avanti fosse a todos os jogos?

Por isso, entendo que a política do preço do ingresso tenha que ser revista, se não para todos os jogos, ao menos para os menos atrativos como um Palmeiras x São Bernardo em que boa parte da torcida, até mesmo dos sócios torcedores, não se dispõe a ir ao jogo e pagar R$ 60,00 ou mesmo R$ 30,00 (no caso do ST).

Uma ideia para tentar solucionar esse problema seria criar um sistema de bônus pros sócios que pagam meia entrada – por exemplo, a cada X jogos frequentados, o desconto passaria de 50% para 75%, e assim por diante.

Outra questão que precisa ser imediatamente regularizada é o sistema de rating. A pontuação simplesmente está errada. Não teve um torcedor com quem eu conversei até agora que me disse que achava que a pontuação dele no rating do Avanti estava certa. No meu caso, por todos os cálculos possíveis e imagináveis, a minha média girava no mínimo em torno de 60,5%, isso contando desde que o sistema foi inaugurado, em setembro. Se considerar este ano, sigo 100%.

Mas, inexplicavelmente, meu rating no AVANTI segue sendo 1 estrela – 23%. Está assim desde o começo do ano. Mandei um e-mail pelo site questionando há uns dez dias e não recebi resposta. Questionei o assunto pelo twitter do Avanti e também não recebi nenhuma resposta.

A continuar dessa forma, há 20 e poucos dias dos jogos decisivos, quando a prioridade de compra será imprescindível, terá sido em vão todo o empenho dos 6, 7 mil – ou menos – sócios torcedores que, como eu, não perderam nenhum dos jogos do Palmeiras em casa este ano.

Um dos grandes atrativos do programa é a prioridade na compra por meio da aplicação do rating. Lembro que fiquei quase a madrugada inteira no site do FutebolCard pra comprar os ingressos pros jogos contra Gremio e Coritiba na Copa BR12. Se não tivesse feito isso, talvez tivesse ficado de fora desses jogos – da final eu fiquei mesmo, porque meus filhos tinham acabado de nascer horas antes do jogo.

E justamente agora que, com o aprimoramento do programa, existe essa possibilidade de os que mais frequentam os jogos terem ainda mais prioridade, o rating não funciona… Daí fica difícil…     

Enfim, essa é minha contribuição inicial, nos próximos posts seguirei comentando sobre o Avanti e apontando os erros e acertos, bem como cobrarei resposta das soluções propostas, afinal, foi pra isso que aceitei avaliar o programa formalmente, e não apenas como sócio-torcedor.

OS LANCES:

em breve

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 0 SÃO BERNARDO

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data e horário: 27 de fevereiro de 2014, quinta-feira, às 19h30
Árbitro: Aurélio Santanna Martins
Assistentes: Fausto Augusto Viana Moretti e Eduardo Vequi Marciano
Público/renda:
 234.605,00/6742 pagantes

Cartões amarelos: Valdivia (PAL); Castán (SBS)
Cartões vermelhos: Nenhum

GOLS: Alan Kardec, 24’/1ºT (1-0); Valdivia, 10’2ºT (2-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e Juninho; Eguren, Wesley (Tiago Alves – 43’/2ºT) e Valdivia; Marquinhos Gabriel (Mendieta 19’2ºT), Vinicius (Patrick Vieira – 31’/2ºT) e Alan KardecTécnico: Gilson Kleina.

SÃO BERNARDO: Wilson Júnior, Kaique, Luciano Castán, Fernando Lombardi e Eduardo; Dudu Lima (Márcio Diogo – 31’/2ºT), Marino, Willian Favoni (Jean Carlos – intervalo), Bady, Gil (Bombinha – 15’/2ºT), Careca. Técnico: Edson Boaro.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 3 x 0 São Bernardo – Paulistão13

Pedíamos aqui antes do jogo, apenas, que os jogadores que entrassem em campo hoje vestissem nossa camisa com dignidade. Não há lugar pra mais nenhum vexame como o visto no último domingo.

E parece mesmo que os jogadores, ainda muito afobados, ainda muito pressionados (com razão, diga-se), entenderam isso e deram conta de vencer o limitadíssimo São Bernardo. Nada de extraordinário, é verdade, mas um empate contra o adversário de hoje poderia selar o destino de muita gente…

Destaques individuais: Barcos, nem preciso falar. Nem só pelos 2 gols, mas a simplicidade e a seriedade do capitão espantam. Ele não sorri, não fala com o adversário, não fala com o juiz. Ele simplesmente vai lá e faz o(s) dele, e como faz. Aos 30 e poucos do segundo tempo – já tinha guardado 2 – ele recebe um passe dentro da área, domina a bola com um toque só de direita, já tirando o zagueiro e mandando uma bomba de esquerda mesmo, uma pena que o goleiro defendeu. Se alguém entra na área e chuta uma bola mal batida (será que eu to falando do Maikon Leite) e ele tava em melhor posição, ele perde a cabeça. Se tiver chance de fazer 10 gols por jogo, tem que fazer os 10. Sei que a lenga-lenga da renovação do contrato dele deixou muita gente de nariz torcido, mas hoje ele é O cara do Palmeiras.

Valpinga. Não quer ser vaiado, é só jogar bola. Fácil. Valdívia motivado é um dos melhores jogadores da sua posição, como bem disse o PN. Resta ele querer. Hoje quis. Deu um gol, fez outro. Jogou muito bem. Botou o Maikon Leite na cara do gol trezentas vezes, mas, bom… era o Maikon Leite. Agora, a fama não deixa de perseguir o meia. Há três rodadas do Carnaval, tomou o primeiro amarelo besta. Não será qualquer surpresa ao Palmeirense se ele estiver suspenso no dia 10/02, domingo de Carnaval, contra o Mogi… Aliás, se ele tomar cartão no próximo jogo, contra o XV, vai ter mesmo que forçar o terceiro contra o Atl. Sorocaba pra não correr o risco de ficar de fora contra os lixos. É… enfim, se continuar jogando mais e falando menos, machucando menos, talvez até o torcedor volte a confiar. Até lá, é um passo por vez.

Kleina, por sua vez, mostrou que, no mínimo, não é covarde ou teimoso. Não tá funcionado o esquema tático? Muda. Simples. Vai jogar com um adversário mais fraco, em casa? Então, pra cima dos caras, tira um volante e põe um atacante a mais. Teve um técnico que ganhou uma Libertadores por aqui fazendo isso. 3 volantes fora, 3 atacantes em casa. Mas parece que ele esqueceu disso uma década depois… Ainda, ponto pro Kleina de ter aproveitado um jogo ganho pra testar formações diferentes prum mesmo esquema tático, com Wendel no Ayrton, Patrik Vieira no Vinicius e Edilson no Valpinga. Não tem jeito, elenco reduzido como o do Palmeiras, esses testes são quase obrigação. Mesmo assim, muito DT de renome preferia fazer 1 x 0 e tirar um atacante pra colocar um volante, pra “garantir” o resultado… E o Neto e o Denilson, que essa semana bancaram que o Kleina tinha perdido o vestiário, devem estar agora um chupando o outro. ahahahah

Wesley, não é nenhum Arouca, mas aos poucos vai se soltando, embora ainda pareça muito desinteressado. Sei lá se não tô sendo injusto, mas eu ia ter um tesão do caralho de vestir a camisa do Palmeiras, já ele parece que joga no time da firma do sogro, sei lá…

Próximo jogo, o Palmeiras enfrenta o XV no Barão de Serra Negra. Os piracicabanos vem de 02 derrotas pra Mogi e Penapolense. Pra cima Palmeiras!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 3 X 0 SÃO BERNARDO

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data e hora: 31/1/2012, às 19h30
Árbitro: Adriano de Assis Miranda
Auxiliares: Fausto Augusto Viana Moretti e Risser Jarussi Corrêa

Renda e público: R$ 177.540,00 ; 5.313 pagantes
Cartões amarelos: Valdivia (PAL) Gleidson (SBO)
Cartões vermelhos: Nenhum
GOLS: Barcos, aos 33’/1T (1-0); Valdivia, aos 5’/2T (2-0), Barcos, aos 10’/2T (3-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass, Ayrton (Wendell – 38’/2T), Henrique, Maurício Ramos e Juninho; Márcio Araújo, Wesley e Valdivia (Edilson – 33’/2T; Maikon Leite, Vinícius (Patrick Vieira – 18’2T) e Barcos. Técnico: Gilson Kleina.

SÃO BERNARDO: Wilson Júnior, Régis, Samuel, Marcio Garcia e Gleidson Souza; Dudu, Glaydson (Michel – intervalo), Cleber e Luciano Mandi (Gil – 32’/2T; Ricardinho (Naldinho – 17’/2T). Técnico: Luciano Dias.

AVANTI PALESTRA!

Tem Jogo! Palestra x São Bernardo – R. 4 Paulistão13

Se tem uma coisa que o torcedor palmeirense que comparecer hoje ao Pacaembu não pode abrir mão, é que o time que entrar em campo 19:30 para enfrentar o São Bernardo jogue com DIGNIDADE.

Não vou entrar no mérito do que é torcer, se o correto é como para alguns, que entendem que devem apoiar o time o tempo inteiro, ou para outros, que se sentem no direito (legítimo, por sinal) de vaiar e cobrar jogadores claramente em dívida com o time. Entendo e já participei dos dois lados.

Fui um daqueles que, mesmo depois do 6×0 sofridos em Curitiba na CdB de 2011, fui ao Pacaembu no jogo da volta, apesar do boicote que foi organizado por parte da torcida.

Também já xinguei muitos jogadores no estádio, em especial aproveitadores como Valpinga e Luan.

Assim, tanto quem apóia como quem cobra tem seus motivos. Agora, o que ninguém pode abrir mão é de um time jogando sempre com dignidade e honrando as tradições do maior vencedor desse país. Um time que acabou de ser rebaixado e se dá ao luxo de perder prum time minúsculo dentro de casa, com 1 jogador a mais por pelo menos 40 minutos, não é digno de vestir a camisa do Palmeiras e jogar perante sua torcida.

E pouco importa se o 10, o 11 ou qualquer outro número tenha jogado bem, ou tenha feito um gol. Como eu disse aqui, uma derrota dessas é de todos, é pra cobrar do roupeiro ao presidente, e não pode haver exceções.

Isso devia ser unanimidade. Não podemos admitir insignificantes como Maikon Leite ou Wesley vindo dizer que nossa torcida é exigente, muito menos aplaudir um jogador medíocre que disse estar de saco cheio da torcida. Nós somos o maior patrimônio do Palmeiras, e jogador nenhum devia ousar falar o nome da torcida senão para agradecer. Especialmente depois de perder como nas circunstâncias da derrota do último domingo. Ou depois de ter sido rebaixado.

Pronto, tomei partido… sou dos que acham que tem que vaiar sim, embora quem pense o contrário está no seu direito de não ser obrigado a vaiar, mas também não poderá criticar quem o faz.

Não podemos nunca abrir mão de um time digno em campo, insisto.

E hoje, no Pacaembu, é só isso que eu espero ver. Dignidade, mesmo que eventualmente isso não se traduza em vitória. Não é pedir muito… não há nada de exigente nisso, viu Sr. Brunoro?

E o Kleina, aparentemente já sentindo a quentura do óleo em fogo baixo que a imprensa imunda lhe reserva, não pretende dormir no ponto: vai no 4-3-3, mas com Vinícius de 3º atacante (vish), ao lado de Barcos e Maikon Leite. Vamos ver no que dá. Pra dar lugar a ele, Denoni volta ao banco, junto com Patrik Vieira, que deixa a posição para, finalmente, Valpinga começar o ano como titular, “mesmo sem estar 100%”, diz a imprensinha…

Vão a campo: Prass; Ayrton, Henrique, MR e Juninho, Caramujo, Wesley e Valpinga, Vinícus, Barcos e Maikon Leite.

Do outro lado estará o fraco São Bernardo, 1 ponto ganho de 9 disputados, ostentando a vice-lanterna da competição. Típico candidato a aplicar mais um vexame à vasta galeria palestrina. Só que não, dessa vez não. Hoje não…

 Dá 3×0 Palmeiras, com 2 de Maikon Leite (acreditem) e 1 do Barcos.

Estaleiro quase no fim, a alta do DM virá em breve e o próximo jogo em casa será o debute do Maluco em 2013 nos gramados.

Mas o Bonde vai estar lá, pode apostar!

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×0 Mirassol – Paulistão 2011

Meu protesto tinha fundamento.

A organização do jogo do Palmeiras ontem no Canindé foi ridícula. Já no meio da semana, o Palmeiras avisou que não venderia ingressos pela Internet. Os relatos de quem foi no jogo dão conta de que das 12 bilheterias do Canindé, apenas 4 funcionavam. E pra piorar, as bilheterias que estavam funcionando se recusavam a aplicar os descontos a que têm direito os sócios e sócios-torcedores do clube.

Resultado, começo do segundo tempo ainda tinha palmeirense pra fora do Canindé. Uma vergonha. No que depender de mim, enquanto os jogos forem no Canindé, essa diretoria maltrapilha não vai ver a cor do meu dinheiro. É tão indignante que dá vontade de nunca mais pisar num estádio. Se não fosse esse amor incondicional que a gente sinto pelo time, já tinha mandado tudo à merda…

Bom, falando do jogo, o que se viu ontem no Canindé foram duas histórias bem diferentes, um time leve e muito rápido no primeiro tempo, com Valdivia e Patrik, Adriano e Vinicius se revezando nas ofensivas contra a limitada zaga do São Bernardo. Ainda recebiam o apoio regular do Gabriel e muito bom do ButtHead, fizeram o Palmeiras conquistar o resultado de 2×0 com facilidade.

Detalhe para mais um infeliz comentário do PVC no intervaldo do jogo, que lhe rendeu o meu unfollow. Pro estatístico (comentarista de futebol ele com certeza não é), Patrik tinha sido melhor que Valdivia no primeiro tempo. Piada. Ou burrice, tanto faz.

Tanto que, no segundo tempo, o Mago foi poupado por conta de uma dor na coxa (maldita coxa) e o futebol do Palmeiras sumiu. E ai, PVC, onde foi parar o #patrikehmelhorqueovaldivia? Pensando bem, não foi piada não. O PVC é bom pra saber quantos lumens tem o sistema de iluminação do Estádio Fonte Luminosa em Araras, ou qual era o fornecedor do papel-higiênico dos banheiros químicos do Pacaembu em 1974, mas em análise técnica, deixa a desejar.

Ocorre que pra saída do Valdivia, Felipão optou pelo péssimo Tinga (não que ele tivesse muita opção). De promessa ele virou mentira. Ele TINGAnou. Mais uma partida pífia do moleque. Tá na hora de trabalhar separado com o Murtosa e com o Anselmo. Já eram 4 volantes em campo: o inútil Caramujo, o morto Assunção, Patrik e Tinga. Já estava ruim, mas o Marco Aurélio Scolari, digo, o Felipão, conseguiu piorar.

Tirou Vinicius e colocou João Vitor e Adriano pra colocar o Chico, num inédito 4-6-0, rendendo ao treinador merecidas vaias. Afinal, jogávamos em casa contra o São Bernardo, e não em Abu Dabhi  contra o Real Madrid. O Palmeiras é time grande, IMENSO! A torcida não vai aceitar um time covarde em campo que abdica de atacar contra um time infinitamente inferior.

Ontem deu certo, porque o Deola estava em noite inspiradíssima, pra delírio do Protti. Mas pra quem não se lembra, Felipão fez a mesma cagada contra o Comercial no jogo de ida, o que resultou no 2×1 e no afastamento do Maurício Ramos por causa do lance do gol do Comercial, na necessidade do jogo de volta no qual o Kléber se machucou (e depois ele e o Felipão brigaram) e no qual a torcida não compareceu, e daí a diretoria resolveu mandar os jogos no Canindé, E por aí vai…

Como um simples ato de covardia pode ter tanta repercussão,  não é? Mas é assim que funciona. Felipão errou ao recuar o time contra o Comercial. De castigo levou o gol e foi cobrar o Mauricio Ramos, que respondeu pra ele. E foi afastado por isso. Daí no jogo de volta, que só ocorreu por culpa da mentalidade retranqueira do treinador, o Kléber se machucou. E depois foi cobrado na imprensa. E respondeu. E não foi afastado porque não dá pra tirá-lo do time (aliás, não dava pra tirar nem o Mauricio Ramos, mas…).

Jogador não é burro. Sabe quando o treinador erra. E a torcida também. Ontem, pela teimosia inaceitável de manter em campo Caramujo e Assunção, acabamos sem atacantes em campo e com oito defensores contra um time de série C. Um absurdo e uma vergonha pra nossa camisa.

Ontem até que o Caramujo não foi péssimo, mas também não jogou a bola que se espera de um camisa 8 do Palmeiras. Nunca vai conseguir. E o Assunção, que me desculpem quem gosta dele, mas tá na hora dele parar. Não importa se ele deu a assistência do gol do Danilo ou se bateu uma falta na trave. É muito, mas muito pouco em contraste com a falta de tempo de bola, com os erros de passes e com a falta de pegada no campo. Pra mim já deu. Tchau, Assunção.

Então foi isso. Apesar dos 3 pontos, vimos um time promissor, mas claramente dependente do Valdivia ou do Kleber. Sem os dois em campo, o time vira uma piada. Ainda mais pelo viés retranqueiro do comandante. Mesmo com ou sem Mago e Gladiador, o time podia ser melhor, bastando sacar do time o Caramujo e o Assunção. Parece até birra por ainda não ter sido contratado um camisa 9. Na atual conjuntura, nõ só não duvido como acredito ser o caso…

E como fica o torcedor no meio disso tudo. Honestamente, quem liga pra isso? Não é a diretoria e, depois das declarações de depois do jogo, não é a comissão técnica também… Que beleza, viu!?!?!?

FICHA TÉCNICA (do Globo.com):

PALMEIRAS 2 X 0 SÃO BERNARDO
Deola; Cicinho, Danilo, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Marcos Assunção, Márcio Araújo, Patrik e Valdivia (Tinga); Adriano (Chico) e Vinícius. Marcelo Pitol; Leandro Camilo, João Leonardo e Amarildo (Raul); Guto, Dirceu (Moreno), Willian Favoni (Zé Forte), Junior Xuxa e Reinaldo; Danielzinho e Elionar Bombinha
Técnico: Luiz Felipe Scolari Técnico: Estevam Soares
Gols: Danilo, aos 23min e Patrik, aos 31min do 1º tempo
Cartões amarelos: Márcio Araújo; Dirceu, Amarildo e Willian Favone (São Bernardo)
Público e renda: 7.676 pagantes e R$ 201.630,00
Local: Canindé, em São Paulo (SP). Data: 12/03/2011. Árbitro: Welton Orlando Wohnrath. Auxiliares: Fábio Luiz Freire e William Rogério dos Santos Turola.

Os lances do jogo:

AVANTI PALESTRA!

Tem Jogo! Palmeiras x São Bernardo – Paulistão 2011

Hoje não vou ao jogo em protesto.

A diretoria do Palmeiras é muito incompetente. Se estavam tendo prejuízo com os jogos no Pacaembu, façam promoções para ingressos mais baratos, briguem com as emissoras de TV para que os jogos não sejam as dez da noite.

Agora, mudar o jogo pra Barueri, pro Canindé, isso não é a solução. É impressionante como as decisões são tomadas considerando, sempre por último, o interesse do torcedor. Lamentável. Por isso, não vou. Hoje é na poltrona mesmo.

O Palmeiras tem a chance de assumir a liderança novamente caso vença o São Bernardo, time de campanha um tanto irregular.

Marcos e Kléber seguem fora, mas devem voltar ao time na próxima semana, contra o Uberaba. A equipe deve ser Deola, ButtHead, Danilo, TH e Gabriel, Caramujo, Assunção, Tinga e Mago, MJ e Vinicius. Embora o Globo.com tenha escalado o Chico no lugar do Caramujo, eu DU-VI-DO! Se for isso mesmo, vou estourar um 12 tiros aqui na sala!

Já o time do ABC deve ser escalado pelo técnico Estevam Soares com Marcelo Pitol; Leandro Camilo, João Leonardo e Amarildo; Henrique, Willian Favoni, Zé Forte, Junior Xuxa e Reinaldo; Danielzinho e Elionar Bombinha. Hello, strangers!

É mais um jogo para 3 pontos. Isso que me assusta. Especialmente se ficarmos com um a mais…

Palpite do Maluquinho: 2×0, gols de MJ e TH.

AVANTI PALESTRA!

 

%d blogueiros gostam disto: