Arquivos do Blog

Botafogo 1×2 Palmeiras – BR17

13 pontos marcados nos últimos 15 disputados, o Palmeiras definitivamente mostra que não está de turista no BR17. E o Jailson não perde desde a 19a rodada do BR 16, completou um BR inteiro sem perder, isso só pra baixar a bola de gambá que acha que 18 rodadas sem perder é alguma coisa….

Foi um jogo complexo. O Palmeiras teve um primeiro tempo volumoso, chutou pelo menos 8 bolas no gol, a maioria delas com Deyverson, que perdeu um gol incrível depois de ótima jogada do Keno pela esquerda.

No fim do primeiro tempo, o prêmio por um jogo bem disputado, veio numa falta besta de Roger, e gol contra na cobrança de Egidio. Verdão foi pro vestiário com um merecido 0x1.

Mas como nada na vida do palmeirense é fácil, num lance besta do Keno pelo meio, a bola foi trupicando pela nossa zaga até achar o atacante do Botafogo MUITO impedido pra empatar o jogo. Mas você não vai ver nenhum chororo na imprensa por causa disso…

Cuca sacou Keno quase ao mesmo tempo que o placar eletrônico tirou o zero do placar do Botafogo. Colocou o Veiga e tentou deslocar o Dudu pro lado esquerdo.

A partida continuava aberta, mas o Palmeiras não indicava que iria se dar por satisfeito. Cuca sacou o BH e colocou o ZR e sacou o RG pra colocar o Borja.

Num lance em que o Borja encurtou a reposição do Gatito, a bola sobrou pro Deyverson, sozinho, invadir a área e demorar demais pra lacrar o jogo. Era a quarta chance de gol que ele desperdiçava.

Mas aí vem a estrela do cara que não desiste: em uma jogada de profundidade, Egidio esticou pro ZR cruzar pro Deyverson chegar na voadora, no meio da fuça da bola e garantir os 3 pontos do Verdão.

Coisa linda de um time que teve competência e paciência pra vencer.

Se tivéssemos ganhado os 03 clássicos, o Palmeiras hoje teria 41 pontos e seria líder do campeonato. Ou seja, é manter o aproveitamento e vencer os 03 fregueses no segundo turno, que o caneco será nosso. E vai ser aquele golpe duro na imprensa que tanto odeia ver o Palmeiras vitorioso… VAMOS PALMEIRAS!

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×0 Botafogo – Paulistão17

Finalmente começou a temporada. E com vitória, que é o mais importante.

A expectativa era grande, apesar da ausência dos dois principais articuladores do Verdão – Moisés e Guerra ainda seguem aprimorando a forma física. 

Achei que o time começou bem, logo de cara Roger Guedes foi lançado na cara do goleiro, mas o botafoguense conseguiu defender.

Tche Tche jogando mais adiantado era o principal condutor das jogadas do Palmeiras, enquanto o Veiga parecia um pouco perdido. O Bigode também pareceu não estar muito afinado com a proposta de jogo do Eduardo Baptista. 

No fim do primeiro tempo o Palmeiras estava bem previsível e o Botafogo até ensaiou uma pressão, obrigando o Prass a trabalhar. 

Veiga e Bigode ficaram no vestiário e o Palmeiras voltou pra etapa final com Michel Bastos e Alecsandro. Logo aos 6, Tche Tche, de fora da área, marcou o primeiro gol do Verdão no campeonato.

Com a entrada do Michel, o nosso lado esquerdo com ele, Zé e Dudu virou a melhor opção de ataque, e várias chances foram criadas, mas o segundo gol não saiu, muito em conta da atuação econômica do camisa 9..

Na zaga, Dracena foi perfeito, embora todo o sistema defensivo, inclusive o Prass, foi bem. Só tive a impressão por um momento que aquele problema de bola nas costas do Zé Roberto da época do MO podia ter voltado, mas que fique só na impressão mesmo. 

24.900 presentes, ou 60% da ocupação dão ao também estreante presidente Maurício Galiotte a dimensão do desafio que terá pela frente pra fazer o Allianz lotar todo jogo, especialmente nesses jogos pouco atrativos do estadual.

Alguns passos importantes já foram dados, como a acertada redução pela metade no valor das centrais e a diminuição dos preços das superiores que, como sempre falei aqui, não podiam nunca jamais custar mais caro que os setores inferiores.

Outro ponto positivo é que com a distribuição das cadeiras da W Torre, todos os setores inferiores agora estão abrindo pra venda ao público geral, o que corrige o fato de que, antes, todos os ingressos mais baratos acabavam na pré-venda.

Ainda assim, 90 pratas como valor mínimo é muito, mas muito dinheiro prum jogo como o deste domingo. 

Mas essa nova administração está no caminho certo. A hora que resolver esse cerco absurdo que a PM faz em volta do Palestra, cairá de vez nas graças da torcida.

AVANTI PALESTRA! 

Palmeiras 1×0 Botafogo – Br16

Falta muito pouco pra essa angústia toda acabar. Nunca na história dos pontos corridos um time foi tão provado, reprovado, desdenhado, ameaçado e duvidado pela imprensa como nessa edição.

Nunca houve tanto equilíbrio, tantos candidatos ao título, é verdade, mas um a um ficaram pelo caminho os queridinhos, os preferidos  da imprensa maldita, que bem aos poucos foi parando de se inconformar com a nossa conquista iminente.

Até festa em aeroporto só era bonita a dos outros, a nossa era motivo de polêmica. Nem numa coisa tão banal como essa conseguiram disfarçar o quanto o Palmeiras incomoda quem vive de noticiar esporte.

O tal padrão de futebol bonito jamais exigido nas 13 edições anteriores do BR disputado por pontos corridos – sempre se falou em regularidade – agora pro Palmeiras era obrigação, não aceitavam o tal do Cucabol, que nada mais é do que o melhor futebol do Brasil…

De repente treinadores que nunca ganharam porra nenhuma na vida – Zé Ricardo, Roger, os péssimos Dorival e Marcelo Oliveira, todos, sem exceção, eram melhores do que o Cuca, que lidera a competição ininterruptamente há nada menos que 24 das 36 rodadas disputadas até aqui. Vai entender…

A melhor defesa do campeonato sempre acusada injustamente de correr riscos demais. O melhor ataque sempre acusado de não ter criatividade: só arremessam lateral dentro da área, diziam os língua podres de plantão.

Vergonha alheia era mato pra boa parte das emissoras. Aquele vídeo do cheirinho da Sportv é o emblema do quanto o Palmeiras desagrada as redações esportivas do Brasil. Por favor, sigam torcendo contra, a gente agradece…

Pouquíssimos se propuseram a fazer o contraponto. E coube mesmo aos de sangue verde – Antero, Beting, Oddi – exercer a resistência obrigatória contra a injusta campanha contra o sucesso do Palmeiras, que mais recentemente passou a ser seguida por parte dos demais que ainda ligam para não passar – muita – vergonha.

E com toda essa torcida contra é natural que o palmeirense esteja esgotado nessa reta final de campeonato. Às vezes duvido se quero o Palmeiras disputando títulos no ano que vem, tamanho o stress e desgaste que estamos suportando rumo ao título, mas depois isso logo passa. Palmeiras tem que disputar tudo, sempre foi assim e a gente vai estar lá aguentando o que vier pela frente.

Hoje tivemos um dos melhores primeiros tempos dos últimos jogos, mas a bola teimava em não entrar, ora na cabeçada do Moisés, ora na joelhada do Jesus, o Palmeiras chegava mas não conseguia abrir o placar.

Fomos pro intervalo com o Cruzeiro vencendo o Santos, um dos resultados que nos daria o título. Mas nada disso bastaria se não fizéssemos o gol. E era óbvio que o gol não sairia com o péssimo Cleiton Xavier em campo.

A melhor definição que ouvi dele hoje foi: – que cara fora de sintonia. É isso mesmo, jogador desalmado, um walking dead de chuteiras, o Palmeiras tem obrigação de dispensar ele já no dia 05 de dezembro.  O time inteiro voando, suando sangue, e o cara apático, como se estivesse participando dum amigos do Romario x Amigos do Bebeto. Terá ido tarde…

Me custa demais admitir, mas o Palmeiras estaria bem melhor com o sem vergonha do Valdívia do que com esse enganador aí…

Veio o Alecsandro, o Palmeiras foi melhorando e finalmente Dudu, o melhor em campo ao lado do Moisés, fez, de cabeça, em passe certeiro do Gabriel Jesus. 1×0 merecido e mais três pontos garantidos no caminho do nono caneco.

Como o Santos teve mais um penalti absurdo marcado a seu favor, o título não veio hoje, e teria vindo, vejam só, com gols de Amaral e Judas, que garantiram o empate do Coxa e a eliminação da Mulambada. Cheirinho? Caffung my egg e sente o cheirinho, seus otários AHAHAHAHAH

Melhor assim, lugar de levantar o caneco é dentro de campo. Ser campeão no vestiário não teria a mesma satisfação pra nossa torcida. Queremos pular, gritar, chorar e abraçar uns aos outros ao som do apito final dentro da nossa casa. Não pode ser de outro jeito…

Temos 6 pontos pela frente precisando fazer 1. E os Lambaris tem que ganhar os dois. Eu se sou o Palmeiras só entro em campo as 18:40, e ficaria de camarote vendo Urubu e Lambari se matarem pra ver quem vai ser o vice. Porque o campeão, esse nós já sabemos quem será.

Mas não vamos falar, né? Respeitar as crenças que não é hora de mexer com orixá nenhum…. Por enquanto só um Aiaiaiai, tá chegando a hora…

E ninguém segura mais os porco…

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 X 0 BOTAFOGO

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/horário: 20 de novembro de 2016, domingo, às 17h
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires (ambos de GO)
Público e renda: 39.690 presentes/R$ 3.174.042,74
Cartões amarelos: Emerson Silva, Sassá e Fernandes (BOT)
Cartão vermelho: Leandrinho (BOT)

Gol: Dudu, 17’/2ºT (1-0)

PALMEIRAS: Jaílson, Jean, Mina (Thiago Martins, 12’/1ºT), Vitor Hugo e Zé Roberto; Tchê Tchê (Gabriel, 31’/2ºT), Moisés e Cleiton Xavier (Alecsandro, 9’/2ºT); Róger Guedes, Dudu e Gabriel Jesus. Técnico: Cuca.

BOTAFOGO: Sidão, Emerson, Joel Carli, Emerson Silva e Diogo Barbosa; Dudu Cearense (Sassá, 24’/2ºT) e Rodrigo Lindoso; Alemão (Fernandes, 441/1ºT) (Leandrinho, 35’/2ºT), Camilo e Neilton; Rodrigo Pimpão. Técnico: Jair Ventura.

Botafogo 3×1 Palmeiras – BR16

Depois de liderar praticamente metade do campeonato, o Palmeiras deixa a liderança na mão do rival, com ares de crueldade, numa derrota bem humilhante pro Botafogo, que ainda foi premiado com a saída do Z4 (que devia ocupar  desde o começo do campeonato ou algo que o valha). E pior, ainda tomamos 02 gols dum perna dura como Neilton, que desde a Copinha só serve pra fazer gols no Palmeiras e em mais ninguém. Hoje, fez 2. Nos outros 16 jogos do Campeonato, só tinha feito 4… É ou não é de foder?

Ainda mais preocupante é ver que o baixo rendimento do Palmeiras pesa justamente onde perdemos jogadores pra Seleção: no gol e no ataque.

Já na semana passada o gol que o Vagner tomou contra o Galo o Prass teria pego. Hoje, os dois gols do Neilton ele poderia ter defendido -o primeiro com certeza, foi no meio do gol – e jamais teria feito aquele penalti imbecil que matou qualquer chance de reação do Palmeiras no fim do jogo. O Vagner é ruim? Não. Mas o Prass é infinitamente melhor. E provavelmente não jogará mais esse ano, durmam com essa trovoada…

No ataque é a mesma coisa: Erik até está marcando os gols, fez 02 nos últimos 03 jogos, mas nem ele, nem o Pereira e nem os outros suprem nem mesmo proximamente a falta que o GJ faz.

Resultado dessa porra de Olimpíada é que o Palmeiras parou de marcar os gols que estava marcando e começou a tomar os gols que não estava tomando. Desde que o Prass e o Jesus saíram, tomamos 4 gols e só marcamos 1, perdemos dois jogos e o primeiro lugar na tabela.

Pelas escalações que se sucederam desde o Inter x Palmeiras – último jogo com Prass e GJ – vê-se claramente que o Cuca está tentando achar a formação ideal pros jogos sem nossos melhores valores, mas ainda sofremos com a ausência do Moises contra o Galo e do Tche Tche hoje, enquanto amargamos atuações fraquíssimas de Dudu e CX, dois caras que deviam estar segurando a bucha, mas pelo visto isso não é com eles…

Além disso, nos últimos 4 jogos, o Cuca errou nas substituições em 3 – contra o Santos recuou demais o time quando Moises machucou e entrou o MSalles, contra o Galo Barrios e Alecsandro juntos sem um meia de articulação, e hoje contra o Botafogo colocou um inoperante e bem desinteressado Rafael Marques (que demorou 17 minutos pra tocar na bola a primeira vez…). Não que o elenco do Palmeiras ofereça uma infinidade de possibilidades, mas está faltando um pouco de criatividade pro nosso comandante, sei lá, põe o Allione, tira um lateral, sacode a porra toda professor! 

E é claro que o palmeirense queria estar mais uma rodada na liderança, que fosse assim até o fim, mas nossa realidade é outra, nosso sofrimento sempre é maior.

Por mim, que siga no bolo desse jeito, 1 ponto na frente, 1 atrás, e que lá pra novembro assuma a frente de vez pra não sair mais.

E apesar de tudo, perder pro Botafogo, por mais ridículo que possa parecer – e é – jogando fora de casa, e até que quase admissível. Resta saber se Santos, Gambá, Galo e Gremio também perderão pontos jogando lá no RJ, pois é isso que fará a diferença no fim das contas pra um desastre ou um resultado normal. Os 03 primeiros ganharam do Boatfogo jogando em casa, o Gremio joga fora pela 19 rodada, mas só em setembro. Veremos… 

Com Gambá jogando em Curitiba contra o Atlético, e o Santos contra o Flamengo no Pantanal, onde a maioria absoluta da torcida deverá ser flamenguista, ambos os jogos na quarta, a liderança pode voltar a nossa mão já na próxima rodada: é “só” ganhar da Chapecoense lá na casa delesna quinta-feira, (coisa que a gente nunca conseguiu…) e depois manter o bom aproveitamento em casa contra o Vitória no domingo, pra fechar o turno em primeiro.

Ou seja, qualquer coisa que não seja os 06 pontos nos próximos 02 jogos, aí sim o palmeirense pode começar a ficar preocupado…

AVANTI PALESTRA!

Botafogo 0x2 Palmeiras – Paulistão16

E estreamos com o pé direito, vitória e 03 pontos na primeira partida oficial do ano.

Apesar do placar confortável, não foi uma atuação memorável do Palmeiras. Mesmo sendo o primeiro jogo da temporada, era de se esperar mais de alguns jogadores, principalmente Gabriel Jesus, disparado o pior em campo.

Também começa a incomodar a insistência do treinador comesse esquema tático, que ele não muda nem por decreto, além de não ter promovido as estreias de Jean e Regis, num jogo em que evidentemente se justificava mexer pra aprimorar a saída de bola e a criação, os maiores problemas do time no jogo.

Mas, ganhamos, e isso é o que importa.

E chupa Nunes!

Nos vemos no Paca!

AVANTI PALESTRA!

AS CORNETADAS

  • Prass – Quando precisou, foi preciso. Foi bem
  • Lucas – Vinha mal na marcação, mas abriu o caminho da vitória. Foi bem
  • Victor Hugo – Seguro, não falhou. Foi bem
  • Leandro Almeida – Não atrapalhou. Foi bem
  • Zé Roberto – mais uma boa atuação. Foi bem
  • Arouca – o de sempre. Foi bem
  • Thiago Santos –Foi bem
  • Robinho – Vinha errando tudo, até acertar um passe de 50 metros pro Dudu fazer o segundo. Foi bem
  • Dudu – Azucrinou a zaga do adversário e fez o dele. Foi monstro
  • Jesus – O pior em campo, de novo perdeu gol feito. Foi péssimo
  • Alecsandro – Teve uma chance no primeiro tempo, e uma no segundo, e fez o primeiro gol da partida. Se jogar mal e marcar, tá ótimo. Foi bem
  • Erik – não teve muitas chances. sem nota
  • Egídio – atuou pouco, mas com acerto. Foi bem
  • Roger Carvalho – apareceu pouco – sem nota
  • Marcelo Oliveira – pouca variação tática, demorou pra mexer, e inventou ao colocar mais um zagueiro no lugar do Thiago Santos, mas trouxe os 3 pontos, então… Foi bem

LANCES:

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO-SP 0 x 2 PALMEIRAS

Data e horário: 31 de janeiro de 2016, domingo
Local: Santa Cruz, Riberão Preto (SP), 19h30
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Daniel Paulo Ziolli
Cartões amarelos: Mirita e César Gaúcho (BOT); Alecsandro e Robinho (PAL)
Gols: Alecsandro – 15’/2ºT (0-1); Dudu – 41’/2ºT (0-2)
Renda/Público: R$ 897.130,00 /18.635 pagantes

BOTAFOGO-SP: Neneca; Daniel Borges, Caio Ruan, Mirita e Augusto Ramos; César Gaúcho, Rodrigo Thiesen, Danilo Bueno (Paulinho 32’/2ºT) e Vitinho; Diego Pituca (Serginho 21’/2ºT) e Nunes. Técnico: Marcelo Veiga

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Leandro Almeida, Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio 23’/2ºT) Thiago Santos (Roger Carvalho 32’/2ºT) e Arouca; Robinho, Dudu e Gabriel Jesus (Erik 28’/2ºT); Alecsandro. Técnico: Marcelo Oliveira 

Palmeiras 1×0 Botafogo – Paulistão15

Foi um jogo complicado. Em muito, pela arbitragem, que embora tenha acertado ao anular 03 gols – 02 do Botafogo e 1 do Palmeiras – deixou de marcar dois penaltis a nosso favor, como também deixou o Botafogo bater à vontade.

Daí ficou fácil pro time que foi pra campo querendo não perder. O Palmeiras girava a bola, como de costume, mas não conseguia transpor as duas linhas de 4 da defesa adversária, que contava com o aval do juiz pra fazer faltas violentas sem a devida punição.

Oswaldo optou por Leandro no lugar do Cristaldo no time titular. Victor Ramos jogou na posição de Tobio. O resto era o time que vinha jogando. Valdivia e Cleiton Xavier começaram na reserva. E foi um primeiro tempo de poucas oportunidades de gol. Na melhor delas, Dudu, embaixo da trave, mandou no poste e pra fora. Leandro quase marcou num desvio que o goleiro tirou e a bola passou rente à trave.

Na volta do intervalo, perdemos o Zé por contusão muscular e voltou jogando o fraco Victor Luiz, que já tinha feito uma partida pavorosa contra o Ituano. Teremos uma semana de apreensão enquanto o Zé não se recupera… 

Aos 15, Valdivia entrou no lugar de Gabriel, que já tinha amarelo. E aí o jogo mudou.

Ninguém discute a qualidade do jogador. É inquestionável. O que a maior parte da torcida quer ver é ele jogando mais vezes e falando menos – ou melhor, nunca. E fazendo por merecer vestir essa camisa. Simples.

Foi numa boa jogada dele pela direita que Lucas recebeu e cruzou rasteira, na pequena área, pra Leandro abrir o placar. Eram 25 do segundo tempo.

Quase no fim do jogo, foi a vez de Cleiton Xavier entrar pro jogo no lugar de Dudu. Mas pouco pôde ser visto, o jogo já estava decidido.

A não ser que o XV consiga um milagre na Vila Belmiro – já está 1 x 0 pros lambaris – iremos ter que visitar novamente a Arena Lixão de Itaquera. Que seja. Tá mais que na hora de atropelar a gambazada naquela pocilga.

Pra cima, Palmeiras!

OS LANCES:

 

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 X 0 BOTAFOGO

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 12 de abril de 2015, às 11h (de Brasília)
Juiz: Marcelo Rogério (SP)
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Fabrício Porfírio de Moura (SP)
Público/Renda: 35.437 pagantes / R$ 2.498.585,00
Cartões amarelos: Gabriel, Vitor Hugo, Leandro Pereira e Victor Luis (PAL); Rodrigo Andrade, Gimenez, Liel, Dênis e André Rocha (BOT)

GOL: Leandro Pereira, aos 26’/2ºT (1-0).

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Zé Roberto (Victor Luis, intervalo); Gabriel (Valdivia, 17’/2ºT), Arouca, Rafael Marques, Robinho e Dudu (Cleiton Xavier, 44’/2ºT); Leandro Pereira. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

BOTAFOGO: Renan Rocha; Gimenez, Eli Sabiá, Halisson e Dênis; André Rocha (André Santos, 37’/2ºT), Liel, Bruno Costa e Rodrigo Andrade (Wesley, 27’/2ºT); Vitor (Zé Roberto, 11’/2ºT) e Diogo Campos. Técnico: Régis Angeli

AVANTI PALESTRA!

Botafogo 0x1 Palmeiras – Br14

Paro aqui pra escrever esse post tomando uma Gordelícia, pensando em quantos números ruins derrubamos hoje. Foram 23 rodadas sem o goleiro titular. 21 sem ganhar um jogo como visitante. Desde agosto de 2012 sem ganhar no Rio de Janeiro. Desde a parada pra Copa do Mundo sem estar numa posição tão “alta” na tabela.

E mesmo assim ainda faltam alguns 14 pontos pra esse ano ser mais um daqueles que o palmeirense conseguirá apagar da memória.

O que mais marcou hoje foi, de novo, a falta de capacidade do Palmeiras em matar um jogo relativamente fácil. Dois lances do Allione ressuscitaram o fantasma de Florianópolis, quando o argentino deixou de passar, ora pro Wesley, ora pro Leandro, bolas que seriam o prego na tampa do caixão do Botafogo.

E coube ao Henrique, ele mesmo, do joelho direito que não dobra, a garantir os três pontos, com um improvável gol depois de uma também improvável matada de bola daquelas que o Henrique nunca dá, isso numa jogada mais que genial do Valdivia, que girou duas vezes sobre a zaga dos cariocas antes de cruzar.

Coube também ao Prass espalmar pra frente aquelas bolas que o Deola sempre espalmava pra dentro.

Resultado final foi um jogo ruim, tenso, teste de nervos pro palmeirense, e que culminou nos três pontos e, até aqui, 12a posição na Tabela. Faltam 14 pontos, ou um pouco menos.

9 pontos ganhos dos últimos 12 disputados. E só não é excelente porque perdemos em Floripa os 3 pontos mais ganhos da história do futebol…

Sábado o Felipão tem dívida a pagar com o palmeirense. Estaremos lá.

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 0 X 1 PALMEIRAS

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 8/10/2014 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Fabricio Neves Correa (RS)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) Jose Antônio Chaves Franco Filho (RS)
Renda e público: R$ 218.760,00 / 9.122 pagantes / 10.200 presentes
Cartões amarelos: Matheus, Carlos Alberto (BOT); Marcelo Oliveira, Juninho, Valdivia (PAL)
Gols: Henrique 4’/2ºT (0-1)

BOTAFOGO: Helton Leite; Régis, Matheus, André Bahia e Junior Cesar; Airton (Wallyson 15’/2ºT), Gabriel, Fabiano (Carlos Alberto 31’/1ºT) e Ramírez; Rogério e Zeballos (Yuri Mamute 30’/2ºT) – Técnico: Vagner Mancini.

PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Lúcio, Tobio e Juninho; Marcelo Oliveira, Victor Luis, Wesley (Washington 41’/2ºT) e Valdivia; Cristaldo (Leandro – intervalo) e Henrique (Allione 32’/2ºT) – Técnico: Dorival Júnior.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 0x2 Botafogo – BR14

Vai tomar no cu, Palmeiras.

Por esse time medíocre, que não merece uma lágrima de ódio do torcedor;

Por essa diretoria estúpida que não sabe o que é logística (até eu já sabia que Chapecó fica sem teto três vezes por semana, o ano inteiro);

Por mandar jogos em Presidente Prudente, pra 6 mil pessoas;

Por ter o ingreso mais caro do Brasil;

Por ser o time mais sem bastidores das Séries A, B, C e D;

Por ter um treinador que se apresenta e não assume o time;

Por reabilitar todos os times que estão na zona do rebaixamento;

Por manter um vagabundo sem vergonha como Wesley no elenco;

Por ter como gestor Brunóqio, que aceita Felipe Menezes em definitivo por 3 anos, pra ressuscitar um zé bosta como Alan Kardec pra reforçar rival e que apostou em mentiras como Bruno Cesar, William Matheus, Marquinhos Gabriel, entre tantos outros;

Por aceitar Heber Roberto Lopes na arbitragem de um jogo com o seu mando;

Por perder 5 gols no primeiro tempo e tomar um no primeiro chute a gol do adversário;

Por fazer uma torcida tão bonita quanto a sua sofrer a rodo, ano que entra, ano que sai….

Vão todos tomar no cu.

Vem logo, 2015, se Deus quiser na série A…

AVANTI, DESGRAÇADOS PALESTRINOS!

Botafogo 3×1 Palmeiras – Paulistão14

A derrota foi merecida. “Premiou” um time bem mal escalado, apesar dos desfalques no ataque.

É cedo pra decretar o ódio eterno que sentimos do Juninho ao William Matheus, ou então William “MeuDeus” como disseram por aí, mas o cara podia ter sido um pouquinho menos infeliz…

Já o Kleina merece toda a raiva do palmeirense. Sim, uma hora o time ia perder e blablablá, mas não precisava ter se esforçado tanto pra isso. E o pior é que ele vai achar que o erro foi ter tirado o Mazinho do time… Miguel, professor? Miguel? E mais, foi mexer justo onde não fava dando problema – Marcelo Oliveira de primeiro volante – quando podia ter jogado com o Tiago Alves na zaga e deixado o 26 onde ele fava funcionando melhor até aqui.

Pra mim, o principal erro é o de sempre escalar o time errado e depois tentar reverter o resultado no intervalo. Uma hora a  virada não vem, o empate não chega, já dizia isso aqui há tempos. Hoje foi justamente isso que aconteceu. O time não conseguiu reagir ao resultado adverso, e isso é culpa exclusiva do treinador.

E nada mais merece ser dito. Se tinha que perder mesmo uma hora, pelo menos serviu pra prejudicar os gambás.

Quinta-feira, Pacaembu, estaremos lá. Os mesmos 6 mil de sempre.

AVANTI PALESTRA! 

Palmeiras 2 x 0 Botafogo – Paulistão13

Com dois gols de Leandro, o Verdão liquidou a fatura contra o Botafogo e assumiu a quarta posição do campeonato, com o mesmo número de pontos que os sardinhas e a gambazada (chupa, eles tomaram o empate no fim, ahahahah).

Não foi um primor de apresentação do Palmeiras, foi o chamado “deu pro gasto”. Mesmo assim, foi muito melhor do que as últimas duas partidas do Verdão.

Os assinantes de abaixo-assinado continuam de mal com a arquibancada. Hoje só 4.160 torcedores compareceram. De novo, só não estava às moscas os setores amarelo e verde. Vai entender… pedir o fim da organizada é fácil, tirar o rabo do sofá e ir apoiar, bom, aí já são outros quinhentos…

Henrique e Vilson na zaga deram consistência ao setor defensivo, o que foi mantido depois com a saída do 3 e a entrada de André Luis, estreante da noite. Como é bom quando o M.Ramos não joga…

No meio, uma inovação: nada de quadrado do Mano ou losango do Luxa, agora temos o círculo do Kleina, com 4 volantes – Araujo, Charles, Leo Gago e Wesley. E o Patrik Vieira e o Rondinelly devem ter mijado de porta aberta na casa do treinador, não têm vez mesmo…

E na frente, se os 3 gols do Leandro nos últimos 02 jogos não fizeram o Kleina desistir do nosso valioso camisa 19, nada mais o fará…

Além do Henrique, também passou a ser dúvida pro clássico de domingo o atacante Kleber, que mais uma vez se esforçou pra ser ruim, mas não conseguiu: foi péssimo. Machucado, deu lugar ao Caio Mancha, que mal viu a cor da bola. Se eu fosse o treinador, mandava Patrik e Leandro na frente, VIlson e André Luis na defesa e pra cima dos sardinhas!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 0 BOTAFOGO-SP

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/Hora: 20/3/2013 – 19h30
Árbitro: Aurélio Santanna Martins (SP)
Assistentes: Marco Antônio Gonzaga da Silva e David Botelho Barbosa

Renda/Público: R$ 109.575 / 4.160 pagantes
Cartões Amarelos: Weldinho e Léo Gago (PAL); Danilo Bueno e André (BOT)
Cartões Vermelhos: 

GOLS: 
Leandro, aos 5’/1ºT (1-0) e Leandro, aos 2’/2ºT (2-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass, Weldinho, Vilson, Henrique (André Luiz, 34’/1ºT) e Juninho; Charles (Patrick Vieira, 30’/2ºT), Márcio Araújo, Léo Gago e Wesley; Leandro e Kleber (Caio, 36’/1ºT). Técnico: Gilson Kleina.

BOTAFOGO-SP: Rafael, Daniel Borges, César Gaúcho, Igor e Preto Costa; Gilmak, Zé Antônio (André, 7’/2ºT), Danilo Bueno (Otacílio Neto, 28’2ºT) e Fábio Gama; Nunes e Francis (Douglas Packer, 27’/2ºT). Técnico: Marcelo Veiga. 

AVANTI PALESTRA!  

%d blogueiros gostam disto: