Arquivos do Blog

Alianza Lima 1×3 Palmeiras – Libertadores18

O Palmeiras confirmou o que todo mundo já percebeu: não há melhor aproveitamento de visitante do que o do Verdão. 100% na Liberta, 82% no ano, ninguém ganha mais ponto fora de casa do que o Palestra. A hora que as vitórias em casa vierem na mesma proporção, vai ficar embaçado pros adversários.

Depois do mau resultado contra a Chapecoense, cobramos aqui que o Roger rodasse o elenco. Hoje, apesar da fraqueza do adversário, o treinador fez exatamente o que se esperava: deu chance pra Mayke, Luan, Thiago Santos, Tche Tche, Hyoran, alguns que mal tinham jogado este ano, para mostrarem seu valor.

Ainda, Roger deu chance ao Moises para jogar mais avançado, e testou um sistema com dois meias e dois atacantes – Borja e William – contra o tradicional 3-1 de Dudu, Lucas Lima, Keno e Borja. 

Deu tudo certo. Moisés mostrou o futebol de 2016, quando jogava justamente mais avançado, e além do fino da bola, ainda deu duas assistências, a última de letra, uma pintura.

Hyoran, em sua primeira partida como titular, a segunda no ano, fez gol, mandou bola na trave, jogou tudo que sabia e mostrou que tem alternativa à inoperância ofensiva no ataque quando o time joga dentro de casa.

William foi outro que jogou demais, fez o dele e ainda criou várias chances de gol, inclusive a que acabou virando o terceiro do Verdão, feito por Borja.

No geral, todo mundo jogou muito bem, e os titulares puderam descansar para a dura partida pelo Brasileiro, contra o Atlético, lá em Curitiba.

Com o resultado, o Verdão confirmou a primeira posição no Grupo e uma vitória em casa garante o Palmeiras com a melhor campanha da 1a fase, com o direito de decidir sempre no Allianz os confrontos da próxima fase.

Agora o Verdão vai pra uma sequencia de três jogos fora – A/PR, América/MG e Gambá, e depois serão 4 jogos em casa – Barranquilla, Bahia, América/MG e Sport, fechando o mês de maio contra o Cruzeiro em BH.

Que com as novas opções testadas hoje, inclusive de variação tática, o Palmeiras tem tudo pra passar a jogar bem no Allianz como tem jogado na casa dos outros. Pra cima deles.

AVANTI PALESTRA!  

        

Boca Jrs. 0x2 Palmeiras – Libertadores18

“Palmeiras, largo tudo só para lhe ver”

Uma frase jamais fez tanto sentido do que com a invasão verde e branca que a torcida palmeirense proporcionou na capital argentina nos últimos dias.

Tanto orgulho se mistura na mesma proporção de inveja branca e verde de, desta vez, não ter participado desse momento histórico da nossa torcida. Muito feliz pelos amigos que puderam representar todos nós nessa vitória épica, verdadeiro divisor de águas num dos momentos mais conturbados que o Palmeiras viveu nos últimos meses e, porque não, anos.

E foi um jogo que podia ter tudo de ruim que já vimos nos momentos recentes: não foram poucos os lances em que a arbitragem poderia, se quisesse, ter prejudicado o Palmeiras.

Mas se conseguimos ter uma arbitragem JUSTA dentro da Bombonera, com dois gols MUITO bem anulados do time da casa, a pergunta que não quer calar é: PORQUE NÃO CONSEGUIMOS ISSO DENTRO DA NOSSA PRÓPRIA CASA? E a resposta, mais simples do que 2+2 são 4, é que no Brasil, o Palmeiras é odiado e inimigo do sistema. Estamos na contramão de tudo que é podre no futebol nacional e há um preço a ser pago. Sigamos assim! Nada está acima da honra e da HISTÓRIA LIMPA do Palmeiras!

Sobre o jogo em si, o Palmeiras foi absurdamente competente, embora o coração já calejado deste pobre suíno tenha sofrido algum tanto com o que o jogo apresentou. Maldito Pavon!

Agora, com um pouco mais de calma, dá até pra entender que era até de se esperar esse sofrimento todo, o que no fim das contas foi surpresa foi a vitória por dois gols, nunca antes vista por um visitante estrangeiro.

E o mais legal é que os dois jogadores que vinham errando quase tudo que tentavam foram os que guardaram os gols. Sinal de que paciência, tão inimiga do palmeirense, é uma virtude.

No primeiro gol, depois de não acertar nenhum lance, foi o Keno quem abriu o placar, depois de um cruzamento perfeito do Marcos Rocha: 0x1 de respeito.

Veio o segundo tempo e coube ao Keno inaugurar a jogada que lacraria o placar e a vitória: um lançamento da intermediária pro Dudu acabou resultando no golaço de cobertura de Lucas Lima, outro que vinha oscilando mais pra mal do que pra bem. O gol foi tão de cobertura que parecia que o Palmeiras estava jogando no Panetone…. AHAHAHAH

E aposto que teve muito palmeirense que gelou quando viu Hyoran entrando no lugar do Keno, este que vos fala é um que não vai negar. E no fim o Roger acertou em cheio: trocou um jogador cansado e amarelado por um cara com possibilidade de ajudar na cobertura do lado direito por onde o Boca, com Pavon, criou praticamente todas as jogadas de perigo.

Foi uma aula de treinismo pra gente da torcida que tanto acha que sabe muito de futebol e no fim não sabe porra nenhumsa. Ponto, 3 pontos, pro treinador, aniversariante do dia. Deixem o Roger treinar. 

Pra finalizar, o jogo – assim se espera – deve ter servido pra selar as pazes entre torcida e o Dudu, em especial depois que o Mattos invadiu a entrevista pós-jogo do nosso 7 e, rasgando elogios pro meia, deixou claro que, se não comemorar gol de novo, vai ser multado. Feliz fim pruma história que ninguém estava certo ou errado. Dudu é BOLA PRA CARALHO, mas não pode se colocar em condição de querer ser mais que o Palmeiras.

Os jogadores, os treinadores e os diretores, todos eles passam. O Palmeiras e a torcida, estes sempre ficam. Essa é a ordem de ideias em que tudo que envolve o Palmeiras deve ser considerado.

E demorou pro Verdão lançar uma cartilha de comportamento dos jogadores nas redes sociais, Se quiser, “Alixandri”, o Maluco aqui é bom nessas paradas ai…

Fecho esse post pra mais uma vez destacar a inveja do bem que eu estou de todos os amigos que vão viver e comemorar noite afora essa vitória épica e maíuscula do Verdão na Argentina. Muito feliz por vocês e muito triste por mim de não estar aí!

AVANTI PALESTRA!     

     

Palmeiras 1×1 Boca Jrs. – Libertadores18

O empate por 0x0 em casa num jogo complicado, até os 44 do segundo tempo, depois de um final de semana muito pesado pro Palmeiras e pra sua torcida, até que não parecia ruim, a se considerar a manutenção da liderança e o fato de termos vencido o Barranquilla fora de casa.

Eis que então o Palmeiras chega ao gol com Keno, em uma assistência majestosa de trivela do Guerra. Puta que pariu, era tudo que a gente precisava e queria, pra virar de vez a página de livro de terror que virou a final do Paulista.

Mas 2 minutos depois, em mais uma falha bisonha de marcação pela direita, com direito a um chute no vácuo do nosso zagueiro ao tentar cortar a bola, levamos o empate.

Seria uma tragédia se não fosse justo (pelo futebol jogado) e se não fosse também o confortável lugar que o Palmeiras ocupa na tabela. Mas dói jogar dois pontos fora assim…

Minha opinião no começo do ano sobre a zaga do Palmeiras era de que, apesar de bons jogadores, os novatos talvez não tivessem bagagem suficiente para os jogos maiores.

Olhar o que aconteceu ontem com o Antonio Carlos, ou no domingo, nos lances em que acabamos sofrendo gol, e não lembrar da partida monstruosa que ele fez em Itaquera, por exemplo, dentre tantas outras, seria leviano.

Mas o Roger precisa preservar o menino, já são duas falhas decisivas e dificilmente a torcida perdoará uma terceira. Em especial quando temos um zagueiro experiente como Edu Dracena no banco, que teria sido essencial pra uma partida dificil como.a de ontem. Hora de rodar o elenco.

O mesmo vale, noutro patamar, pro já bem rodado Lucas Lima. Jogador que chegou aqui com a responsa de ser O CARA e até agora sumiu em todos os jogos importantes.

Ontem Dudu deixou ele de frente pro gol, bola na perna boa, sem marcação, era só escolher o canto e ele tentou bater colocada no contrapé do goleiro, mas o que se viu foi um traque vergonhoso.

Fora isso, a criatividade que dele se podia esperar foi substituída por uma quantidade imensa de passes de lado e pra trás, muito, MAS MUITO POUCO pra maior contratação para 2018.

O que o Lucas Lima não fez em mais de uma hora em campo, o Guerra fez em 20 minutos. Foi dele o passe pro gol do Keno, e não foi só isso, o venezuelano entrou pra criar e CRIOU. Hora de dar mais chances pra ele e também deixar claro pro Lucas Lima que no Palmeiras não existe titular com futebol de reserva, vide Michel Bastos e Tche Tche.

Em paralelo, queria deixar aqui todo meu apoio à Diretoria e às medidas que estão sendo tomadas para defender os interesses do Palmeiras, prejudicados de forma tão baixa que foram na final do estadual.

A busca ferrenha pela defesa dos direitos da SEP que a Diretoria está fazendo foi o que motivou muitos dos palmeirenses a não largar o amor pelo time, deixar de ir em jogos e etc.

Um comportamento passivo teria sido o golpe de misericórdia para muitos palmeirenses, mas nossa diretoria teve coragem de peitar os patifes e mostrou que irá tirar a limpo essa sujeira toda até as últimas consequências.

Parabéns! Levem até o fim! ESTAMOS JUNTOS!

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×0 Alianza Lima – Libertadores 18

Teve jogo hoje?

Nem reparei.

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: