Arquivo mensal: agosto 2019

Palmeiras 1×2 Gremio – Libertadores 2019

Pra mim o imperdoável não foi nem a falta de competência de administrar o resultado construído fora de casa, ampliado em muito pelo time ter começado também este jogo ganhando.

A falta de atenção do Marcos Rocha na cobrança da falta onde saiu o gol de empate.

A passagem tranquila do 11 adversário pelo meio da nossa zaga, no gol da virada, o que jamais ocorreria com Felipe Melo em campo.

O pecado da bola do William na trave.

A canelada do William que impediu que ele só rolasse a bola pro gol vazio e nos colocasse de novo com a vaga na mão.

Imperdoável,  mesmo, foi ver o time voltar pro segundo tempo com Deyverson. Isso é que não dá mais pra aceitar.

E era tão óbvio que ia dar errado que com ele em campo, o Palmeiras sequer conseguiu levar perigo ao gol do Grêmio, tantas que foram as caneladas, os passes errados, as disputas de bola bisonhas e a inoperância ofensiva capitaneada por esse rascunho de jogador de futebol.

Felipão precisa repensar as escolhas que faz. Não é possível que a alternativa seja sempre essa. Lembrando que, na semana passada, se o Melo não fosse expulso, já estava pronto pra entrar em campo aquele traste de cabelo amarelo e futebol insignificante. Sempre ele, só ele, não dá pra entender…

Enquanto isso, o artilheiro da Libertadores sentado no banco, vendo tudo do lado de fora. Podia até ser que não mudasse nada com ele em campo, mas porque tem que ser sempre o Deyverson?

Porque o William, que está há quase seis meses sem jogar e totalmente fora de ritmo, começa jogando um jogo importante como esse, e o Zé Rafael, que vinha numa crescente, fica de fora?

Muitas perguntas e não teremos nenhuma resposta.

Eu sempre fui adepto do futebol de resultados que o Bigode emprega. Um time com uma defesa forte e um ataque preciso, que não enche os olhos de ninguém mas que consegue os 3 pontos, termina o ano com mais vitórias, mais gols marcados, menos gols sofridos.

Pra que eu iria querer algo de diferente? Sou torcedor, não ligo porra nenhuma se os bostas que comentam futebol na tv estão achando bonito ou não.

Mas e quando o resultado não vem? E quando o Palmeiras é desclassificado três vezes seguidas no mesmo ano depois de ter construído um bom resultado na primeira partida, e essa última ainda deixando o adversário virar dentro da nossa casa?

É complicado de entender, de aceitar. Esse time pode muito mais e fica devendo de novo e deixando o torcedor puto, com razão, de ver o time adversário comendo a grama mais que a gente, mais concentrado, mais efetivo.

Chegamos na parada da Copa América líder da porra toda na Liberta, 5 pontos na frente de todo mundo no BR, favorito na Copa do Brasil…

E o que sobrou? Fora da Copa do Brasil, fora da Libertadores e correndo o risco de deixar o Mulambo abrir de vez na ponta do campeonato brasileiro.

É foda.

Mas ao mesmo tempo, futebol não dá tempo nem de lamber as feridas. Domingo é guerra de novo e olha como são as coisas: uma vitória nos coloca de novo na ponta e com um jogo a menos que todo mundo.

E como vai fazer pra dar moral pra esse time ganhar depois dessa eliminação tão dolorosa? É pra isso que o treinador é pago, o Bigode que se vire e acerte a pegada desses jogadores e que faça o time ganhar, porque por mais moral que ele tenha, e ele tem demais, nada é infinito.

AVANTI PALESTRA!

Gremio 0x1 Palmeiras – Libertadores19

Saindo aqui de Porco Alegre com a alma lavada e aquele sentimento de dever cumprido que só uma vitória conquistada na casa do adversário pode trazer.

Ontem tivemos uma verdadeira noite de Palmeiras. No campo e na arquibancada.

Time não fraquejou, não sentiu a pressão da torcida adversária – que por sinal, morreu depois do gol do Palestra – não se deixou abalar pelas declarações da imprensa e do técnico rival, e caiu pra dentro do Grêmio. Na bancada, não fizemos por menos.

Numa partida perfeita do sistema defensivo, o Palmeiras neutralizou o ataque adversário e Weverton quase não teve trabalho.

O que o Marcos Rocha jogou ontem foi uma enormidade. Cebolinha, não teve nem no temaki…

E justiça seja feita, a expulsão do Felipe Melo foi, dessa vez, exagerada.

Ele acaba pagando pelo conjunto da obra e pelo histórico. Apesar disso, segue sendo um dos pilares desse time e fará uma falta absurda no jogo da próxima terça.

Já vi umas setecentas vezes o gol do Scarpa e não canso. Que patada!

E que o Palmeiras não pense que está tudo decidido, porque na semana que vem o jogo será ainda mais complicado.

Mas venceremos e seguiremos firmes.

Portas em manual. Tchau, Porco Alegre!

AVANTI PALESTRA!

Gremio 1×1 Palmeiras – BR19

E a campanha quase perfeita do Palmeiras antes da Copa America, de 10 vitórias seguidas, foi pro vinagre.

O time não sabe o que é vencer no brasileiro desde o retorno da competição. Derrota para o Ceará e empates com Bambi, Gambá, Vasco, Gremio e Bahia.

Os últimos dois jogos, é bom que se diga, o Palmeiras foi assaltado.

Se a arbitragem do campeonato fosse honesta, no mínimo dois lances da partida de ontem deveriam ter sido pelo revisados no VAR: pênalti no Hyoran, exatamente o mesmo lance que foi marcado pênalti pro Bahia na semana passada, e o impedimento do Borja que resultou no gol do Hyoran.

O VAR sequer acionado foi.

Pra completar, o lance do gol de empate do Grêmio foi originado numa inversão grotesca de lateral, um lance ridiculo de fácil, mas que não podia ser revisado em virtude do protocolo do VAR.

Mas falar só disso e não do buraco no meio que deixou o zagueiro do Grêmio em condições de finalização aos 40 e poucos do 2T, seria tentar tapar o sol com uma peneira.

Sejamos honestos, o futebol do Palmeiras caiu demais. Estamos revezando etapas muito boas com etapas muito ruins dentro de cada jogo.

Ontem foi visível o quanto o Palmeiras recuou e caiu de produção depois de um 1T quase perfeito.

As alterações nao foram boas e o Palmeiras chamou demais o modesto time reserva do Grêmio pra dentro do nosso campo.

E embora não tenhamos sofrido muita pressão, o gol de empate foi o emblema de uma postura inadmissevelmente passiva perante um adversário sem muitos recursos.

O Ramires no lugar do Dudu, pensei eu na hora da substituição, parecia até fazer sentido, já que estava sobrando pro exausto Dudu fechar a esquerda nas descidas do descansado Cebolinha.

Mas sei lá, duas vezes que o Ramires entrou em campo no lugar do Dudu, deu ruim. A outra tinha sido contra o Ceará, estava 1×0 pro time da casa e foi o Ramires pisar em campo e tomamos o 2°.

Não foi culpa dele, nem em Fortaleza e nem ontem. Mas rola uma benzedinha, só pra tirar a zica né…

Enfim, o Palmeiras foi prejudicado? Foi. Mas não foi só isso que nos custou os 2 pontos, hoje ou na semana passada.

Em 30 anos que eu acompanho o Palmeiras com compreensão das coisas, sempre fomos prejudicados pelas arbitragens.

E nesses anos todos só levantamos o caneco quando jogamos bola pra ganhar dos outros times e das arbitragens safadas também.

Então, pra resumir, ou jogamos bola, ou jogamos bola, porque graças a Deus nunca precisamos depender de arbitragem pra gritar é campeão.

Terça feira, estamos chegando, Porto Alegre!

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×2 Bahia – BR19

Deixei o sangue baixar pra vir aqui falar pra vcs que ainda estou putasso da vida.

O Palmeiras que foi um dos defensores ferrenhos do uso dessa tecnologia pra tornar o jogo mais justo vem sendo vítima constante do uso errado e, porque não, mau intencionado do VAR.

Raiva da nossa inocência de achar que com essa bosta de arbitragem que temos aqui essa porcaria ia funcionar…

É erro no protocolo, é erro de inversão de falta no lance imediatamente anterior ao 2o pênalti, é tudo uma bosta só, protagonizada por essa corja de energúmenos que apitam futebol no Brasil.

Isso dito, é inadmissível o Felipe Melo ser expulso do jeito que foi ontem. Primeira expulsão do ano e que seja a última, porque, convenhamos, foi isso que realmente impediu a nossa vitória.

Com VAR, sem VAR, enquanto o jogo foi 11 x 11, o Palmeiras mandou no jogo e teria garantido 3 pontos contra o bom time do Bahia.

Depois, 10×11, mostrou garra e superação pra ir buscar o desempate, e acabou vitimado pelo mau uso do VAR, mas é como eu disse antes, demos a brecha…

E quando ficou 10×10, caímos pra dentro dos caras, mas já era tarde pra reverter…

Campeonato apertado desse, claramente sendo conduzido prum certo time catinguento ser campeão, não podemos perder oportunidade de manter a distância dos outros e de se reaproximar do líder.

Perdemos 2 pontos ontem. O maior culpado foi o nosso volante que foi merecidamente expulso. O resto que se passou, foi consequência desse lance, relembre-se, já nos minutos finais, acho até que nos acréscimos, do 1T.

Não estou querendo crucificar o Melo. Pelo contrário, pra mim vem sendo disparado o melhor jogador do Palmeiras no ano, mas ontem ele errou e prejudicou.

Uma coisa não anula a outra. Melo segue com moral aqui neste Blog, porque garantiu várias vitórias do Verdão na temporada, garantiu o empate em Itaquera depois de voar baixo pra empatar o jogo. Mas que a cagada de ontem não se repita.

Melo e VAR à parte, gostei demais do Palmeiras ontem e em especial do Dudu. chamou o jogo pra si, caiu pra dentro da defesa do Bahia e fez os 2 gols do Palmeiras. Mandou no jogo.

E, também, Luan, apesar do pênalti injustamente marcado, foi muito bem ontem. Menção tambem aos estreantes e ao Scarpa.

Uma pena nao ter vindo os 3 pontos.

Sabado teremos os nossos reservas contra os reservas do Grêmio, e na terça estaremos lá em PoA pra empurrar o Verdão nas quartas da Liberta.

AVANTI PALESTRA!

SCCP 1×1 Palmeiras – BR19

Os primeiros 7 minutos de jogo anunciavam um massacre do Palmeiras sobre o rival, com 3 chances claras de gol, uma delas com o Deyverson, de novo, errando um gol de dentro da pequena área.

Daí o Palmeiras fez a única coisa que não poderia: ofereceu a bola parada. E foi na primeira delas, numa falta besta, que o Gambá chegou ao 1×0, num lance em que inexplicavelmente quem estava marcando o Manoel era o Diogo Barbosa. Eram 12 minutos de jogo.

E com o gol o Palmeiras se desestabilizou, tanto que o Gamba quase fez mais um, de novo em bola parada, num lance em que o Weverton fez ótima defesa e a gambazada da cabine do VAR até que tentou, mas não conseguiu achar nada que pudesse favorecer o time do coração.

Foi só aos 38 que o Palmeiras conseguiu criar um lance de perigo quando, Deyverson, impedido, acertou de novo o peito do Cassio.

Tudo bem que o goleiro do Gambá é um capítulo à parte: o que ele joga contra o Palmeiras é um absurdo e ontem não foi diferente.

Veio o segundo tempo e, com ele, Scarpa entrou no lugar do Veiga. E logo aos 3 o Palmeiras empatou o jogo, em lance de falta, no qual a bola sobrou pro Deyverson alçar a bola pro Melo, no terceiro andar, fuzilar de cabeça.

1×1 que trazia justiça ao que havia sido o jogo, com um começo fulminante do Palmeiras até levar o gol.

Depois veio pro time o Zé Rafael no lugar do Wiliam, e o Palmeiras passou a jogar no contra-ataque.

Aos 28, cruzamento do Dudu achou o Gustavo Gomez dentro da pequena área, mas o paraguaio acabou acertando de ombro e, mesmo assim tava lá de novo o porra do goleiro deles pra fazer mais uma defesa absurda.

Aos 32, em lançamento de Scarpa pro Zé Rafael, possivelmente impedido, a bola foi caprichosamente na trave, e impediu que o lance pudesse ser revisado pelo VAR.

Aos 33, contragolpe puxado por Dudu e Zé Rafael, o 7 levantou na área pro arremate do 8, mas estava lá o maldito lateral direito dos caras pra cortar.

E, finalmente, aos 48, Dudu cruzou pro Deyverson cabecear e o desgraçado do Cassio fazer outra defesa absurda.

Pelas chances criadas, o Palmeiras poderia ter voltado pra casa com uma goleada lá de Itaquera, mas, enfim, esse é o ônus que o time está sofrendo ultimamente: a bola não entra e ontem, quando era pra entrar, pelo menos umas 3 a mais, tava lá o goleiro dos caras pra defender.

Daí é que entra a zaga, porque não dá pra colocar o empate só nas costas dos atacantes que perderam os gols ou do goleiro dos caras. Apesar de ainda ter a melhor defesa do campeonato, o Palmeiras começou a tomar gols de bolas paradas, coisa inimaginável nos primeiros 10 jogos da competição.

De qualquer forma, uma vitória em casa e dois empates fora nos clássicos não é mau desempenho. Mas pra isso se reverter no famoso 4 pontos contra cada adversário, o Palmeiras vai ter que vencer os jogos contra Bambi e Gamba no Allianz, e não perder na Vila.

Algumas coisas ainda tem que melhorar, mas o Palmeiras foi um time aguerrido em campo ontem, foi buscar o empate e por muito pouco não chegou à virada. Se o Felipão não virou nenhum jogo desde que voltou ao Palmeiras, ontem foi o 18º jogo em que isso não aconteceu, também precisa ser visto quantas vezes o time foi lá e buscou o empate e ontem foi mais uma em que conseguimos evitar uma derrota. Não é pra ser desprezado e a virada virá na hora certa.

Por fim, não vou comentar sobre os protestos, notas oficiais e etc. Pra mim é notícia velha, e a imprensa adora ver o circo do Palmeiras pegado fogo, não faz sentido ficarmos repercutindo isso também por aqui. Que desse episódio todos os envolvidos – torcida, diretoria, comissão e jogadores – ponham a mão na consciência e reflitam como podem fazer mais e melhor pelo Palmeiras. Que é a única coisa que importa.

AVANTI PALESTRA!

 

 

 

 

  

 

     

 

%d blogueiros gostam disto: