Arquivos do Blog

Inter 2×1 Palmeiras – CopaBR17

OOOOOO a emoção voltou!!!
Olá Palestra, você que estava de férias d e sofrer pelo Verde desde o fim do ano passado, bem vindo de volta…

Há duas formas de analisar esse resultado: o primeiro seria algo tipo – caralho, mesma merda contra os bambis, não criou nada e foi salvo na bacia da almas. A outra é fomos assaltados mais uma vez, um gol bom e um penalti não marcado, perdemos o Dudu e ainda não tínhamos o Guerra, e no fim eis que o TS salvou a pátria mais uma vez.

Escolham sua versão. Fico num meio termo entre a primeira e segunda. Tche2 e Jean juntos, pra mim, não funciona. Não entendo como o Guedes é titular absoluto. E qualquer que seja o esquema, não é dia de inventar em decisão. Como com o Fabiano na lateral.

Mas, tem que reconhecer que o resultado veio e a classificação foi entregue, então quem sou eu pra apontar o dedo?

SALVE CUCA; SALVE TS
AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×0 Inter – CDB17

E o primeiro jogo decisivo do Cuca no seu retorno ao Verdão foi com vitória.

Há quem não tenha gostado do rendimento econômico do time. A vitória simples realmente não empolgou.

Mas em torneio mata-mata, em que gol fora é critério de desempate, quando o primeiro jogo é em casa a regra principal é não tomar gol, a segunda é ganhar. E o Palmeiras fez as duas coisas. Então está ótimo.

Não custa lembrar que Borja driblou o goleiro no primeiro tempo e chutou pra fora. E Dudu, no segundo, era só ter rolado a bola pro Eric e o Palmeiras já teria lacrado o caixão.

E o Inter teve duas chances, em bolas paradas, uma que parou no travessão do que seria um gol contra do Borja, e a outra numa defesa monstra do Prass. 

Resultado bom, e segue o jogo, lembrando que a Copa do Brasil é a terceira prioridade nesta temporada.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×0 Inter – BR16

Mais 3 pontos conquistados, já são 70 no total, com 21 vitórias, provavelmente mais do que tivemos nos últimos dois anos somados. A vantagem que era de 5 agora é de 6 pontos e faltam 12 para serem disputados. 2 vitórias em casa e dificilmente o Caneco não será nosso. Mas o número que mais preocupa o palmeirense é o 11.

Serão 11 longos, infinitos e intermináveis dias até que o Palmeiras entre em campo novamente pelo BR, graças as malditas datas Fifa. A ansiedade do palmeirense até o jogo do Independência no próximo dia 17 não poderá ser medida por escalas conhecidas pelo homem.

De positivo, será o tempo ideal pra que o bujão dos jogadores esteja completo nesses 4 últimos jogos.

Hoje, se o Palmeiras não foi brilhante, e realmente não foi, teve o controle absoluto e indiscutível da partida o tempo inteiro. O Inter, que precisava do resultado de qualquer jeito – tanto que a derrota o devolveu pra zona do rebaixamento – simplesmente não ameaçou o gol de Jaílson. As duas ou três bolas mais agudas foram todas pra fora.

No ataque, o Palmeiras podia ter sido um pouco mais criativo, mas abriu o placar no momento certo, com Cleiton Xavier aos 16, e depois administrou o resultado. Ainda podia ter feito o segundo no último lance do primeiro tempo, em ótima cabeçada do Vitor Hugo que o Danilo Fernandes tirou praticamente de dentro do gol.

No intervalo, perdemos o Roger Guedes, por contusão, e o Cuca voltou com o Alecsandro, deslocando o Jesus pra direita. Depois, foi a vez de Cleiton Xavier precisar sair por contusão, e Fabiano foi pra lateral direita com o Jean indo fazer a do CX.

E ambos foram muito bem, Fabiano quase fez um golaço de canhota e o Alecsandro participou diretamente da nossa melhor chance no segundo tempo, que terminou com o Jesus entrando de cara pro gol e o goleiro dos caras de novo fez uma defesa monstra e a bola ainda bateu na trave. Tá osso dessa bola do Jesus entrar…

Mas ela vai entrar na hora certa. O time segue firme e confiante no nosso objetivo, e hoje estamos a duas vitórias de consegui-lo. Esses 11 malditos dias vão servir pra entrarmos ainda mais preparados pra mais uma vitória contra um Galo que com a derrota de hoje para o Coxa já deu adeus ao BR e que estará a 6 dias de uma final de Copa do Brasil.

Por fim, não podia deixar de falar da festa linda que a torcida fez ontem, em frente à Academia de Futebol, em demonstração de apoio incondicional ao elenco, como pode ser visto no vídeo abaixo. Pena que boa parte dessa torcida é a mesma que fica impedida de sequer chegar perto do estádio pela ação absurda e desprezível da PM, que impede o cidadão de ir e vir  aos arredores do Allianz se não tiver ingresso e documento na mão. Coisa lamentável…

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 x 0 INTERNACIONAL

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data-hora: 6/11/2016 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (Fifa-PE)
Auxiliares: Clóvis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Cartões amarelos: Não houve
Público/renda: 31.967/R$ 2.112.466,12

GOL: Cleiton Xavier, aos 16/1ºT (1-0).

Inter 0x1 Palmeiras – BR16

Quando o Palmeiras levantar o caneco no fim do ano, vou lembrar do jogo de hoje como um divisor de águas: o dia que o Verdão jogou no Beira-Rio como se estivesse em sua casa. Menos pelo placar magro, mas muito mais pela forma como o Palmeiras praticamente não correu perigo algum de ter sua vitória ameaçada.

Depois de um primeiro tempo em que o Palmeiras foi dono do jogo, tendo feito o gol logo aos 10, e ainda perdido pelo menos outras 03 chances de marcar, o Inter voltou do intervalo com Valdívia e, logo depois, com Anderson, para equilibrar as forças e inverter o domínio da posse de bola, sem que isso significasse perigo para o gol de Fernando Prass, que saiu de campo com o uniforme limpo.

Numa partida impecável do setor defensivo, e quase perfeita do Thiago Santos, o Palmeiras só não foi melhor no placar porque no ataque faltou inspiração pro Jesus e pro Guedes.

E dessa vez, Cuca leu bem o jogo e acertou ao mandar Dudu pro campo no lugar do machucado Cleiton Xavier: Àquela altura, com meia hora de bola por rolar, a entrada de um volante – como o Cuca fez contra o Santos – iria convidar o time dos caras pra dentro da nossa área.

Com a vitória, o Palmeiras encerrou um tabu de 19 anos sem vencer o Inter no Beira-Rio, como já tinha quebrado 7 anos sem ganhar na Ilha do Retiro, e mais de 20 sem ganhar do Gambá no Pacaembu. Abrimos 3 pontos e 1 vitória pra cima do Lixão, que só empatou com os bambis, e ainda fomos ajudados pela derrota do Gremio para o Sport: mais uma vitória de 8 pontos.

Agora começa a série de pelo menos 6 jogos que o Verdão não poderá contar com Prass e Jesus. E o primeiro adversário será o Galo, de quem o Palmeiras também não ganha há um bom tempo. Vem tabu, vem!

AVANTI PALESTRA!  

Inter 1×1 Palmeiras – Copa do Brasil 15

Tava tão na cara, mas tão na cara, que o Palmeiras ia ganhar fácil do Inter, que não ganhou.

Em pouquíssimo tempo o Palestra conseguiu imprimir o seu jogo, como se estivesse em casa, e as chances foram aparecendo, e o Palmeiras perdendo.

Barrios não conseguiu repetir as boas atuações dos últimos jogos e perdeu dois gols feitos, um ele e o goleiro e um penalti.

E o primeiro tempo podia ter virado 2×1 pra nós, acabou 0x0. Se no ataque nao funcionou, tivemos sorte na defesa. 

Veio o segundo tempo, o Palmeiras seguiu mandando no jogo mas sem liquidar a fatura, até que num lance despretensioso o Inter acertou um chute na gaveta, indefensável pro Prass, embora Amaral, Jackson e Lucas ficaram olhando ao invés de encurtar o espaço.

Jesus mandou uma bomba no travessão logo na sequência. A bola teimava em não entrar. 

Até que saíram Barrios e Arouca e entraram Cristaldo e Rafael Marques. E logo no primeiro minuto, cruzamento do Lucas e um belo gol de cabeça do Rafael. O empate era injusto, o Palmeiras merecia estar ganhando, de muito.

Ainda teve tempo do juiz não dar um pênalti claro no Jesus, mas convenhamos, o dia em que o Sandro Meira Ricci marcar dois penaltis pra nós no mesmo jogo, vamos ter virado o Gambá. Melhor assim…

As circunstâncias do jogo mereciam um placar melhor, com vitória folgada do Palmeiras. Mas ela não veio. Paciência, virá em casa.

Agora foco total no jogo do final de semana, vamos invadir o panetone.

AVANTI PALESTRA!

   

Inter 1×0 Palmeiras – BR15

Que a baciada de desfalques ia atrapalhar o desempenho do Palmeiras hoje, todo mundo já sabia.

Mas, mesmo assim, nosso treinador conseguiu piorar o que já estava difícil.

A entrada de Allione no clássico só parecia fazer sentido porque, depois de ter confirmadas as suspensões de Robinho, G. Jesus e Dudu, o jogador deveria ser titular no jogo de hoje.

E não foi. Mas o Leandro Almeida foi. Mesmo depois de um jogo pífio – tendo feito duas faltas em que saíram gol do inimigo no último jogo.

Mas não parou por aí. Porque o Leandro Almeida que já podia muito bem ter sido expulso no primeiro tempo, e que foi pro vestiário com um cartão, não foi sacado da equipe. O mesmo se diga do inútil e obeso Alecsandro. Que vergonha de ver esse cara vestindo nossa camisa, sério mesmo…

Com um minuto do segundo tempo, o juiz fez o que o Marcelo devia ter feito no intervalo: mandou o Leandro Almeida pro vestiário. E por incrível que possa parecer – só pro Marcelo Oliveira – o time sem o Leandro Almeida, mesmo com um a menos, melhorou.

Depois, o Marcelo finalmente colocou o Allione, e aí o Palmeiras começou a crescer mesmo. O Inter, que não tinha esboçado o menor interesse em aproveitar a vantagem numérica, parecia que ia entregar a rapadura.

Daí, foi a vez do juiz querer fazer uma média – depois de ter sido prejudicial como sempre – e expulsar, aos 38 do segundo tempo, um jogador do Inter.

Marcelo sacou um volante e colocou Mouche, e aos 44 a bola do jogo caiu nos pés do Jackson, justo dele…

Um jogo que podia ter sido mais fácil, que podia ter valido pontos pro Palmeiras, mas que – apesar dos desfalques – teve o dedo do técnico pra complementar a dificuldade pela ausência dos principais jogadores. Cristaldo e Alecsandro juntos e o Allione no banco, esse maldito Leandro Almeida de novo como titular – aliás, graças a Deus que tá suspenso esse traste – enfim, coisas óbvias que pro Marcelo não deviam ser nenhuma surpresa. Errou.

E com isso, as chances do Palmeiras chegar e ficar no G4 vão minguando. Já são 5 pontos pra mais ou pra menos; dependendo do fechamento da rodada, terminamos em décimo.

Por outro lado, ficou claro que o Inter não é nenhum bicho de sete cabeças, e o Palmeiras tem plenas condições de passar pelo time gaúcho na Copa do Brasil. Daí, serão 4 jogos pra chegar na Copa Libertadores do ano que vem e que se foda o G4.

Mas pra isso, o Palmeiras vai ter que trabalhar muito, principalmente na defesa. A começar pela saída do Leandro Almeida, que nem no banco pode ficar. E treinar essa porra dessa bola parada, já são 03 gols seguidos do mesmíssimo jeito.

Acorda aí, professor… Domingo tem que trucidar o Figueirense se não quiser começar a perder o apoio de parte da torcida.

AVANTI PALESTRA! 

 

Palmeiras 1×1 Inter – BR15

Cinco jogos sem vencer dentro de casa, pelo campeonato Brasileiro. Os dois do ano passado e os três deste ano. Aí vejam só: pegamos Sport – derrota, A/PR – empate, reservas do Galo – empate, Goiás – derrota e reservas do Inter – empate.

Só time pequeno ou reserva de time grande. E em 15 pontos disputados no Allianz pelo BR, somamos 3. Em 5 jogos, nenhuma vitória.

Os fatores responsáveis por isso podem ser inúmeros, e passam desde o elenco limitado ao treinador pouco arrojado. Mas não tenham dúvida, o que falta pra esse time e sangue nos olhos, e isso só vem da bancada pra grama e, convenhamos, esse novo público elitizado do Allianz jamais vai conseguir incendiar um jogo e empurrar o Palmeiras pra glória.

Me desculpem, mas vocês que num jogo como hoje só estão preocupados em aparecer dando tchau no telão do estádio, lamento, mas a culpa é de vocês, sim. Vi do lado de fora – hoje, por acaso, entrei aos 15 do primeiro tempo no campo – a Rua Turiassu lotada de gente que perderia as cordas vocais na arquibancada se amontoando pra acompanhar o jogo na TV dos bares da Caraíbas. Gente que não tem mais dinheiro pra incentivar o time do coração até a voz acabar.

Aquele silêncio na maior parte do estádio, mesmo no segundo tempo, quando o protesto das organizadas já tinha cessado, pesa. O Palmeiras entra em campo pra uma plateia e isso, senhores, tem seu peso. Quantas vezes no velho Palestra times piores do que esse conseguiram resultados absolutamente improváveis na base do abafa? É isso que falta hoje.

Quem abafou e conseguiu o ponto que veio buscar foi o Inter. Em cinco minutos, num corajoso 4-2-4, conseguiu, na cagada, mas na raça, o gol que lhe valia a igualdade, resultado mais que suficiente pra valer toda a aspiração de um time todo remendando e que, se fosse titular, dificilmente não teria levado de volta a Porto Alegre os 3 pontos.

E o time do Palmeiras não é pior que o Goiás, ou que os reservas de Galo e Inter, mas falta coração. E é nesse ponto que Paulo Nobre jamais vai entender que, quanto mais caro e inacessível for o ingresso, mais caro custará para o time em campo. Porque o coração vem da massa, e a massa está assistindo o jogo na TV, em frente ao estádio, porque não tem dinheiro pra entrar.

Enfim…

Sobre o jogo, de novo o Palmeiras merecia melhor sorte. Muita criação, pouca finalização, e mais uma vez jogamos contra um time que veio pra – e conseguiu – não perder.

Oswaldinho optou por um improvável 4-2-3-1 com Zé Roberto na armação e Dudu e Kelvin abertos e Rafael Marques centralizado. Não deu certo.

No segundo tempo, tirou o melhor em campo no ataque – Kelvin -e colocou Cleiton Xavier, que segue fora de forma e burocrático. Matou o time duas vezes, no meio e no ataque. E mesmo assim o gol veio numa cobrança de escanteio. Não seria de outra forma.

Aí veio o fator azar. Uma única bola que o Inter conseguiu ir até a linha de fundo o jogo inteiro, a cagada é tamanha que o rebote desvia nas costas do péssimo Rafael Moura e entra no gol. Não deu nem 10 minutos de sossego.

9 pontos disputados em casa e 2 ganhos. O que salva um pouco são os 4 faturados em 6 jogados fora de casa. Se continuar assim, e voltarmos com uma também improvável vitória de Santa Catarina no domingo, o Palmeiras terá o melhor aproveitamento do campeonato fora, e um dos piores em casa, o que deve nos garantir o mesmo velho décimo lugar na tabela. Que bela merda.

Oswaldo que se cuide. A sombra dele tá pesada. E só os resultados que vão aliviar a cobrança. A essa altura, e principalmente depois de domingo, era pras coisas terem sido diferentes. Acorda, Oswaldinho, acorda…

Sem lances, sem vídeos.

AVANTI PALESTRA!

Inter 3 x 1 Palmeiras – BR14

5 jogos. 5 derrotas. 11 gols sofridos. 1 gol marcado. E toda a esperança do palmeirense reside apenas numa vitória no próximo jogo. Só depende da gente, sim, mas como confiar que um time que vem descendo ladeira abaixo sem nenhum freio irá reagir?

Pelo resultado das urnas no sábado, o associado do clube realmente não está desconfiado dessa gestão, que poderá iniciar o segundo mandato exatamente onde começou o primeiro: na segunda divisão com um time pífio e sem um puto de dinheiro. Com a diferença que, em janeiro de 2013, esse time ainda tinha patrocínio. Ainda tinha Henrique. Ainda tinha Barcos. Enfim… 

Falando sobre o jogo, se eu fosse o Marcelo Oliveira, pedia pra não jogar nunca mais como jogador profissional. O caso dele é crônico, a mesma coisa que, tempos atrás, aconteceu com o goleiro Bruno. Simplesmente tudo que ele encosta vira merda, o negativo de um Rei Midas.

E o Dorival se mostra cada vez mais perdido, primeiro ao insistir com esse maldito desse Marcelo Oliveira, depois por ter escolhido logo o Bruno Cezar pra entrar em campo quando o jogo ainda estava 2 x 1, parece até piada, mas foi isso mesmo que aconteceu.

E agora tudo depende mais uma vez de quem? Sim, senhores, se Valdivia não jogar contra o Atlético, podem se preparar para o pior. De novo nosso destino está nas mãos desse sujeito. Dele, do Santos e do Coritiba, que também podem resolver a nossa vida se o Palmeiras não tiver a competência para tanto.

E seja o que San Gennaro quiser…

REAGE PALEMIRAS!

  

 

Palmeiras 0x1 Inter – BR14

E lá se vai pelo menos mais um ponto na conta do goleiro. Já tinham ido pelo menos outros 6 por conta dos jogos com Bambis e Sport. O filme de 2012 se repete. De novo estamos sucumbindo por falhas individuais daquele que nãos pode falhar nunca.

Dirão, os mais coerentes, que ele faz de duas a quatro defesas impossíveis em cada um desses jogos. No que estão mais do que corretos. Mas, vestindo uma camisa como a do Palmeiras, reconhecida por ser a melhor escola de goleiros do Brasil desde sempre, posso afirmar com segurança que fazer defesas impossíveis não é mais que obrigação pra quem defende nossa meta.

Agora, falhar, e falhar seguidamente como tem falhado o Fabio, não combina com jogar no gol do Palmeiras. Sinal de que não está segurando o rojão. Se o treinador ainda não percebeu, a gente desenha pra ele: tá na hora de trocar o goleiro, ainda que seja pelo Deola, ou mesmo pelo mão de alface. Está literalmente fritando o Fabio, que até é bom goleiro, mas não tá segurando a bronca de vestir a camisa do Palmeiras no atual momento do clube.

Gareca também abusou dos erros. Voltou pro intervalo com o time perdendo e me saca um atacante – por mais que fosse o cuzão do Leandro – pra botar um volante de marcação? E ainda mais o Eguren, que não tem a menor condição de vestir nossa camisa? E ainda manteve o Mendieta morto em campo, até colocar mais dois mortos – Menezes e Bruno Cesar, deixando o Cristaldo sozinho na frente com o time perdendo?

Aliás, a turminha que queria Bruno Cesar de volta ao time caiu na real, ou ainda precisa mais alguma partida deplorável desse morfético pra se convencer?

É Gareca, a paciência da torcida tá acabando… Hoje foram 33 mil abnegados torcedores apoiando uma das maiores vergonhas que já ousou subir a campo dizendo que era o time do Palmeiras.

Na coletiva, o treinador disse que não sai, que tem competência pra tirar o time do Palmeiras (junto dos jogadores e diretoria) dessa zica maldita. Então, tá na hora de começar a mostrar serviço.

Se quiser ajuda, gringo, porque você parece BEM perdido, posso dar algumas dicas: Fabio, Leandro, Menezes, Eguren, Bruno Cesar, Wendel e Wesley, podem ser afastados do elenco e mandados treinar em Guarulhos. Se você não sabe, Gareca, é lá que iam os restolhos e perebas do elenco, quando os outros treinadores os descartavam do grupo. Promova quem tiver que promover da base para essas posições, põe o Gabriel pra jogar ao lado do Cristaldo e vamos pra cima. E pense se não é o caso de começar a jogar com 03 zagueiros, porque nossa defesa somada aos pontos nulos nas laterais não tão dando a menor conta do recado. Faça só isso e veja se domingo que vem não traremos pelo menos 1 ponto de Curitiba…

Alow diretoria mediocre e incompetente, viram só como quando o preço do ingresso é justo o torcedor comparece? 33 mil pessoas hoje no Pacaembu. 750 mil reais de renda. Contra o Cortiba foram 18 mil pessoas, e 715 mil reais de renda. Sabem contar as moedinhas ou querem que desenhe?? Mantenham essa porra desse preço do ingresso baixo até o fim do ano, cazzo!!    

E bora lá torcer pro Bambi, Sardinhas, Flamengo, Gremio, Atletico e Sport… Que várzea!

REAGE PALESTRA!

No Brasil É Diferente, sim, Senhor!

O Internacional de Porto Alegre, esta grande vítima do maligno e desonesto Palmeiras, na pessoa de seu presidente Giovani Luigi, lamentou no globo.com a postura do atacante Barcos:

– Temos o exemplo positivo do Klose na Europa. E aqui no Brasil é completamente diferente.

O diretor jurídico do clube, Daniel Cravo, seguiu a mesma linha:

– O Klose colocou a mão na bola, mas se acusou e admitiu o erro. O Barcos agiu de forma torpe e indigna. Ele comemorou e ainda reclamou do árbitro. O Henrique deu um tapa na cara do D’Alessandro e ninguém falou nada. O Palmeiras montou uma coletiva na segunda para ele, que assumiu ter colocado a mão na bola. O Inter pediu para serem averiguadas as atitudes do Barcos.

Muito bem. No Brasil é diferente mesmo. Não precisamos ir muito longe pra ter essa certeza. Não é preciso sequer sair de Porto Alegre, ou mesmo analisar outro campeonato que não o BR12. Vejam este lance do jogo Flamengo x Inter/RS, no dia 26 de maio de 2012:

NÃO! NÃO PODE SER! MEUS OLHOS ESTÃO A ME TRAIR! Estaria eu vendo demais ou o jogador do Inter meteu a mão na bola dentro da área, deliberadamente, sem ninguém segurando ele pelas costas, é bom que se diga, E NÃO FOI CONTAR IMEDIATAMENTE PRO JUIZ – QUE NADA VIU –  QUE ELE TINHA FEITO PENALTI?

Mas o Inter não é o paladino da verdade, da dignidade da honestidade e da justiça?

NO TEO CU, INTER! NO TEO CU! Porque no dos outros é refresco, né?

AVANTI PALESTRA! PRA CIMA PALMEIRAS!

%d blogueiros gostam disto: