Arquivo do autor:Maluquinho

Bahia 1×1 Palmeiras – BR19

Vai chegando ao fim, de forma bem sofrida, a tão promissora temporada de 2019.

O Palmeiras conseguiu passar em branco no ano que tinha a mais absoluta condição de ganhar tudo.

E até a pausa para a Copa América, o time era o melhor posicionado na América do Sul e no Campeonato Nacional.

Difícil entender o que contribuiu para o declínio e o fechamento do ano sem nenhum título.

A troca de Felipão por Mano Menezes mostra que o problema não era o técnico, embora os últimos jogos sob comando do Bigode tenham sido sofríveis.

Fica claro, então, que o Palmeiras apostou em jogadores que não tem perfil vencedor, ou então, melhor dizendo, que não resolvem jogo.

Tome o jogo de ontem como exemplo: depois de um 1T medonho, com Dudu inexplicavelmente pelo meio pra vermos Scarpa e Zé Rafael mal e porcamente pelas pontas, eis que se corrige pro 2T, com o Dudu aberto e dá-lhe Dudu neles.

Porque é o único que resolve, que cai pra dentro dos caras. O resto, oscila demais entre bons e pessimos jogos, mais péssimos, e aí muitas vezes só o Dudu não é o bastante.

Para 2020, o Palmeiras necessita urgentemente contratar mais Dudus e menos Scarpas e ZRs…

O segundo ponto que ao meu ver, depende da Diretoria chamar pra si, é uma briga generalizada com FPF, CBF, comissão de arbitragem e quem quer que seja responsável pela baixaria que virou a arbitragem brasileira.

Ontem o Palmeiras deixou de ter um pênalti óbvio marcado a seu favor. O mesmo pênalti que o VAR garantiu os 3 pontos no jogo Gavea 2×1 Fortaleza.

Enquanto isso, no Novo Olímpico, dois lances precisamente iguais, e duas interpretações diferentes, mas ambas a favor do líder, garantiram mais 3 pontos ao visitante.

Acho até que o Flamengo seria o campeão de qualquer jeito, é o melhor time, joga mais bola que todos os outros, mas a diferença abissal na pontuação passa, necessariamente, por uma parcela significativa de pontos vencidos com interpretações extremamente benéficas das arbitragens.

Pra 2020, o Palmeiras tem que ser bem mais incisivo na cobrança por uma temporada com arbitragens mais justas, e com uma aplicação neutra da ferramenta do VAR, que tanto se imaginou que viria pra ajudar, mas certamente se destacou de forma muito negativa neste ano.

Exceção feita à Libertadores, o Palmeiras foi decisivamente prejudicado no Paulista e no BR: no Estadual, nos custou a vaga para a final e no BR, ao menos, a briga ainda estaria em aberto.

Isso, porém, não apaga a má temporada do Palmeiras.

Faltou visão de mercado pro Palmeiras, assistimos o rival montar a espinha dorsal do time titular com reforços que chegam pra jogar, enquanto nós apostamos na manutenção do elenco de 2018 e alguns jogadores como peças de reposição, o que claramente não bastou.

Além disso, muitos jogadores foram dispensados sem sequer terem sido testados suficientemente, como é o caso do Artur Cabral, que está fazendo gol atrás de gol pelo Basel, seu novo clube.

Também não podemos deixar de falar dos jogadores que compramos machucados, como Goulart, Ramires, Henrique Dourado e até Luis Adriano, todos – uns mais outros menos – que jogam muito mais pelo DM do que pela SEP.

Enfim, cada um desses fatores tem sua parcela nesse 2019 bem abaixo das expectativas.

A lição que fica é que o Palmeiras não pode repetir o erro de se contentar com pouco. 2018 todo o projeto – que era de ser campeão da América – foi pro vinagre, e o BR, que era 2a opção caiu no nosso colo, vencido sem muita dificuldade e com time alternativo em boa parte do campeonato.

O grande erro foi achar que manter a estrutura bastaria. Não bastou, porque do lado de lá subiram demais a régua e porque, também, já não tinha bastado pros objetivos traçados pra 2018.

Por outro lado, eu sou daqueles que sempre tentam ver o copo meio cheio. O Palmeiras, definitivamente, voltou ao posto de protagonista no futebol brasileiro, do qual jamais deveria ter saído.

Pelo 5° ano seguido o time briga na ponta de cima da tabela, disputará pela 5a vez consecutiva a Libertadores e tudo caminha para que nesses últimos 5 anos tenhamos conquistado 3 títulos nacionais e 2 vice campeonatos, sendo que a perspectiva deste ano é que alcançaremos a mesma pontuação que, em 18, nos deu o Deca.

Pra quem nunca esquecerá o fim quase trágico e melancólico da temporada do centenario em 2014, é um salto gigantesco que não pode ser menosprezado.

Por mais frustrados que nós torcedores estejamos, e estamos muito, ao menos temos uma perspectiva de seguir brigando por títulos e não mais pela permanência na elite do futebol brasileiro.

O Palmeiras segue sendo imenso e em 2020, se tiver competência, isso se traduzirá em muitas novas conquistas.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×1 SCCP – BR19

10 anos, uma década sem penaltis marcados a favor do Palmeiras contra o rival, foi necessário instituir o VAR no Brasil pra essa palhaçada acabar.

E ai, o batedor oficial de penaltis no Palmeiras é o jogador mais displicente em campo.

Mesmo assim, ele é o artilheiro do Palmeiras na temporada. Sinal de que tem muita coisa errada nesse time, principalmente nos jogadores que tem a função única de fazer o gol.

Mas aí o elenco do Palmeiras tem um ótimo Luis Adriano, com problemas físicos, e o resto são jogadores muito, mas muito incompetentes, que jamais deveriam ter vestido a camisa do Palmeiras.

E olha que o Deyvereon até melhorou nos últimos jogos, mas ele continua sendo só o Deyverson, não é o bastante prum time que quer ser campeão.

Borja foi a maior ilusão da torcida dos últimos 20 anos. Jogador mediano, alçado ao patamar de bom depois de meia dúzia de jogos na Liberta e 4 gols contra o time do Jardim Leonor em 2015. Que fiasco a contratação mais cara da história do clube.

E pra completar, trouxeram de volta o Henrique – que não tem mais absolutamente nada de – Ceifador, o símbolo maior daquele nefasto time do centenário, talvez apenas pra lembrar o torcedor que há não muito tempo atrás, estávamos numa lama do caralho.

É esse o problema do Palmeiras: dos quatro 9 do elenco, só um tem qualidade pra jogar com a nossa camisa, mas não aguenta jogar todos os jogos. E os outros três, só estão aqui pra fazer a gente passar nervoso.

Voltando ao jogo, o pior é que de novo o Palmeiras amassou o Gambá, perdeu um caminhão de gols e, no fim, conseguiu escapar do vexame eterno da derrota, o que ainda assim não serve de consolo e só confirma que o problema do Palmeiras é tão simples quanto arrumar um jogador que consiga converter o bom.volume de jogadas de ataque em gols.

Cansei de ver o Palmeiras jogar melhor e não vencer esse time maldito. Preferia mil vezes que não tivesse jogado nada e achasse um gol cagado e levasse 3 pontos pra casa.

A diferença agora é de 7 pontos, podendo voltar a ser 8 ou subir de novo pra 10, e faltarão 18 pontos a serem disputados.

Quem ainda acreditar, parabéns, você é um verdadeiro otimista. Aqui, a ficha já caiu e esse 2019 que vá pra puta que pariu…

AVANTI PALESTRA!

Vasco 1×2 Palmeiras – BR19

E o Palmeiras segue fazendo sua parte. Mesmo sem 7 titulares, buscou uma difícil vitória fora de casa, devolveu a diferença pros 5 pontos e 3 vitórias, e agora espera o termino da rodada.

Logo aos 11 do 1T, um improvável gol de Lucas Lima, que ele fez de tudo pra perder, colocou o Palmeiras na frente, premiando o bom começo de jogo.

Mas o sistema defensivo não estava muito bem postado, possivelmente em função da quantidade de peças trocadas: um zagueiro, os dois laterais e os dois volantes.

E foi justo o Mayke, que foi tão bem contra o Ceará, que entregou a rapadura, depois de falha generalizada pelo lado esquerdo da defesa, mandou a bola contra o nosso gol.

1×1 injusto.

No segundo tempo o Palmeiras voltou bem melhor. Mateus Fernandes, que esteve bem atrapalhado na primeira etapa, começou a jogar mais próximo do ataque, e o Palmeiras, já com Luis Adriano em campo, começou a tomar conta do jogo.

Veio o Dudu no William e depois o Veiga no LL, e o gol teimava a não sair. bola na trave do Zé Rafael, rebote pra fora do Luis Adriano; cruzamento do Dudu, cabeçada errada do Luis Adriano.

Até que, ele, Luís Adriano, definiu o placar e os 3 pontos, ganhando a disputa de bola, limpando o zagueiro e batendo na saída do goleiro do Vasco.

O safado que operava o VAR ainda tentou marcar um pênalti contra o Verdão, mas o juiz (apesar de toda a confusão em campo, e de ter deixado de expulsar 2 jogadores do Vasco, um ainda no 1T), não caiu na palhaçada.

Vitória suada, titulares descansados e preparados pro Derby.

Eu não pretendo nem ligar a TV nesta quinta à noite. Se no domingo eu não liguei, e estava em campo um time que até então estava pelo G6, o que falar do Botafogo?

Eu vi o jogo do Botafogo contra o Cruzeiro na semana passada e, confiem em mim, não presta nem um pouco…

Agora, uma coisa é certa: se todo o mal do mundo do futebol começou quando o Diego Souza, então no Vasco, perdeu aquele gol feito no Pacaembu na Libertadores de 2012, está aí posta a chance dele se redimir com a humanidade futebolística.

Vamos, Diego Souza, tira essa mancha do seu nome no futebol, você não terá outra oportunidade nessa encarnação…

Foco no G4 e pra cima dos gambás.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×0 Ceará – BR19

Correndo o risco de ser injusto, mas acho que ontem presenciamos a maior atuação de um goleiro no Allianz Parque até hoje.

Foi uma monstruosidade o que defendeu o Weverton, pênalti, chute a queima roupa, chute de fora, no ângulo, meia altura. Pegou tudo.

Garantiu os 3 pontos numa atuação fraquíssima do Palmeiras.

E quanto ao gol anulado do Ceará, aparentemente usaram o mesmo software que validou e/ou anulou tantos outros gols nas rodadas anteriores. ” eu que não vou querer brigar com a tecnologia…” eles diziam, não é?

O que é curioso é que vc não viu na mídia esportiva nenhuma indignação com o resultado do líder contra o Fortaleza ou o CSA, por exemplo, como você já está vendo com a vitória do Verdão apesar do jogo ruim.

É assim que as coisas são, quando o líder vence sem merecer, com um lance auxiliado pelo VAR, é sorte de campeão. Quando somos nós vem um babaca sustentar que “futebol não é só matematica”… o cazzo que não é.

Mas, também, quem liga pro que a imprensa tem a dizer? Eles que mordam as costas, eu ligo pra 3 pontos e título, quem quiser ver futebol bonito que assista a Champions…

5 pontos.

Dificilmente essa distância vai se manter depois do complemento da rodada, e não vai ser aqui que vocês vão ler um pedido de ajuda pro Gambá.

O que importa é que a pressão hoje está do lado de lá. A depender do jogo de hoje, metade da vantagem terá desaparecido e esse elefante não está mais nos nossos ombros. E a perna vai pesar, ah e como vai…

Que venha a próxima vitória, e ela será dificílima de conseguir, em São Januário, contra um Vasco recuperado pelo ainda grande Wanderlei Luxemburgo. Mas ela virá.

E foco no G4.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 3×0 SPFC – BR19

Olha que se os Leonores não fossem tão ingratos, deveriam terminar o jogo agradecendo por terem escapado de uma surra histórica.

O Palmeiras jantou o SPFC e, de quebra, ainda duvidamos dos nossos olhos que viram Deyverson fazer uma partida quase perfeita, ganhando da defesa todas as bolas no alto e ainda fazendo um golaço antológico, absurdamente invalidado pela arbitragem horrivel de Rafael Klaus, mais uma contra o Palmeiras.

Dudu, como sempre, e Scarpa e Zé Rafael, como nunuca, jogaram o fino da bola e deixaram um jogo que podia ser complicado como se fosse um passeio no parque. No Allianz Parque.

E o Melo, mais um gol em clássicos, deve ser doído pra quem deixa posição política enviesar a análise da bola que o cara joga.

E ele joga demais, já não consegue acompanhar na intensidade de outros dias, mas sobra em qualidade e tem sido peça indispensável no esquema de jogo do Palmeiras, além dos gols importantes que ele tem feito.

Apesar que o Thiago “Desarme” Santos entrou no lugar dele e ganhou simplesmente todas as disputas de bola. Um monstro.

Que noite!

Só fiquei muito puto com uma coisa.

Dessa vez não teve gol de cobertura! Ninguém mais respeita tradição… KKKKKKKK

Foco no G4, mas uma olhadinha sem compromisso no jogo de hoje no Serra Dourada tá mais que autorizada.

AVANTI PALESTRA!

Avai 1 x 2 Palmeiras – BR19

Foi um espancamento em praça pública aos olhos do torcedor palestrino.

O jogo não foi ruim, foi muito ruim, especialmente no 1º tempo, enquanto o gramado ainda permitia jogar futebol.

Com Lucas Lima e Carlos Eduardo errando tudo e mais um pouco, com BH e FM extremamente pesados na ligação defesa ataque, contra um time que jogava com 10 atrás do meio de campo, o que se viu foi um primeiro tempo péssimo.

Apesar do domínio de posse de bola, o Palmeiras simplesmente não conseguiu criar boas chances de gol, teve 6 finalizações, 5 pra fora e uma cabeçada do Carlos Eduardo que o goleiro do Avai não teve problemas pra defender.

E, no fim da primeira etapa, Weverton fez 3 defesas difíceis para impedir que o fraquíssimo time da casa saísse na frente no placar.

Mesmo assim o Palmeiras voltou igual pro segundo tempo, e numa cobrança de escanteio de Lucas Lima, Deyverson, de cabeça, abriu o placar.

Daí caiu uma tempestade em campo, e o que se viu a partir de então foi mais pra pólo aquático do que futebol.

E foi numa lambança dessas que só quem abusa demais da confiança comete, que Felipe Melo espirrou o taco e fez a bola voltar pra dentro da nossa área, com Weverton derrubando o atacante do Avaí e cometendo pênalti, que poderia muto bem ter sido marcado sem a necessidade do VAR, mas foi com. 1×1 e cheiro de tragédia no ar.

Mas aí foi a vez do Avaí devolver a gentileza. O zagueiro do time catarinense bateu um field goal no tornozelo do Deyverson, que pulou de forma teatral como ele sempre faz, deixando o mundo inteiro em dúvida se a falta dentro da área tinha ou não acontecido. Mas a porrada foi tamanha que ele nem voltou pro campo e teve que ser substituído. Pênalti marcado, de novo, com o auxílio do VAR. 1 x 2, na cobrança bem batida do Gustavo Scarpa.

E foi só.

3 pontos importantes, mas a impressão que me deu é que os jogadores do Palmeiras estavam bem abatidos, como se já tivessem jogado a toalha.

10 pontos é uma diferença absurda, mas enquanto houver chance, cabe aos caras serem profissionais e fazer de tudo pra tentar diminuir a distância pro líder, lembrando que ainda temos confronto direto na nossa casa. Honrar a camisa é o mínimo.

AVANTI PALESTRA!

CAP 1×1 Palmeiras – BR19

A melhor campanha da história do Palmeiras nos pontos corridos só não será suficiente porque na nossa frente tem um time que fez 40 pontos nos últimos 42 disputados.

Jogando MUITO MAIS (e sendo ajudado quando precisa também) do que todos os outros.

É lutar até o fim mas aceitar as coisas como elas são. Não fosse a campanha do 1° colocado, o empate de hoje seria excelente.

E poderia até ter sido uma vitória, se o Palmeiras tivesse um pouquinho mais de qualidade na frente

William, Lucas Lima, Bruno Henrique, Dudu, Rafael Veiga… todos tiveram chance de decidir ou criar a jogada que nos levaria aos improváveis 3 pontos.

Mas eles erraram o passe, o chute, o cruzamento, e lá se foram menos 2 pontos na disputa pelo título.

Menção honrosa ao Deyverson. Melhor partida dele no ano, se jogasse sempre assim, a torcida não ia querer ver ele longe daqui.

E aos 2 zagueiros, que seguraram toda a pressão que o adversário impôs, e não foi pouca… Jogaram demais o GG e o VH.

10 pontos, 11 rodadas. Cada vez mais dificil, mas ainda não impossível. Só nos resta acreditar e se iludir…

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1 x 0 Chapecoense – BR19

Saindo do Allianz ontem parecia que eu tinha corrido uma meia maratona, tamanho o cansaço causado pela tensão de o Palmeiras só conseguir fazer o gol no último segundo do jogo.

Incrível como o Palmeiras se complica todo para vencer um jogo que deveria ser simples, contra o último colocado, um time que até esta rodada tinha perdido 15 dos 25 jogos disputados.

E muito por culpa da própria incapacidade do Palmeiras em concluir de forma certa no gol. No último sábado, já havia sido um festival de bolas chutadas pra fora ou no meio do goleiro do Botafogo.

Ontem o Palmeiras conseguiu ser ainda pior.

Foram 28 finalizações, sendo que dessas apenas 12 foram chances reais de gol (menos da metade) e apenas uma foi convertida, um aproveitamento de menos de 4%.

Gols feitos, debaixo da trave, principalmente do Bigode, foram miseravelmente pra fora. Deyverson então, nem vou comentar que é gastar impressão digital a toa.

E de novo coube ao Dudu ganhar, quase que sozinho, os 3 pontos do Verdão. É o único jogador que pega a bola e cai pra dentro dos adversários. O resto, só cortinho e toque pro lado ou pra trás. Daí fica difícil mesmo…

Dessa vez, ainda, contou com a ajuda emblemática do Weverton, que salvou o Palmeiras de um vexame trágico de, com um a mais, levar um gol do último colocado aos 50 minutos do 2T e ainda foi buscar a bola de carrinho, evitando o lateral pro adversário e recolocando o Palmeiras no ataque.

E, também, do Felipe Melo, que foi o único que conseguiu acertar o pé e mandar a bola pro fundo da rede.

Sobre o Melo, achei curioso a quantidade de repórteres esportivos que repercutiram mais a dedicação que o jogador fez pelo gol ao presidente da República, do que o gol em si.

Quando é que, no mundo esportivo “Meu Deus, o Felipe Melo dedicou o gol ao Bolsonaro” passou a ser mais importante que um “Meu Deus, o Felipe Melo fez o gol da vitória que mantém o Palmeiras vivo na disputa pelo título no ULTIMO SEGUNDO DO JOGO”?

Enfim, não vou entrar nessa discussão espinhuda e totalmente estranha ao mundo do futebol. Eu não assisto coletiva de jogador, entrevista, programa esportivo, nada, porque pra mim, interessa o que o cara joga quando está com a camisa do Palmeiras, o que ele faz na rua, em quem ele vota, é problema dele, contanto que, em campo honre a nossa camisa.

E não tô aqui dizendo que quem pensa diferente está errado. Eu respeito e até admiro quem tem energia e disposição pra torcer por política como torce pro time do coração. Eu não tenho.

E segue o jogo.

Finalmente, ao Fratello, precisa rever urgente alguns conceitos. Deyverson de titular e 2 volantes contra o último colocado, inclusive quando estava 11×10 em campo, são os dois que mais demandam atenção.

Não tem mais clima pro camisa 16 há algum tempo já.  A torcida fica maluca da vida quando ele entra no meio do jogo, começando desde o início então… Ninguém mais tem paciência, é ele tentar cavar uma falta ridiculamente ou matar uma bola com o joanete que toda a ira da torcida exala aos montes.

A saída dele de campo na substituição no 2T, aos gritos de Ei Deyverson, vai tomar no cu! seria totalmente evitada com i) a não escalação dele como titular, ou ii) a substituição dele ainda no vestiário no intervalo. Fez o cara passar por uma humilhação e a torcida por uma raiva totalmente desnecessárias.

E a manutenção dos 2 volantes em campo, precisando fazer o resultado contra um time péssimo e com um a menos, essa eu nunca vou conseguir entender… Quer ser campeão ou não, professor?

E agora seguimos para a difícil missão de vencer o jogo na Arena da Baixada. A única sombra de esperança é que não vamos enfrentar um adversário que marca com 10 (ou 9) jogadores atrás do meio de campo, porque definitivamente o Palmeiras não sabe jogar contra times assim.

Quem sabe com um adversário mais empenhado em atacar o jogo do Verdão volte a aparecer…

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×0 Botafogo – BR19

Assisti o jogo pelo celular e fiquei com a impressão de que o Diego Cavalieri tinha lacrado o gol.

Depois vi no VT que os atacantes do Palmeiras miraram o peito dele em quase todas as 7 defesas de chances claras de gol.

Zé Rafael, Dudu, BH, Scarpa e até Henrique Dourado conseguiram medalhar as chances de gol no meio do goleiro adversário. Mostra bem porque esses time está devendo este ano…

Mas foi um jogo em que o Palmeiras não correu riscos. Começou ganhando logo de cara, com um golaço do Thiago Santos, que avançou, deu a cavadinha, correu na frente pra receber e bateu na saída do goleiro.

O Botafogo nem esboçou reação, tanto que o Prass nem sujou o uniforme.

Ainda fizemos o 2o gol, mas o VAR milimétrico que sempre funciona em jogos do Palmeiras, mas la em Chapecó no ultimo final de semana tava desligado, anulou.

No fim, 3 pontos ganhos, 5 por tirar.

Vamos pra cima, até o fim.

AVANTI PALESTRA!

Santos 2×0 Palmeiras – BR19

E chegou aquele momento do campeonato em que todo o destino do Palmeiras está na mão dos outros.

Os outros, no caso, começa sendo o time safado do Galo, que historicamente só fez por abrir as pernas pros nossos rivais e jogar feito leões contra o Palmeiras.

Qual a chance deles jogarem metade da bola que jogaram aqui no domingo, contra o Cheirinho nesta quinta no Maracanã?

Eu as vezes até penso que é melhor que o Galo não jogue nada mesmo, assim já viram insuperáveis 8 pontos e 4 vitórias de diferença, o bastante pra qualquer ser humano com bom senso começar a pensar em 2020.

Mas quando foi que nós tivemos algum bom senso em relação ao Palmeiras, né? Seguiremos nos iludindo até o fim…

O começo de jogo mostrou bem o que tem sido o elo fraco do time, os dois laterais. No 1o gol, falta besta do LE, e o LD dando condição ao zagueiro pra cabecear sozinho.

No 2o, corte errado do LE pro meio da área e no rebote, de novo o LD – e o VH – dando condição pro jogador do Santos marcar.

Não era nem metade do 1T, e o jogo já tinha acabado.

Dali pra frente nada deu certo.

O Santos até tirou o pé no 2T, e já não faria nenhuma diferença, mas se não tem o VAR pra prejudicar, não é jogo do Palmeiras.

Um acinte a expulsão do William. Se muito, era lance pra amarelo, amarelo que não foi dado ao Para, por exemplo, num carrinho no Diogo.

Uma palhaçada, desnecessária, que só mostra como o VAR é severo com o Palmeiras é MUITO benevolente com outros times por aí.

Mas, repita-se, com ou sem VAR, nada mudaria. O Palmeiras foi jantado na Vila Belmiro.

Que o Mano retome o rodízio nas laterais que o Felipão vinha fazendo, porque esses dois que vem jogando todos os jogos tá loko…

E que nesta quinta o Galo mantenha acesa a pequena chance do Palmeiras seguir na disputa pelo BR19. Ou não…

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: