Arquivos do Blog

#13junho2012 Eu fui!

IMG_7433Era a última semana do mês de maio.

O Palmeiras tinha passado pelo Atlético Paranaense e iria disputar, dali 20 e poucos dias, a semi-final da Copa do Brasil. O adversário era o Gremio, e o primeiro jogo seria no temido  Olímpico, o último do Palmeiras lá, diante da desativação premente do estádio.

Zunzunzum entre os amigos sobre se íamos ou não para Porto Alegre, até que, depois de uma rápida pesquisa na Internet, comprei o vôo da TAM, Congonhas – Salgado Filho, 13 de junho de 2012, 17:50 – 19:10.

Fui pro chat do grupo e postei a confirmação do e-ticket. Tava feito, iríamos para Porto Alegre. Em minutos, ou nos dias seguintes, os amigos foram comprando e montamos o efetivo do Bonde: 10 malucos e 1 maluca.

Explicar em casa, mulher grávida de 7,5 meses, que eu ia ver um jogo fora do Estado, não foi moleza. A santa sogra se dispôs a dormir em casa pra tentar salvar a lavoura caso os gêmeos decidissem nascer no dia 13.

E assim (não) passavam os dias até o confronto decisivo, com direito até, pelo Brasileiro, ao Palmeiras ir a Porto Alegre enfrentar o mesmo Grêmio; perdemos de 1×0 MUITO roubado, um pênalti absurdo do Gilberto Silva no Henrique não marcado a minutos do fim do jogo. Era só mais um elemento a pesar na vindoura decisão: a sempre temida arbitragem.

Na semana do jogo dava ânsia de ler a imprensa “esportiva”: o Palmeiras já tinha perdido, para alguns dos nobres jornalistas, nem precisava disputar a partida. O Grêmio vinha de oito vitórias consecutivas na Copa do Brasil, 30 e não sei quantos gols marcados, 3 sofridos (sei lá se são esses os números mesmo), não perdia no Olímico há 05 meses, enfim, não teríamos a menor chance na partida.

Felipão, que do alto de todos os defeitos possíveis e imagináveis, sempre foi um especialista em mata-mata, fechou os treinos e deixou todos sem saber que time iria a campo.

Chegamos a Porto Alegre 19:20, o aeroporto, assim como o avião, repleto de camisas verdes. Tínhamos que ir ao hotel, no Centro, antes de seguir pro estádio. Por sorte, encontramos uns amigos com um mini ônibus, com 11 vagas disponíveis. Fala sério!

Pisamos no hotel, 02 casais brigavam com o funcionário da recepção, havia tido um vazamento de água e nao tinha mais nenhum apartamento disponível. Pra eles, é claro. Pra gente, o Bonde da ZL já tinha feito os check-ins de todos os nosso quartos e conseguimos deixar as malas e seguir pro Olímpico.

No caminho, um puta trânsito infernal, já se aproximavas das nove e nada de chegar no Olímpico. Um mar de azul por toda a parte. E nós de camisa no peito, a torcida do Gremio é amiga, dizem, mas vai saber… Tenso.

IMG_3929Enfim paramos em frente ao portão destinado à Torcida visitante, P. 20, que estava praticamente tomado de azul. Sim, realmente, a torcida do Grêmio é amiga. Dividimos o mesmo boteco até a última Polar acabar. Mesmo sem qualquer indício de confusão, um PM gaúcho fez questão de atirar gás de pimenta nos palmeirenses. Típico..  Era hora de entrar no estádio.

Lá dentro, um estádio muito parecido na minha opinião com a Gaiola das Loukas, principalmente pela distância do gramado pra bancada. 96% azul, contra 2.000 de nós espremidos de verde num cantinho atrás do gol, mal dava pra andar. E apesar de ser junho em Porto Alegre, não era um dia frio. Lá fazia até um certo calor, principalmente na parte superior do espaço visitante, onde ficavam os banheiros e a lanchonete pra tentar tomar uma água. Enfim, um lugar inóspito, como deve ser todo setor da torcida visitante.

Pouco antes de começar, vimos a escalação: Bruno, Artur, M. Ramos, T. Heleno e Juninho; Henrique, Assunção, João Vitor e Daniel Carvalho, Luan e Barcos, uma formação nunca antes vista, principalmente pela presença de Henrique como falso terceiro zagueiro, fazendo a cabeça de área do primeiro volante. A grande novidade era a ausência de Márcio Araujo, que vinha fazendo partidas dignas de… Márcio Araujo.

E foi um primeiro tempo amarrado, tenso, o Palmeiras tentando segurar o Gremio a todo custo, mas atacava pouco, a aposta era por uma bola, por uma chance numa bola parada ou num – improvável – contra-ataque. Mas me lembro de, ao fim do primeiro tempo, estar muito preocupado. Estaria muito mais se tivesse visto – não me lembro – uma cobrança de falta de Fernando na trave, aos 43 minutos. Muita, mas muita raça, esse era o Palmeiras naquele 13 de junho. Mas era praticamente isso. Um time raçudo.

O segundo tempo veio e com ele, ia aumentando a esperança de voltar pra casa com um 0x0, resultado fantástico, comentávamos. E o relógio não saía do lugar, a angústia ia tomando conta e pra gente só restava gritar e empurrar o Palmeiras cada minuto mais: OLEEEEE, OLEEEEEEEEEEEE! CANTA AÊ!!!

Sem explicação lógica, o Palmeiras começou a tocar a bola como nunca antes se viu naquele ano e, com isso, começou a diminuir e controlar as investidas do Grêmio. Barcos, por duas vezes, quase marcou na etapa final. Mesmo assim, era quase incrível se pensar em uma vitória.

Daniel Carvalho, praticamente morto, saiu pra dar lugar a Mazinho, aos 40 minutos. O curioso dessa substituição é que estávamos atrás do gol do Vitor, justamente onde os jogadores do Palmeiras faziam aquecimento, e na hora que foi chamado um jogador do Palmeiras, quem correu pra entrar em campo foi o Marcio Araujo. 

Decepção geral ao nosso lado. Porra, o Marcio Araujo, não! Agora que o time jogou bem sem ele… De repente, o Marcio Araujo volta correndo pro lugar onde estavam os reservas, e foi o Messi Black pro jogo. O Bigode mudou de ideia! Genial! (Depois, fomos saber, o Felipão tinha chamado o “Mazinho”, e não o “Marcinho” – como ele era chamado pelo Bigode – nada de mágica, uma simples confusão…).

???????????????????????????????

E bastaram 2 minutos. Falta de Henrique no Rondinelly (que não foi, por sinal…) cobrada pelo Léo Gago, bola cortada pelo Barcos e contra-ataque puxado pelo Verdão, bola nos pés de Cicinho – que tinha entrado no lugar do Artur pouco antes – rolou pro Mazinho – primeiro lance dele – no meio da zaga, que bateu e venceu o Vitor por baixo. GOOOOL!!!! PUTA QUE PARIUUUU! 1×0!  Vamos ganhar, vamos ganhar caralho! Um silêncio ensurdecedor no Olímpico só era vencido por um uníssono LIBERTADORES!!!!! SOMOS DA MANCHA VERDE A MAIS TEMIDA!!!!! (ver no video abaixo, a partir dos 1:30.00).

mas não seria só isso. Tinha que ser mais. E Foi. Aos 45, Pará cavou uma falta e Heber Roberto Lopes marcou falta técnica pro Palmeiras. Na cobrança, a bola espirrada sobrou pro Luan na meia, que – acreditem – acertou um passe milimétrico e colocou Juninho na linha de fundo, que – ACREDITEM – acertou um cruzamento perfeito na cabeça de Barcos, e o argentino cabeceou com precisão, sem muita força, no contrapé do Vitor, e veio comemorar ali na nossa frente. 2×0!

Neste exato momento, quando eu acabava de gritar algo que mal podia se assemelhar com “goool”, fui atropelado pelo Diego Zupo, que desceu arrastando todos a sua frente, gritando, 8, 10 degraus abaixo… Tava todo mundo maluco! Lágrimas, risos, abraços, parecia final de Copa do Mundo, e era mesmo, nunca uma vitória foi tão improvável, tão duvidada, nunca menosprezaram tanto nossa camisa, nossa força! Que alívio do caralho, o jogo era nosso, assim como o título seria! Bambis ou Coritiba, ninguém ia nos segurar…

Fim do jogo mas a festa tava só começando. Durante os 40 minutos – ou mais, perdi a noção do tempo – que ficamos confinados dentro do estádio a pegada da arquibancada seguiu a mesma OLEEEEEEE, OLEEEEEEEEEE!!!!!!! CANTA AÊ!!! EU CANTO EU SOU PALMEIRAS ATÉ MORRER!!!!!! O vídeo abaixo não me deixa mentir:

Na saída do estádio, a torcida do Gremio esperava na porta, acreditem ou não- mas perguntem pra qualquer um dos que lá estavam – pra nos aplaudir. Nós tínhamos merecido, jogamos com o time os 90 minutos, aquela vitória também era nossa.

E saímos na noite de Porto Alegre, não sem antes sermos mantidos numa ruinha ao lado do estádio por mais bons 40 minutos – ou sei lá quanto tempo. De volta ao hotel, uns foram comemorar, outros dormir, alguns já foram direto pro aeroporto. Eu, liguei a TV e fui assistir o VT do jogo, queria ter certeza que o que eu acabara de vivenciar tinha mesmo acontecido.

IMG_3965No dia seguinte, no Salgado Filho, o Pepe Reale me pergunta: Qual vôo você está? To no das 9:15. Vc vai no voo dos jogadores. Era a cereja do bolo.

E foi no Salgado Filho que tiramos essa foto com o Betinho – 33, esse aí que aparece envolto numa áurea iluminado na imagem e que, algumas semanas mais tarde, iria desviar uma falta cobrada pelo Assunção pro fundo da rede do Couto Pereira e confirmar o 11.o título nacional do Verdão, o maior campeão de todos.

Acreditem, é a mais pura verdade! Tanto que o Rovaron foi ao Couto Perreira com nada menos que a camisa 33. Nós já sabíamos! AAHHAHAHAHAHA

Era pra fechar mesmo com chave de ouro. Inesquecível. Impagável. Inigualável. Sem exageros poéticos, mas nunca antes o Palmeiras foi tão Palmeiras, no sentido de calar a boca dessa gente maldita que insiste em desmerecer a força dessa camisa. Depois desse dia, tenho certeza que muitos Netos, Kfouris, Birners e etc vão pelo menos pensar duas vezes antes de desdenhar o Palmeiras. Bom, talvez eles não, mas outros com certeza…

O dia 13 de junho vai ficar marcado pra sempre na minha vida como um dos mais importantes de todos. Só perde pra ontem, 12/06, e dia 16/06. Como junho é o mês do Palmeiras, né? Mas #13junho2012 vai ficar marcado também porque eu tava lá. #Eufui!

E pra marcar a data, nada como o VT na íntegra que deixo pra vocês abaixo:

E com isso, marco o retorno do Maluco. Ainda não sei se vou ter paciência, tempo ou até mesmo vontade  de escrever sobre o time atual, que segue repleto de vagabundos e incompetentes. Mas já tá claro pra mim que não dá pra ficar sem falar do Verdão. Mesmo que seja só pra comentar com nostalgia nossos momentos mais marcantes. Afinal, o alviverde ressurgirá imponente, já dizia um amigo meu. Desculpem pela bipolaridade, mas nada disso deve ser estranho pra vocês…

AVANTI PALESTRA!

PorcoNews n. 87

Faaaaaaaaala Palestras! Vocês já devem ter notado que está cada vez mais difícil manter o Blog em dia. Peço desculpas e estou tentando, mas não tá fácil. Sem mais delongas, vamos falar do Palmeiras!

CHORITIBA 1 x 1 PALMEIRAS – BR 2012

Era uma vez um pequenino time da região Sul do país e que, apesar de ter apenas um título relevante em toda a sua história, achou que podia enfrentar o IMENSO, o maior campeão nacional de todos os tempos. E foi assim que, num jogo absolutamente atípico, cujas circunstâncias que o antecederam jamais se repetirão nesta vida ou na próxima, um inexplicável 6×0 foi obtido em favor do diminuto clube paranaense. Foi o que bastou para que a insignificância que sempre imperou por aquelas bandas virasse a mais pura e absoluta arrogância. Sim, arrogância a ponto de, antes do jogo final, algum energúmeno se dar ao direito de pintar a estrela do título na bandeira do clubinho, no melhor estilo já ganhou…

Foi então que a ordem natural das coisas foi restabelecida e, com isso, mais um vice-campeonato – que diga-se, é um feito e tanto pro Coxinha – veio acompanhado de um chororô sem tamanho. VERGONHA! VERGONHA!, gritam os Coxinhas desolados com o abismo entre o lugar que a sua arrogância imaginava que eles chegariam e onde de fato eles chegaram.

Passada uma semana, o Imenso volta aos domínios Coxinhas, dessa vez com nada menos que 08 desfalques – 04 a mais do que na semana anterior – e o clubito mais uma vez ousou sonhar com uma vingança, mas foi em vão. O time reserva foi tão imenso quanto o titular seria e mais uma vez calou o Inferninho Verde, aquele puteirinho modesto que pensa que é o Bahamas…

E mais uma vez o que se viu foi um chororô de fazer rir: VERGONHA! VERGONHA! AHAHAHAHAHAH Vergonha deveriam ter os coxinhas que acharam que podiam com o PALMEIRAS IMENSO!!!!! Ponham se nos seus lugares e, enquanto isso, mudem o nome do clubinho para Choritiba. Saudações do ÚNICO VERDÃO, este sim o MAIS VITORIOSO DO MUNDO! KKKKKKK

Esse texto foi só pra ilustrar o quanto a molecada do Verdão foi ponta firme e representou nossa camisa na última quinta, quando Bruno, Artur, Wellington, Leandro Amaro e Juninho, Araujo, Fernandidnho, Patrik e Daniel Carvalho, Mazinho e Betinho (Obina) conseguiram o mesmo empate com que, 1 semana antes, os titulares garantiram o 11.o título nacional do Palestra.

E pra finalizar, CHUPA CHINELINCOLN, MAS CHUPA ATÉ O TALO!!!

LANCES:

FICHA TÉCNICA:

CORITIBA 1 X 1 PALMEIRAS

Local: Couto Pereira, Curitiba (PR)
Data/Hora: 19/7/2012 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Thiago Gomes Brígido (CE) e Celso Luiz da Silva (MG)
Renda e público: R$ 169.521,00 / 11.998 pagantes / 13.566 presentes
Cartões amarelos: Wellington, Juninho e Mazinho (PAL); Lucas Mendes, Everton Ribeiro, Pereira e Lincoln (CTB)
Cartões vermelhos: Pereira 46’/2ºT (CTB)
Gols: Patrik 5’/1°T (0-1) e Anderson Aquino 22’/2ºT (1-1)

CORITIBA: Vanderlei, Ayrton, Pereira, Emerson e Lucas Mendes (Anderson Aquino – intervalo); Willian (Lincoln – intervalo), Junior Urso, Rafinha, Robinho e Everton Ribeiro; Everton Costa (Thiago Primão 17’/2º). Técnico: Marcelo Oliveira

PALMEIRAS: Bruno, Artur, Leandro Amaro, Wellington e Juninho; Márcio Araújo, Fernandinho, Patrik e Daniel Carvalho (Felipe 18’/2º); Mazinho (João Denoni 46’/2ºT) e Betinho (Obina 29’/2ºT). Técnico: Flavio Murtosa

É CAMPEÃO!

As comemorações não acabam. Neste sábado, a Taça da Copa do Brasil 2012 esteve em exibição no Bar do Tenis da Sociedade Esportiva Palmeiras. Muita gente passou por lá e bateu uma chapa com o caneco!

Dica do Verdazzo!, o video abaixo foi editado – perfeitamente – pelo @mmpalestra a partir de filmagens feitas pelos torcedores no dia 11.07.2012, antes, durante e depois do título do Verdão. Vale cada segundo:

TEM JOGO! PALESTRA X NAUTICO BR 12 – R. 11

O Verdão vem em franca recuperação e, apesar dos desfalques, conseguiu 2 empates valiosos contra os Bambis e o Choritiba. Agora é hora de emplacar uma boa série de vitórias e subir verticalmente na tabela. E a primeira vítima é o Nautico, time recheado de refugos que há 4 ou 5 anos jogavam por aqui e que agora estão curtindo os momentos pré-aposentadoria no Recife. Mas não é time bobo não, vai dar trabalho, porém, nada que se não seja superável por esse grupo aguerrido que veste hoje a nossa camisa.

Foram relacionados pro jogo os seguintes atletas do Verdão:

Goleiros: Bruno e Deola
Laterais: Cicinho, Artur, Juninho e Fernandinho
Zagueiros: Leandro Amaro, Wellington e Henrique
Volantes: João Vitor e Márcio Araújo
Meias: Patrik, Valdivia, Daniel Carvalho e Patrick Vieira
Atacantes: Mazinho, Maikon Leite, Betinho e Obina

Com isso, devem ir a campo Bruno, Cicinho, Wellington, Leandro Amaro e Juninho, Henrique, Araujo, Joao Vitor e Valdivia, Betinho e Mazinho. Artur e Obina podem aparecer no time titular também ou durante o jogo. Já o time do treinador Alexandre Gallo, aquele volante que tinha duas pernas esquerdas e revezou sua ruindade entre Lambaris, Gambas e Bambis, deve jogar com Felipe, Alessandro, Jean Rolt, Márcio Rosário e Lúcio; Elicarlos, Martinez, Cleverson e Rhayner; Araújo e Kieza.

E o palpite do Maluco está de volta! Agora que fomos campeões não tem mais zica. Vai ser 3×0 pro Verdão, gols de Messi Black, Obina e Henrique.

VAMO GANHÁ PORCO!

AVANTI PALESTRA!

Coritiba 1 x 1 Palmeiras – Copa do Brasil 12

Escrevam aí, se Barcos realmente não jogar na semana que vem, Betinho será o herói do título.

Foi assim que, aqui, o Maluquinho previu o inimaginável! Betinho, quem diria, guardou o gol do título! Um moleque que chegou desacreditado, desrespeitado, criticado, até por nós mesmos, mas que, assim como o palmeirense,  o que era dele estava guardado. Mas essa conquista está longe des ser só dele.

Em primeiro lugar, acima de tudo é uma vitória dessa torcida apaixonada e que acredita até o fim, contra tudo e contra todos, que aguenta sonoros desrespeitos da imprensa suja, que vai buscar fora de casa, que estava lá cantando insanamente quando ninguém mais imaginava que um time que terminou jogando com Bruno, Artur, Mauricio Ramos, Leandro Amaro e Juninho, Henrique, Assunção, Araujo e Luan, Mazinho e Betinho, algum dia poderia gritar É CAMPEÃO!

Tive o imenso prazer de fazer parte de todos os jogos em casa – até a final – e da vitória épica em Porto Alegre que só a gente imaginava ser possível. A chegada de Marcos e Felipe, meus dois primeiros filhos, me tirou das finais, mas não diminuiu a vibração de, com 6 dias de vida, pegar os meninos no colo e gritar É Campeão – muito diferente dos 14 anos que o pai teve que esperar!!! IMPAGÁVEL! ESSA VITÓRIA É DE VOCÊS, MEUS FILHOS LINDOS!!!!! 

É uma conquista do Bonde do Imenso, que dá nome a essa molecada ponta firme que sem mais nem menos se uniu e fechou um grupo campeão, de irmãos palestrinos em busca dum único ideal: A REDENÇÃO desse gigante chamado SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS! O título é de vocês, Sala, Guina, Gé, Bolacha, Thiagão, Rogerinho, Rovaron, Caião, Pedrão, Tavinho, Tetinha, Brunão, Ju, Paloma, Albert, dos meios de transporte Zazá ZL e Caveirão da Nana ZonaSul, dos mais novos integrantes Marcos e Felipe , até da Dea – sim, inclusive a brigona da Dea – e todos os demais que, com mais ou menos intensidade, foram buscar esse CANECO com a  molecada! CONQUISTA INESQUECÍVEL!! 

É uma merecida resposta pra essa imprensa suja e maldita que não cansa de desrespeitar o MAIOR CAMPEÃO NACIONAL de todos os tempos! Vocês, Srs. Juca Kfouri, Birner, Neto, Flavio Prado, Milton Neves, UOL  e LANCE! – as redações inteiras -, GLOBO, Caio, Casagrande, Wanderley Nogueira, Perrone, André  Rizek e cia. limitada, deviam desistir de analisar o Palmeiras… VOCÊS NÃO ENTENDEM!!! VOCÊS NÃO FAZEM A MÍNIMA IDEIA DO QUE É SER PALMEIRAS! PONHAM ISSO NA CABEÇA E DESISTAM DE COMENTAR DO QUE NÃO LHES PERTENCE!!! ENFIEM SEIS DEDOS NO CU, SEUS FILHOS DA PUTA!!!!

É uma vitória do “ultrapassado” Felipão. O tão criticado treinador – muitas vezes aqui – manda um sonoro CALA A BOCA pra todos os “especialistas” que insistiam em dizer que 10 anos sem conquistas decretavam o fim de uma carreia das mais vitoriosas que esse país já viu no banco de reservas.

Por último, é uma merecida comemoração da mídia palestrina, da qual o Maluco hoje pode dizer com orgulho que faz parte. Nós, que assumimos o compromisso de analisar o Palmeiras sem o ranso e o rancor da mídia esportiva convencional, temos muito o que comemorar. Sofremos muito pra chegar até aqui e não foi fácil. No Maluco, por exemplo, esse é o post de número 500, sem nunca ter comemorado um título e, por mais bravejante que fosse, nunca arredamos o pé. Só nós sabemos qual o lugar dessa camisa no futebol! NINGUÉM PODE COM O PALMEIRAS!

Não tenho a menor condição de analisar o jogo. Ainda estou muito bêbado, rindo à toa, de volta ao lugar de onde o Palmeiras nunca saiu! So tenho a dizer que, há 14 anos, começava exatamente assim a trilha de uma das maiores conquistas do Palestra IMENSO!!!!! O GIGANTE ADORMECIDO ESTÁ DE VOLTA! AGORA AGUENTA, FILHADAPUTADA!!!!!!

É CAMPEÃO!!!!!!!! É O BONDE DO IMENSO CAMPEÃO!!!! INVICTO!!!!!

CHUPA NENECO!!!!! 

AVANTI PALESTRA!!!!!!

Tem Jogo! Coritiba x Palestra – Copa do Brasil 12 – Final

Foram até aqui 499 posts desde que o Maluco pelo Palmeiras entrou no ar, em setembro de 2010.

É a primeira finalíssima do Verdão que este Blog tem o prazer e a emoção de acompanhar.

Faltam palavras pra explicar o que sente o palmeirense num momento desses. Faço minhas, então, as palavras do irmão Rova, agora pouco:

CHEGOU A HORA!!! A NOSSA HORA!! ESSA FAMÍGLIA MERECE DEMAIS POR TUDO QUE PASSAMOS…QUE VCS JOGADORES HONREM ESSA CAMISA QUE É GLORIOSA DEMAIS….CORRAM, BRIGUEM, LUTEM!!! ATÉ O FIM!!! SIM É GUERRA ENTÃO SE FOR PRECISO EU QUERO VER SANGUE DE VCS!!!!! SOMOS 4.000 SOLDADOS NESTA BATALHA, MAS NÃO SE ESQUEÇAM QUE QUE SOMOS 16 MILHÕES NA GUERRA!!! JA ESTAMOS FERVENDO, ESPUMANDO, O SANGUE DO ITALIANO É MAIS QUENTE, O CORAÇÃO ACELERA MAIS RÁPIDO….. FAREMOS OQ FOR PRA TRAZER ESSE TÍTULO PRA SP!!! MINHA GARGANTA IRÁ SANGRAR POR VC PQ NEM UM MINUTO FICAREI SEM TE INCENTIVAR…POR TI DARIA MINHA VIDA!!!…..SEJA QUAL FOR O RESULTADO EU TE AMAREI AINDA MAIS …..EU JA NEM SEI MAIS OQ FALAR PQ AQUELE NÓ GARGANTA ACABA DE ME PEGAR……EU TE AMO MAIS QUE TUDO MEU PALMEIRAS!!! OBRIGADO POR ME FAZER TÃO FELIZ, POR ME DAR ESSA FAMIGLIA MARAVILHOSA….Vc PALMEIRAS ME PROPORCIONA MOMENTOS ÚNICOS E MARAVILHOSOS…….AVANTI MINHA FAMIGLIA!

É mais ou menos isso aê! O coração tá apertado no peito do palmeirense, a vontade de gritar é campeão já transborda e, apesar de toda a ansiedade, a gente sabe quando chegou a nossa hora.

Não me lembro de ver o Palmeiras chegar tanto na adversidade pra uma disputa como dessa vez. Henrique no primeiro jogo, Valdivia no segundo, Barcos nas  duas partidas decisivas, baixas antes insuperáveis, mas que não atrapalham esse time que foi descartado como possível candidato ao título por 15 a cada 10 “comentaristas” esportivos. Neto, Birner, Juca, Caio, Flavio Prado, etc, são apenas alguns dos que terão muito o que se desculpar caso o Palmeiras levante a taça amanhã. Aliás, deverão se desculpar independentemente do resultado…

Amanhã é dia de ensinar essa imprensa vagabunda que o Palmeiras tem que ser respeitado. Porque o Palmeiras é IMENSO!

Mas temos que ter toda a cautela possível, o Coritiba não é time bobo e não é a toa que disputa sua segunda final cosecutiva da Copa do Brasil. O jogo de amanhã promete ser um dos mais dificeis da nossa história, palestrino!

Felipão tentará repetir o time que venceu o Grêmio no Olímpico, com a exceção de Barcos. Devemos ter Bruno; Artur, Thiago Heleno, Mauricio Ramos e Juninho; Henrique, Assunção, João Vitor e Daniel Carvalho, Luan e Betinho. Que San Gennaro os ilumine como um dia iluminou tantos ídolos que foram vencedores com o manto alviverde no peito!

O Coritiba deverá jogar com Vanderlei, Jonas, Pereira, Demerson e Lucas Mendes; Willian, Sergio Manoel, Rafinha, Everton Ribeiro e Roberto; Everton Costa. Vimos no primeiro tempo em Barueri que é um time que sabe jogar na frente, mas é bem mediano na defesa.

E tudo o que precisamos e fazer um gol, apesar da ausência do nosso principal atacante.

O Maluco segue sem dar palpite no resultado, pra não quebrar a superstição. Mas que vai dar Palestra, isso vai…

Não aguento mais esperar esse jogo. Chega logo, quarta-feira, 21:50! Os palestras querem gritar é campeão!

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×0 Coritiba – Copa do Brasil 2012

05 de julho de 2012 entrou pra história do Maluquinho como o mais longo dia de todos os tempos.

24 horas não servem pra descrever nem os primeiros e longos 60 minutos desse dia, que foram passados num mix de expectativa entre a internação da Dona Maluquinha na maternidade para o nascimentos dos Maluquinhozinhos e de revolta com os favelados que, ainda que tenham ganhado o primeiro título internacional depois de mais de 100 anos de história, isso não lhes autorizava a gritar “Vai curintcha” e explodir bombas em frente a um hospital. Lixos imundos!

Antes das oito da matina, nem 03 horas de sono, e Marcos e Felipe já eram os dois mais novos palmeirenses desse mundo maluco,  chegaram logo em dia de final de campeonato  e fincando os pés na palestrinidade que já lhes corre no sangue.

As horas que se seguiram foram também infinitas. Já se iam mais 8 horas até que os filhos pudessem voltar aos braços do papai babão.

E o relógio continuou se arrastando preguiçosamente até o horário do jogo, não sem antes os irmãos do Bonde do Imenso mandarem um recado: – Tamujunto!

Mas foi logo no início do jogo, antes dos primeiros 15 minutos, que veio a péssima notícia de que alguns amigos e irmãos do bonde haviam sido covardemente agredidos pela Polícia que, sem razão aparente, decidiu quebrar pernas, braços e cabeças de gente que só estava fazendo por torcer pelo seu time do coração.

As notícias davam conta de que a ação covarde de “policiais” sem identificação nos uniformes deixou pelo menos dois amigos e vários outros palmeirenses no hospital para tratar fraturas e tomar pontos na cabeça. Nada justifica uma atitude covarde como essa, em especial num dia que deveria ser só de festa e comemoração. Uma vergonha se os responsáveis não forem punidos com todo o rigor.

À  tensão do jogo – a essa  altura o Palmeiras ia cedendo espaço atrás de espaço ao Coritiba – somou-se a angústia de não conseguir falar com todos os amigos que estavam juntos na Porta do Estádio mas que se separaram com a confusão. O que só acabou mesmo quando foi possível falar com absolutamente todos, lá pela 1 hora da manhã.

E quanto ao jogo?

02 gols, 1 pro Marcos e 1 pro Felipe, quero mais o que?

Partidaço da zaga, em especial do goleiro Bruno, que defendeu pelo menos 3 bolas à queima-roupa, e da dupla de zaga. Ponto negativo ao Valdivia que consegue ir do céu ao inferno com a mesma velocidade que troca de cuecas. Expulsão imbecil que poderia ter prejudicado o time 02 vezes, ontem e na semana que vem. E ao Sr. Marcio Araujo que, se San Gennaro existe, será a primeira “baixa” do elenco após a tão esperada conquista.

Escrevam aí, se Barcos realmente não jogar na semana que vem, Betinho será o herói do título.

E pra fechar, não poderia ficar de fora esse vídeo de Gabriel Santoro, mais uma obra-prima que retrata com perfeição o que é ser palestra!

VAMOS BUSCAR ESSE CANECO! AVANTI PALESTRA!  

Palmeiras 1 x 1 Grêmio – Copa do Brasil

ESTAMOS NA FINAL, POOOOOOOOORRAAAAAAAA!!!!!

 Em primeiro lugar, quem me viu na chegada ao estádio e eu nao cumprimentei, minhas desculpas. 2:15 horas pra chegar naquele inferno, chuva ininterrupta e a tensão pré-jogo acabaram com as boas maneiras do Maluquinho, que já não são muitas…

CHUPA GREMIO “IMORTAL”!!!!! CHUPA JUDAS, CHUPA AQUELE SEU EMPRESÁRIO BAITÔLA!!!!! CHUPA ANDRÉ LIMA!!!! CHUPA WERLEY (quem?)!!!!!!! Vão todos à merda, vocês merecem!!!!

Não esperem qualquer análise do jogo, não consegui guardar muita coisa. Mas vi partidas memoráveis de Henrique, Thiago Heleno, Mauricio Ramos, Barcos (Dios Mio, como joga o Barcone), Mazinho e Valdívia.

Aliás que diferença do Palmeiras com ele em campo e com o Daniel Carvalho… O Mago botou fogo no time do Palmeiras e fez quase toda a jogada do gol, arrancou a camisa na comemoração e pulou em cima do Felipão pra comemorar. E pra fechar, chute no vácuo pra cima do Judas. Sensacional!

E parece que até o Luan marcou sua presença no jogo, mesmo machucado. Estão dizendo por aí que ele arrebentou o André Lima no vestiário. Lindo, um time covarde como o do Gremio merecia apanhar da hora que pisasse em São Paulo até irem embora.

E como não mudam as arbitragens absurdas contra o Palmeiras… Dessa vez os bandidos do apito, não satisfeitos em deixar o Gremio bater o jogo inteiro, não marcar faltas e um penalti claríssimo no Barcos, ainda nos tiraram o Henrique do primeiro jogo da final. Aquele bandeira do lado direito é um dos maiores safados que já pisou na terra. Além de parar sem nenhuma justificativa um ataque que o Barcos chegava sozinho na cara do gol, ainda foi quem convenceu o juiz a expulsar o Henrique. Que eles queimem eternamente nas profundezas do inferno, malditos! Tivesse a diretoria adotado posturas enérgicas contra esses salafrários que não “protestos formais”, isso talvez não acontecesse com tanta frequência.

Mas hoje não é dia de reclamar, e sim de festejar. Finalmente voltamos a uma final de campeonato, depois de 4 anos. De um campeonato nacional, então, já se iam 14 anos desde a última disputa (Copa BR 98).

E que venha o Coritiba! Já adianto que não estarei presente no Paraná. E felizmente, senhores, porque meus dois primeiros filhos, o Marcos e o Felipe (Marcão e Felipão, para os mais próximos) estão prestes a nascer. Já foi uma operação de guerra no QG do Maluco pra que o Maluquinho pudesse ir a Porto Alegre empurrar o Verdão praquela vitória épica. Dessa vez não vai ter jeito.

Mas o Bonde vai estar muito bem representado, não tenho dúvidas. Vai buscar esse caneco.

OS LANCES:

O BONDE:

Este slideshow necessita de JavaScript.


A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1X1 GRÊMIO

Local: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 21/6/2012 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio S. Santiago (Fifa-MG) e Guilherme Dias Camilo (MG)

GOLS: Fernando, 21’/2°T (0-1) e Valdivia, 27’/2°T (1-1)
Público e renda: 26.225 / Não disponível
Cartões amarelos: Gilberto Silva e Pará (Grêmio); Daniel Carvalho, Valdivia e Barcos (Palmeiras)
Cartões vermelhos: Edilson e Rondinelly (Grêmio); Henrique (Palmeiras) 

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Thiago Heleno (Leandro Amaro, 40’/2°T) e Juninho; Henrique, Márcio Araújo, João Vitor (Patrik, 47’/2°T), Daniel Carvalho (Valdivia, 15’/2°T) e Mazinho; Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

GRÊMIO: Victor, Edilson, Werley, Gilberto Silva e Pará; Fernando, Souza (Rondinelly, intervalo), Léo Gago e Marco Antônio (André Lima, 15’/2°T); Kleber e Marcelo Moreno (Miralles, 23’/2°T). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

AVANTI PALESTRA! 

Tem Jogo! Palestra x Gremio – Copa do Brasil – Semi Final – Jogo 2

Senhores, 

Nervos à flor da pele para o jogo de amanhã hoje.

Post curto e grosso, assim como no jogo da ida. Vamos lá:

OS CONVOCADOS:

Goleiros: Bruno e Deola
Laterais: Cicinho, Artur, Juninho e Fernandinho
Zagueiros: Maurício Ramos, Thiago Heleno, Henrique e Leandro Amaro
Volantes: Márcio Araújo, Marcos Assunção e João Vitor
Meias: Valdivia, Daniel Carvalho, Mazinho e Patrik
Atacantes: Barcos, Maikon Leite e Betinho.

 QUEM JOGA:

Nós: Bruno; Cicinho, Mauricio Ramos, TH e Juninho; Henrique, Assunção, J. Vitor e Valdivia; Barcos e Mazinho.

Eles: Victor, Edilson, Werley, Gilberto Silva e Pará; Fernando, Souza, Léo Gago e Marco Antônio; Judas e Marcelo Moreno.

QUEM APITA:

Ricardo Marques Ribeiro.

PALPITE:

Não tem. Vamo manter a superstição…

Como de costume, malas prontas, meias verdes e camisa retrô a postos. 

Nos vemos em Barueri!

AVANTI PALESTRA!

Grêmio 0x2 Palmeiras – Copa do Brasil 12

Dizíamos aqui que tudo conspirava contra. Que o Palmeiras vinha mal e que o Grêmio era favorito. E que é nessas horas que o Palmeiras ressurgia.

E foi exatamente o que aconteceu. O Verdão emplacou uma partida irrepreensível, começando pela escalação, com TH, Maurício Ramos e Henrique, este ultimo jogando de volante – e o melhor homem em campo.

O Bigode ainda optou por Artur no lugar de Cicinho e o resultado foi um time extremamente compacto, priorizando a marcação e anulando as jogadas do Grêmio, ou pelo menos a maioria delas.

Com isso, o primeiro tempo teve poucas chances pras duas equipes.  Uma cobrança de falta do Grêmio, pra boa defesa do Bruno, foi a mais perigosa.

Pro segundo tempo, o Madureira tentou mudar o jogo e tirou Judas, um dos piores do Grêmio em campo, e o Miralles, pra colocar Marcelo Moreno e André Lima. Nao adiantaria. A defesa do Palmeiras seguia implacável.

Mais ou menos na metade do segundo tempo, a lesão de Artur deu lugar a Cicinho: ali, começava o que pouca gente acreditava ser possível.

Mas foi quase aos 40 que o destino do jogo foi selado. Felipão precisava tirar Daniel Carvalho, que tinha pregado. Deu pra ver certinho da arquibancada visitante do Olímpico: chamou Patrik, que foi até a área técnica receber as instruções do Bigode. De repente, ele volta pra trás do gol e chama Mazinho – o Bigode mudou de idéia.

E nao podia ter dado mais certo. No primeiro lance, bola do Henrique pro Cicinho, que colocou Mazinho na cara do goleiro Vitor, 1×0 Palmeiras.

E aqui faço um parênteses. Só quem já foi prum jogo como visitante sabe explicar o que é a emoção de calar um estádio inteiro com 40 mil pessoas, sendo que você está do lado que está 20 vezes menor. Pegar o avião ou o busao, sair do estado, enfrentar a pegada de um estádio abarrotado de torcida adversaria, e voltar com a vitoria pra casa é uma sensação indescritível de missão cumprida.

E se já estava ótimo o resultado, ainda ia ficar perfeito, depois que o cruzamento certeiro de Juninho achou a cabeça de Barcos, e o Pirata não vacilou: 2×0. Puta que pariu!

Ainda nao está nada decidido, e o Grêmio nao é time bobo e irá tentar a vitoria em Barueri. Mas se o Alviverde surgir imponente no gramado da Arena, assim como fez ontem, estaremos na final.

Se alguém tinha dúvida do que é ter camisa, o Palmeiras deu uma aula ontem. Como dissemos aqui: 11 escudos apoiados por 4.000 2.000 guerreiros e o resultado tá aí.

E o bonde segue invicto. Prometemos, fomos pro Olímpico, efetivo quase completo – a distância nos custou importantes integrantes da  banca – e estamos trazendo na mala a improvável vitória  É mais do que hora de acreditar, senhores! Vamos buscar esse caneco!

OS LANCES:

O BONDE DO IMENSO:

Este slideshow necessita de JavaScript.

A FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 0 x 2 PALMEIRAS

Local: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data/Hora – 13/06/2012 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO)

Cartões amarelos: Thiago Heleno, Marcos Assunção e João Vitor (PAL)
Cartões vermelhos: nenhum
Renda e público: R$ 1.080.106,00 / 43.508 pagantes

GOLS: Mazinho, 42’/2ºT (0-2); Barcos, 45’/2ºT (0-2);

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Gilberto Silva, Werley e Pará; Fernando, Souza, Léo Gago e Marco Antônio (Rondinelly, 30’/2ºT); Miralles (Marcelo Moreno, 15’/2ºT) e Kleber (André Lima, 15’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

PALMEIRAS: Bruno, Maurício Ramos, Henrique e Thiago Heleno; Artur (Cicinho, 19’/2ºT), João Vitor, Marcos Assunção, Daniel Carvalho (Mazinho, 40’2ºT) e Juninho; Luan e Barcis. Técnico: Luiz Felipe Scolari

AVANTI PALESTRA!

Tem Jogo! Gremio x Palestra – Semi final Copa do Brasil 12 – Jogo de Idaq

Tudo muito corrido pra viajar pra Porto Alegre. Quem sofre é o blog, que fica sem atualização no ritmo devido.

Então vai ser pá e bola…

OS CONVOCADOS:

Goleiros: Bruno e Deola
Laterais: Cicinho, Juninho e Arthur
Zagueiros: Thiago Heleno, Maurício Ramos, Henrique e Leandro Amaro
Volantes: Marcos Assunção, Márcio Araújo e João Vitor
Meias: Daniel Carvalho, Patrik e Mazinho
Atacantes: Maikon Leite, Barcos, Betinho e Luan

 QUEM JOGA:

Nós: Bruno; Cicinho, Henrique, TH e Juninho; Araujo, Assunção, J. Vitor e Daniel Carvalho; Barcos e Luan.

Eles: Victor; Gabriel, Werley, Vilson e Pará; Fernando, Souza, Léo Gago e Marco Antonio; Miralles (Marcelo Moreno) e André Lima (Judas).

QUEM APITA:

Heber Roberto Lopes

PALPITE:

Não tem, respeitando a mais nova superstição do Maluco. Mas faremos gol lá. Temos que!

Malas prontas, meias verdes e camisa retrô a postos. 

Nos falamos do Olímpico. Posto de lá o que o coração a e a tensão do jogo permitirem.

AVANTI PALESTRA!

É Hora de Acreditar

Tudo leva a uma conclusão diversa.

 O Palmeiras vem de mal a pior. 3 derrotas seguidas, inclusive pro próprio Grêmio. Só não estamos em último por que até nisso os Gambás conseguem ser pior que a gente.

O jogo de ontem é mais uma prova de que o time não está só mal, está péssimo. Tudo deu errado, do começo ao fim.

E chega a hora de voltar ao Olímpico, com a moral bem pra baixo e sem nenhuma perspectiva de que vá haver alguma reação.

No ano passado, na penúltima visita do Palmeiras a Porto Alegre, estávamos há 5 jogos do fim do campeonato e o Palmeiras perigava, e muito, entrar na zona do rebaixamento.

Gremio (F), Vasco (C), Bahia (F), Bambis (C) e Gambás (F) seria a complicada sequencia do Palmeiras, que já vinha de quatro derrotas consecutivas (Fluminense, Figueirense, Atlético/MG e Coritiba) e, portanto, com uma moral ainda mais baixa do que atualmente.

E fomos nós tentar uma improvável reação logo no Estádio Olímpico Monumental, a casa do adversário desta quarta e um dos lugares mais difíceis de jogar sendo o visitante.

E, pro desespero da marronzada da imprensa esportiva, o Palmeiras abriu o placar com Cicinho, chegando ao segundo gol na etapa final em falta cobrada pelo Assunção.

Sim, é verdade que o Palmeiras cedeu o empate no último minuto num chute absolutamente improvável do volante Fernando, e aqueles malditos 2 pontos perdidos pareciam pesar mais que os últimos 12 não conquistados. Ao menos, o pós jogo do Maluco foi nessa toada.

Mas, pra quem não lembra, aquele jogo marcou a série de 22 partidas sem derrota, que só terminou em março deste ano. Depois do ressurgimento no Olímpico, o Palmeiras empatou com o Vasco, melhor time do campeonato, venceu Bahia e Bicharada e empatou com a Gambazada (mesmo sendo assaltado só pra variar), afastando de vez o fantasma do rebaixamento.

E sim, quem está pensando que isso não é motivo pra orgulho nenhum está coberto de razão.

O argumento aqui é outro.

Novamente, nos deparamos com um jogo no Olímpico pela frente, numa situação de absoluta adversidade e todas as apostas a favor do dono da casa, que ao contrário do Palmeiras, vem de três vitórias consecutivas no BR12 e ganhou todos os 8 jogos disputados pela Copa do Brasil.

 Mas é justamente nessas horas que o Palmeiras reage, senhores! A mística e o peso da camisa verde têm o poder de reverter tudo que está contra e fazer o time jogar como jamais se esperava dele.

Vejam por exemplo o primeiro gol do Palmeiras naquele dia 13/11 do ano passado: passe do Patrik, pro Cicinho, que dribla o marcador num espaço do campo de centímetros, e rola pro Tinga, isso mesmo, senhores, o Tinga, que acertou um cruzamento milimétrico na cabeça de Ricardo Bueno, que por sua vez acertou a cabeçada perfeita, defendida miraculosamente por Vitor, sobrando a bola novamente nos pés do Cicinho, que dominou e encheu o pé, abrindo o placar:

Ou seja, um jogada inteira construída pelos piores jogadores do elenco (exceção feita ao Cicinho, que tinha feito um bom início com a camisa do Palmeiras, mas naquele momento já vinha numa descendente que segue até hoje).

Como que se explica isso, senão que a camisa do Palmeiras é capaz dos mais improváveis milagres?

Por isso, senhores, é hora de acreditar. O que vimos nas últimas 3 semanas não tem qualquer importância. O que importa são os 11 escudos que pisarão naquele gramado no dia 13. O que importa são os 4.000 torcedores, eu incluído, que estarão presentes no Olímpico pra apoiar e empurrar o Verdão, se não para mais uma vitória, ao menos pra mais um jogo memorável e de superação, abrindo o caminho pra classificação na semana que vem em Barueri.

Se cuida, Porto Alegre!

AVANTI PALESTRA!  

%d blogueiros gostam disto: