Arquivo mensal: dezembro 2019

Cruzeiro 0x2 Palmeiras – BR19

Para toda ação, existe uma reação de mesmo valor, mesma direção e sentido oposto, já diria Isaac Newton.

É com esse sabor que o Palmeiras despachou o Cruzeiro para a Série B, depois de ter vencido o time mineiro por 2×0, gols de Zé Rafael e Dudu, ambos no segundo tempo.

É verdade que, com o empate entre Botafogo x Ceará no Rio de Janeiro, qualquer que fosse o resultado do jogo o desfecho seria o mesmo.

Mas pro Palmeiras seria inadmissível não aproveitar a chance de retribuir tantos e tantos jogos em que o Palmeiras foi assaltado contra o Cruzeiro.

A última delas, talvez a mais emblemática, foi naquele lance do Edu Dracena e o goleiro Fábio, na Copa do Brasil, que nos valeu a classificação e que serviu pro palmeirense descobrir que com VAR, sem VAR, a farra do apito contra o Verdão seguiria sendo a mesma de sempre.

Isso dito, falando um pouco do jogo, o Palmeiras manteve o sistema de jogo utilizado contra o Goiás, com Dudu centralizado no ataque.

E, de novo, os resultados foram bem interessantes, com direito a passe de calcanhar do Dudu no lance do primeiro gol, e gol de cabeça dele no segundo.

Muito bom ver o time jogando com 11 em campo, já que qualquer um dos 9 disponíveis seriam peso morto.

Dito tambem isso, muito triste ter que se conformar com um 3° lugar e o rebaixamento de outro time como os “pontos altos” de uma temporada que tinha tudo pra ser vitoriosa.

O Palmeiras de 2019 conseguiu ser absolutamente pior em tudo em relação ao ano anterior, em que foi finalista do Paulista, semi da Copa do Brasil e Libertadores, e campeão brasileiro.

De positivo, pode ser dito que os maus resultados de 2019 já fizeram a roda girar, com a dispensa da comissão técnica e do diretor de futebol Alexandre Matos.

A diretoria ainda sinaliza uma mudança de mentalidade, de aproveitar os talentos da base ao invés de investir pesado pra tentar a sorte com apostas de outros times.

Mas só isso não bastará, o que faltou em 2019 foi jogador que decide partidas, que não some em decisões e que está acostumado aos jogos grandes.

Se não vierem esses jogadores de peso pra dividir a responsa com o Dudu, certamente o Palmeiras irá, mais uma vez, queimar os moleques da base, que não podem ser usados pra segurar rojões como os que virão em 2020.

E com os votos de uma temporada muito, muito melhor pro Verdão no ano que vem, o Maluco pelo Palmeiras encerra as atividades neste 2019.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 5×1 Goiás – BR19

No primeiro jogo sem Mano Menezes, o Palmeiras foi a campo no Brinxo de Ouro de forma nunca antes vista.

Em 5 anos de Dudu no Palmeiras, foi a primeira vez que ele foi escalado como um falso 9.

Com Mateus Fernandes e BH, Veiga, LL e Zé Rafael completando o meio, o time demorou um pouco pra encontrar o jogo.

Mas em pouco tempo, numa boa jogada de Lucas Lima, Zé Rafael fez o primeiro.

Aí começou a aparecer, mais uma vez, a sina do Palmeiras no ano: os malditos árbitros.

O tal do Bruno Arleu inventa um pênalti de Diogo Barbosa, num lance que foi falta fora da área. E o VAR? Que VAR? VAR pra que???

Jogo empatado e mais um roubo descarado contra o Palmeiras.

Mesmo assim, Dudu desviou o cruzamento em boa jogada palmeirense pela direita e fez o segundo do Verdão.

Voltamos do intervalo pra ver o juiz e o VAR deixarem de marcar 2 pênaltis claros pro Palmeiras, o primeiro idêntico ao pênalti marcado pro Goiás, só que dentro da área, e o segundo escandaloso, de Rafael Vaz em cima do Marcos Rocha. E a cabine do VAR cri cri cri…

Incrível como mesmo com o campeonato decidido não param de prejudicar o Palmeiras. Que ninguém esqueca a quantidade absurda de erros contra o Palmeiras e a favor do campeao neste camponato.

Domingo, contra o Cruzeiro, podem se preparar que não será diferente.

E na primeira substituição, Andrey Lopes mostrou como o Palmeiras perdeu tempo em 2019 insistindo com jogadores claramente sem condições de vestir a camisa 9, como Borja, Deyverson, etc.

Foi pra campo Gabriel Veron, no lugar de Zé Rafael, pela esquerda, ali onde joga o Dudu, e não demorou pra ele marcar seu primeiro gol com a camisa profissoonal do Palmeiras, em cruzamento do Jean.

Mais uma jogada do Veron pela esquerda e cruzamento pro segundo gol do Dudu, o quarto tento palmeirense na noite.

E ainda deu tempo do Baixola devolver a gentileza: 5×1, 2 do “9” Dudu, 2 do menino Veron, fora o baile, apesar do roubo.

Soluções simples, debaixo do nariz da comissão técnica e do departamento de futebol o ano todo, e só descobertas nas últimas rodadas do campeonato…

Se de um lado brilhou pela primeira vez a estrela do gatoto Veron, de outro, o jogo marcou também a última partida como jogador profissional do grande Edu Dracena.

Chegou no Palmeiras depois de estar encostado no Gambá, e com toda sua classe e profissionalismo, foi facilmente aceito pela torcida, apesar de já ser um jogador veterano.

Assumiu a titularidade enquanto pôde, aceitou a reserva sem alarde quando ela se mostrou necessária, e vestiu nossa camisa com muita honra e muito respeito.

Teve, ainda, a satisfação de terminar seu ciclo como jogador de futebol no mesmo estádio em que, décadas antes, iniciou sua trajetória, numa feliz coincidência do destino, que tirou o Palmeiras do Allianz e também do Pacaembu, e levou o time a jogar no Brinco de Ouro, onde o Dracena surgiu pro futebol.

Vestiu pela última vez a tarja de capitão, fez desarmes importantes, e ao final, foi festejado por todo o elenco, comissão e até jogadores do Goiás.

Obrigado, Edu Dracena, uma pena que tão poucos atletas vistam a camisa com o mesmo respeito que você mostrou pelo Palmeiras.

E pra quem acha que o campeonato acabou, com as derrotas do Ceará e do Cruzeiro, sobrou pro Palmeiras pregar a tampa do caixão dos mineiros, isso, é claro, se o Ceará não pontuar na rodada, o que já bastará praquele time safado de Minas passar uma temporada sem poder roubar o Palmeiras, pelo menos no BR.

É hora de descontar aquele assalto na Copa do Brasil do ano passado, NÓS NÃO ESQUECEMOS! É hora de grifar o B em caBuloso.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×3 Flamengo – BR19

E a casa caiu geral. Foi treinador, diretor, e boa parte do elenco selou ontem o fim do seu ciclo no Palmeiras.

O Mano realmente foi uma decisão fácil, tamanha a rejeição e a inoperância do time em conquistar bons resultados em jogos grandes.

Ontem foi só mais um exemplo. 3 minutos e o time já estava perdendo. Também, pudera, entrar com 3 volantes jogando em casa não merecia nada menos do que isso.

Deve ser dito também, que o Palmeiras, apesar de tudo, poderia até ter vencido o jogo. Um pênalti não marcado no começo do jogo e a expulsão do Fagner carioca Inda no 1T poderiam ter dado outra dinâmica pra partida.

E ainda teve duas bolas na trave e um gol anulado, pela TV não tive certeza se bem ou mal anulado.

Verdade que a essa altura o Flamengo já tinha tirado o pé. Mas que fique claro, essa superioridade toda passa, também, pela benevolência contumaz das arbitragens e da cabine do VAR.

Digo e repito. Seria campeão igual, porque é o melhor time, mas a diferença não seria tanta assim.

E sobrou pro Mattos também, afinal, ele fez a pior escolha possível para treinador com a saída de Felipão. Trocou o maior treinador da história recente do clube, contra a vontade de muitos, por um treinador de currículo bem magrinho e com identificação forte com o rival. Era óbvio que não ia aguentar 3 derrotas seguidas, e realmente não aguentou.

Mattos tem parcela importante de responsabilidade na guinada que o Palmeiras deu nos últimos 5 anos, transformando o Verdão no clube a ser batido.

Como no futebol ninguem tem crédito e lugar cativo, não sobreviveu à pressão da torcida e aos erros na montagem do elenco neste ano.

No fim, sua saída é melhor pra todos os envolvidos, começar o ano que vem como terminamos este seria o maior passo em falso que o Palmeiras poderia dar.

Tudo resolvido, então? Nem próximo disso, porque a depender de quem vier pros lugares de Mattos e Mano, as coisas ainda podem ficar bem piores do que já estão.

E, a se considerar que nos últimos anos o Palmeiras já estava com planejamento do ano seguinte montado em setembro, a troca geral no departamento de futebol em dezembro é uma verdadeira roleta russa.

Hora de aguardar as cenas dos próximos capítulos e que San Gennaro ilumine o dono da caneta no Palmeiras.

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: