Arquivo da categoria: Geral

Palmeiras 1, 2, 3, 4 x 0 Santos – BR19

Olha, eu não sei quem inventou a expressão lavar a égua, mas se ela não existisse ainda, teria sido criada hoje no Pacaembu, depois da surra que o Sampaolli levou do Felipão.

Sim, porque a imprensa “especializada” ousou equivaler ao mesmo patamar o Deus Scolari com o jamais ganhou nada nessa vida Sampaolli e aí, enfim, tem 4 bolas na rede pra tentar recobrar senso nessa turma que recebe dinheiro pra falar asneira atrás de asneira…

Outro que banhou a equina na partida de hoje foi Dudu, 3 assistências, eu disse TRÊS! Que partida do nosso 7, ganhou até elogio do Santo…

Gustavo Gomez e Felipe Melo sem palavras o que vem jogando partida sim, partida também. E no próximo jogo, contra o Botafogo, os dois estarão fora, poutaquepariou…

Mas quem entrar vai dar conta do recado, temos segurança disso, tamanha a confiança e a consistência que esse time adquiriu.

E quem ainda se dispuser a parar pra ouvir a imprensinha dizendo que esse time não encanta, que não tem recursos ou outras bostas mais é porque gosta de bater palma pra louco.

Deixa eles falando e a gente ganhando.

Que massacre, que orgulho do Palmeiras!

E isso a Rede Globo não mostrou de novo KKKKKKKK!

AVANTI PALESTRA!

Galo 0x2 Palmeiras- BR2019

As transmissões de jogos pelas rádios costumam ser bastante caracteristicas; para superar a ausência da imagem, é a entonação do locutor que costuma indicar o quanto o lance que está sendo narrado é ou não perigoso.

E mesmo sem ver a imagem, a defesa do Palmeiras jogou tanta bola hoje que quase não se ouviu lances agudos no ataque do adversário.

O locutor da radio parecia estar narrando um jogo treino quando o Galo atacava, tamanha a monstruosidade que jogaram Luan, Gomez, Melo, MR, DB e, pq não, Weverton, nas pouquíssimas vezes que ouvimos o nome dele.

Já no ataque, foram várias chances, duas com Deyverson logo de cara e mais duas do Dudu (uma delas uma pintura de lançamento do Melo, outra pintura de ajeitada do Marcos Rocha e a finalização do nosso 7 caprichosamente na rede, mas pelo lado de fora), até chegar a vez de ser duas do BH: 2×0, um golaço no fim do 1T, outro no começo do 2T, as duas de fora da área, e já era pro Galo.

Verdão não ganhava do Galo lá em Minas pelo BR desde 2007, já pode tirar mais esse tabu da frente. Acho q acabaram todos…

E terminamos a semana como o melhor time, ataque e defesa tanto no BR como na Libertadores, com apenas 1 gol sofrido em cada competição.

E já são 27 jogos de invencibilidade no nacional, superando a marca anterior do Palestra, que era da época da Academia.

Mas há quem insista que o Palmeiras joga feio, que o Felipão é ultrapassado e outras bostas que se ouve por aí nesses programas que nunca mereceram a nossa audiência.

Deixa eles falarem groselha de lá e a gente seguindo líder da porra toda aqui. Assim tá ótimo.

E segue o meu PAL que ele ainda tá lá em cima.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×0 San Lorenzo – Libertadores19

Pelo segundo ano consecutivo, o Palmeiras termina a fase de grupos da Libertadores com a melhor campanha geral, com a vantagem de decidir em casa todos os jogos que estão por vir na competição.

Como a única vantagem é decidir em casa as próximas fases, sabemos que isso não tem muito valor, mas mostra que o Palmeiras definitivamente aprendeu a disputar a Libertadores.

Dessa vez, com uma circunstância diferente: se no ano passado o Palmeiras priorizou a disputa do torneio continental pra jogar com um time alternativo o BR, agora, pelo menos até aqui, parece ocorre r o movimento inverso, e o Verdão fez pelo menos 2 partidas, esta última inclusive, com vários reservas, preservando jogadores importantes pra disputa do nacional.

Foi o caso de Scarpa e BH, que ontem começaram no banco, e Deyverson, que nem relacionado foi.

Scarpa, aliás, entrou no 2T, fez o gol, mais um cruzado de fora da área, é já saiu depois de sentir alguma dor no joelho direito.

Na defesa, mais um clean sheet da dupla Gustavo Gomez e Luan, e o Palmeiras, de novo, não passou sufoco pra garantir os 3 pontos.

No ataque, Borja não foi bem, e acabou substituído por Artur Cabral, que também não fez muito. Assim como Deyverson, quem em 9 jogos como titular absoluto marcou uma unica vez.

Definitivamente, falta um 9 de verdade pra esse time, e com os defensores do Borja – eu incluso – cada vez mais escassos em meio à torcida, o Palmeiras vai ter mesmo que ir ao mercado pra contratar um centro avante titular. Imagino até que o Matos já esteja vendo isso há algum tempo.

Na parte do apito, uma arbitragem safada típica da Libertadores, em que o juiz deixou de marcar um pênalti óbvio.pro Palmeiras, é foi complacente com a pancadaria do San Lorenzo.

E na bancada, os 29 mil presentes não deixaram de mandar o recado pra emissora que transmitia a partida ao vivo e que deve ter tido trabalho pra abafar o coro da torcida. Chupem!

Domingo pegamos o Galo em BH, será a primeira final fora de casa das muitas que ainda estão por vir neste BR, e se o Palmeiras vencer, assume a ponta da tabela tambem no nacional. Pra cima deles!

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×0 Inter – BR19

Com uma atuação impecável do sistema defensivo e um gol de Deyverson, o Palmeiras chegou à sua segunda vitória no Campeonato, confirmando 100% de aproveitamento dentro de casa. Foi o 26o jogo sem derrota do Palmeiras no BR.

A partida da zaga foi tão perfeita que o Weverton precisou fazer uma única defesa ao longo de toda a partida, tamanha foi a superioridade dos defensores do Verdão em relação aos atacantes do adversário.

Já no ataque, a eficiência não foi a mesma e, principalmente no 2o tempo, o Palmeiras desperdiçou duas chances de gol incríveis, ambas com Hyoran, que poderiam ter garantido 2 ou 3×0 a nosso favor. Antes disso Marcelo Loba pegou uma cabeçada certeira do Marcos Rocha, que também merecia ter ido pra rede.

Se o Deyverson não tivesse marcado o gol hoje, provavelmente o post inteiro seria pra reclamar da postura dele em campo, passou mais tempo deitado e se jogando do que em pé. Como ele fez o gol, vou deixar quieto dessa vez…

Gostei bastante das alterações que o Bigode fez, principalmente a entrada do Moisés, que restabeleceu o controle do Palmeiras sobre o meio de campo e ainda permitiu um desafogo nos contra-ataques que o time não estava conseguindo encaixar.

Mas o dono do jogo, pra mim, foi mais uma vez o Felipe Melo, desarmou tudo que passou na frente dele e ainda foi pra cima daquele peruano cretino que deveria ter sido expulso, não deixou o D’Alessandro se crescer no jogo ou com a arbitragem, enfim, noite de gala pro nosso volante, jogou firme com responsabilidade e jantou a gauchada. 

Na volta do estádio, vim ouvindo o comentarista da Radio Bandeirantes reclamando de treino fechado do Palmeiras e chuveirinhos na área, pois eu quero que ele e a imprensa inteira continue achando ruim, e o Palmeiras continue sendo campeão. Pra mim tá ótimo assim: sigam chorando e a gente comemorando.

E se a emissora de TV apostou que a torcida do Palmeiras iria se voltar contra o clube por causa da ausência de jogos transmitidos, espero que o recado tenha sido dado também:

O REDE GLOBO VAI SI FUDÊ, O MEU PALMEIRAS NÃO PRECISA DE VOCÊ!

Foi o que os 31 mil pagantes deixaram bem claro já no final do jogo. Sigamos assim, ou respeitam nossa instituição, ou que se fodam sem nós. A torcida comprou essa briga, agora aguenta…

Nesse meio de semana pausa no BR pra receber os argentinos da chave e garantir a primeira posição do grupo na Liberta. Felipão disse na coletiva que o Deyverson, depois de 9 jogos seguidos, deve ter um descanso. Será que o Borja vai jogar ou iremos de Artur? Acho que nem o Paulo Turra sabe rsrs

AVANTI PALESTRA! 

CSA 1×1 Palmeiras- BR19

29 anos atrás é o quanto minha memória me permite voltar à minha primeira lembrança de um jogo do Palmeiras que ouvi pelo rádio.

Deve ter havido muitos outros com certeza, mas o primeiro que eu lembro com mais precisao foi o empate contra a Ferroviária, que deixou o Verdão de fora da final do Paulista de 1990, que o classificado Novorizontino perdeu pro Bragantino de Luxemburgo e cia.

O aparelho de rádio daquele dia foi quebrado na porta do armário e me custou uma boa surra., mas o gosto por ouvir jogos pelo rádio nunca foi embora.

A final da Copa do Brasil de 1998, por exemplo, eu ouvi no rádio do meu Santana 1991 a álcool cor de vinho, o primeiro carro que eu tive.

Tenho certeza que todos vocês que começaram a acompanhar futebol nas décadas de 70, 80 e 90 têm outras lembranças marcantes de jogos (bons ou ruins) do Palestra.

Porque era comum não ter transmissão, TV a cabo não existia e jogos na Capital só assistia quem ia ao campo, não passava na TV de jeito nenhum. A regra era sempre o rádio.

Então voltar hoje a ouvir jogos do Verdão pelo radinho trouxe muitas memórias, umas boas, outras nem tanto, mas serviu pra matar um pouco da saudade daquele tempo de criança em que ver as partidas ao vivo na TV era exceção e não a regra.

E o reencontro com o radinho podia ter sido melhor, já que o empate dos reservas do Palmeiras contra o modesto CSA não agradou absolutamente ninguém.

Em termos de planejamento, a folga pros titulares e o uso do time reserva na partida de hoje foi perfeita, ou melhor, poderia ter sido, não fosse o resultado.

Afinal, no sábado recebemos o Inter, adversário direto na disputa pelo título no último BR, e na quarta recebemos o San Lorenzo, pra garantir a classificação pra próxima fase da Libertadores em 1o lugar e, com ela, o direito de decidir as oitavas em casa.

Então, a escolha em poupar os titulares foi correta. Mas, no ano passado foram vários os jogos em que os reservas não conseguiam o resultado durante o jogo e Dudu e Bigode entravam e resolviam. Hoje, nenhum titular estava no banco…

E isso tem que ser dito porque ficou claro mesmo – desde o ano pasaado – que o Palmeiras não tem 2 times, depende muito dos seus titulares pra obter os resultados e muitos dos jogadores que entraram na partida de hoje já deixaram claro que não vão resolver partida nenhuma pro Palmeiras.

Lucas Lima, pra mim, segue sendo o emblema disso e a maior decepção dos últimos sei lá quantos anos, principalmente porque ele parece não estar nem um pouco incomodado de ser reserva no Palmeiras e de produzir tão tão pouco pra justificar o caminhão de dinheiro que ele ganha todo mês…

Outros que até agora não justificaram suas contratações são Carlos Eduardo e Felipe Pires, a essa altura da temporada já era pra eles estarem jogando alguma coisa, mas nada…

E pra terminar, a dupla de zaga Dracena e AC segue sendo a que mais concede gols aos adversários, o Palmeiras só leva gols quando eles estão em campo, ou um deles. No lance do gol do CSA, em uma cobrança de escanteio, a pane defensiva foi geral e levamos gol num bate-rebate que não pode acontecer dentro da nossa area.

Que tudo isso sirva pra que o Palmeiras poupe com moderação nos próximos jogos em que isso for necessário e que mesclar alguns dos bons reservas com os titulares pode ser muito mais produtivo do que o que vimos hoje.

Sabado é dia de retomar o caminho das vitórias.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 4×0 Fortaleza – BR19

E o BR começou como terminou o último, com o Palmeiras em 1o lugar – E SEGUE MEU PAL QUE ELE TÁ LÁ EM CIMA KKKKK

E por falar em não perder o costume, Rogerio Ceni levou outra goleada no Allianz Parque eu já até perdi a conta, mas ele ja tem mais de uma duzia de gols sofridos AHAHAHAH

Marcos Rocha, com 1 gol e duas assistências, e Zé Rafael, com 2 gols, foram os nomes do jogo.

Fechando a semana com 8 gols marcados e nenhum sofrido, tá bom né?

Mas nem tudo foi alegria, mais uma vez vimos em campo uma arbitragem cheia de patifaria e tudo leva a crer que seremos mais e mais prejudicados pelos assopradores de apito.

Tá incluso no pacote de brigar com a detentora dos direitos de transmissão da TV aberta, só nos resta atropelar todos que vierem pela nossa frente, pq se for depender de arbitragem, estamos pegos…

Mas não vamos arredar o pé, é fechadocomOPalmeiras e

AVANTI PALESTRA!

Melgar 0x4 Palmeiras – Libertadores19

Primeiro, sobre a transmissão exclusiva pelo FB, minha única crítica foi o horário mais do que cretino. Em casa tenho internet a cabo de 15MB, usei o Wifi pra conectar o celular e espelhei ele na TV, não falhou nenhuma vez.

Mas vi que teve gente que teve problema, então isso precisa ser considerado também: se atender bem a todos, não vejo problema nenhum; se não atender, então não serve.

Sobre o jogo, o Palmeiras finalmente jogou a bola que o torcedor gostaria de ter visto desde o começo do ano.

Felipão fez uma mudança interessante e, na ausência do Goulart, tirou o Scarpa da ponta e trouxe pro meio de campo.

Não poderia ter dado mais certo: aquele buraco na meia que tanto atrapalhou e sobrecarregou nosso sistema defensivo em outros jogos simplesmente sumiu, e BH e FM quase não tiveram trabalho para neutralizar as investidas do dono da casa, tamanha era a compactação da intermediária do Verdão.

E isso facilitou as roubadas de bola e as saídas em contra-ataque, com Scarpa acionando ora Dudu, ora ZR, ora Deyverson, para as jogadas ofensivas.

A grande diferença que se viu foi que o Palmeiras no ataque recorreu bem menos às ligações diretas, embora os lançamentos altos pro Deyverson tambem tenham ocorrido, mas não foi a única alternativa do Palmeiras no ataque.

O primeiro gol não demorou a sair, e veio de uma jogada de escanteio curto, passando por um corta-luz com responsabilidade do Felipe Melo e terminando com uma cabeçada certeira do Gustavo Gomes.

E o Palmeiras não se acomodou, como vimos em Barranquilla, por exemplo, e seguiu buscando o ataque.

O segundo gol, ainda no 1T, veio em arremate de primeira, do Scarpa, de fora da área, depois de uma rebatida da zaga adversário.

O Palmeiras voltou do intervalo com a mesma formação, mas 1Felipão não demorou a mudar o time.

A primeira alteração foi Hyoran no lugar do Zé Rafael, é não poderia ter sido mais certa: logo no segundo lance do camisa 28, ele deixou Scarpa na cara do gol pra fazer o segundo dele e o terceiro do Verdão. Era pra ser o prego final no caixão do Melgar.

Mas não foi. Com LL no lugar de Dudu e Moises no lugar do BH o Verdão ainda fez o quarto gol, com o Profeta, em mais uma assistência do Hyoran.

E já nos acréscimos, Scarpa deixou Moises livre pra parar, limpar a jogada e escolher o canto, mas a bola foi caprichosamente para fora.

4×0 de responsa, que colocou o Verdão de volta na liderança do grupo, classificado e que deveria servir pra trazer paz pro início do BR neste final de semana, certo?

Só que não, né, já que tudo no Palmeiras tem que ser complicado, e acreditem, teve gente que pegou sei lá quantos aviões pra chegar em Arequipa, no sul do Peru, pra ir xingar jogador depois de uma goleada do time.

Dificil entender o que motiva uma coisa dessas, não pode ser só a eliminação NOS PENALTIS num torneio regional insignificante e que o Palmeiras sequer deveria ter disputado…

Enfim, cada um sabe o que faz, eu só queria entender quando é que foi que o Palmeiras passou a ter obrigação de ganhar todos os torneios que disputar na temporada…

Que esse time estava jogando menos do que podia ninguem discute, que a eliminação pro time mediocre dos Bambis foi ridicula todos nós concordamos, mas daí a xingar jogador depois que o time goleia na competição mais importante do ano, eu realmente não entendo a razão.

O Verdão desembarca logo mais do Peru e já inicia a preparação pra estreia no BR, contra o Fortaleza em casa, no domingo 19 hs.

Que a caminhada seja vitoriosa e digna da nossa camisa.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 3×0 JR. Barranquilla – Libertadores19

Antes de falar do jogo, precisamos falar sobre o absurdo de se atirar pedras no ónibus do atual campeão brasileiro, na chegada pra uma partida do torneio mais importante do ano.

É inadmissível o que aconteceu. Nenhum palmeirense ficou feliz com a eliminação no Paulistinha e cada um tem sua própria opinião, uns ficaram mais putos, outros menos, alguns acham que o time foi covarde, outros tantos, muitos com quem eu conversei hoje lá no Allianz Parque não estavam felizes, mas consideraram a saída do estadual como algo corriqueiro.

Basta avaliar que os dois times de melhor campanha, os dois times que buscaram ganhar seus jogos nas finais, ao invés de só se defenderem, foram os que não foram pra final.

Ambos eliminados nos pênaltis. Que é loteria muito mais do que commuitapetência.

Não sei quando alguns torcedores do Palmeiras ficaram tão mal acostumados que não conseguem suportar uma derrota ou uma desclassificação.

Onde estavam no final da década de 70 até o início dos anos 90, naqueles 16 anos infindáveis? Por onde andaram nos anos 2000, no inferno de 2002, depois o novo inferno de 2012, e no quase mais um inferno em 2014?

De 2015 pra cá o Palmeiras foi campeão da Copa do Brasil, mas antes perdeu a final do Paulista. Depois. foi campeão brasileiro, mas antes foi eliminado no paulista pra Ponte Preta.

Em 2017, novamente fora da final do Paulista, mas depois foi vice campeão brasileiro e o título só não veio graças aquele assalto no Itaquerao na reta final do BR.

No ano passado, perdeu a final do Paulista naquela patifaria toda, mas, de novo, campeão brasileiro.

Não precisa ser nenhum gênio pra concluir que não vencer o Paulista não atrapalha e nem dá a tonica do resto do ano.

E não existe maior verdade no futebol do que a máxima de que não se pode ganhar todas.

E se não vamos ganhar todas, que seja então no Paulistinha de merda que as conquistas não venham.

Então, guardem suas pedras… O ano está só começando, a prioridade nunca foi o torneio estadual e mesmo que 2019 termine sem nenhum troféu, não serão pedras que irão resolver.

Por isso, quem estiver contrariado com o desempenho do time tem todo direito de ir ao estádio e cobrar os jogadores, xingar, exigir empenho, como boa parte da torcida fez hoje, com toda razão. E só.

Sobre o jogo, foi bem pouco interessante, apesar do 3×0.

Esse time ainda tem muito a evoluir, e essas 2 semanas de pausa até o próximo jogo terão toda a importância pra aprimorar a forma física de uns, acertar o posicionamento e tirar a preguica de outros e, principalmente, arrancar esse time da mesmice e da previsibilidade que nos incomoda tanto.

Gols de Deyverson, Dudu e Hyoran este, pra mim, a grata surpresa de hoje – apesar do pouco tempo jogado – junto do Diogo Barbosa, a quem o banco dos últimos jogos parece ter feito um bem danado.

Quem sabe nao acontece o mesmo com o Borja, hein, Bigode? Já são 5 jogos fora..

Com o resultado o Verdão chega a 9 pontos e precisa apenas de um empate contra o Melgar, fora de casa no dia 24, pra confirmar a vaga nas oitavas de finais e depois brigar em casa, contra os argentinos, pra conseguir a 1a cooocacao no grupo.

Espero que até lá esse time esteja voando, nada menos que isso pode ser aceitável.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 0(4×5)0 SPFC – Paulistinha19

E o Campeonato da Federaçaozinha que o Palmeiras sequer deveria ter disputado chegou ao fim depois de um 0x0 e eliminação na disputa de pênaltis.

A semana que antecedeu o jogo de hoje começou com um inacreditável julgamento no TJD, em que o Moises, que havia levado um soco na cara, teve a pena de 1 jogo de suspensao aumentada para 4.

Os contornos absurdos do julgamento, suas irregularidades e nulidades deixaram absolutamente claro o que já tínhamos certeza: o Palmeiras não terá justiça, dentro ou fora de campo, enquanto seguir sua cruzada contra os sem vergonhas que comandam o futebol estadual.

O efeito suspensivo obtido no STJD corrigiu a ofensiva contra o Verdão, mas já sabíamos o que estaria por vir na tarde de hoje ou, se o Palmeiras tivesse passado, nos próximos dois jogos.

O saldo do VAR em jogos do Palmeiras está aí para não mentir: 4 jogos, dois erros grosseiros contra o Palmeiras – os dois interferindo no resultado da partida, nenhum a favor.

Na semana passada, o pênalti anulado sobre o Dudu foi a cereja no bolo de patifaria que a Federacaozinha preparou para o Palmeiras, somado ao gol irregular do Novorizontino com omissão de um dos ângulos das imagens do VAR, justamente o que mostrava a mão na bola.

E o gol anulado do Deyverson hoje é daqueles que a gente bem sabe que em Itaquera, com VAR, sem VAR, é SEMPRE gol pro time da casa. Mas tava impedido, quase nada, mas estava.

Thiago Volpi atrasou as reposições de bola desde o primeiro tempo, mas o árbitro – que vejam só, integrou a equipe do VAR no jogo passado – não chamou a atenção dele até os 40 do 2T.

Só de tempo parado para revisão dos gols anulados foram 8 minutos, isso sem contar 5 substituições e incontáveis atendimentos no campo pros jogadores adversários. Mas o tempo extra? 6 minutos…

Não vamos falar então das 27 faltas sofridas por Dudu, Goulart e Deyverson, quase sempre não marcadas…

Ou seja, o VAR que veio pra moralizar o futebol, moralizou de um lado só. Contra o Palmeiras, o VAR funciona que é uma beleza. Já a favor… E a arbitragem, no geral, o que já era muito ruim agora ficou péssimo.

Mas isso ninguém vai falar.

Vão dizer que é choro de perdedor.

Vão falar que esse time não presta, que só tem jogador acomodado e perdedor, que o Felipão é ultrapassado e não consegue fazer esse time jogar bola… A lista de lamentos no Twitter é gigantesca, e não tiro a razão de quem está emputecido com mais essa eliminação em casa, a terceira seguida em disputas de pênaltis.

Mas precisamos ter coerência. Se esse campeonato nao valia nada como muitos de nós cansamos de falar desde o inicio, eu principalmente, não dá pra querer virar tudo do avesso com essa eliminação.

Não sem olhar todo o contexto e incluir na equação a Federacaozinha, o Tribunal, o VAR e as arbitragens sempre lastimáveis, com ou sem vídeo.

É lógico que precisa melhorar, a começar pela escassez de gols, já se vão 3 jogos inteiros sem balançar as redes, e a considerar a péssima fase dos nossos 9, muito surpreende que o Deyverson tenha sido titular absoluto e intocável nos 270 minutos em branco.

Não era o caso de dar chance pros outros 2?

Mas o problema está longe de ser só os 9s, porque o problema mesmo está na criação.

Com Dudu e Bruno Henrique versão 2019 bem abaixo do que podem jogar, o Palmeiras sofre pra criar situações claras de gol, e isso ficou bem evidente hoje, em que o goleiro adversário não precisou fazer uma defesa difícil durante toda a partida. Semana passada também não precisou fazer muita coisa…

Se a defesa segue sendo uma das melhores e menos vazadas do país, o ataque do Palmeiras está devendo muito.

E agora a pressão aumentará, e muito, sobre elenco e comissão técnica. O que é natural.

Ninguem ficou feliz com esse resultado. Nem eles lá e muito menos nós aqui.

Mas seguimos confiando nesse elenco, no Bigode e principalmente na camisa do Palmeiras.

Se o ano começa agora, então o Palmeiras entra precisando melhorar, e rápido.

4a feira ja tem Libertadores em casa e qualquer coisa diferemte da vitória será catastrófico.

AVANTI PALESTRA!

San lorenzo 1×0 Palmeiras – Libertadores19

Talvez – eu disse talvez – a estratégia desenhada pelo Felipão para o jogo de ontem tivesse dado extremamente certo: i) SE aquela bicicleta do Moisés não tivesse parado caprichosamente no travessão; e ii) SE BH e Thiago Santos não tivessem, os 2 tomado amarelo ainda no primeiro tempo, junto com o Marcos Rocha.

Felipão preferiu não arriscar perder um jogador e apostou que o esquema no meio seria mantido com FM e LL no lugar dos volantes amarelados, voltando pro 2T com essas alterações.

E foi o que enterrou o time: um inexplicável buraco no meio, quando a marcação do Palmeiras estava alta, foi o que bastou para – com a pane total do sistema defensivo – o San Lorenzo abrir o placar.

Some-se a isso o desempenho pífio do ataque no geral, e a falta de vontade patológica com que o Lucas Lima (in)justifica a fortuna que recebe todo mês, e já se tinha a certeza de que o Palmeiras não chegaria ao empate nem se estivesse jogando até agora.

Mas, daí a pintarem a tragédia que estão pintando também, é um tamanho exagero. Foi a SEGUNDA derrota no ano. SE GUN DA. Se considerar que no segundo semestre de 2018 o Palmeiras só perdeu uma vez, São 03 derrotas nos últimos 9 meses…

Que o time pode jogar mais e que não vai jogar sempre tudo o que pode são fatos que precisamos aceitar, ao invés de achar que está tudo errado e que ninguém presta. Temos um dos elencos mais qualificados do continente e temos que confiar que esse time vai conseguir os seus objetivos.

Agora, no domingo é fazer valer a tradição, o mando de campo e a camisa e, quem sabe, ter a chance de lutar pra reparar e finalmente fazer justiça contra a safadeza da final do Paulistinha de 2018, mas, já sabemos que teremos que ganhar do adversário e da TV, Federação, VAR, comissão de arbitragem, etc.

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: