Arquivo da categoria: Arena

Posts relacionados com a Arena palestra Itália, a nova casa do Palmeiras

Clássicos, Canindé, Pacaembu e Interior, por Orelha

O Palmeiras, devido as obras no Palestra Italia, vem há aproximadamente um ano jogando fora da sua casa, mesmo como mandante. Nesse período o time já jogou na Arena Barueri, Canindé e Pacaembu, sem criar identidade com nenhuma das canchas, nem torcida e nem jogadores sentem-se em casa em nenhum dos três estádios.

O fato é que mandaremos nossos jogos em casa somente após Abril/2013 e nesse período disputaremos 3 Campeonatos Paulista, 2 Brasileiros, 2 Sulamericanas e 3 Copas do Brasil ou Libertadores. Excluindo o Campeonato Brasileiro, em todos os outros temos fase de mata-mata, onde deveremos, por obrigatoriedade da PM, jogar no Pacaembu. O mesmo se aplica a todos os clássicos que disputaremos em todos os campeonatos disputados.

Bom, se em todos os clássico e jogos decisivos teremos que jogar no Pacaembu porque a diretoria não o adota como nossa casa nesse período? O argumento de que é mais econômico jogar no Canindé, foi facilmente desmistificado pelo Barneschi aqui.

Mas, o que mais me incomoda é o fato de, ao adotar o Canindé como casa e iniciar a construção dessa identidade, que está perdida, disputaremos todos os clássico em campo neutro, não fazendo, assim, o uso da força em ser mandante. Aliás, no clássico desse domingo não estaremos em campo neutro, já que o Santos atuou mais vezes que nós no Pacaembu e nossa diretoria, ainda, teve a brilhante idéia de presenteá-los com ingressos para o tobogã.

Os que defendem o Canindé irão alegar: “ahhh, mas o time está invicto no Estádio da Portuguesa…” Sim, estamos invictos como estaríamos em qualquer estádio onde disputássemos jogos contra as, fracas, equipes que enfrentamos. “ahhh, os jogadores preferem o Canindé…” então que peçam transferência pra Portuguesa porque aqui é Palmeiras é time grande e não podemos limitar nossa torcida a apenas 13 mil ingressos.

Gosto de assistir jogos no Canindé, um dos únicos estádios que ainda permitem o passeio pela arquibancada. Mas um clube da grandeza do Palmeiras não pode criar uma identidade num campo que não servirá pra nada quando realmente precisarmos da força do nosso mando.

Os que são contra o Pacaembu, alegam: “ahhh, mas é o estádio do Corinthians…” esses não conhecem nossa história. Primeiro porque o Corinthians não tem casa e segundo que já ganhamos deles Campeonatos Brasileiro e Rio SP jogando no Pacaembu, sem contar a semi final do paulistão desse ano, que não fosse a péssima arbitragem, sairíamos com a vitória.

Há ainda os que defendem jogos no interior, outra balela. Jogos no interior são tratados pela torcida local como evento/festa, sendo assim nossa diretoria deve escolher a cada ano uma cidade para fazer a pré temporada. Ganhamos grana da prefeitura, grana dos patrocinadores que vão expor suas marcas em outras praças e agradamos nossa torcida fora de São Paulo. Desculpe-me, vocês torcedores do interior, mas escolheram um time da capital pra torcer. Se quiserem ver jogos venham até aqui. Já fui pro Rio, BH, RS, Araras, Ribeirão Preto, Presidente Prudente, São José do Rio Preto, Argentina, Uruguai, só pra ficar nos mais distantes da capital. Então façam um esforço e parem de chorar.

Portanto, precisamos urgentemente criar uma identidade com algum estádio, e que ele seja o Pacaembu, para que em jogos decisivos e clássicos o time e torcida não se sintam em campo neutro.

Pacaembu é mais perto do Palestra, onde a gente já estava acostumado a ir.
Pacaembu é servido por duas linhas de metrô, verde e vermelha.
Pacaembu é servido por 700 linhas de ônibus vindos de todos os lados de SP.

Orelha

Primeiro Tempo, de Rogério Zagallo

Como prometido, estivemos hoje no Museu do Futebol, para acompanhar a abertura do II Cinefoot, mostra de cinema exclusiva sobre filmes de futebol. Como noticiamos aqui, a abertura ficou por conta do filme Primeiro Tempo, que contou a história do estádio Palestra Italia, desde 1917, sua inauguração como estádio de futebol usado pelo Palmeiras, até o último jogo antes do fechamento do Palestra para a reforma que o transformará na Arena Palestra Itália.

Chegamos cedo, para garantir presença na sala lotada de palestrinos e, como sempre, de rostos conhecidos. Nenhuma cadeira vazia e a necessidade de uma sessão extra deram o tempero do que estava por vir.

Antes de começar o filme, foi exibido um curta metragem sobre o Vivaldão, estádio do Amazonaa que foi demolido para a reforma pra Copa 2014. O filme conta a história do segundo estádio mais demorado pra se construir do mundo. Foram 25 anos até estar pronto. O mais demorado, como vocês sabem, é um aí que já se vão 100 anos de promessas e nenhuma perspectiva de sair do chão… AHAHAHAHAH!

Começado o Primeiro Tempo, foi primeiro dificil, depois impossível conter as lágrimas. Um trabalho primoroso e dotado de todo o carinho que só um verdadeiro torcedor sabe dedicar à sua paixão, o documentário navegou pelo dia 22 de maio de 2010, data da última partida oficial do Palmeiras no velho Palestra, antes da reforma que o transformará na maior e melhor arena multi-uso da América Latina.

A todo momento, o transcorrer do dia da despedida era mesclado com depoimentos dos heróis palmeirenses como Oberdan, Valdir, Ademir, César, Evair e Marcos, cada um contando um pouquinho da sua história com o Majestojoso da Pompéia. Também não faltou depoimento de torcedores palmeirenses, sócios do clube ou membros das organizadas, e até uma estreante no Palestra justo no dia da sua despedida, um dos relatos mais emocionantes.

Uma verdadeira obra-prima, um patrimônio e uma verdadeira homenagem ao Palmeiras, à sua casa e, principalmente ao seu torcedor.

Ao final, luzes acesas, o que se viu foram olhos marejados, emocionados e entregues a um belíssimo registro que refletiu toda a nostalgia da casa palestrina, das conquistas do nosso glorioso passado e, principalmente, da imensurável paixão que o torcedor palmeirense sente pelo clube e pelo Palestra Itália.

Pra quem freqüenta estádio assim como eu, é difícil explicar a emoção de rever o Velho Palestra depois de quase um ano sem encontrar os amigos na esquina da Turiassu com a Caraibas antes do jogo, sem entrar no estádio e já ali do fosso, fazer a primeira previsão do público presente (sempre errada…), sem pisar naquele sexto degrau atrás do gol, ali onde não dá pra ver quase nada do jogo, e esperar toda a moçada se juntar ali mesmo pra apoiar o Verdão.

Acho o Pacaembu bem bacana, nao gosto muito do Canindé, do Panetone ou de Barueri, mas nenhum deles, nem mesmo a nova Arena, irá me trazer o conforto e aquela sensação de estar em casa como eu sentia no Velho Palestra, ali onde eu vi, pela primeira vez, aquele time guerreiro de verde subir as escadas pra mais um prélio que o aguardava.

Se você é palmeirense, o documentário é obrigatório e imperdível. Agora, pra você ver, vai ter que esperar mais um pouco. O filme não será mais exibido no Cinefoot, mas deve ser lançado em DVD no segundo semestre. Eu vou comprar o meu!

Mandei um e-mail pro Rogério Zagallo, diretor do filme, e vou ficar torcendo para que ele aceite dar uma entrevista aqui para o blog. Faz figa aê, parmera!

As fotos da Mostra:

Este slideshow necessita de JavaScript.

AVANTI PALESTRA!

Vamos ao Cinema?

Não, parmera, o Blog não mudou de tema.

Como voces já devem ter visto na midia palestrina, o Cinefoot 2011, organizado pela International Footbal Film Festival, é uma mostra de cinema apenas de filmes sobre futebol, que ocorrerá aqui em SP entre 02 e 05 de junho no Museu do Futebol.

Divulgação em globoesporte.comE no dia 02, às 19:30 hs, será exibido Primeiro Tempo, documentário cuja descrição oficial é a seguinte:  A despedida de uma torcida do estádio onde viveu momentos históricos. Depois de 93 anos, o Palestra Itália, casa do time e da torcida Palmeirense, vai dar lugar a um novo estádio. A história é contada através de cenas do último jogo no local, intercaladas com depoimentos de torcedores, jogadores e ex-jogadores, sócios e funcionários do clube e moradores do entorno.

Pra quem ainda não viu, o trailer do documentário já dá uma boa idéia do que o palmeirense pode esperar do filme, que vai ajudar a matar essa saudade absurda que sentimos do bom e velho Palestra:

Nesses últimos 367 dias desde que o Palmeiras fez seu último jogo oficial no Palestra, o vazio no peito é cada vez maior, até porque o Palestra é insubstituível, por mais entusiasta da Arena que eu seja, nada vai superar o charme e a singularidade da nostra casa.

Aliás, dia 22 de maio do ano passado eu estive lá, e tratei de tirar a maior quantidade de fotos possíveis, pra sempre poder relembrar das inúmeras alegrias que a arquibancada me proporcionou todos esses anos, sempre nos primeiros degraus, ali onde a visão era a pior possível mas se podia acompanhar toda a movimentação da torcida e sempre encontrar os amigos.

O meu documentário ficou assim:

Este slideshow necessita de JavaScript.

E na quinta que vem, não perco por nada a exibição do Primeiro Tempo. A entrada é franca mas tem que chegar cedo. Encheu a sala, não entra mais. E aí. Vamos ao cinema?

Saudades eternas do Palestra!

AVANTI PALESTRA!

O Gambá subiu no Telhado…

Pelo andar da carruagem, as obras do Carandiru – Itaquera (Carandiquera), também conhecido como Itaquerão, vão, mais uma vez, virando história pra boi dormir.

Há 28 anos atrás, já se viu esse filme. Vamos relembrar.

Primeiro, o vídeo de convocação da torcida para o lançamento da pedra fundamental, que seria em 25 de janeiro de 1983:

A foto do dia do evento, valendo destaque pro carro zero bala (último modelo) da reportagem da TVS, que virou SBT, e pro camelô Abravanel vendendo bexigas (antes de se tornar SS, bilionário dono de TV):

Nem o apoio da poderosa emissora de TV resolveu pra Gambazada em 1983 pra eles construirem um estádio, sendo que naquele tempo não tinha ação do MP exigindo a devolução do terreno cedido pela Prefeitura, não tinha (ou tinha) cano da Petrobrás passando por baixo do terreno, não tinha toda a opinião pública de olho, enfim, era só jogar o cimento e levantar o presídio, ops, o estádio.

Quase 30 anos depois, se não bastasse o Ministério Público, que quer o terreno de volta pra Prefeitura, a Petrobrás, que diz que muda os canos de lugar mas não vai pagar por isso, e as centenas de milhares de blogs, sites e jornalistas opinando a cada novo dia sobre as manobras políticas que são necessárias pra desemperrar um projeto dessa magnitude, outros são os problemas que o Gambazão começa a enfrentar.

Enquanto os outros estádios que em tese receberão jogos da Copa tiveram cerca de 30 não conformidades apontadas pela Fifa em seus projetos, o projeto da Galinhada teve nada menos que 109 irregularidades, rendendo à Gambazada o único título no ano do Centenada: o de pior projeto de estádio de todos os tempos. Nada mais esperado…

Mas não é só. O projeto inicial não tinha a capacidade mínima pra fazer a abertura da Copa. A construtora disse que fazia a adequação, mas que não ia pagar a diferença, cerca de R$ 200 mi. Então lá foi o Gambá e a Construtora prestarem as garantias pra obter o empréstimo do BNDES. E, assim como ocorreu com os bambis no ano passado, as garantias foram recusadas. E apesar das declarações de que o Governo Federal seria o avalista, o Ministro dos Esportes descartou essa hipótese.

A obra, que ia começar no fim de março, depois no fim de abril, e agora no fim de maio, segue sem que uma pá de terra tenha sido retirada do terreno de Itaquera. E o Ministério Público promete embargar a obra, se começar antes de resolvida a pendência judicial.

Ah, ia me esquecendo… faltam pouco mais de dois anos para a Copa das Confederações…

É. pelo jeito, o Gambá subiu no telhado…

AVANTI PALESTRA!

Arena Palestra Itália

Enquanto as obras da ARENA seguem a todo vapor, eu tava devendo um post decente sobre esta que será a primeira, maior e mais moderna arena multi-uso da América Latina.

A fonte das informações a seguir é o site oficial do clube.

Agência Palmeiras
27/05/2010 19h30
O torcedor palmeirense se despede do velho Palestra Itália, o estádio mais antigo em atividade no Brasil, palco de inúmeras glórias e alegrias, e começa a sonhar com a Arena, que será o mais moderno complexo esportivo das Américas. Prepare o coração, torcedor alviverde, porque o sonho de todas as gerações será colocado em prática e vai surpreender a todos com sua grandiosidade e beleza.

“Estamos prestes a sofrer uma verdadeira revolução na nossa história. O projeto Arena é um presente para todas as gerações de palmeirenses e palestrinos. Não é um projeto de uma Presidência ou uma diretoria, mas sim de todos os palmeirenses. Estamos muito perto de uma total independência financeira, da realização de ter um estádio moderno e um clube totalmente novo”, afirmou Luiz Gonzaga Belluzzo, presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras.

A concepção do projeto ficou a cargo do arquiteto Tomás Taveira, um português que atualmente é uma das principais referências da nova arquitetura européia, com a assinatura de importantes projetos esportivos, como os estádios do Sporting, Leiria e Aveiro, todos utilizados com sucesso na Eurocopa 2004.

A capacidade da Arena está definida: 45 mil expectadores, ideal para abrigar qualquer tipo de jogos finais e, ainda, competições importantes internacionais. Com relação ao estádio atual, mudanças fundamentais serão realizadas.

O anel inferior da arquibancada será fechado na parte das piscinas, passando para uma capacidade de 30 mil lugares. Acima, dois andares com cerca de 250 camarotes e cabines de imprensa se erguerão (um restaurante, com vista para o campo, será instalado neste novo anel). A capacidade total deste novo espaço ficará em torno de 5 mil lugares. A imprensa ficará instalada nos dois lados do campo (do lado da av. Padre Tomás ficarão as cabines de TV, e do lado da Turiassu, as cabines de rádio e imprensa escrita). Por fim, um anel superior, que será destinado às cadeiras especiais da nova Arena, comportarão um público estimado de 10 mil torcedores.

Para não prejudicar a área do conjunto aquático e, assim, causar transtornos aos sócios, o campo de futebol será deslocado cerca de 7 metros em direção ao lado do placar eletrônico. A parte inferior do gramado –onde hoje estão os vestiários do futebol profissional, de um lado, e os vestiários femininos, de outro—será totalmente aproveitado no novo projeto. Este local contará com quatro novos e modernos vestiários para as equipes de futebol, totalmente adaptados às exigências da FIFA.

A entrada dos times em campo, assim como a posição dos vestiários, também muda. Na Arena, os times passam a ter entrada comum, pela área central do gramado (onde ficam hoje as numeradas cobertas). Assim, os ônibus com as delegações do Palmeiras e visitantes vão ter acesso pelo portão da Turiassu.

O Jardim Suspenso, inovação do Palestra Itália, continua. Mas com modificações. Os torcedores, por exemplo, não transitam mais no corredor abaixo do campo, que passa a ser apenas para o corpo administrativo da Arena, autoridades, policiais, ambulâncias, etc. Haverá, ainda, um estacionamento interno para o uso de caminhões e veículos da imprensa, além de carros da polícia e ambulâncias.

A Arena será construída com tecnologia de última geração e terá projetos de sustentabilidade, principalmente no que diz respeito ao uso e reaproveitamento de água, energia elétrica, etc.

Mas a futura Arena não será destinado apenas ao futebol: será um importante pólo de eventos culturais, musicais e esportivos em geral. Para shows, por exemplo, a capacidade chegará a 60 mil. Além do estádio, o complexo irá contar com um auditório modular que comportará entre 500 e 2.000 pessoas e um anfiteatro modular para receber eventos de 2.000 a 20 mil pessoas.

A localização da Arena é um dos grandes trunfos do projeto. A proximidade do centro da cidade e acesso a grandes vias — como a Marginal Tietê, avenidas Sumaré, Francisco Matarazzo, Marquês de São Vicente e Pompéia— faz com que o projeto seja único e diferenciado. Isto tudo na maior cidade da América do Sul e principal centro econômico do País.

O projeto

Com investimento total de cerca de R$ 300 milhões, a WTorre inicia o projeto de transformar o estádio Palestra Itália na mais moderna Arena multiuso das Américas, nos moldes de qualidade e conforto e praticidade das principais praças esportivas da Europa, e totalmente dentro dos rígidos padrões exigidos pelo caderno de encargos da FIFA. Deste total, cerca de R$ 50 milhões ficam destinados para a construção de melhorias no clube social, além dos novos vestiários junto às piscinas, e na construção de prédios administrativo e esportivo no complexo da Arena.

O projeto Arena está regularizado na Prefeitura de São Paulo e já passou com aprovação por todos os departamentos e secretarias municipais envolvidos na questão. Todas as garantias bancárias estão asseguradas, o que oferece total garantia e segurança para o início e conclusão do projeto.

As obras, no clube, já começaram pela relocação das quadras de tênis. “Nossa previsão é que em aproximadamente um ano os prédios administrativo e de quadras estejam prontos. Já em relação à Arena, calculamos dois anos. Ou seja, em meados de 2012 todo o complexo estará pronto”, afirma José Cyrillo Jr, diretor de Planejamento do Palmeiras.

O Palmeiras ganhará em todos os sentidos. O associado terá um clube completamente novo, o mais moderno do Brasil, com novas quadras cobertas, ginásio, restaurantes, lanchonetes e todo o conforto possível.

Na parte financeira, novas fontes de renda –hoje inexistentes– vão garantir um futuro brilhante à Sociedade Esportiva Palmeiras. A renda de todos os jogos do Palmeiras na futura Arena serão 100% do clube. Pelo contrato entre Palmeiras e WTorre, todas as despesas para a utilização da Arena (luz, água, segurança, limpeza, seguros, manutenções do gramado, etc.) ficarão a cargo da empreendedora –estes gastos estão estimados em cerca de R$ 9 milhões anuais, estimando-se até 40 jogos por ano.

O Palmeiras terá uma participação crescente em todas as propriedades da futura Arena (camarotes, cadeiras cativas e especiais, restaurantes, lanchonetes, etc.), durante os 30 anos de concessão, que variam de 5% (as propriedades) a 20% (as receitas), valores estes que crescem 5% a cada 5 anos.

 

“A Arena, quando concluída, não será apenas um moderníssimo espaço para o futebol, mas será o principal local dos principais shows e eventos da cidade de São Paulo. Será uma referência mundial, um motivo de orgulho para todos os palmeirenses”, disse Cyrillo, referindo-se às múltiplas formas de utilização do espaço.

Os dois vídeos da Arena no Youtube:

Nos Blogs La Nostra Casa e Novo Palestra, pode ser seguida a evolução das Obras.

AVANTI PALESTRA!

Visita ao Palmeiras

Hoje estive no Palmeiras para acompanhar as Olimpíadas das Crianças. Aproveitei pra averiguar o andamento das obras da Arena e passei na Loja Oficial pra dar uma atualizada no guarda-roupa.

AVANTI PALESTRA!

PorcoNews Edição n. 3

PorcoNews atrasado. Manter um blog, ainda que pequeno e pouco expressivo como este, não é tarefa fácil.

Vamos ao que foi notícia no Palmeiras e no Campeonato Brasileiro na última semana. Leia o resto deste post

Valeu Prof. Belluzzo!

Pode colocar o tapume e o primeiro tijolo verde!

Finalmente, depois de mais de 02 anos de burocracia, a obra da Arena Paletsra Itália irá começar.

É notícia em toda a mídia:

No Lance

Na ESPN;

Na Gazeta; e

No Globo.com.

Curiosamente, a Globo, primeiro lugar disparado do jornalismo nacional, foi a última a subir a notícia em seu site.

Mas, contra fatos não há argumentos. O alvará está expedido e as obras finalmente começam, pra alegria geral da nação alvi-verde, já saudosa do bom e velho Palestra Itália.

AVANTI PALESTRA!

Sobre a Arena Palestra Itália

Ontem, após a importante vitória do Palmeiras sobre o Flamengo no Rio de Janeiro, Felipão aproveitou para soltar o verbo contra o gramado do Engenhão e, de forma geral, do planejamento do futebol brasileiro para a organização da Copa do Mundo de 2014. Leia o resto deste post

%d blogueiros gostam disto: