Arquivos do Blog

E o Felipão, hein?

Desde domingo, quando Felipão fez gestos obscenos pra torcida depois do empate com o Avaí e, mais ainda ontem, quando saiu a matéria no IG sobre a ida do Izidoro e do Diego na Academia, o pau tá comendo na torcida palmeirense, entre os “pró-Felipão ” e os “contra Felipão”. Reparem bem nas aspas, porque muitos dos que estão a criticar o técnico, como eu por exemplo, NÃO QUEREM A SAÍDA DELE. Inclusive, é o caso da Mancha, o último “alvo” da ira do Bigode, que deixou muito claro que não quer a saída do treinador, mas quer ver resultados. Acesse a nota da Mancha aqui: 

Vamos então aos argumentos. 

Quem defende o Felipão diz que o elenco é uma merda, que a diretoria é uma merda, que ele está tirando leite de pedra, que ele ganhou a Libertadores 99,  e, principalmente, que ruim  com ele, pior sem ele, ou seja, que se ele fosse embora, não teria nenhuma opção no mercado à altura.

Quem critica o Felipão sustenta que o time é pessimamente escalado, as substituições são covardes e equivocadas, não tem padrão tático nenhum depois de 1 ano de trabalho da atual comissão técnica, o Bigode arruma muitas brigas extra-campo com arbitragem, imprensa e, mais recentemente, com a torcida.

 

Tema do mais espinhudo, mas aqui não costumo fugir da discussão, então vou dar minha opinião. Quem não gostar, sinta-se à vontade para comentar e expor seu ponto de vista, mas sempre mantendo o nível.

Pra começar, muito bem lembrado pela nota da Mancha, torcemos pelo Palmeiras, e não para determinado treinador, jogador ou DIRIGENTE. As pessoas parecem esquecer que o Palmeiras vem em primeiro lugar. Qualquer técnico com o desempenho do Felipão já estaria balançando no cargo. Qualquer jogador com a frequência de jogos do Valdivia ou de gols do Kleber, estaria ameaçando ser afastado do elenco ou mandado embora. Canso de ver Fã Clube do El Mago, Fã Clube do Gladiador, Fã Clube do  Felipão e nunca vejo um Fã Clube do Palmeiras. Jogadores e técnicos, vem e vão. O Palmeiras fica. Precisa rever isso aí…

Quem diz que o elenco é uma merda, tem absoluta razão. Quem diz que o time é pessimamente escalado e que as alterações são verdadeiras bizarrices, também. Sempre que o Palmeiras não pode contar com seu elenco titular e a deficiência do plantel fica evidente, Felipão tem se equivocado, conseguindo a proeza de piorar o “impiorável”. Exemplo disso foram as escalações medonhas para os jogos contra o Botafogo e o Avaí.

Contra o Botafogo, pra quem não lembra, o Palmeiras entrou em campo com 5 volantes. E neste domingo, ao invés de estrear o meia Carmona, Felipão optou por Tinga, e preferiu Rivaldo ao lateral esquerdo de ofício Gerley. Nos dois jogos, o time já perdia com menos de 5 minutos de jogo. Alguém me disse hoje no FB: Mas isso foi opção do treinador! Exato. E ele optou errado. Pior ainda, optou pela presença de jogadores claramente marcados com a torcida, com0 é o caso de Rivaldo e Tinga. Como não responsabilizar também o treinador pela expulsão, com 25 minutos de jogo, de um jogador que nunca mais devia vestir a camisa do Palmeiras? Será que se esses dois não tivessem jogado como titulares, não seria diferente? Eu, pelo menos, ia estar um pouco menos puto.

O mesmo vale para as substituições. Sempre digo aqui que, se não fosse a coragem do Felipão no dia 21 de maio de 1999, quando o Palmeiras milagrosamente conseguiu marcar dois gols nos minutos finais contra o Flamengo, vencendo o jogo por 4×2, nunca teriamos conseguido uma das classificações mais heróicas da história do futebol. Vejam as alterações do Felipão naquele jogo: Marcos, Arce (Euller), Roque Júnior, Agnaldo e Júnior; César Sampaio (Evair), Rogério, Alex e Zinho; Paulo Nunes e Oséas (Galeano). Lembrando que o Oséas participou dos lances dos dois últimos gols, portanto só foi substituído no minuto final da partida. Sairam um lateral (Arce) e um volante (Sampaio), para a entrada de dois atacantes. O time ficou em determinada parte da partida com um inacreditável 3-3-4. Naquela época, era tudo pela vitória. Hoje, sai o Fernandão ou o Vinicius e entra o Ricardo Bueno. 6 por meia dúzia. Sai o Patrik e entra o Tinga. Zero por nada. E só. O time perdendo e nada, sempre as mesmas alterações. Cadê um atacante num lateral ou num volante? Felipão anda muito medroso. 

 

Domingo foi novamente um exemplo disso. Rivaldo expulso, o Palmeiras jogando contra o segundo pior time do campeonato e a opção foi tirar o centro-avante pra colocar o Gerley. O que ele queria, garantir a derrota? Porra, desloca o Chico pra esquerda, recua um pouco o abilolado do Tinga e segue o jogo, pra cima deles! O Palmeiras tinha obrigação de ganhar domingo, fosse com 1, 2 ou 6 a menos. Era o Avai. porra!

Dos últimos 11 jogos, o Palmeiras ganhou 1. Justamente o jogo em que o Felipão resolveu sacar o Patrik ainda no primeiro tempo e colocar o Fernandão. Coincidência? Eu acho que não. Foi um misto de lampejo de coragem com cagaço, eu acho… Se o Palmeiras perdesse pros Gambás a casa ia cair geral!

A falta de padrão tático do time é gritante. É  verdade, Felipão montou um belo sistema defensivo e o Palmeiras é o time menos vazado da temporada, dirão alguns. Mas é também um dos ataques mais medíocres, consegue ter menos vitórias que o Atlético/GO no Brasileirão, fruto da  dependência exclusiva de bolas paradas para criar lances de perigo a nosso favor. E isso acontece não só por falta de jogador, mas também por falta de treinamento de outro esquema de jogo que não seja o Assunção mandando bola pra área adversária.  

No que tange aos problemas com arbitragem, quem defende o Bigode diz que ele tem que fazer o papel que a diretoria não exerce. Concordo e discordo. De fato, a diretoria do Palmeiras não conduz o assunto arbitragem com a firmeza devida, o Palmeiras já tinha perdido mais de 6 pontos no apito e só então o Frizzo resolveu fazer um tímido protesto na imprensa. O episódio da semi-final do Paulista foi lamentável. Mas, o Bigode tem que se ligar que não vai resolver de dentro do campo essa deficiência da diretoria. Se não me falha, já foi expulso 4 ou 5 vezes desde que voltou, está queimado com a arbitragem e principalmente no STJD. E isso prejudica o time.  Tem que reclamar com o Tirone que o time está sendo roubado e ninguém faz nada, e não com o quarto árbitro. Este, vai fazer sempre. Vai foder com o Bigode.

Concluindo: Felipão precisa voltar a ser O CARA do Palmeiras. É verdade que entre o que o Beluzzo deve ter prometido a ele quando o contratou e o que ele tem nas mãos hoje há uma distância absurda. Em julho do ano passado, o Palmeiras era praticamente o único clube a cobiçar Ronaldinho Gaúcho, e não duvido nada que ele tenha sido parte do pacote “prometido” ao Bigode. O elenco é terrível, não há um meia que possa substituir o sempre lesionado Valdivia, Kleber guardou todo seu futebol pro próximo clube em que ele for jogar, Assunção já não tem o rendimento do ano passado, isso sem mencionar a dezena de cabeças de bagre que atualmente vestem o nosso manto.

Mas, daí a o cara sair xingando a torcida não dá. Falam que foi pra desviar o foco de mais um fiasco, afinal, empate contra o Avaí até com 02 a menos é vergonhoso. Mas não pode mirar os canhões contra a torcida. Mesmo porque, não foi só a Mancha que protestou. Eu não sou Mancha e tô aqui reclamando, e conheço mais uma porrada de torcedores, organizados ou não, que estão insatisfeitos também com o Felipão.

Uma parte da torcida precisa lembrar que ninguém está acima do Palmeiras, nem mesmo o Felipão. Oswaldo Brandão, possivelmente o maior técnico que já passou por aqui, chegou ao Palmeiras em 1945, aos 29 anos, sem nunca ter ganho um título. Faturou 4 Paulistas e 3 dos 8 Campeonatos Nacionais comandando o Palmeiras. Ou seja, se o Felipão sair (E EU NÃO QUERO QUE ELE SAIA), o Palmeiras não vai acabar, podem estar certos disso.

E, finalizando um post pra lá de extenso, a torcida tem que ser mais inteligente. Vamo para com isso de “eu sou mais palmeirense do que você porque eu apóio o Felipão” ou outras bobagens dessas. Todo mundo quer o bem do Palestra, quer ver o Palmeiras voltar a ganhar, a disputar uma Libertadores. E pra isso, todo mundo tem que melhorar: Felipão, o elenco, a diretoria, e a torcida também. Tem que respeitar sempre a opinião contrária, e eu respeito quem apóia o treinador incondicionalmente – embora não concorde – ou então não seremos em nada diferentes dos grandes responsáveis pela fase em que o Palmeiras está, aquela corja de mente tacanha que só pensa no próprio interesse em detrimento da S. E. Palmeiras. Pensem nisso!

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: