Arquivo mensal: fevereiro 2020

Palmeiras 1×0 Guarani – Paulista20

Primeiro, fica aqui o meu parabéns pros 19 mil malucos que se dispuseram a pagar o preço pornográfico cobrado pelo Palmeiras pra mais uma partida xexelenta desse Campeonato sem graça.

Todo mundo sabe que o Paulista só começa mesmo nos quadrangulares finais, menos a diretoria, que segue cobrando preço de final na 7a rodada.

É sempre uma no cravo, outra na ferradura. Não se pode deixar de mencionar a iniciativa da diretoria em fazer os treinos abertos no Allianz esta semana.

Mas presidente, o palmeirense que nao tem condições de pagar os preços absurdos cobrados nas partidas não quer ver só treino não.

Com menos de 50% de ocupação, fica aí a pergunta: a quem beneficia um estádio com menos da metade das cadeiras ocupadas?

Precisa rever a política de preços pra ONTEM.

Sobre o jogo, chamou a atenção a quantidade de chances de gols criadas e, tambem desperdiçadas, pelo Palmeiras.

Só o L A perdeu 3 gols ele e o goleiro, e ainda teve o pênalti nao convertido pelo Dudu, graças a um adiantamento monstro do goleiro do Guarani, que o juiz ignorou, afinal, já tinha marcado pênalti né…

Mas, mesmo assim, o gol do Verdão, o único da partida, contou com participação cordenada dos 3 atacantes, com LA desviando de cabeça na intermediária, pruma jogada de velocidade perfeita do Bigode, que terminou na assistência pro gol do Dudu.

Melhor em campo, pra mim, foi o Zé Rafael, seguido do Veron, que entrou no 2T pra desgraçar a vida dos zagueiros bugrinos.

Com a vitoria o Palmeiras chegou aos 16 pontos e assumiu provisoriamente a classificação geral do Campeonato, não que isso valha alguma coisa.

Agora só teremos Palmeiras de novo dia 29, no Pacaembu – sem a nossa torcida, e depois em Tigre para a estreia na Libertadores.

Jogo em casa de novo só no dia 07, contra a Ferroviária.

Pra fechar, que neste final de semana a Mancha arrebente e garanta o bicampeonato. Aquela força positiva pra todos os amigos que vai desfilar.

AVANTI PALESTRA!

AVANTI MANCHA!

Palmeiras 3×1 Mirassol – Paulista 20

O jogo que marcou a estreia do Palmeiras no Allianz Parque em 2020 e, também, no novo gramado sintético teve de tudo um pouco.

A começar pelo pouco público. Com media anual de 30 mil torcedores, apenas 26,5 mil deram as caras no Allianz na tarde de hoje.

Campeonato e partida sem sal nenhum, preço com sal demais, o resultado tá aí. Diretoria devia ter vergonha de cobrar o que cobra nums jogos bosta desses…

Em campo, no novo gramado, as ausencias de Marcos Rocha, Ramires e Dudu fizeram o Palmeiras ir com Weverton, Maike, FM, GG e Viña, Patrick de Paula, Zé Rafael e LL, Veron LA e Bigode.

Muito cisco e pouca objetividade marcaram o primeiro tempo confuso do Palmeiras. Destaque apenas pro Patrick, cada dia mais a vontade no time principal, fez sua melhor partida até aqui e de tanto correr acabou o jogo no ataque, possivelmente tentando evitar nao agravar uma lesão muscular.

Luxemburgo voltou pro 2T sem os dois piores da primeira ertapa: Maike e LL sairam pras entradas de G. Menino, na lateral, e Veiga no meio.

E apesar das boas chances criadas, foi o Mirassol que, aos 14, em falha individual do GG, abriu o placar num lance bem do besta.

Gomez ficou tão puto com o próprio erro que resolveu sair pro ataque e quase sofremos o segundo.

No fim ele mesmo se redimiu, fazendo de cabeca o gol de empate do Verdão.

BH que havia entrado no lugar do ZR, deu o passe perfeito pro Veiga virar pro Verdão, e ainda teve tempo de LA, em asisstencia do Veron, fechar os números do jogo e derrubar o penúltimo invicto do Paulistão.

Pode ter sido só impressão minha, mas a avaliação do gramado novo é que a bola corre mais, o jogo é mais rápido, tanto que no fim do nogo metade do time do Palmeiras tava morto.

Além disso, uma hora antes do jogo e até 15 minutos do apito inicial caiu a maior tempestade na Pompéia e não se viu uma única poça de água, nem parecia que tinha chovido. Ponto positivo pro “tapetinho”, como a imprensa sempre cretina ja o apelidou.

Acbei que os jogadores ainda estão se adaptando à velocidade da bola, e até achei que a falha do GG no gol do Mirassol possa ter a ver com isso também.

Com a vitória o Palmeiras – que seria lider em qualquer outro grupo – manteve a 2a posição do grupo, 2 pontos atras do Santo André, Ao que parece, a FPF tava ficando com inveja do regulamento bizarro do Carioca e resolveu jogar de igual pra igual no quesito regras nonsense de campeonatos estaduais.

Voltamos a jogar em casa na proxima rodada, contra o Guarani quinta a noite. E pela tabela de preços divulgados ontem, pode escrever que nao passa dos 28 mil mais uma vez…

Ainda assim, que venha a vitória.

AVANTI PALESTRA!

Ponte 0x1 Palmeiras – Paulista20

O Palmeiras conseguiu produzir um bom futebol no 1T, dominou o time da casa e criou as melhores chances de gol, muitas delas articuladas por, quem diria, Luis Adriano.

Foi dele um passe em profundidade pro Dudu cruzar pra trás e achar Lucas Lima, batendo de primeira e parando nos pés do goleiro da Ponte.

Foi dele tambem a assistência precisa pro gol do William, o quinto no campeonato em cinco jogos.

O 1T foi marcado também por duas entradas violentas dos jogadores da Ponte que tiraram de campo Ramires e Marcos Rocha, e em nenhuma delas o juiz deu cartão.

Mayke e Patrik de Paula entraram no jogo, e deram conta do recado, principalmente o volante, que tomou conta do meio de campo, e inclusive foi ele que roubou a bola no contra-ataque do gol do Verdão.

Pro segundo tempo o Palmeiras, que ja tinha feito duas alterações, conseguiu manter o ritmo nos primeiros 20 minutos, com várias chegadas pela esquerda com Dudu, Lucas Lima, Victor Luiz e William, sempre errando no último passe ou na hora do arremate.

Depois o time pregou, e a Ponte ensaiou uma pressão, mas a unica que passou pela zaga parou no Weverthon, com uma bela defesa na cabeçada do 20 da Ponte.

O jogo ainda marcou a estreia do BH, recuperado de contusão. Sem muito destaque, aliás.

No fim, o juiz que deixou a Ponte bater o jogo inteiro resolveu que, aos 48 do ST, era hora de ser disciplinador, e num desentendimento normal de jogo, expulsou o Dudu e o jogador da Ponte, ambos pelo segundo amarelo.

É tanto pelas faltas criminosas, como por essas palhaçadas dos apitadores, que esse campeonato devia acabar.

Perdemos Moises duas vezes por meia temporada graças a esse tipo de entrada criminosa que, no campeonato Paulista, parece que é permitido.

E no domingo vamos estreiar no Allianz Parque e no gramado sintético, contra o Mirassol, que vem jogando bem, e sem o Dudu.

Boa chance do Luxa mostrar que existe Palmeiras sem o camisa 7.

AVANTI PALESTRA!

RebBull 2×1 Palmeiras – Paulista20

O preço de um péssimo primeiro tempo serve de lição e alerta. O Palmeiras não pode entrar em campo a passeio.

Lucas Lima e Dudu irreconheciveis na primeira etapa. Na verdade, o time como um todo foi mal. Gol de lateral do Red Bull foi a coroa de uma atuação pífia pra usar um termo daquele cronista que manja muito.

1×0 ficou até barato.

E o segundo tempo veio com as alterações até óbvias, com os garotos dando lugar pra Zé Rafael e Bigode.

E o Palmeiras em 5 minutos fez mais no 2T do que no 1T inteiro.

Mas aí veio o preço. Como no truco, que a primeira mão é um caminhão, o Palmeiras foi pras cabeças e, no contraataque, viu toda a chance de reação ir pro ralo num pênalti besta do Zé Rafael no jogador do Bragantino.

É verdade que minutos antes o Luiz Adriano perdeu um gol feito. E quando ja estava 2×0, Dudu perdeu outro, ele e o gol.

No fim, se essas bolas tivessem entrado, estariamos aqui comemorando uma virada monstra.

Ainda vale a menção honrosa ao treinador, que virou o time do avesso pra tentar a virada. Foi Zé Rafael – mais uma vez muito bem, apesar do pênalti – no lugar do G. Menino, foi Scarpa na ala no lugar do Victor Luiz, enfim, o que não faltou foi tentativa acertada de vencer.

Mas o SE não pontua, então, o que resta é lamentar essa doida derrota, que não combina em nada com o inicio de temporada que o Palmeiras vinha tendo.

Que sirva de alerta, como o próprio Luxa disse na coletiva, o Palmeiras tem que QUERER vencer.

Mas eu sigo confiante no Profexô e quero muito acreditar que foi um pequeno tropeço aleatório e, porque não, necessário.

Que contra a Ponte a atitude de Palmeiras dos últimos 3 jogos volte ao campo.

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: