Arquivos do Blog

Palmeiras 0x2 Coritiba – BR15

1) Vi a escalação do time de hoje, juro pra vocês, achei que fosse lista de dispensas pro ano que vem. Pra quem acha que temos elenco, esse jogo de hoje é pra refletir melhor a respeito. Não temos.

2) É por isso que, em 13 edições do BR por pontos corridos,  nossa posição tem sido, salvo raras exceções – a última há mais de 6 anos, da metade da tabela pra baixo.

3) Quem não tem elenco, tinha que ter o melhor DM do mundo, porque não pode se dar ao luxo de perder jogador titular. Também não temos.

4) Algo a se pensar na montagem de elenco e estrutura pro ano que vem. Mas só depois de quarta.

——-

Confio na nossa camisa. Confio na nossa história. Confio na nossa bancada. Confio no nosso time.

Que cada palmeirense – torcedor, jogador, treinador e dirigente – entre em campo na quarta-feira com sangue nos olhos, com ódio, com raiva dessa porra de Santos, com nojo dessa imprensa suja que já elegeu o campeão, que mostraremos pra todo mundo que SOMOS PALMEIRAS, que SOMOS TORCIDA e que É TUDO NOSSO!

PRA CIMA PALMEIRAS! PRA CIMA PALMEEEEEEIRAS!

AVANTI PALESTRA!        

Atlético PR 3 x 3 Palmeiras – BR15

PRIMEIRO: mais um time minúsculo para o qual o Palmeiras perdeu 05 pontos no Campeonato, e é por essas e outras que estamos em décimo.

SEGUNDO: eu nem ia falar mais sobre BR, porque tá mais do que claro que o time já jogou a toalha, mas depois desse fim de jogo vale a letra.

TERCEIRO: espero do fundo do meu coração que o Rafael Marques não renove. Foi só ele sair de campo, que o time encaixou, empatou e depois com o Arouca dominou o jogo.

QUARTO: um vacilo com um minuto (Lucazzzz e Zzzzé Roberto), mais dois vacilos em 03 minutos quando o time tinha conseguido virar (Vitor Hugo e geral). É por essas, e por gols perdidos como os de Dudu e Cristaldo, que o Palmeiras está onde está.

QUINTO: Foi melhor ter terminado o jogo assim, vai que termina a rodada 02 pontos do G4 e já ia ter gente achando que tinha que jogar contra o Cruzeiro com time titular, que dava pra chegar e blablabla. Como ficou, não dá mais, finito, e só resta a Copa do Brasil mesmo. Foco total nos lambaris, que terão mais dois jogos decisivos antes da final. O Palmeiras não terá mais nenhum. 

SEXTO: (e o motivo pelo qual faço esse post), peço licença poética ao meu amigo Romero: “era disso que esse time precisava: ÓDIO!” Quanta raiva eu não passei esse ano com esse time e diretoria completamente apáticos com seguidas atuações nefastas das arbitragens. Hoje isso acabou. O time todo junto pra cima do safado, a comemoração do Robinho no terceiro gol, a cotovelada do Jackson, tudo isso me deixou orgulhoso. Provavelmente os dois vão pegar um gancho pesado, mas foda-se! Tava mais que na hora desse time rugir em campo!

SOMOS PALMEIRAS!!!! TÁ NA HORA DE DAR O SANGUE, DE VIBRAR, DE LUTAR, DE ENFIAR O DEDO NA CARA DESSES COMÉDIAS! VAMOS PRA CIMA DOS SARDINHAS QUE É TUDO NOSSO!!!!

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 0x2 Vasco – BR15

Quis o destino que a primeira derrota dos meus filhos no estádio fosse contra o último colocado. É a cara do Palmeiras essas coisas. Por sorte, eles são pequenos demais pra entender o tamanho do vexame, mas também é bom que logo aprendam como é que a banda toca quando se torce por Palmeiras…

Sobre o desempenho do time em campo, só dá pra falar que deu nojo. Não encontro outro adjetivo que descreva a falta de vontade, de bola e de vergonha na cara dos jogadores que hoje entraram em campo pra colocar mais uma mancha na nossa história.

O Vasco possivelmente não escapará do rebaixamento: enfrenta Gambá e Lambaris, ambos ainda disputando algo no campeonato, e Joinville e Coritiba fora, ambos adversários diretos contra a degola. Ou seja, a vitória de hoje pode não ter servido pra absolutamente nada.

O Palmeiras, caso tivesse ganhado hoje, ficaria a 03 pontos do G4, e provavelmente também não conseguiria a classificação pra Libertadores pelo Brasileirão. Em outras palavras, a vitória hoje também não serviria de muita coisa.

Mas a diferença de comportamento entre as duas equipes é o que vai ficar na lembrança: enquanto o Vasco dava o sangue, o Palmeiras parecia um time de casados depois de uma bela churrascada. Uma vergonha…

Observem o quanto o Palmeiras não consegue ficar com a bola no ataque, e o quanto corre atrás dela na defesa: a impressão é que jogamos sempre com um a menos, uma zona tática e qualquer time, mesmo os sem a menor capacidade técnica – como é o Vasco – consegue facilmente mandar no jogo.

A última esperança é que até a Copa do Brasil ainda temos 19 dias pra esse catadão virar um time de futebol que possa pelo menos disputar a final da Copa do Brasil. Mas tá cada dia mais difícil de acreditar nisso… Só nos resta a camisa, senhores…

AVANTI PALESTRA!

Santos 2×1 Palmeiras – BR15

No primeiro dos 3 jogos decisivos que temos com os lambaris, o Palmeiras não foi bem, tanto na defesa como no ataque, e acabou perdendo por 2×1.

Exceção seja feita a Fernando Prass, que livrou o Palmeiras de uma goleada que iria colocar um elefante no ombro de cada jogador palmeirense pras finais da Copa do Brasil, que começam a ser disputadas daqui 4 quarta-feiras.

Como o jogo de hoje era ganhar ou ganhar pro Palmeiras manter alguma esperança de conquistar a vaga da Libertadores no BR, o time correu um risco que não poderia ser considerado normal, caso ontem tivesse sido jogado o primeiro jogo das finais da Copa do Brasil.

Ainda no primeiro tempo, depois do gol dos sardinhas, que saiu nas costas do Lucas (de novo, sem nenhuma condição de jogo, mas em campo…), o Palmeiras adiantou a marcação e escancarou a defesa.

No segundo tempo, depois do segundo gol, nas costas do ZR (numa das piores partidas com a nossa camisa até aqui), saiu o Salles pra entrar o Allione, e aí o Palmeira entregou na mão de Deus…

Por sorte, o ataque dos caras se mostra mais displicente do que efetivo. Gabriel. Lucas Lima, Ricardo Oliveira, todos perderam gols feitos porque quiseram enfeitar, tripudiar ou simplesmente porque perderam.

E, do nosso lado, não foi diferente: bola na trave do Matheus Salles, Robinho perdeu um gol dentro da pequena área, Dudu escorregou cara a cara com o goleiro, Barrios escorregou na meia lua, enfim, tirando a boa jogada de Dudu e Barrios no lance do nosso único gol, o Palmeiras também foi ineficaz, só que foi mais do que o adversário.

Com o período de preparação para as finais, espera-se que o DM consiga finalmente zerar as contusões do elenco, e que com isso o Palmeiras tenha força máxima pra disputa da Copa do Brasil. Só o Arouca já voltando é outra história no meio de campo, e se Cleiton Xavier estiver também à disposição, poderá, se tiver duas atuações impecáveis, justificar sua até aqui desastrosa repatriação.

Já do lado de lá, o problema de quando se está no auge, é que o único caminho é pra baixo. Ricardo Oliveira tirou onda, provocou, mostrou que poucos jogadores podem ser tão sujos ou mau-caráter quanto ele, David Braz e Gabriel seguem pelo mesmo caminho, mas esquecem que se até o Santos de Pelé, favorito absoluto de tudo, foi parado pelo Palmeiras, o ideal era não tripudiar antes da hora…

De olho na competição, faltando 05 jogos, é bem pouco provável que o Palmeiras consiga uma recuperação pra voltar a aspirar uma vaga no G4. Problema maior pro Santos, então, que vai ter que se esforçar pra se manter lá. Pra mim, teremos mais 03 a 04 treinos de luxo até a decisão e é hora do dedo do treinador aparecer.

Em maio de 2012, pelo BR contra o Grêmio, fomos ao Olímpico e perdemos de 1×0, mesmo lugar onde voltaríamos 03 semanas depois, desacreditados e apontados por 9 a cada 10 jornalistas esportivos como o time que ia ficar diante do Grêmio na Copa do Brasil 2012. Pois é, apenas coincidência…

Em dezembro de 2014, vimos pela última vez Dorival Jr. comandando o Palmeiras, numa das piores exibições já feitas em nossa casa diante de um adversário que não tinha mais o que fazer no BR, tanto que jogava apenas com os moleques da base. Contamos os segundos e agradecemos aos céus que o Vitória perdeu a partida que disputava em casa e se reabitou sozinho…

Agora, no dia 02 de dezembro ele voltará a nossa casa, do lado do adversário – como sempre deveria ter sido, aliás – e é hora de ele pagar todo o sofrimento que nos fez passar naquele final melancólico de temporada.

Pra cima, Palmeiras! 

Palmeiras 0 x 2 Sport – BR15

O Palmeiras e Marcelo Oliveira seguem tirando o torcedor do sério.

Ontem mais uma atuação apática, principalmente dos múltiplos de 11 – JP (22), Leandro Almeida (44) e Egídio (66) péssimos como sempre, e até o 11 original ZR teve atuação bem discreta, no segundo tempo.

João Pedro é um caso a parte. No primeiro turno, o Palmeiras ganhava de 2×1 do Sport lá no Recife, e ele teve a bola do jogo pra fechar o caixão das cachorras de peruca: ele e o goleiro, sozinho, e o moleque perdeu, aos 43 do segundo tempo (http://globoesporte.globo.com/pe/futebol/brasileirao-serie-a/jogo/12-07-2015/sport-palmeiras/#video-id=4316865). Na sequência, gol dos caras e dois pontos jogados no lixo.

Ontem, assim como já havia acontecido no jogo contra o Goiás, pode por na conta dele (também). Porque aquele pênalti imbecil e infantil tirou toda e qualquer chance do Palmeiras voltar pro jogo. Mas ele não está sozinho nessa, Leandro Almeida deixou uma avenida pro Marlone fazer o primeiro gol e o Egídio, bom, do Egídio eu nem falo mais nada…

E não foi só a zaga que ficou devendo.

Cristaldo perdeu dois gols na cara do goleiro ainda no primeiro tempo e perdeu outro no segundo, embaixo da trave. Gabriel Jesus isolou uma bola depois de ter passado por toda a zaga, e Dudu perdeu outros dois gols, numa atuação de almanaque do goleiro dos caras.

E o mais incrível é que nessas 06 situações de gols, em pelo menos 03 delas dava pra rolar a bola pro lado pra outro jogador fazer o gol. Precisa entender o que acontece, no time do Oswaldinho ninguém chutava pro gol, era irritante. Agora todo mundo chuta, mesmo quando é pra passar, mais irritante ainda…

Outra coisa que preocupa é a apatia de Rafael Marques, que parece estar jogando com a mesma vontade que a diretoria está tratando a sua renovação, Marcelo já devia ter descartado o cara, mas segue latindo pra árvore errada, enquanto o Kelvin ficava só esquentando o banco.

E a última cornetada vai pra falta de vibração coletiva do elenco como um todo. O Palmeiras parece adestrado pra nenhum jogador conversar com a arbitragem, tirando o Cristaldo, ninguém pressionou o juiz em nenhum momento. O Sport fez o que quis, cozinhou o Palmeiras o jogo inteiro, com menos de 20 minutos o goleiro deles já tava pedindo atendimento em campo e nenhum jogador cobrou o juiz, tanto que apesar de toda a cera, ninguém foi amarelado.

Custa entrar na minha cabeça uma declaração infeliz como a do Alexandre Matos ao final do jogo contra a Ponte Preta, de que pra ele aquele lance ridículo tinha sido pênalti. Por mais que isso tivesse a intenção de pressionar comissão e elenco, jamais poderia ter sido feito via imprensa, arbitragem é tudo inimigo, não tem que elogiar, emitir nota oficial, nada dessa porra…

Por outro lado, finalmente o treinador deu oportunidade pro Mateus Salles, e se o moleque não foi perfeito, jogou bola suficiente pra nunca mais termos que ver Girotto e Amaral em campo. Saiu porque tinha amarelo, e o Marcelo com essa filosofia continua prejudicando o time mesmo quando isso signifique abrir mão do que tá dando certo… A substituição do Dudu contra a Ponte foi a mesma coisa.

Feitas as análises individuais, o fato é que, no coletivo, o Palmeiras segue sendo um catadão na defesa e outro no ataque e não existe comunicação nenhuma entre um e outro, o time vive de bicão pra frente e seja o que Deus quiser, não é possível que não tenha padrão de jogo, depois de mais de 25 partidas do treinador no comando da equipe. Não tem jogada ensaiada, não tem bosta nenhuma, é bica pra frente e chuveirinho, desse jeito não vamos a lugar nenhum…

E agora, o resumo dessa ópera é que chegaremos pro jogo de quarta-feira mais pra baixo que cu de cobra, com o elenco mais do que justamente pressionado pela torcida, que antes mesmo do jogo acabar ontem já anunciava que passar do Fluminense não era mais que obrigação. E não é mesmo.

Pior que, com a derrota de ontem, o que era pra ser o G4 vai virar um nono lugar, e a chance do Palmeiras conseguir vaga pra Libertadores passa a ser praticamente o título da Copa do Brasil que, com os desfalques, mas principalmente com o futebol patife que vem sendo jogado, é muito mais um sonho do torcedor do que uma realidade.

E essa maldita quarta-feira que não chega…

AVANTI PALESTRA!

Avai 1x 3 Palmeiras – BR15

E o Marcelo Oliveira teve uma aula dele próprio hoje. Aprendeu que Cristaldo, Allione e Mouche são excelentes alternativas pro Palmeiras, e dão conta do recado.

Quantos jogos não ficamos sem nenhuma opção na meia por causa das lesões do Robinho, do Cleiton Xavier (quem?) etc, e o Allione e o Mouche ali à disposição? Quantos jogos eles não podiam ter sido titulares – quarta passada, por exemplo – e o Palmeiras teria melhor sorte nesse campeonato?

Então…

Enfim, a vitória – inesperada pra mim – veio até com certa facilidade, mais pelo péssimo time do Avaí do que pela competência do Palmeiras, e até que não faltou tanta.

Depois de uma jogada de perseverança do Mouche, e um passe magistral pro Cristaldo, Gabriel Jesus completou na saída do goleiro pra fazer 1×0 – e aos 15 do primeiro tempo.

Depois disso, logo na sequência, perdemos dois gols feitos. Parece até que existe uma ordem divina pro palmeirense nunca ter sossego. Que seja.

Veio o segundo tempo e depois de uma falha bisonha da zaga do Avaí, Cristaldo fez o segundo. Era pra ter sido o último prego na tampa do caixão avaíano. Mas, aqui é Palmeiras, então, logo menos o jogo já estava 2×1… e Quase 2×2 numa meia bicicleta de André Lima, depois de uma patinada de Leandro Almeida, pois é…

Mas, um pouco depois Dudu limpou a zaga inteira do Avaí e mais o goleiro e fez o terceiro, numa das vitórias mais fáceis do Palmeiras no ano…

Podia ser sempre assim.

Dormimos no G4, mas será uma surpresa fechar a rodada nele, considerando que o Vasco e o Goiás são os adversários de Bambi e Lambaris, ambos jogando em casa.

Agora vira a chave e pra cima do Flor no Rio de Janeiro, é decisão, vale o ano inteiro. Rimou até, mas não foi proposital.

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A CAPIVARA:

AVAÍ 1 X 3 PALMEIRAS

Local: Estádio da Ressacada, Florianóplis (SC)
Data-Hora: 17/10/2015 – 18h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (PE)
Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (PE) e Ricardo Bezerra Chianca (PE)
Público/renda: 9.313 pagantes/R$ 208.224,00
Cartões amarelos: Nino Paraíba, Marquinhos e Adriano (AVA), Andrei Girotto, Allione, Dudu e Thiago Santos (PAL)
Cartões vermelhos: –
Gols: Gabriel Jesus (16’/1ºT), Cristaldo (14’/2ºT) e Dudu (32’/2ºT) (PAL), André Lima (23’/2ºT) (AVA)

AVAÍ: Vágner; Nino Paraíba, Jéci, Emerson e Romário; Renan, Adriano (Roberto, aos 18’/2ºT), Pablo e Marquinhos (Nestor Camacho, aos 33’/2ºT); Léo Gamalho (Rômulo, no intervalo) e André Lima. Técnico: Gilson Kleina.

PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Jackson, Leandro Almeida e Egídio; Thiago Santos, Andrei Girotto (Amaral, no intervalo) e Allione (Rafael Marques, aos 35’/2ºT); Mouche (Dudu, aos 21’/2ºT), Gabriel Jesus e Cristaldo. Técnico: Marcelo Oliveira.

Palmeiras 0x1 Ponte Preta – BR15

Mais um episódio pavoroso na história do Palmeiras foi testemunhado hoje por 28 mil pobres coitados.

Primeiro, por mais uma atuação nefasta da arbitragem dentro da nossa própria casa, e não há quem se indigne, não há um maldito dum representante da Sociedade Esportiva Palmeiras pra cobrar, em público, uma semvergonhice dessas, mais uma, praticada contra a nossa instituição.

E o time vai no embalo da diretoria, ninguém se indigna, ninguém reclama com o juiz, ninguém pressiona, pra eles foda-se, tanto faz como tanto fez… O emblema dessa porra toda é o Sr. Gabriel Jesus, devolvendo a bola pros vagabundos de Campinas depois de mais de 02 minutos de jogo parado prum corno daqueles ficar fazendo cera. Alo, Gabriel, Edmundo não foi ídolo no Palmeiras porque era um bom rapaz não, viu? Torcedor quer ver sangue nos olhos e ódio ao adversário, principalmente quando estão de putaria. Vai devolver bola lá na casa do caralho!

Esse é o primeiro motivo da derrota de hoje, que, não fosse o juiz e o time sem brio nenhum, seria um empate safado e canalha de um time extremamente mal montado e sem padrão tático nenhum – o segundo motivo.

É digno de muita reflexão e muito estudo do que pode levar um treinador a, depois de 10 dias de treinamento, depois de ter levado uma surra sem precedentes de um time que estava na zona do rebaixamento, ter mandado a campo Alecsandro e João Paulo, de ter deixado Allione no banco, de ter tirado o Dudu, enfim, de ter contribuído diretamente pra essa merda toda que se viu em campo. 40 lançamentos defesa-ataque, sendo que 27 foram errados, 27 cruzamentos na área, 21 errados, e por aí vai…

Isso porque o time folga dois dias depois de jogos, afinal, com esses números, quem precisa treinar, né?

Como que esse cara foi bicampeão brasileiro?? Começo a pensar que o Cruzeiro conseguiu essa façanha, apesar dele… Não é possível tantos e tantos jogos com as peças erradas na escalação, sem padrão nenhum e, como hoje, errando absurdamente nas substituições também. O cara tá aí há 20 e poucas rodadas e ainda não sabe montar o time, cazzo????

E o terceiro motivo e, pra mim, o verdadeiro campeão, é a lastimável preparação física e a situação vergonhosa do departamento médico do clube, que é incapaz de colocar Fellype Gabriel e Cleiton Xavier em condições de jogo (o primeiro já está há quase um ano no clube e ainda não conseguiu nem estrear), que tem Arouca e Robinho entrando e saindo do DM a cada 3 rodadas, enfim, aquela bosta toda que nós já sabemos.

O mais curioso é que o departamento médico do clube é o mesmo desde mil novecentos e guaraná com rolha e não há um Cristo que olhe pra isso com um pouco mais de atenção.

Investem em cientistas, softwares, fazem congresso e os carario a quatro, mas não há no universo um departamento médico tão lotado de jogadores que nem no Palmeiras…

Enquanto isso nossos 3 melhores jogadores seguem fora de combate, temos os dois melhores volantes do Brasil marcando as enfermeiras do DM, e os 03 meias do elenco CX, Fellype e Robinho armando mais uma sessão de fisioterapia… Até quando, Palmeiras??

Enfim, por essas coisas que o resultado de hoje não me impressiona, embora me deixe absurdamente indignado.

Pra mim, o ano terminou domingo retrasado em Chapecó, não vejo esse time reagindo nos 10 a 12 jogos que faltam pro fim da temporada, minha última esperança era hoje… Não acredito mais na vaga da Libertadores e muito menos em título de Copa do Brasil. Vou torcer, vou apoiar, vou sofrer, mas se algo diferente do fracasso vier, será muita surpresa.

Esse time e comissão técnica chegaram no limite. As peças mais importantes seguirão fora de combate, as de reposição não o são à altura e o fracasso é a única opção, mesmo porque o time e treinador não estão conseguindo se reinventar. 

Embora queiramos acreditar que vai ser diferente, mas só no resta dizer uma coisa:

– Feliz 2016, palestrino.

AVANTI PALESTRA!  

Chapecoense 5×1 Palmeiras – BR15

Desde 2010 o Palmeiras leva uma goleada vexatória por temporada, e este ano parecia que tudo ia mudar, mas daí vai lá o Palmeiras fazer das suas palmeirisses…

A verdade é que esta palhaçada que vimos em campo hoje estava bem mais do que anunciada. Já na primeira partida em Porto Alegre, pela Copa do Brasil, e até mesmo antes disso, no jogo com o time gaúcho pelo BR, podia se ver o sistema defensivo frágil e o ataque displicente.

Mas, tirando a derrota pros gaúchos fora de casa pelo BR, os resultados foram acontecendo, vencemos o Grêmio, empatamos fora com o Inter pela Copa do Brasil, jogo que era pra ter sido ganho, arrancamos um empate não merecido no panetone e selamos a classificação pra semi da Copa do Brasil também sem muito merecimento, mas com muito coração, principalmente da torcida.

Fomos pra Chapecó sem nossos 02 melhores jogadores, Robinho e Zé Roberto, os únicos com capacidade de articular o jogo do time e, por isso mesmo, já sabíamos que seria difícil encaixar um bom resultado na partida de hoje, mas nem o mais corneteiro conseguiria prever uma surra dessas proporções…

Primeira coisa a ser dita é que o Departamento Médico e de Preparação Física do Palmeiras é uma piada de mau gosto. Arouca vem de sabe-se lá quantas temporadas pelo Santos sem uma única contusão, e aqui no Palmeiras, jogo sim, jogo não, sai de campo machucado. Daí volta e machuca de novo. Robinho idem. Até o maluco do filme Corpo Fechado sairia do campo de maca, se vestisse nossa camisa. O curioso é que isso já vem de anos assim, mas é mais fácil cair o cu da bunda do que alguém ser demitido do departamento médico do Palmeiras…

A segunda questão é que o Marcelo Oliveira abusou de errar. Primeiro, voltou o Amaral pro time, e nem preciso explicar o por quê isso é errado. Andrei, por mais limitado que seja, mesmo não sendo um primeiro volante de ofício, não pode ser banco desse grosso.

Depois, o treinador insistiu mais uma vez com o Egídio. Não precisa ser nenhum Rinnus Mitchel pra saber que é só atacar pela nossa esquerda, quando Egidio está em campo, que é batata… Os treinadores dos outros 19 times já aprenderam isso, só o Marcelo Oliveira ainda não entendeu? Começa o jogo sempre com dez, professor? Cazzo…

Depois, o treinador subestimou o adversário ao mesmo tempo quee superestimou nosso time. Mandou 4 atacantes pra campo e nenhum meia. Entregou o meio de campo pro Chapecoense, que só precisou marcar o Arouca na saída de bola para, com tranquilidade, mandar no jogo, enquanto atacava pela nossa esquerda pra achar os gols.

Mas aí é que eu não entendo, porque estavam lá no banco Allione e Fellype Gabriel, meias de oficio, o Palmeiras treinou, quinta, sexta e sábado sabendo que o ZR e o Robinho não iam jogar, e o melhor que o Marcelo pensou em fazer foi mandar 4 atacantes pra campo e ninguém pra organizar as jogadas? PORRA!?

Se ainda tivessem os 4 – GJ, RM, Barrios e Dudu em excelente fase, ok, ainda dava um desconto, mas desses todos aí só o Dudu tá se salvando, os outros 03, principalmente o Jesus, não tão jogando nem a metade do que sabem…

Ainda assim, o 2×0 que ficou barato demais pro Palmeiras no primeiro tempo, especialmente por o time ter tido a capacidade de chutar uma única vez ao gol adversário, podia ser corrigido no segundo tempo, com duas simples alterações – 1 meia e o Egídio fora.

Mas o Marcelo preferiu mexer na direita, onde não tínhamos problema, pra colocar o Lucas no meio, vindo o JP no lugar do Amaral. Daí fodeu de vez. Antes tínhamos uma avenida, agora eram três.

E foi uma questão de tempo pra, em dia que dá tudo errado, a bola aérea falhar bisonhamente na defesa pela segunda vez. 3×1 pros caras e finalmente o Marcelo decidiu colocar um meia em campo, quando já estava tudo bem mais do que fudido.

Ainda deu tempo do Gabriel Jesus matar dois lances claros de gol, um quando ainda tava 3 e outro quando já tínhamos tomado o quarto.

E o fim do jogo não podia ter sido mais melancólico do que mais uma vez levar gol de um pé descalço como Ananias, ô vergonha sem fim…

Parabéns aos responsáveis, de novo saímos do G4 pela própria incompetência e o palmeirense mais uma vez tem que aguentar essa humilhação que, se os senhores tivessem um pingo de vergonha na cara jamais aconteceria…

Agora vamos às coisas boas, se é que algo de bom dá pra se tirar de uma presepada dessas. Primeiro, é que o Egídio está suspenso, e por nada neste mundo entrará em campo contra a Ponte Preta. Ponto pro Palmeiras.

Segundo é que teremos 10 dias sem bola rolando, e Deus queira que seja tempo bastante pra recuperar esse time fisicamente, por que é uma vergonha uma equipe de futebol profissional da grandeza do Palmeiras estar se arrastando em campo desse jeito. Contra o Inter, nada menos que 05 jogadores, metade da linha, saíram com cãimbras e extenuados, isso não existe…

Por fim, depois de tantos e tantos jogos mal jogados, e o Palmeiras escapando duma tragédia sempre por um triz, finalmente ela veio, e com ela devem vir algumas mudanças significativas no modo desse time jogar.

Porque só um energúmeno sem amor ao emprego iria insistir nesse esquema tático sem meia e totalmente manjado, num Egidio pela esquerda, num Amaral pelo meio, depois de uma saraivada como essas…

Que o Marcelo não seja imbecil de insistir na mesma cagada, pois os próximos 11 a 13 jogos daqui até o fim do ano valem toda a temporada de 2016.

AVANTI PALESTRA!

Bambi 1×1 Palmeiras – BR15

Podia ter sido uma partida melhor do Palmeiras. Mas do jeito que acabou, ficou até que bom demais.

Num dia em que Gabriel Jesus e Rafael Marques foram muito mal, coube ao faz-me-rir do goleiro de hockei dar mais uma pixotada no pé do Robinho – que até então ia seguindo o mesmo caminho dos nossos atacantes – e aí, parça, não tem perdão: vai outra cobertura aí? AHAHAHAHAH

O gol sofrido aos 47 do segundo tempo só fez por calar ainda mais a lastimável apresentação da torcida mandante o que, aliás, não é nenhuma novidade. No fim do jogo só se ouviu a gente, Eu sempre te amareiiiii…

Sobre o jogo, o Palmeiras foi a campo com Thiago e Girotto no meio, Robinho mais a frente e Gabriel, Rafael e Barrios fechando no ataque.

Demorou pro time encaixar, os bambis vinham chegando, umas bolas mais perigosas, mas a maioria sem muito perigo. Quando o Palmeiras realmente conseguiu chegar, Andrei cruzou pro Robinho mandar de cabeça no travessão.

Logo na sequência, o juiz parou o jogo pra marcar uma falta no Gabriel na meia lua e não viu que o Rafael chegava sozinho, na cara do eterno reserva do reserva do Marcão pra fazer o primeiro. E ele teria feito… clara interferência da arbitragem, mais uma, como não cansam de prejudicar o Palmeiras…

O segundo tempo veio e o Marcelo tentou acertar o meio, trazendo o Lucas da lateral no lugar do Andrei e colocando o JP na lateral direita.

E por 13 minutos, parecia que o Palmeiras tinha achado o jeito de jogar. Até que depois de um contra-ataque malsucedido e numa jogada de distração inaceitável do Gabriel, os bambis abriram o placar pela nossa direita, em mais uma falha de marcação do JP – igualzinho o lance do jogo contra o Goiás.

Daí parecia dar tudo errado, não tinha um lance que o Palmeiras conseguisse chegar com perigo, Robinho, Rafael e Gabriel, junto com Barrios, não conseguiam fazer nada de produtivo. O time sentiu demais as ausências de Arouca, Dudu e Zé Roberto.

Marcelo tirou o Lucas e colocou Kelvin, e depois Barrios pra entrada de Alecsandro. Nada. Enquanto isso, do lado de lá, Osório ia trancando o time, mostrando satisfação com o placar magro, que tava de muito bom tamanho pro futebol fraco que o time dele tinha jogado.

E quando o Palmeiras parecia ter jogado a toalha, num daqueles lances que o time adversário fica trocando passes pra fazer o tempo passar, veio o castigo: graças a uma arrancada nunca antes vista de AlecDonalds, Goalie Ceni pixotou mais uma vez na saída de bola, e ela foi parar justo nos pés dele, o aplicador oficial de coberturas, que olhou e perguntou: “caramelo ou chocolate? Quer castanha de caju?” AHAHAHAHHAH

Ok, foi divertido, mas o futebol do Palmeiras hoje foi pífio, com Gabriel como pior em campo e Thiago Santos disparado o melhor. Thiago que, aliás, não enfrenta o Chapecoense no próximo domingo, levou o terceiro amarelo. 

Antes, porém, tem a volta contra o Inter, e que o bom resultado do jogo de ida não engane o Palmeiras. O jogo é complicado.   

Inter 1×1 Palmeiras – Copa do Brasil 15

Tava tão na cara, mas tão na cara, que o Palmeiras ia ganhar fácil do Inter, que não ganhou.

Em pouquíssimo tempo o Palestra conseguiu imprimir o seu jogo, como se estivesse em casa, e as chances foram aparecendo, e o Palmeiras perdendo.

Barrios não conseguiu repetir as boas atuações dos últimos jogos e perdeu dois gols feitos, um ele e o goleiro e um penalti.

E o primeiro tempo podia ter virado 2×1 pra nós, acabou 0x0. Se no ataque nao funcionou, tivemos sorte na defesa. 

Veio o segundo tempo, o Palmeiras seguiu mandando no jogo mas sem liquidar a fatura, até que num lance despretensioso o Inter acertou um chute na gaveta, indefensável pro Prass, embora Amaral, Jackson e Lucas ficaram olhando ao invés de encurtar o espaço.

Jesus mandou uma bomba no travessão logo na sequência. A bola teimava em não entrar. 

Até que saíram Barrios e Arouca e entraram Cristaldo e Rafael Marques. E logo no primeiro minuto, cruzamento do Lucas e um belo gol de cabeça do Rafael. O empate era injusto, o Palmeiras merecia estar ganhando, de muito.

Ainda teve tempo do juiz não dar um pênalti claro no Jesus, mas convenhamos, o dia em que o Sandro Meira Ricci marcar dois penaltis pra nós no mesmo jogo, vamos ter virado o Gambá. Melhor assim…

As circunstâncias do jogo mereciam um placar melhor, com vitória folgada do Palmeiras. Mas ela não veio. Paciência, virá em casa.

Agora foco total no jogo do final de semana, vamos invadir o panetone.

AVANTI PALESTRA!

   

%d blogueiros gostam disto: