Arquivos do Blog

Palmeiras 2×0 Bragantino – Paulistão 14

Enfim, um jogo digno de Palmeiras, com o time ligado a partida inteira, disputando todas a bolas e sem dar nenhuma chance pro adversário ou pro juiz aprontar.

Dessa vez, não teve primeiro tempo apático, com 21 minutos já tava 1×0, gol do Kardec, sempre  ele, isso sem falar nas várias chances que já tinham sido criadas.

Não sei se essa formação é ideal pra todos os jogos, mas o time funcionou muito bem ontem com Marcelo Oliveira de primeiro volante, fechando o meio com Wesley, Valdivia e Bruno César. Partida muito boa dos 4, a não ser por mais um cartão besta do Valdívia, que já periga ficar de fora se o Palmeiras passar o Ituano.

25.000 pessoas no Pacaembu. Público bom, mas não excelente, ainda mais dada a importância do jogo. Não vou insistir na questão do preço, mas fica claro que não há outro culpado.

Achei excelente a iniciativa da diretoria de vender os jogos contra o Ituano e o Vilhena em pacote com desconto de 1/3 do preço. Essa foi uma das ideias que sugerimos neste post aqui. Mas – e infelizmente sempre tem que ter um mas – a diretoria erra na execução mais uma vez. Ao permitir a compra na pré-venda só pra quem pretende adquirir o pacote dos 02 jogos (como ocorre até o presente momento – dia 28/03, 12:30), deixa de ser respeitado o direito do sócio Avanti que deseje adquirir ingresso apenas para semi final na pré-venda.

Mais uma boa iniciativa só que mal implementada. Falta um ajuste fino. Não tenho dúvidas de que a diretoria tem boa intenção, só falta lapidar melhor na hora de colocar em prática.

Eu, de qualquer forma, já reservei meus dois ingressos.

Então ficou assim: Lambari x Penapolense na Vila, Palmeiras x Ituano no Pacaembu e Gambá x Bambis no playstation, confere? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK (by @lf_SEP)

Alo, Marquinhos Chedid, vai receber quanto pela bilheteria do jogo do Bragantino na semi-final? NÃO, PERA! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Pra cima deles, Palmeiras!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

 PALMEIRAS 2 X 0 BRAGANTINO

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/Horário: 27/3/2014, às 21h
Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra
Assistentes: Vicente Romano Neto e Daniel Paulo Ziolli
Público/renda: R$861105,00/ 24231 pagantes
Cartões amarelos: Bruno César, Marcelo Oliveira e Valdivia (PAL); Francesco e Geandro (BRA)
Cartões vermelhos: nenhum

 GOLS: Alan Kardec, 21’/1ºT (1-0) e Wesley, 17’/2ºT (2-0)

 PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel (Vinicius – 38’/2ºT), Lúcio, Tiago Alves e Juninho; Marcelo Oliveira, Wesley, Valdivia e Bruno César (Eguren – 27’/2ºT); Leandro (Patrick Vieira – 32’/2ºT) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

BRAGANTINO: Rafael Defendi; Yago, Alexandre e Guilherme; Robertinho, Francesco, Geandro (Diego – 22’/2ºT), Gustavo e Léo Jaime; Magno Cruz (Diguinho – Intervalo) e Tássio. Técnico: Marcelo Veiga.

COISA LINDA:

AVANTI PALESTRA!

Sardinhas/FPF 2×1 Palmeiras – Paulistão14

Ganhou na Vila o time que jogou com goleiro e juiz a favor.

Como não tínhamos dúvidas, Bruno fez a diferença. Pro adversário. Tomou um gol – o segundo – que o Prass pegava. Nem pulou na cabeçada do primeiro gol dos caras. Não se mexeu. Nem pra fingir que ia na bola…O palmeirense pode começar a torcer pelo corpo fechado do Prass, porque se dependermos desse frangueiro nas próximas fases, pode dar adeus pro caneco.

Os números às vezes enganam. O fato do Palmeiras ter uma das melhores defesas da competição se deve graças a seguidas atuações monstruosas do Prass. A zaga do Palmeiras é pesada e muito fraca. Hoje isso ficou evidente: Marcelo Oliveira, Tiago Alves, Eguren e Juninho são muito fracos na marcação. Quando o Prass não tá, não há quem salve. E há quem diga que o Henrique não faz falta. Sem ressuscitar assunto morto, eu discordo.

E como também não tínhamos dúvidas, o Oliveira garantiu os 03 pontos pros Lambaris, quando não marcou falta escandalosa do Neto no Marcelo Oliveira, que foi segurado com os DOIS BRAÇOS pelo zagueiro rival no lance do primeiro gol. Todo mundo viu, menos o cretino do LFO. Ainda deixou o Lambari sentar a botina, não marcou várias faltas, enfim, teve uma atuação digna de deixar molhadinho o irmão mais velho.

Se essa diretoria sonha em disputar títulos, está mais que na hora de parar de arrumar confusão com a torcida do Palmeiras e começar a azucrinar a Comissão de Arbitragem da FPF. Nenhum Oliveira, nenhum, seja o original, o caçula ou a sobrinha, pode atuar novamente em jogos do Palmeiras. Nunca mais. É momento de mostrar força. Não tinha um VP só pra isso? Então, bora trabalhar, jão! 

De positivo, se é que há algo de positivo numa derrota, o segundo tempo do Palmeiras foi bom, embora tenha ficado muito claro que o Santos resolveu administrar o resultado. E o empate, e talvez até a vitória, só não veio por causa do Aranha, que fez pelo menos 02 defesas que eram gola certos do Porco. E também, por causa do juiz, que também administrou muito bem a derrota do Palmeiras.

Mas, pra quem achava que o Palmeiras tem elenco, precisa repensar um pouco. Um time em que entra Felipe Menezes e Vinicius pra tentar mudar um resultado adverso num clássico, já pode se despedir do mundo.  Wesley não tem substituto no elenco, assim como Lucio, Valdivia, Kardec e Prass. 1/2 time sem peça de reposição adequada não é ter elenco. E precisa saber que porra acontece que Marquinhos Gabriel, Diogo, Wellington e Wesley estão há um cu de tempo sem jogar. Reta final tem que ter força máxima! Alo, DM!!!! 

Por último, diante de todas as circunstâncias, não foi a pior das derrotas, especialmente porque com ela, o Palmeiras evita um possível e difícil cruzamento com os bambis na semifinal, jogo único. Com isso, o caminho do Palmeiras pra taça passa a ser, em tese, mais fácil, com o Bragantino no meio de semana, Botafogo ou Ituano no final de semana e depois ou Bambis, com mando de jogo nosso no segundo jogo, ou os sardinhas com o segundo jogo na Vila, isso se ninguém perder pontos nessas próximas fases. Se, por exemplo, o Palmeiras ganha os dois jogos de quarta e domingo, e o Santos empata um – e decide nos penaltis, a melhor campanha volta a ser do Palmeiras e aí o segundo jogo passaria pro Pacaembu de qualquer jeito.

Chegou a horada verdade. O paulistão começa agora.

O Gambá enfrenta quem mesmo? NÃO PERA! AHAHAHAH

Pra cima deles(as), Palestra!

 OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

SANTOS 2 X 1 PALMEIRAS

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/Hora: 23/3/2014, às 16h
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Júnior e Danilo Ricardo Manis
Público/Renda: 12.179/R$ 369.066,00
Cartões amarelos: Alison, Bruno Peres, Gabriel, Neto e Thiago Ribeiro (SAN); Valdivia e Eguren (PAL)
Cartões vermelhos: Nenhum

GOLS: Neto, 24’/1ºT (1-0); Thiago Ribeiro, 35’/2ºT (2-0) e Alan Kardec, 43/2ºT (2-1)

SANTOS: Aranha; Bruno Peres, Neto, David Braz e Mena; Alan Santos, Alison (Lucas Otávio – 32’/2ºT) e Gabriel (Lucas Lima – 37’/2ºT); Geuvânio, Thiago Ribeiro e Rildo. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

PALMEIRAS: Bruno; Bruninho, Lúcio, Tiago Alves e Juninho; Eguren (Felipe Menezes – 30’/2ºT), Marcelo Oliveira, Valdivia e Bruno César (Patrick Vieira – 24’/2ºT); Leandro (Vinicius – 37’/2ºT) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

AVANTI PALESTRA!

A Liderança Palestrina na Média de Público no Paulistão14

Há alguns dias, a ESPN publicou uma matéria (leia aqui) sobre a liderança do Palmeiras na média de público no início do campeonato.

Então, no início de fevereiro, depois de 05 jogos, o Palmeiras tinha uma média de 15.214 pessoas por jogo. A matéria não fez diferenciação entre públicos em casa ou fora de casa.

Encerrados os jogos do mês de fevereiro, o UOL publicou hoje (leia aqui), as novas médias de público do Paulistão.

10 rodadas já foram disputadas e o Palmeiras segue sendo o primeiro do Ranking, com 13.425 pessoas por jogo.

Mas o curioso é que essa liderança foi construída até aqui pelos públicos fora de casa, onde o Palmeiras lidera com média de 13.927 pagantes por jogo como visitante, bem acima dos rivais (lembrando que um desses público foi o clássico com os Gambás).

Já no quesito mandante, o Palmeiras é segundo colocado, com 12.923 pagantes em média, estando atrás dos Lixos que lideram com 13.600 gambás por jogo.

Acrescente-se ao debate, ainda, que dos jogos como mandante, tirando o jogo com os bambis, nenhum outro teve público maior do que 13 mil:

– Palmeiras x Linense (fim de semana): 10.717 pagantes;

– Palmeiras x Penapolense (dia de semana): 11.232 pagantes;

– Palmeiras x Bambis (fim de semana): 23.694 pagantes;

– Palmeiras x Audax (fim de semana): 12.551 pagantes;

-Palmeiras x Ituano (dia de semana): 6.420 pagantes; e

– Palmeiras x São Bernardo (dia de semana): 6.742 pagantes.

Ou seja, a liderança de público até o momento vem sendo impulsionada pelos públicos em que não é o Palmeiras quem define o valor do ingresso, mas sim o time visitante.

E como disse no post de ontem, o baixo público do Palmeiras em jogos em casa, principalmente nos jogos do meio de semana, ocorre por conta do ingresso a R$ 60,00 que, mesmo para o torcedor AVANTI do plano de entrada ainda custa o mesmo valor, por exemplo, que o preço cheio do ingresso que os Gambás cobram para as arquibancadas.

Por isso, caso a diretoria do Palmeiras queira ter o estádio sempre cheio, com pelo menos 10.000 pessoas por partida, precisa começar a pensar em  promover uma diferenciação de valores nesses jogos de meio de semana e contra times sem muita expressão, senão, vamos continuar na casa dos 6 mil pagantes nesses jogos, um público inaceitável prum clube que, no ano do seu centenário, tem quase 40 mil sócios torcedores cadastrados com benefícios e descontos na compra dos ingressos.

Outra ideia seria fazer um pacote de jogos com preço diferenciado, por exemplo, o sócio Avanti que reservar os jogos contra Portuguesa e Ponte Preta juntos, ganha mais desconto de quem comprar cada um dos jogos avulsos. Ou então quem não é AVANTI e se associar até o dia do jogo da Lusa, ganha o ingresso pro jogo com a Ponte, uma forma de buscar alavancar o programa de sócio torcedor e ao mesmo tempo garantir mais público nos jogos seguintes.

Enfim, ideias como essas ora sugeridas precisam ser testadas e colocadas em prática, o que não pode acontecer mais é vermos o Pacaembu a cada nova rodada de meio de semana com os mesmos 6, 7 mil de sempre, quando deveríamos ter casa cheia todo santo jogo! É ano do Centenário, CAZZO!

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: