Arquivos do Blog

Palmeiras 1×0 Gremio – BR17

Mais 3 pontos.

Custaram a vir, é verdade.

Poderiam ter vindo no primeiro tempo, em que o Palmeiras dominou o Gremio e criou várias chances de gol, mas Erik, Borja, Keno e Michel Bastos, todos perderam boas chances de marcar.

Ainda teve um erro bizarro do juiz, que marcou uma falta sobre o Egídio quase na pequena área como se fosse fora. Errou feio.

E assim, nada de gol na primeira etapa.

Cuca ainda manteve a escalação original por mais alguns minutos, depois colocou William no lugar do Erik, Roger Guedes no lugar do Keno e Raphael Veiga no Michel.

E foram os reservas (dos reservas) que resolveram a fatura: Lá pelos 30, Guedes lançou Veiga na direita, ele cruzou rasteiro e o defensor dos gaúchos desviou tirando o goleiro da bola, que foi parar no fundo da rede. 1×0 merecido. E foi só.

4 vitórias seguidas e o Palmeiras chegou a 7 pontos da ponta da tabela, e a 3 da vice-liderança. O desempenho tem que ser mantido agora contra Cruzeiro F, Gamba C,  Vitoria C e Mulambo F.

Foi bom também ver o time reserva conseguir o resultado, dá confiança pra todo o grupo e aumenta a disputa por uma vaga no time titular. O Palmeiras só ganha com isso.

No individual, Zé Roberto no meio mais uma vez muito bem, Borja vai ganhando confiança, trabalha bem demais a parte de pivô, mas ainda precisa melhorar a pontaria pra voltara a marcar. To achando que ele marca dia 05, dia 12 e dia 19…

E foi boa também a estreia de Bruno Henrique, mais uma boa opção qdo time na proteção da zaga. Luan, Juninho e Keno bem também, e o Egídio salvou o que seria um gol contra do ZR, merece destaque só por isso. Os abaixo do esperado foram Erik e Michel, parece que só funcionam quando vêm do banco (o Erik nem isso consegue), vai entender…

Última nota é para a MANCADA da organização da partida na entrada da molecada que tinha direito à gratuidade. Quem tem filho pequeno sabe que TRANSTORNO QUE É fazer crianças esperarem numa fila interminável por pura incompetência do Palmeiras. Até a PM achou ruim a presepada que o Palmeiras fez ao i) obrigar os pais a cadastrarem os filhos antes para direito à gratuidade, o que, além de tudo, é ILEGAL; e ii) ao obrigar todos os que tinham direito à gratuidade a entrarem por apenas duas catracas…

Francamente, Presidente, aqui vai seu primeiro puxão de orelha… Tanta ideia legal, como a volta do setor família no Allianz, como o fim da cadeira marcada no Gol Norte, não era pra enfiar o pé na jaca desse jeito, hein, Galliote? Criança menor de 12 anos, idosos maiores de 65 TEM DIREITO A ENTRADA GRATUITA – É LEI! Ninguém tem que se cadastrar em lugar nenhum e nem passar em catraca especial, é só mostrar o documento… QUE VACILADA, Signore!

Agora é Modo Libertadores ON, Palmeiras tem missão complicada em Guayaquil e o bom é que os principais jogadores foram poupados, embora Guerra ainda seja dúvida pra partida. Temos tudo pra voltar com a vitória, e ela virá! 

AVANTI PALESTRA! 

Palmeiras 1×1 Gremio – Copa BR16

Demos Adeus da cópia do Brasil, ao mesmo tempo, de uma forma muito digna e muito estúpida.

Digna porque com apenas Jailson e Jesus do time titular, vimos um Palmeiras competente, imponente, valente, encurralando o Gremio desde o começo do jogo. Bola no travessão, vários chutes desviados na última hora pelo zagueiro do Grêmio, todo tipo de pressão contra um adversário que mostrava que não aguentaria.

Conseguimos abrir o placar e já desenhávamos os contra-ataques pra matar de vez o jogo, o Grêmio não parecia que iria conseguir o empate.

E estúpida porque num carrinho tão imbecil quanto desnecessário, Allione foi expulso com justiça – embora a gente saiba que a essa altura dos acontecimentos o juiz jamais teria aplicado o mesmo critério a nosso favor – e colocou – de fato – tudo a perder.

Foi num lance muito ruim do Jean, que entrou bem pior do que o substituído Fabiano (uma das boas surpresas de hoje), que o Grêmio achou o gol do empate num chute despretencioso, mas que passou por baixo dos dois marcadores e pegou o Jailson desprevenido.

Aí, com 1 a menos, precisando marcar, ficou bem difícil. Uma merda, porque se teve um time que mereceu passar hoje foi o Verdão e não o Grêmio, time bunda-mole que não deve ir pra Libertadores nem por um nem por outro jeito. 

É claro que não existe nunca lado bom pra uma eliminação em casa. Mas consideremos as circunstâncias:

  • O Gambá foi eliminado. Ou seja, se quiser jogar Libertadores no ano que vem, vai ter que se matar contra os Mulambos no domingo. Um empate, que seja, nos permite abrir 6 pontos do vice – e aqui não vou contar os pontos do asterisco por que é muito ilusão achar que o Flamengo vai ter jogo anulado no STJD.
  • O Lambari foi eliminado. Se quiser evitar de passar pela pré-Libertadores, vai ter que ganhar a terceira posição do Galo e, pra isso, vai ter que jogar bola também contra a Mulambada na última rodada. Se a gente for bem contra eles na Vila então, aí sim estarão mais que pressionados pra enfrentar os mulambos na penúltima rodada com o pé firme.
  • O Galo passou de fase e agora tem 4 jogos o separando de ser campeão da Copa do Brasil desse ano e, pra isso, vai ter que optar por priorizar essa competição em detrimento do Brasileiro, no qual a 8 pontos da gente, faltando 7 jogos, é muito mais improvável que consiga esse mesmo objetivo.

Ou seja, dois rivais se foderam e agora terão que jogar bola contra nosso único adversário pelo título, já que o Galo deve tocar o foda-se para o BR a partir de agora. Aquela tirada de pé pra tentarem foder com a gente não vai mais poder acontecer.

Outro ponto importante e que a cada quarta-e-domingo ficava mais evidente, é que nosso time vinha no limite do desgaste físico, e duas competições importantes ao mesmo tempo já se mostrava um risco bastante alto, não por outra razão o cuca de forma muito acertada, nem relacionou seis dos nossos titulares. 

Mas nada disso deve servir de alento pro Palmeiras. Tem que seguir jogando com a mesma pegada e vontade de hoje, e sem mais nenhuma cagada imbecil como essa do Allione, pra conseguirmos nosso objetivo.

Um jogo de cada vez, uma final de cada vez.

AVANTI PALESTRA!

Gremio 2 x 1 Palmeiras – Copa BR16

Começo a achar que o Jean é o principal jogador do Palmeiras, porque sempre que ele não joga, o Palmeiras cai demais de produção. Hoje foi mais um exemplo disso, o Verdão teve muita dificuldade pra encontrar seu jogo.

A bem da verdade, o Gremio também não foi tão superior assim, e acabou levando a vitória com um gol impedido com o mesmo bandeirinha que anulou todos os gols do Fluminense lá no Itaquerão…  É então…

O fato é que o Palmeiras não vinha bem nem mal, mas com muita dificuldade em armar as jogadas, até que num lance em que só pra variar o Palmeiras perde o domínio da bola na intermediária de ataque, sofre o revés num lance mais do que cagado, passe errado do Luan, carrinho despretensioso do Douglas e a bola sobra prum chute absurdamente improvável dum pereba como Ramiro. E foi gol, puta que pariu, que zica maldita…

E o segundo gol foi ainda mais cagado, Geromel impedido cabeceia com o ombro, a bola faz uma parábola, cai no travessão e volta sozinho pro atacante do Grêmio marcar. 2×0 mentiroso, apesar do Palmeiras mal em campo.

Precisava de um gol pro Verdão voltar pra disputa. No intervalo, Cuca mandou um all in, tirou o Gabriel e voltou com o Leandro Pereira. E logo na segunda chance, Leandro faz um pivô perfeito, deixa o Jesus cara a cara com o goleiro, e penalti pro Verdão. Zé Roberto bateu e fez o gol fora de casa tão imprescindível pro jogo da volta.

Depois disso, se esperava que o Palmeiras crescesse em campo, mas o Gremio seguiu melhor, principalmente porque o meio do Palmeiras só tinha Moises e Tche Tche na contenção, ambos muito mal.

A única chance do Verdão de empatar foi com Barrios, mas Grohe fez uma bela defesa e impediu o que seria uma quase vitória do Palmeiras. Mas lá atrás o perigo foi constante, numa partida extremamente atrapalhada da nossa zaga.

Inclusive porque jogamos com a zaga toda amarelada. Aliás, se essa foi a primeira arbitragem em jogo nosso no comando do Coronel Marcos Marinho, pode começar a se preocupar, palmeirense…

Enfim, vitória simples em casa e seguimos na competição. Foco total no Brasileirão até o dia 19, o Palmeiras tem 03 semanas pra encaminhar bem o nono caneco no BR e aí sim pensar de novo na Copa do Brasil.

AVANTI PALESTRA!

Gremio 0x0 Palmeiras – BR16

Foi um jogo complicado, como não deixaria de ser. O Grêmio vinha pressionado depois de uma surra fora de casa no meio de semana. E o Palmeiras vinha de vitória, mas jogaria sem Mina e Jean, suspensos.

O primeiro foi reposto à altura, Edu Dracena fez uma partida muito consistente, ao lado de Vitor Hugo, a zaga do Palmeiras fez uma boa apresentação no geral, consideradas as circunstâncias do jogo: fora de casa contra um Grêmio pressionado pela sequência de maus resultados.

Já o Jean fez falta demais pro sistema tático palmeirense. Pela escalação parecia que o Cuca ia de dois volantes, Gabriel e Thiago Santos, com Moises mais adiantado, e o Tchê Tchê pela direita.

Mas antes mesmo da bola rolar Cuca explicou: quem ia jogar na lateral era o Gabriel, e o Tche Tche vinha pelo meio. E, era natural, o Palmeiras teve muito problema pra encaixar o jogo do lado direito de campo. Foi só lá pelos 35 do primeiro tempo que o Palmeiras entrou no jogo.

Não que o Grêmio esteve massacrando o gol de Jaílson até ali. Não estava. Mas teve as melhores chances da primeira etapa. A única que foi realmente perigosa, num lance de indefinição seguida de ZR e VH, Pedro rocha entrou sozinho e o Jailsão operou um verdadeiro milagre: 0x0 e vestiário.

O Palmeiras voltou do intervalo o mesmo time que começou jogando. Aos poucos, dava impressão que um breve esforço e o gol sairia, mas faltava vontade. Tche Tche não tava bem e o Dudu muito lento na arrancada pros contraataques contribuíam pra deixar um jogo morno.

Cleiton Xavier foi pro jogo no lugar do Roger Guedes, pra ser ainda mais inócuo que o substituído. Sério, me pergunto como pode um cara ser tão desmotivado como o CX… Puta que pariu, quanto desinteresse num mesmo sujeito…

A melhor chance do Gremio no 2T foi numa cobrança de falta do Edilson, que o Jailson desviou apenas o suficiente pra bola explodir no travessão e se afastar do gol do Verdão. O 49 foi o melhor em campo, disparado.

Barrios entrou no lugar do Moisés, e depois Rafael Marques veio pro jogo no lugar do Jesus, que saiu machucado com possível lesão no adutor da coxa, ou seja, FO DEU.

Mas foi com essa formação que tivemos as duas únicas chances claras de gol, uma em cobrança de lateral, que a bola sobrou pro Dudu, sozinho, quase na linha da pequena área e era só deslocar o goleiro, mas o 7 resolveu dar uma bica de sem pulo, e a bola explodiu na trave e saiu.

E outra com o Rafael Marques, depois de uma ótima bola enfiada do Dudu, que o goleiro do Gremio foi bem demais fechando o ângulo.

No fim, duas chances claras pra cada lado, a sorte e os goleiros determinaram o placar sem gols. E empate no Olímpico nunca poderá ser considerado mal resultado. Em especial porque seguimos na liderança com um ponto a frente do segundo, nosso adversário de quarta-feira.

Se ainda não ficou claro pra nossa diretoria, ou se faz um trabalho competente de bastidores antes do jogo contra o Flamengo, ou teremos sérios problemas. Hoje três jogadores nossos tomaram chutes na cara e o juiz não marcou nenhuma falta; Marcelo Oliveira fez falta clara no Roger Guedes na entrada da área, que cabia até um vermelho, por ser o último homem, e o juiz nem falta deu… Outra coisa curiosa, um dos jogos mais importantes do campeonato e foi apitado por um total estranho que ninguém nunca tinha ouvido falar. Enquanto isso o Flamengo ganhando jogo com um jogador a mais, sendo que o maluco do Vitória, no lance do segundo amarelo, nem falta fez… Daí em Chapecó penalti absurdo não marcado pro Chapecoense, e penalti bem safado marcado pros Mulambos… Será que ninguém do Palmeiras vê isso? Se não apertar agora, não adianta chorar depois…

Mas que se foda, essa semana que começa é dia de 6 pontos, vamos bater nos queridinhos da CBF e Imprensa na quarta e no sábado, com ou sem arbitragem prejudicando…

Pra cima Palmeiras!

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 4×3 Gremio – BR16

Pacaembu, frio, chuva desde o minuto que o jogo começou, tobogã (obrigado, mimadinho) e a obrigação de vencer o líder do campeonato até a abertura da quinta rodada.

O Palmeiras, com 6 pontos, não podia nem sonhar em qualquer coisa que não fosse chegar aos 9, para manter em apenas 4 a diferença pro Inter, que venceu o Atlético/PR e assumiu a ponta da tabela.

E logo com 1 minuto o Verde já abriu o placar, enfiada monstra do Dudu, melhor em campo, e o Gabriel Jesus dessa vez não desperdiçou: caixa e 1×0 pro Porco.

Mas o time do Palmeiras não encaixou o jogo. Alecsandro, péssimo, garantia que o Gremio jogasse o primeiro tempo inteiro com um a mais, enquanto o juiz ia decidindo todos os lances a favor dos gaúchos.

Mas foi aos 50 – isso mesmo – do primeiro tempo que o tal de Marielson operou do vez o Palestra: num lance que até a gente do distante tobogã conseguiu ver que o zagueiro do Gremio estava impedido-pra-caralho, o safado deixou seguir. Erro tem limite e esse já tinha passado antes da metade do primeiro tempo: Palmeiras, se dependesse do juiz, não ganharia o jogo.

Voltamos pro segundo tempo finalmente com 11 – Alecsandro saiu e Roger Guedes entrou – o Jesus foi jogar de 9. Acontece que o Palmeiras tinha uma Avenida Francisco Matarazzo inteira pro Gremio aproveitar nas costas do Zé Roberto.

E numa dessas que o Roger errou um passe pro miolo da área do Grêmio, os gaúchos foram chegando pela esquerda, Zé Roberto ainda no campo de ataque, Moises também pesado não conseguiu segurar o bom lateral direito do Gremio e, numa falha de posicionamento do Thiago Santos, Giuliano virou o jogo pros caras.

Mas não deu nem dois minutos e Roger Guedes, num daqueles lances que a sorte dos justos aparece, encobriu o goleiro do Gremio numa puxada quase sem ângulo, e botou o Palmeiras de novo no jogo: 2×2.

E o Palmeiras começou a mandar na partida. Claramente, a alteração tinha surtido resultado, e a ineficiência do Alecsandro no primeiro tempo deu lugar pruma grande atuação do Gabriel Jesus, ganhou por cima, por baixo, roubou bola, entrou no meio dos zagueiros do Gremio, enfim, jogou como a gente quer ver sempre.

Só que o nome do jogo foi mesmo Dudu. Sinal de que o puxão de orelha do Cuca deu resultado: já tinha encaixado uma assistência pro Jesus no primeiro tempo, infernizou a vida do alemãozinho lateral esquerdo do Gremio e ainda encaixou duas cobranças de bola parada perfeitas – um escanteio e uma falta – pro Vitor Hugo e pro Thiago Santos marcarem. 4×2.

E ainda deu tempo do Palmeiras moscar e tomar o terceiro, gol do lateral direito Edilson, um dos melhores do Grêmio na partida.

Como o Flamengo ganhou do Vitória, terminamos a rodada na quinta posição. E agora, é justamente a mulambada que vem pela frente, e depois os Gambás.

Se já fomos prejudicados sem dó contra Ponte Preta e Grêmio, imaginem o que está por vir nas próximas duas rodadas?? Que tal, Sr. Paulo Nobre, parar de caçar assunto com a torcida e começar a defender o clube perante a Comissão de Arbitragem? O sr. não acha curioso o caseirão do Ricardo Marques apitar pros bambis, o Vuaden inventando falta pros gambás ganharem dos Sardinhas, e um puta jogo de dois times brigando pelo título vem um tal de Marielson-ninguem-nunca-ouniu-falar-antes?

Que tal largar do pé da torcida um pouco e pegar mais no da CBF com essas arbitragens de merda? Quer disputar o título ou não?

Domingo, Mané Garrincha, que finalmente venha nossa primeira vitória fora de casa. O embalo que esse time precisava pra ganhar confiança e vencer como visitante veio hoje. Aos amigos que vão pra Capital Federal, tragam os 03 pontos.

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 4 X 3 GRÊMIO

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data-Hora: 2/6/2016 – 21h (horário de Brasília)
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Assistentes: Rodrigo Henrique Corrêa (RJ) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Público/Renda: 19.196 pagantes / R$ 525.845,00
Cartões amarelos: Matheus Sales, Dudu, Vitor Hugo, Fernando Prass e Fabrício (PAL), Marcelo Hermes, Bruno Grassi, Pedro Geromel e Lincoln (GRE)
Gols: Gabriel Jesus 1′ 1ºT (1-0); Giuliano 49′ 1ºT (1-1); Giuliano 9′ 2ºT (1-2); Róger Guedes 11′ 2ºT(2-2); Vitor Hugo 27′ 2ºT (3-2); Thiago Santos 38′ 2ºT (4-2) e Edilson 45′ 2ºT (4-3)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Tchê Tchê (Fabrício 37′ 2ºT), Thiago Santos, Vitor Hugo e Zé Roberto; Matheus Sales e Jean; Moisés (Thiago Martins 31′ 2ºT), Gabriel Jesus e Dudu; Alecsandro (Róger Guedes – intervalo). Técnico: Cuca

GRÊMIO: Bruno Grassi; Edílson, Geromel, Bressan e Marcelo Hermes; Walace, Maicon, Giuliano (Bobô 35′ 2ºT), Douglas (Lincoln 25′ 2ºT) e Éverton; Luan.Técnico: Roger Machado

Palmeiras 3×2 Gremio – BR15

O Palmeiras fez uma boa apresentação no seu retorno ao Pacaembu, onde não jogávamos desde a derrota por 2×0 pros reservas do Atlético Mineiro, no Brasileiro do ano passado.

Com muita consistência no ataque, com Gabriel Jesus, Rafael Marques, Robinho e Barrios sobrando em campo, e alguma inconsistência na zaga, apesar da partida excelente de ZR, Lucas, Thiago Santos e Arouca, o placar de 3×2 não fez justiça ao futebol jogado.

Podia ter sido 4 ou 5, tranquilamente, mas, também, a zaga podia ter sofrido mais gols. De qualquer forma, a balança pesou a favor, apesar de mais um penalti marcado contra o Palmeiras desses duvidosos mas que, como é contra a gente, nunca tem dúvida: É PENALTIIIEEEEE, diria Milton Leite… isto é, se for na nossa zaga, porque quando é no ataque é sempre bola na mão…

Mas, honestamente, prefiro assim, a última coisa que o Palmeiras precisa é ajuda de juiz, isso daí deixamos pra outros times menos capacitados…

E o penalti foi “cometido” justamente pelo Amaral, que deve ser, San Gennaro nos ajude, o substituto de Arouca, que levou o terceiro amarelo e não enfrenta os bambis lá no Panetone domingo que vem.

E com 4 gols do Barrios em 02 jogos, meu amigo Nigri já quase não se lembra mais dum certo venezuelano que jogou por aqui há algum tempo atrás e que judiava da nossa camisa 10, a mesma com a qual o paraguaio não conseguiu fazer muita coisa pelo Verdão. Mas agora, com a 8… Pois é, Nigri!

Outro que tá voando é o Gabriel Jesus, acho até que é bem capaz do Dudu começar no banco em Porto Alegre, porque o Rafael Marques também fez uma partidaça ontem, apesar do vacilo no primeiro gol dos caras.

Agora, todas as orações voltadas ao Zé Roberto não ter se lesionado ontem, porque ninguém merece o futebolzinho do Sr. Egídio, séloko o que esse maluco tá entregando não é moleza não. Incrível como tem uns caras que não guentam o rojão de vestir nosso manto…

Bora pra Porto Alegre então!

AVANTI PALESTRA!

OS GOLS:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 3X2 GRÊMIO

Local: Estádio Pacaembu, São Paulo
Data-Horário: 18/09/2015 – 18h30
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Bruno Raphael Pires (GO)
Público/Renda: 21.257 / R$ 971.475,00
Cartões Amarelos: Arouca, Thiago Santos (PAL); Bressan, Lucas Ramon, Marcelo Oliveira, Moisés (GRE)

GOLS: Vitor Hugo, 6’/1ºT (1-0); Luan, 20’/1ºT (1-1); Barrios, 31’/1ºT (2-1); Rafael Marques, 13’/2ºT (3-1); Luan, 40’/2ºT (3-2)

PALMEIRAS: Prass; Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio, intervalo); Tiago Santos, Arouca (Amaral, 33’/2ºT), Rafael Marques, Robinho (Allione, 37’/2ºT) e Gabriel Jesus; Lucas Barrios. Técnico: Marcelo Oliveira.

GRÊMIO: Tiago; Lucas Ramos (Bobô, 34’/2ºT), Bressan, Erazo e Marcelo Oliveira; Walace, Moisés, Pedro Rocha (Yuri Mamute, 11’/2ºT), Douglas e Fernandinho (Everton, 11’/2ºT); Luan. Técnico: Roger Machado. 

Gremio 1×0 Palmeiras – BR15

To aqui tentando entender o que levou o treinador, depois de um primeiro tempo próximo da perfeição, na medida do que se podia esperar de um jogo contra o Grêmio no Sul, a optar por tirar Gabriel e voltar com Amaral pro campo.

Se foi só por causa do amarelo tomado logo no início do jogo – injusto, aliás – não faz o menor sentido. Errou, e feio.

Depois, ao tirar o Robinho pra colocar o Zé Roberto, terminou de enterrar o time. A essa altura, já perdíamos o jogo – injustamente, também – e com as duas alterações perdemos completamente o poder de reação.

Veio o picolé de Xuxu com a camisa 8, no lugar do Arouca, e não adiantou bosta nenhuma. Aliás, por mim já pode ir embora esse enganador.

Enfim, perdemos o jogo no banco. É cedo pra apontar o dedo pro treinador, mas fazia tempo que não via uma derrota tão por culpa do técnico como hoje. Acabou de chegar e tals, mas é doído ver um cara que vem com status de melhor treinador do Brasil errar tanto na sua estreia.

Pra terminar, vai demorar pro Palmeiras ganhar um jogo com esse morfético Rafael Klaus apitando…

Bora trabalhar, professor…

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×1 Gremio – BR14

Uma vitória com V maiúsculo. Era o que faltava pra esse time ganhar a confiança necessária pras 04 vitórias que faltam.

E o melhor jogador do time foi a torcida. 30 mil pessoas num Pacaembu estrumado não pararam de empurrar o time pra cima do Gremio, mesmo depois dos gaúchos terem aberto o placar, em mais um lance contra o Palmeiras marcado pelo árbitro adicional, essa categoria maldita de juízes cuja única função na Terra é marcar lances contra o Palmeiras. Mais uma…

E teve dirigente do Gremio com a sem-vergonhice de culpar a arbitragem. Vai chorar na cama que é lugar quentes tchê! E o Felipão também achou ruim que a torcida pegou no pé dele, e disse que o povo gaúcho, quando ele ia jogar lá no Sul pelo Palmeiras, sempre o recebia com muito carinho. Ok, Felipão, rebaixa o Grêmio e vê o carinho que os caras vão ter… Menos pra você também…

O Palmeiras jogou melhor e mereceu a vitória, e gremista ficar choramingando da arbitragem não diminuirá o fato de que o Palmeiras ganhou e convenceu, mereceu sair com os 03 pontos. Se jogasse assim o ano inteiro…

Diferença feita por aqueles que precisam fazer a diferença sempre: Prass e Valdivia. E Dorival hoje também, fez tudo certo, está longe de ser um treinador de ponta, mas 03 vitórias seguidas era algo que o palmeirense não via desde sei la quando.

Agora é pra cima dos lambaris. Mais 4 vitórias e já pode encerrar o ano.

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 1 GRÊMIO

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/Horário: 11 de outubro de 2014, sábado, às 21h
Árbitro: Sandro Meira Ricci (FIFA-PE)
Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios (FIFA-SE) e Clovis Amaral da Silva (PE)

Público/Renda: 26.940 pagantes / R$ 647.130,00
Cartões amarelos: Lúcio (PAL); Fellipe Bastos, Riveros, Dudu E Ramiro (GRE)
Cartões vermelhos: Barcos, aos 17’/2ºT

GOLS: Barcos, aos 10’/2ºT (0-1); Mouche, aos 22’/2ºT (1-1) e João Pedro, aos 29’/2ºT (2-1)

PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Lúcio, Tobio e Juninho (Mouche, 20’/2ºT); Victor Luis, Washington, Wesley e Valdivia (Bernardo, 46’/2ºT); Cristaldo (Leandro, 35’/2ºT) e Henrique. Técnico: Dorival Júnior

GRÊMIO: Tiago; Pará, Bressan, Pedro Geromel e Zé Roberto; Ramiro, Fellipe Bastos (Riveros, 28’/1ºT), Matías Rodríguez (Lucas Coelho, aos 26’/2ºT), Alán Ruiz (Giuliano) e Dudu; Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari

AVANTI PALESTRA!

Gremio 0x0 Palmeiras – BR14

O pior empate é aquele que podia ter sido vitória. Menos mal que, em 9 jogos, o Palmeiras só tenha empatado uma vez. Mas dá raiva demais esse resultado que é 2/3 derrota, se o time tem chance de ganhar e não ganha.

Pros conformados de plantão, vão dizer que o Palmeiras foi prejudicado pela arbitragem vergonhosa do árbitro Jailson de Freitas. Verdade. Além do gol de Diogo mal anulado, deixou o time do Grêmio bater a rodo e miguelou nos cartões pros caras, enquanto que pros jogadores do Palmeiras o dedo coçou o jogo inteiro.

Mas, não foi só isso, pois apesar do Valentim ter corrigido muito bem o time que começou travado e tomando uma pressão gigante nos primeiros 15 minutos, foi ele também que não quis ganhar o jogo quando a oportunidade se apresentou. Na hora de tirar Felipe Menezes, depois de ter ficado 70 minutos sem mexer no time, ao invés de colocar Patrik Vieira ou Bernardo, optou por Josimar. Podia ter sacado Marquinhos Gabriel, que não foi bem hoje, mas o manteve até o fim.

E o Grêmio, seja com Barcos, seja com Judas, não ofereceu perigo. É, aquela tal de praga de palmeirense… Fabio não precisou fazer nenhuma defesa difícil. Era jogo pra 3 pontos.

O técnico foi cagão. Quis segurar o resultado, garantir um ponto, ao invés de buscar a vitória que estava ao alcance das mãos. Quando começa assim, é hora de seguir seu caminho. Obrigado, Valentim, passar bem. Que venha o argentino.

Partida boa do William Matheus, e excelentes do Lúcio e do Diogo. E o Henrique cada vez mais vai me lembrando o Cahê, se bem que nesses últimos 4 jogos foi difícil chegar uma bola que não fosse quadrada… Pelo lado dos perebas, Marcelo Oliveira foi péssimo, entre ele jogar como zagueiro ou volante, o melhor era ele fora do time. E o Felipe Menezes, não consigo avaliar se é pra rir ou pra chorar, mas há quem esteja dizendo que ele jogou bem. Tá.    

E as primeiras 9 rodadas, em comparação à minha expectativa, foram até melhores do que eu imaginava. Se não tivessem sido as duas últimas rodadas, e as derrotas ridículas pra Chapecoense e Botafogo, ou então o baile levado contra o Flamengo, o Palmeiras seria líder, algo inimaginável no começo do Campeonato. O que mostra uma competição nivelada por baixo. 

Dependendo dos resultados das 18:30, podemos terminar essa primeira parte do Campeonato do meio da tabela pra baixo. É pra ficar esperto. Ou contrata ou vamos habitar o lado perigoso da classificação o campeonato inteiro.

Agora serão 42 longos dias sem Palmeiras, e nem os jogos da seleção, brasileira ou italiana, como queiram, irá fazer diminuir o vazio de ficar tanto tempo sem ver o Verdão em campo.

Que essa pausa sirva pra alguma coisa. Qualquer coisa. Porque jogar até o fim do ano com um time parecido com o de hoje, a gente não merece…

OS LANCES:

 

A FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 0 X 0 PALMEIRAS

Data e horário: 1/6/2014, às 16h00
Local: Alfredo Jaconi, Caxias do Sul (RS)
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (CBF/BA)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (FIFA/BA) e Adson Marcio Lopes (CBF/BA)
Público e Renda: não divulgado
Cartões Amarelos: Werley, Maxi Rodriguez, Ramiro (GRE); Henrique, Marcelo Oliveira, Lúcio, Marquinhos Gabriel, Renato (PAL) 
GOLS: Não teve

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Rhodolfo, Werley e Marquinhos; Edinho, Alan Ruiz, Ramiro e Rodriguinho (Maxi Rodriguez, 17’/2ºT); Dudu (Zé Roberto, 31’/2ºT) e Barcos (Kléber, 17’/2ºT). Técnico: Enderson Moreira

PALMEIRAS: Fábio; Wendel, Lúcio, Wellington e William Matheus; Marcelo Oliveira, Renato e Felipe Menezes (Josimar, 40’/2ºT); Marquinhos Gabriel, Diogo e Henrique. Técnico: Alberto Valentim

CONTRATA PALESTRA!

#13junho2012 Eu fui!

IMG_7433Era a última semana do mês de maio.

O Palmeiras tinha passado pelo Atlético Paranaense e iria disputar, dali 20 e poucos dias, a semi-final da Copa do Brasil. O adversário era o Gremio, e o primeiro jogo seria no temido  Olímpico, o último do Palmeiras lá, diante da desativação premente do estádio.

Zunzunzum entre os amigos sobre se íamos ou não para Porto Alegre, até que, depois de uma rápida pesquisa na Internet, comprei o vôo da TAM, Congonhas – Salgado Filho, 13 de junho de 2012, 17:50 – 19:10.

Fui pro chat do grupo e postei a confirmação do e-ticket. Tava feito, iríamos para Porto Alegre. Em minutos, ou nos dias seguintes, os amigos foram comprando e montamos o efetivo do Bonde: 10 malucos e 1 maluca.

Explicar em casa, mulher grávida de 7,5 meses, que eu ia ver um jogo fora do Estado, não foi moleza. A santa sogra se dispôs a dormir em casa pra tentar salvar a lavoura caso os gêmeos decidissem nascer no dia 13.

E assim (não) passavam os dias até o confronto decisivo, com direito até, pelo Brasileiro, ao Palmeiras ir a Porto Alegre enfrentar o mesmo Grêmio; perdemos de 1×0 MUITO roubado, um pênalti absurdo do Gilberto Silva no Henrique não marcado a minutos do fim do jogo. Era só mais um elemento a pesar na vindoura decisão: a sempre temida arbitragem.

Na semana do jogo dava ânsia de ler a imprensa “esportiva”: o Palmeiras já tinha perdido, para alguns dos nobres jornalistas, nem precisava disputar a partida. O Grêmio vinha de oito vitórias consecutivas na Copa do Brasil, 30 e não sei quantos gols marcados, 3 sofridos (sei lá se são esses os números mesmo), não perdia no Olímico há 05 meses, enfim, não teríamos a menor chance na partida.

Felipão, que do alto de todos os defeitos possíveis e imagináveis, sempre foi um especialista em mata-mata, fechou os treinos e deixou todos sem saber que time iria a campo.

Chegamos a Porto Alegre 19:20, o aeroporto, assim como o avião, repleto de camisas verdes. Tínhamos que ir ao hotel, no Centro, antes de seguir pro estádio. Por sorte, encontramos uns amigos com um mini ônibus, com 11 vagas disponíveis. Fala sério!

Pisamos no hotel, 02 casais brigavam com o funcionário da recepção, havia tido um vazamento de água e nao tinha mais nenhum apartamento disponível. Pra eles, é claro. Pra gente, o Bonde da ZL já tinha feito os check-ins de todos os nosso quartos e conseguimos deixar as malas e seguir pro Olímpico.

No caminho, um puta trânsito infernal, já se aproximavas das nove e nada de chegar no Olímpico. Um mar de azul por toda a parte. E nós de camisa no peito, a torcida do Gremio é amiga, dizem, mas vai saber… Tenso.

IMG_3929Enfim paramos em frente ao portão destinado à Torcida visitante, P. 20, que estava praticamente tomado de azul. Sim, realmente, a torcida do Grêmio é amiga. Dividimos o mesmo boteco até a última Polar acabar. Mesmo sem qualquer indício de confusão, um PM gaúcho fez questão de atirar gás de pimenta nos palmeirenses. Típico..  Era hora de entrar no estádio.

Lá dentro, um estádio muito parecido na minha opinião com a Gaiola das Loukas, principalmente pela distância do gramado pra bancada. 96% azul, contra 2.000 de nós espremidos de verde num cantinho atrás do gol, mal dava pra andar. E apesar de ser junho em Porto Alegre, não era um dia frio. Lá fazia até um certo calor, principalmente na parte superior do espaço visitante, onde ficavam os banheiros e a lanchonete pra tentar tomar uma água. Enfim, um lugar inóspito, como deve ser todo setor da torcida visitante.

Pouco antes de começar, vimos a escalação: Bruno, Artur, M. Ramos, T. Heleno e Juninho; Henrique, Assunção, João Vitor e Daniel Carvalho, Luan e Barcos, uma formação nunca antes vista, principalmente pela presença de Henrique como falso terceiro zagueiro, fazendo a cabeça de área do primeiro volante. A grande novidade era a ausência de Márcio Araujo, que vinha fazendo partidas dignas de… Márcio Araujo.

E foi um primeiro tempo amarrado, tenso, o Palmeiras tentando segurar o Gremio a todo custo, mas atacava pouco, a aposta era por uma bola, por uma chance numa bola parada ou num – improvável – contra-ataque. Mas me lembro de, ao fim do primeiro tempo, estar muito preocupado. Estaria muito mais se tivesse visto – não me lembro – uma cobrança de falta de Fernando na trave, aos 43 minutos. Muita, mas muita raça, esse era o Palmeiras naquele 13 de junho. Mas era praticamente isso. Um time raçudo.

O segundo tempo veio e com ele, ia aumentando a esperança de voltar pra casa com um 0x0, resultado fantástico, comentávamos. E o relógio não saía do lugar, a angústia ia tomando conta e pra gente só restava gritar e empurrar o Palmeiras cada minuto mais: OLEEEEE, OLEEEEEEEEEEEE! CANTA AÊ!!!

Sem explicação lógica, o Palmeiras começou a tocar a bola como nunca antes se viu naquele ano e, com isso, começou a diminuir e controlar as investidas do Grêmio. Barcos, por duas vezes, quase marcou na etapa final. Mesmo assim, era quase incrível se pensar em uma vitória.

Daniel Carvalho, praticamente morto, saiu pra dar lugar a Mazinho, aos 40 minutos. O curioso dessa substituição é que estávamos atrás do gol do Vitor, justamente onde os jogadores do Palmeiras faziam aquecimento, e na hora que foi chamado um jogador do Palmeiras, quem correu pra entrar em campo foi o Marcio Araujo. 

Decepção geral ao nosso lado. Porra, o Marcio Araujo, não! Agora que o time jogou bem sem ele… De repente, o Marcio Araujo volta correndo pro lugar onde estavam os reservas, e foi o Messi Black pro jogo. O Bigode mudou de ideia! Genial! (Depois, fomos saber, o Felipão tinha chamado o “Mazinho”, e não o “Marcinho” – como ele era chamado pelo Bigode – nada de mágica, uma simples confusão…).

???????????????????????????????

E bastaram 2 minutos. Falta de Henrique no Rondinelly (que não foi, por sinal…) cobrada pelo Léo Gago, bola cortada pelo Barcos e contra-ataque puxado pelo Verdão, bola nos pés de Cicinho – que tinha entrado no lugar do Artur pouco antes – rolou pro Mazinho – primeiro lance dele – no meio da zaga, que bateu e venceu o Vitor por baixo. GOOOOL!!!! PUTA QUE PARIUUUU! 1×0!  Vamos ganhar, vamos ganhar caralho! Um silêncio ensurdecedor no Olímpico só era vencido por um uníssono LIBERTADORES!!!!! SOMOS DA MANCHA VERDE A MAIS TEMIDA!!!!! (ver no video abaixo, a partir dos 1:30.00).

mas não seria só isso. Tinha que ser mais. E Foi. Aos 45, Pará cavou uma falta e Heber Roberto Lopes marcou falta técnica pro Palmeiras. Na cobrança, a bola espirrada sobrou pro Luan na meia, que – acreditem – acertou um passe milimétrico e colocou Juninho na linha de fundo, que – ACREDITEM – acertou um cruzamento perfeito na cabeça de Barcos, e o argentino cabeceou com precisão, sem muita força, no contrapé do Vitor, e veio comemorar ali na nossa frente. 2×0!

Neste exato momento, quando eu acabava de gritar algo que mal podia se assemelhar com “goool”, fui atropelado pelo Diego Zupo, que desceu arrastando todos a sua frente, gritando, 8, 10 degraus abaixo… Tava todo mundo maluco! Lágrimas, risos, abraços, parecia final de Copa do Mundo, e era mesmo, nunca uma vitória foi tão improvável, tão duvidada, nunca menosprezaram tanto nossa camisa, nossa força! Que alívio do caralho, o jogo era nosso, assim como o título seria! Bambis ou Coritiba, ninguém ia nos segurar…

Fim do jogo mas a festa tava só começando. Durante os 40 minutos – ou mais, perdi a noção do tempo – que ficamos confinados dentro do estádio a pegada da arquibancada seguiu a mesma OLEEEEEEE, OLEEEEEEEEEE!!!!!!! CANTA AÊ!!! EU CANTO EU SOU PALMEIRAS ATÉ MORRER!!!!!! O vídeo abaixo não me deixa mentir:

Na saída do estádio, a torcida do Gremio esperava na porta, acreditem ou não- mas perguntem pra qualquer um dos que lá estavam – pra nos aplaudir. Nós tínhamos merecido, jogamos com o time os 90 minutos, aquela vitória também era nossa.

E saímos na noite de Porto Alegre, não sem antes sermos mantidos numa ruinha ao lado do estádio por mais bons 40 minutos – ou sei lá quanto tempo. De volta ao hotel, uns foram comemorar, outros dormir, alguns já foram direto pro aeroporto. Eu, liguei a TV e fui assistir o VT do jogo, queria ter certeza que o que eu acabara de vivenciar tinha mesmo acontecido.

IMG_3965No dia seguinte, no Salgado Filho, o Pepe Reale me pergunta: Qual vôo você está? To no das 9:15. Vc vai no voo dos jogadores. Era a cereja do bolo.

E foi no Salgado Filho que tiramos essa foto com o Betinho – 33, esse aí que aparece envolto numa áurea iluminado na imagem e que, algumas semanas mais tarde, iria desviar uma falta cobrada pelo Assunção pro fundo da rede do Couto Pereira e confirmar o 11.o título nacional do Verdão, o maior campeão de todos.

Acreditem, é a mais pura verdade! Tanto que o Rovaron foi ao Couto Perreira com nada menos que a camisa 33. Nós já sabíamos! AAHHAHAHAHAHA

Era pra fechar mesmo com chave de ouro. Inesquecível. Impagável. Inigualável. Sem exageros poéticos, mas nunca antes o Palmeiras foi tão Palmeiras, no sentido de calar a boca dessa gente maldita que insiste em desmerecer a força dessa camisa. Depois desse dia, tenho certeza que muitos Netos, Kfouris, Birners e etc vão pelo menos pensar duas vezes antes de desdenhar o Palmeiras. Bom, talvez eles não, mas outros com certeza…

O dia 13 de junho vai ficar marcado pra sempre na minha vida como um dos mais importantes de todos. Só perde pra ontem, 12/06, e dia 16/06. Como junho é o mês do Palmeiras, né? Mas #13junho2012 vai ficar marcado também porque eu tava lá. #Eufui!

E pra marcar a data, nada como o VT na íntegra que deixo pra vocês abaixo:

E com isso, marco o retorno do Maluco. Ainda não sei se vou ter paciência, tempo ou até mesmo vontade  de escrever sobre o time atual, que segue repleto de vagabundos e incompetentes. Mas já tá claro pra mim que não dá pra ficar sem falar do Verdão. Mesmo que seja só pra comentar com nostalgia nossos momentos mais marcantes. Afinal, o alviverde ressurgirá imponente, já dizia um amigo meu. Desculpem pela bipolaridade, mas nada disso deve ser estranho pra vocês…

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: