Arquivo da categoria: Geral

Cruzeiro 0x2 Palmeiras – BR19

Para toda ação, existe uma reação de mesmo valor, mesma direção e sentido oposto, já diria Isaac Newton.

É com esse sabor que o Palmeiras despachou o Cruzeiro para a Série B, depois de ter vencido o time mineiro por 2×0, gols de Zé Rafael e Dudu, ambos no segundo tempo.

É verdade que, com o empate entre Botafogo x Ceará no Rio de Janeiro, qualquer que fosse o resultado do jogo o desfecho seria o mesmo.

Mas pro Palmeiras seria inadmissível não aproveitar a chance de retribuir tantos e tantos jogos em que o Palmeiras foi assaltado contra o Cruzeiro.

A última delas, talvez a mais emblemática, foi naquele lance do Edu Dracena e o goleiro Fábio, na Copa do Brasil, que nos valeu a classificação e que serviu pro palmeirense descobrir que com VAR, sem VAR, a farra do apito contra o Verdão seguiria sendo a mesma de sempre.

Isso dito, falando um pouco do jogo, o Palmeiras manteve o sistema de jogo utilizado contra o Goiás, com Dudu centralizado no ataque.

E, de novo, os resultados foram bem interessantes, com direito a passe de calcanhar do Dudu no lance do primeiro gol, e gol de cabeça dele no segundo.

Muito bom ver o time jogando com 11 em campo, já que qualquer um dos 9 disponíveis seriam peso morto.

Dito tambem isso, muito triste ter que se conformar com um 3° lugar e o rebaixamento de outro time como os “pontos altos” de uma temporada que tinha tudo pra ser vitoriosa.

O Palmeiras de 2019 conseguiu ser absolutamente pior em tudo em relação ao ano anterior, em que foi finalista do Paulista, semi da Copa do Brasil e Libertadores, e campeão brasileiro.

De positivo, pode ser dito que os maus resultados de 2019 já fizeram a roda girar, com a dispensa da comissão técnica e do diretor de futebol Alexandre Matos.

A diretoria ainda sinaliza uma mudança de mentalidade, de aproveitar os talentos da base ao invés de investir pesado pra tentar a sorte com apostas de outros times.

Mas só isso não bastará, o que faltou em 2019 foi jogador que decide partidas, que não some em decisões e que está acostumado aos jogos grandes.

Se não vierem esses jogadores de peso pra dividir a responsa com o Dudu, certamente o Palmeiras irá, mais uma vez, queimar os moleques da base, que não podem ser usados pra segurar rojões como os que virão em 2020.

E com os votos de uma temporada muito, muito melhor pro Verdão no ano que vem, o Maluco pelo Palmeiras encerra as atividades neste 2019.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 5×1 Goiás – BR19

No primeiro jogo sem Mano Menezes, o Palmeiras foi a campo no Brinxo de Ouro de forma nunca antes vista.

Em 5 anos de Dudu no Palmeiras, foi a primeira vez que ele foi escalado como um falso 9.

Com Mateus Fernandes e BH, Veiga, LL e Zé Rafael completando o meio, o time demorou um pouco pra encontrar o jogo.

Mas em pouco tempo, numa boa jogada de Lucas Lima, Zé Rafael fez o primeiro.

Aí começou a aparecer, mais uma vez, a sina do Palmeiras no ano: os malditos árbitros.

O tal do Bruno Arleu inventa um pênalti de Diogo Barbosa, num lance que foi falta fora da área. E o VAR? Que VAR? VAR pra que???

Jogo empatado e mais um roubo descarado contra o Palmeiras.

Mesmo assim, Dudu desviou o cruzamento em boa jogada palmeirense pela direita e fez o segundo do Verdão.

Voltamos do intervalo pra ver o juiz e o VAR deixarem de marcar 2 pênaltis claros pro Palmeiras, o primeiro idêntico ao pênalti marcado pro Goiás, só que dentro da área, e o segundo escandaloso, de Rafael Vaz em cima do Marcos Rocha. E a cabine do VAR cri cri cri…

Incrível como mesmo com o campeonato decidido não param de prejudicar o Palmeiras. Que ninguém esqueca a quantidade absurda de erros contra o Palmeiras e a favor do campeao neste camponato.

Domingo, contra o Cruzeiro, podem se preparar que não será diferente.

E na primeira substituição, Andrey Lopes mostrou como o Palmeiras perdeu tempo em 2019 insistindo com jogadores claramente sem condições de vestir a camisa 9, como Borja, Deyverson, etc.

Foi pra campo Gabriel Veron, no lugar de Zé Rafael, pela esquerda, ali onde joga o Dudu, e não demorou pra ele marcar seu primeiro gol com a camisa profissoonal do Palmeiras, em cruzamento do Jean.

Mais uma jogada do Veron pela esquerda e cruzamento pro segundo gol do Dudu, o quarto tento palmeirense na noite.

E ainda deu tempo do Baixola devolver a gentileza: 5×1, 2 do “9” Dudu, 2 do menino Veron, fora o baile, apesar do roubo.

Soluções simples, debaixo do nariz da comissão técnica e do departamento de futebol o ano todo, e só descobertas nas últimas rodadas do campeonato…

Se de um lado brilhou pela primeira vez a estrela do gatoto Veron, de outro, o jogo marcou também a última partida como jogador profissional do grande Edu Dracena.

Chegou no Palmeiras depois de estar encostado no Gambá, e com toda sua classe e profissionalismo, foi facilmente aceito pela torcida, apesar de já ser um jogador veterano.

Assumiu a titularidade enquanto pôde, aceitou a reserva sem alarde quando ela se mostrou necessária, e vestiu nossa camisa com muita honra e muito respeito.

Teve, ainda, a satisfação de terminar seu ciclo como jogador de futebol no mesmo estádio em que, décadas antes, iniciou sua trajetória, numa feliz coincidência do destino, que tirou o Palmeiras do Allianz e também do Pacaembu, e levou o time a jogar no Brinco de Ouro, onde o Dracena surgiu pro futebol.

Vestiu pela última vez a tarja de capitão, fez desarmes importantes, e ao final, foi festejado por todo o elenco, comissão e até jogadores do Goiás.

Obrigado, Edu Dracena, uma pena que tão poucos atletas vistam a camisa com o mesmo respeito que você mostrou pelo Palmeiras.

E pra quem acha que o campeonato acabou, com as derrotas do Ceará e do Cruzeiro, sobrou pro Palmeiras pregar a tampa do caixão dos mineiros, isso, é claro, se o Ceará não pontuar na rodada, o que já bastará praquele time safado de Minas passar uma temporada sem poder roubar o Palmeiras, pelo menos no BR.

É hora de descontar aquele assalto na Copa do Brasil do ano passado, NÓS NÃO ESQUECEMOS! É hora de grifar o B em caBuloso.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×3 Flamengo – BR19

E a casa caiu geral. Foi treinador, diretor, e boa parte do elenco selou ontem o fim do seu ciclo no Palmeiras.

O Mano realmente foi uma decisão fácil, tamanha a rejeição e a inoperância do time em conquistar bons resultados em jogos grandes.

Ontem foi só mais um exemplo. 3 minutos e o time já estava perdendo. Também, pudera, entrar com 3 volantes jogando em casa não merecia nada menos do que isso.

Deve ser dito também, que o Palmeiras, apesar de tudo, poderia até ter vencido o jogo. Um pênalti não marcado no começo do jogo e a expulsão do Fagner carioca Inda no 1T poderiam ter dado outra dinâmica pra partida.

E ainda teve duas bolas na trave e um gol anulado, pela TV não tive certeza se bem ou mal anulado.

Verdade que a essa altura o Flamengo já tinha tirado o pé. Mas que fique claro, essa superioridade toda passa, também, pela benevolência contumaz das arbitragens e da cabine do VAR.

Digo e repito. Seria campeão igual, porque é o melhor time, mas a diferença não seria tanta assim.

E sobrou pro Mattos também, afinal, ele fez a pior escolha possível para treinador com a saída de Felipão. Trocou o maior treinador da história recente do clube, contra a vontade de muitos, por um treinador de currículo bem magrinho e com identificação forte com o rival. Era óbvio que não ia aguentar 3 derrotas seguidas, e realmente não aguentou.

Mattos tem parcela importante de responsabilidade na guinada que o Palmeiras deu nos últimos 5 anos, transformando o Verdão no clube a ser batido.

Como no futebol ninguem tem crédito e lugar cativo, não sobreviveu à pressão da torcida e aos erros na montagem do elenco neste ano.

No fim, sua saída é melhor pra todos os envolvidos, começar o ano que vem como terminamos este seria o maior passo em falso que o Palmeiras poderia dar.

Tudo resolvido, então? Nem próximo disso, porque a depender de quem vier pros lugares de Mattos e Mano, as coisas ainda podem ficar bem piores do que já estão.

E, a se considerar que nos últimos anos o Palmeiras já estava com planejamento do ano seguinte montado em setembro, a troca geral no departamento de futebol em dezembro é uma verdadeira roleta russa.

Hora de aguardar as cenas dos próximos capítulos e que San Gennaro ilumine o dono da caneta no Palmeiras.

AVANTI PALESTRA!

Fluminense 1×0 Palmeiras – BR19

Passando aqui só pra avisar que assisti apenas 30 minutos do jogo, é preferi ir na reunião de condomínio do prédio.

Pelo que eu li, não perdi nada demais.

Menção apenas pra estreia do Veron, que me disseram que foi muito boa.

Que no domingo os jogadores que não mostraram nenhum futebol no Maracanã pelo menos honrem a camisa, ou saiam do vestiário direto pro RH.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×2 Gremio – BR 19

Não poderia ter terminado mais melancólico o final de semana do palmeirense. A derrota pro Grêmio jogando em casa, com um futebol preguiçoso e desinteressado é a cara do fracasso do Palmeiras nesta temporada.

É incrível a instabilidade dos titulares. Por exemplo: Deyverson e Scarpa, contra o Bahia, jogaram um primeiro tempo pavoroso, e foram substituídos por Borja e Lucas Lima, que entraram bem e levaram o Palmeiras ao empate, que poderia até ter sido vitória, não fosse aquele chute bisonho do William já no final do jogo.

Eis que então, ontem, Lucas Lima e Borja começam jogando, e aí? Uma partida pavorosa de ambos. O que leva a concluir que o Palmeiras tem 3 titulares – Weverton, Gomez e Dudu – e o resto do time não passa de alguns bons reservas, e outros nem mesmo isso.

E como o Palmeiras de 2019 não pode ver uma vergonha que já quer passar, como se já não bastasse ter perdido em casa pra esse mesmo Grêmio, nos custando a vaga na semifinal da Libertadores, fomos lá perder mais um jogo pros caras, e ainda de lambuja demos ao líder o direito de comemorar dois títulos no mesmo final de semana.

A falta de vontade e de tesão da maior parte dos jogadores que entraram em campo ontem mostra bem quem serve e quem não serve pra vestir a camisa do Palmeiras, que a diretoria tenha anotado bem o desempenho de todos no jogo de ontem e, também, em toda a temporada.

Outra coisa que chama atenção é que o treinador, apesar do bom aproveitamento, não conseguiu vencer nenhum dos jogos grandes, exceção feita ao SPFC que, na atual conjuntura, tem sido presa fácil pro Palmeiras.

Em 17 partidas até aqui, Mano Menezes perdeu pro Santos e pro Gremio, e empatou contra Atlético Mineiro, Gambá, Inter, CAP e Bahia. Não dá pra ganhar só jogo pequeno e querer ser treinador do Palmeiras, amigão…

E se a chance de título – que já era ridícula de pequena – finalmente acabou, o ano ainda não. Que esses jogadores se matem em campo pra recuperar de volta a segunda colocação, por um motivo simples e óbvio: dinheiro. Afinal, terminar em terceiro significará 2 milhões de reais a menos nos cofres do clube.

E ainda há a obrigação moral de vencer Fluminense e Cruzeiro, fora, e o Flamengo e o Goiás em casa, se esses jogadores tiverem um pingo de vergonha na cara.

Mas esse, aliás, é o grande problema: o Palmeiras hoje, é um time repleto de jogadores pé murcho, que somem na hora do vamo ver…

Que esse 2019 lastimável fique de lição, e que no ano que vem o Palmeiras retome a hegemonia dos últimos 4 anos, e para começar a faxina te que ser geral. Chega de comodismo no Verdão.

AVANTI PALESTRA!

Bahia 1×1 Palmeiras – BR19

Vai chegando ao fim, de forma bem sofrida, a tão promissora temporada de 2019.

O Palmeiras conseguiu passar em branco no ano que tinha a mais absoluta condição de ganhar tudo.

E até a pausa para a Copa América, o time era o melhor posicionado na América do Sul e no Campeonato Nacional.

Difícil entender o que contribuiu para o declínio e o fechamento do ano sem nenhum título.

A troca de Felipão por Mano Menezes mostra que o problema não era o técnico, embora os últimos jogos sob comando do Bigode tenham sido sofríveis.

Fica claro, então, que o Palmeiras apostou em jogadores que não tem perfil vencedor, ou então, melhor dizendo, que não resolvem jogo.

Tome o jogo de ontem como exemplo: depois de um 1T medonho, com Dudu inexplicavelmente pelo meio pra vermos Scarpa e Zé Rafael mal e porcamente pelas pontas, eis que se corrige pro 2T, com o Dudu aberto e dá-lhe Dudu neles.

Porque é o único que resolve, que cai pra dentro dos caras. O resto, oscila demais entre bons e pessimos jogos, mais péssimos, e aí muitas vezes só o Dudu não é o bastante.

Para 2020, o Palmeiras necessita urgentemente contratar mais Dudus e menos Scarpas e ZRs…

O segundo ponto que ao meu ver, depende da Diretoria chamar pra si, é uma briga generalizada com FPF, CBF, comissão de arbitragem e quem quer que seja responsável pela baixaria que virou a arbitragem brasileira.

Ontem o Palmeiras deixou de ter um pênalti óbvio marcado a seu favor. O mesmo pênalti que o VAR garantiu os 3 pontos no jogo Gavea 2×1 Fortaleza.

Enquanto isso, no Novo Olímpico, dois lances precisamente iguais, e duas interpretações diferentes, mas ambas a favor do líder, garantiram mais 3 pontos ao visitante.

Acho até que o Flamengo seria o campeão de qualquer jeito, é o melhor time, joga mais bola que todos os outros, mas a diferença abissal na pontuação passa, necessariamente, por uma parcela significativa de pontos vencidos com interpretações extremamente benéficas das arbitragens.

Pra 2020, o Palmeiras tem que ser bem mais incisivo na cobrança por uma temporada com arbitragens mais justas, e com uma aplicação neutra da ferramenta do VAR, que tanto se imaginou que viria pra ajudar, mas certamente se destacou de forma muito negativa neste ano.

Exceção feita à Libertadores, o Palmeiras foi decisivamente prejudicado no Paulista e no BR: no Estadual, nos custou a vaga para a final e no BR, ao menos, a briga ainda estaria em aberto.

Isso, porém, não apaga a má temporada do Palmeiras.

Faltou visão de mercado pro Palmeiras, assistimos o rival montar a espinha dorsal do time titular com reforços que chegam pra jogar, enquanto nós apostamos na manutenção do elenco de 2018 e alguns jogadores como peças de reposição, o que claramente não bastou.

Além disso, muitos jogadores foram dispensados sem sequer terem sido testados suficientemente, como é o caso do Artur Cabral, que está fazendo gol atrás de gol pelo Basel, seu novo clube.

Também não podemos deixar de falar dos jogadores que compramos machucados, como Goulart, Ramires, Henrique Dourado e até Luis Adriano, todos – uns mais outros menos – que jogam muito mais pelo DM do que pela SEP.

Enfim, cada um desses fatores tem sua parcela nesse 2019 bem abaixo das expectativas.

A lição que fica é que o Palmeiras não pode repetir o erro de se contentar com pouco. 2018 todo o projeto – que era de ser campeão da América – foi pro vinagre, e o BR, que era 2a opção caiu no nosso colo, vencido sem muita dificuldade e com time alternativo em boa parte do campeonato.

O grande erro foi achar que manter a estrutura bastaria. Não bastou, porque do lado de lá subiram demais a régua e porque, também, já não tinha bastado pros objetivos traçados pra 2018.

Por outro lado, eu sou daqueles que sempre tentam ver o copo meio cheio. O Palmeiras, definitivamente, voltou ao posto de protagonista no futebol brasileiro, do qual jamais deveria ter saído.

Pelo 5° ano seguido o time briga na ponta de cima da tabela, disputará pela 5a vez consecutiva a Libertadores e tudo caminha para que nesses últimos 5 anos tenhamos conquistado 3 títulos nacionais e 2 vice campeonatos, sendo que a perspectiva deste ano é que alcançaremos a mesma pontuação que, em 18, nos deu o Deca.

Pra quem nunca esquecerá o fim quase trágico e melancólico da temporada do centenario em 2014, é um salto gigantesco que não pode ser menosprezado.

Por mais frustrados que nós torcedores estejamos, e estamos muito, ao menos temos uma perspectiva de seguir brigando por títulos e não mais pela permanência na elite do futebol brasileiro.

O Palmeiras segue sendo imenso e em 2020, se tiver competência, isso se traduzirá em muitas novas conquistas.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×1 SCCP – BR19

10 anos, uma década sem penaltis marcados a favor do Palmeiras contra o rival, foi necessário instituir o VAR no Brasil pra essa palhaçada acabar.

E ai, o batedor oficial de penaltis no Palmeiras é o jogador mais displicente em campo.

Mesmo assim, ele é o artilheiro do Palmeiras na temporada. Sinal de que tem muita coisa errada nesse time, principalmente nos jogadores que tem a função única de fazer o gol.

Mas aí o elenco do Palmeiras tem um ótimo Luis Adriano, com problemas físicos, e o resto são jogadores muito, mas muito incompetentes, que jamais deveriam ter vestido a camisa do Palmeiras.

E olha que o Deyvereon até melhorou nos últimos jogos, mas ele continua sendo só o Deyverson, não é o bastante prum time que quer ser campeão.

Borja foi a maior ilusão da torcida dos últimos 20 anos. Jogador mediano, alçado ao patamar de bom depois de meia dúzia de jogos na Liberta e 4 gols contra o time do Jardim Leonor em 2015. Que fiasco a contratação mais cara da história do clube.

E pra completar, trouxeram de volta o Henrique – que não tem mais absolutamente nada de – Ceifador, o símbolo maior daquele nefasto time do centenário, talvez apenas pra lembrar o torcedor que há não muito tempo atrás, estávamos numa lama do caralho.

É esse o problema do Palmeiras: dos quatro 9 do elenco, só um tem qualidade pra jogar com a nossa camisa, mas não aguenta jogar todos os jogos. E os outros três, só estão aqui pra fazer a gente passar nervoso.

Voltando ao jogo, o pior é que de novo o Palmeiras amassou o Gambá, perdeu um caminhão de gols e, no fim, conseguiu escapar do vexame eterno da derrota, o que ainda assim não serve de consolo e só confirma que o problema do Palmeiras é tão simples quanto arrumar um jogador que consiga converter o bom.volume de jogadas de ataque em gols.

Cansei de ver o Palmeiras jogar melhor e não vencer esse time maldito. Preferia mil vezes que não tivesse jogado nada e achasse um gol cagado e levasse 3 pontos pra casa.

A diferença agora é de 7 pontos, podendo voltar a ser 8 ou subir de novo pra 10, e faltarão 18 pontos a serem disputados.

Quem ainda acreditar, parabéns, você é um verdadeiro otimista. Aqui, a ficha já caiu e esse 2019 que vá pra puta que pariu…

AVANTI PALESTRA!

Vasco 1×2 Palmeiras – BR19

E o Palmeiras segue fazendo sua parte. Mesmo sem 7 titulares, buscou uma difícil vitória fora de casa, devolveu a diferença pros 5 pontos e 3 vitórias, e agora espera o termino da rodada.

Logo aos 11 do 1T, um improvável gol de Lucas Lima, que ele fez de tudo pra perder, colocou o Palmeiras na frente, premiando o bom começo de jogo.

Mas o sistema defensivo não estava muito bem postado, possivelmente em função da quantidade de peças trocadas: um zagueiro, os dois laterais e os dois volantes.

E foi justo o Mayke, que foi tão bem contra o Ceará, que entregou a rapadura, depois de falha generalizada pelo lado esquerdo da defesa, mandou a bola contra o nosso gol.

1×1 injusto.

No segundo tempo o Palmeiras voltou bem melhor. Mateus Fernandes, que esteve bem atrapalhado na primeira etapa, começou a jogar mais próximo do ataque, e o Palmeiras, já com Luis Adriano em campo, começou a tomar conta do jogo.

Veio o Dudu no William e depois o Veiga no LL, e o gol teimava a não sair. bola na trave do Zé Rafael, rebote pra fora do Luis Adriano; cruzamento do Dudu, cabeçada errada do Luis Adriano.

Até que, ele, Luís Adriano, definiu o placar e os 3 pontos, ganhando a disputa de bola, limpando o zagueiro e batendo na saída do goleiro do Vasco.

O safado que operava o VAR ainda tentou marcar um pênalti contra o Verdão, mas o juiz (apesar de toda a confusão em campo, e de ter deixado de expulsar 2 jogadores do Vasco, um ainda no 1T), não caiu na palhaçada.

Vitória suada, titulares descansados e preparados pro Derby.

Eu não pretendo nem ligar a TV nesta quinta à noite. Se no domingo eu não liguei, e estava em campo um time que até então estava pelo G6, o que falar do Botafogo?

Eu vi o jogo do Botafogo contra o Cruzeiro na semana passada e, confiem em mim, não presta nem um pouco…

Agora, uma coisa é certa: se todo o mal do mundo do futebol começou quando o Diego Souza, então no Vasco, perdeu aquele gol feito no Pacaembu na Libertadores de 2012, está aí posta a chance dele se redimir com a humanidade futebolística.

Vamos, Diego Souza, tira essa mancha do seu nome no futebol, você não terá outra oportunidade nessa encarnação…

Foco no G4 e pra cima dos gambás.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×0 Ceará – BR19

Correndo o risco de ser injusto, mas acho que ontem presenciamos a maior atuação de um goleiro no Allianz Parque até hoje.

Foi uma monstruosidade o que defendeu o Weverton, pênalti, chute a queima roupa, chute de fora, no ângulo, meia altura. Pegou tudo.

Garantiu os 3 pontos numa atuação fraquíssima do Palmeiras.

E quanto ao gol anulado do Ceará, aparentemente usaram o mesmo software que validou e/ou anulou tantos outros gols nas rodadas anteriores. ” eu que não vou querer brigar com a tecnologia…” eles diziam, não é?

O que é curioso é que vc não viu na mídia esportiva nenhuma indignação com o resultado do líder contra o Fortaleza ou o CSA, por exemplo, como você já está vendo com a vitória do Verdão apesar do jogo ruim.

É assim que as coisas são, quando o líder vence sem merecer, com um lance auxiliado pelo VAR, é sorte de campeão. Quando somos nós vem um babaca sustentar que “futebol não é só matematica”… o cazzo que não é.

Mas, também, quem liga pro que a imprensa tem a dizer? Eles que mordam as costas, eu ligo pra 3 pontos e título, quem quiser ver futebol bonito que assista a Champions…

5 pontos.

Dificilmente essa distância vai se manter depois do complemento da rodada, e não vai ser aqui que vocês vão ler um pedido de ajuda pro Gambá.

O que importa é que a pressão hoje está do lado de lá. A depender do jogo de hoje, metade da vantagem terá desaparecido e esse elefante não está mais nos nossos ombros. E a perna vai pesar, ah e como vai…

Que venha a próxima vitória, e ela será dificílima de conseguir, em São Januário, contra um Vasco recuperado pelo ainda grande Wanderlei Luxemburgo. Mas ela virá.

E foco no G4.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 3×0 SPFC – BR19

Olha que se os Leonores não fossem tão ingratos, deveriam terminar o jogo agradecendo por terem escapado de uma surra histórica.

O Palmeiras jantou o SPFC e, de quebra, ainda duvidamos dos nossos olhos que viram Deyverson fazer uma partida quase perfeita, ganhando da defesa todas as bolas no alto e ainda fazendo um golaço antológico, absurdamente invalidado pela arbitragem horrivel de Rafael Klaus, mais uma contra o Palmeiras.

Dudu, como sempre, e Scarpa e Zé Rafael, como nunuca, jogaram o fino da bola e deixaram um jogo que podia ser complicado como se fosse um passeio no parque. No Allianz Parque.

E o Melo, mais um gol em clássicos, deve ser doído pra quem deixa posição política enviesar a análise da bola que o cara joga.

E ele joga demais, já não consegue acompanhar na intensidade de outros dias, mas sobra em qualidade e tem sido peça indispensável no esquema de jogo do Palmeiras, além dos gols importantes que ele tem feito.

Apesar que o Thiago “Desarme” Santos entrou no lugar dele e ganhou simplesmente todas as disputas de bola. Um monstro.

Que noite!

Só fiquei muito puto com uma coisa.

Dessa vez não teve gol de cobertura! Ninguém mais respeita tradição… KKKKKKKK

Foco no G4, mas uma olhadinha sem compromisso no jogo de hoje no Serra Dourada tá mais que autorizada.

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: