Arquivo mensal: janeiro 2018

Bragantino 0x2 Palmeiras – Paulistão18

Se na última quinta-feira já se via a imprensa bostejando sobre um suposto desempenho abaixo do até então apresentado pelo Palmeiras, hoje a má vontade peculiar vai ter que ser engolida à seco, porque o Palmeiras jantou a Escola de Botinaria Marcelo Veiga em Bragança.

Foi uma vitória conquistada com tamanha facilidade, embora os números finais do jogo possam assim não parecer, mas os 0x2 não fazem justiça ao quanto o Palmeiras jantou e dominou o adversário em campo.

Alguns vão dizer que foi o Borja sair pro Palmeiras abrir o placar, e será tamanha injustiça contra mais uma muito boa partida do colombiano com a camisa do Verdão. Sim, está faltando o gol, e atacante vive disso, mas esse começo de temporada do Borja já é infinitamente melhor do que o que ele jogou o ano passado inteiro.

Borja marca, desarma, dá carrinho, ganhou várias bolas dos zagueiros no corpo, muito além do que aquela atitude pacata do ano passado. Sim, ele perde gols que 9 que é 9 não pode perder, mas algo me diz que eles virão, na hora certa…

Por isso não me filio à essa ótica míope de que ele saiu o Palmeiras marcou, embora tenha sido exatamente isso que aconteceu: no primeiro lance do Keno na partida, depois de um excelente cruzamento do MB – outro que hoje superou, e muito, as expectativas -, Verdão 1×0.

Depois, um lançamento de Felipe Melo digno de um passe de 60 jardas de Tom Brady, achou Dudu livre, leve e solto pra limpar o zagueiro e mandar no ângulo do goleiro do Bragantino: Verdão 2, Time que Só Bate 0.

A essa altura Moisés já havia entrado no lugar de Tche Tche, e o Palmeirense pôde ter um pequeno lampejo do que será esse que tem tudo pra ser o meio campo dos sonhos de qualquer time sulamericano.

Depois Guerra entrou no lugar do Dudu e fiquei pensando, quem nessa vida pode ter o luxo de trazer do banco jogadores como Keno, Moises e Guerra? E o Scarpa ainda nem estreou… Se isso não é garantia de nada, por outro lado mostra o quanto o elenco do Palmeiras é qualificado e foi muito bem montado pela diretoria pra buscar tudo que nós sonhamos pra essa temporada.

Agora, uma semana pra descansar e receber os bagres no Allianz, hora de mostrar de verdade que esse time tem muito a nos alegrar nesse 2018 verde.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×1 Red Bull – Paulistão18

Não foi fácil, mas os 3 pontos vieram.

Roger mandou a campo Maike no lugar do Marcos Rocha, TS no lugar do FM e Keno no lugar do William. E o time sentiu um pouco, mas manteve a filosofia de jogo.

E se o time não teve os passes longos do Felipe Melo que fizeram toda a diferença nos últimos dois jogos, foi dos pés e da cabeça do Thiago Santos que a vitória saiu.

O primeiro gol, de cabeça, veio ainda no primeiro tempo, com assistência de Lucas Lima na cobrança de falta.

No segundo tempo, ele quase fez mais um, chegando como elemento surpresa pra cabecear, pra fora, mais um cruzamento perfeito do Lucas Lima.

E já no fim da partida, num improvável cruzamento do Thiago Martins, a bola acabou sobrando livre pro Thiago Santos marcar o segundo.

Antes, Jailsão lacrou a porra toda e pegou um penalti que a arbitragem inventou. Incrível como isso não muda no futebol, entra ano, sai ano, e os erros continuam sempre a favor e contra os mesmos times. Impossível achar que é só ruindade das arbitragens anular um gol como o de ontem no Pacaembu, ou essa pouca-vergonha que aconteceu hoje no Allianz…

Se as coisas não foram fáceis pro Palmeiras na noite de hoje, e realmente não foram, o importante é que além dos 3 pontos, o Verdão rodou o elenco, descansou os jogadores que precisavam descansar e ainda promoveu a entrada de outros que ainda não tinham jogado, como Maike e Guerra.

E com os dois gols do TS, foi coroada a força do banco de reservas, ainda que nas conversas de boteco seja consenso que o Palmeiras ainda precisa de mais uns 2 ou 3 jogadores pra fechar o grupo.

Domingo o Verdão vai a Bragança enfrentar o Bragantino, que perdeu em casa pro São Bento, mas antes tinha ganhado dos Lambaris na Vila. Lambaris que virão ao Allianz pra apanhar de novo no outro domingo, dia 04. E vai ser com lei do Ex e tudo. KKKKK

AVANTI PALESTRA!     

Botafogo/SP 0x1 Palmeiras – Paulistão 18

Com gol de Borja, o Palmeiras venceu o forte calor de Ribeirão Preto e ganhou a segunda partida no Paulistão.

Coube ao colombiano marcar o gol da vitória, depois de jogada em que ele e o William entraram tabelando pela zaga do Botafogo, já na segunda etapa da partida.

Não foi um jogo bonito de se ver. Mas os 3 pontos valeram a falta de espetáculo, como, aliás, sempre valem. Vitória é o que interessa.

Dos destaques de quinta, nenhum repetiu a – tão – boa atuação. FM, apresar de regular, não teve o mesmo aproveitamento nos passes de longa distância e Lucas Lima, senão pela falta que maldosamente parou no travessão, pouco criou, em comparação com o jogo de quinta-feira. Natural, a se considerar que estamos na segunda partida da temporada.

Pelo mesmo motivo não entraremos no mérito das alterações do Roger mas, cá entre nós, professor, William de 9 não vai virar, não seja o terceiro treinador a insistir nesse erro, ok??

Na parte defensiva, a nova dupla de zaga do Verdão – AC e TM – teve mais um bom desempenho, e o Jailsão pouco teve que fazer pra garantir os 3 pontos. Partida muito boa, mais uma, do Victor Luis.

Quinta enfrentamos o Red Bull, 21 hs, no Allianz Parque.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 3×1 Santo André – Paulistão18

Primeiro, um feliz 2018 verde pra todos nós palmeirenses.

Depois de um descanso merecido e também forçado, afinal aqui nunca foi espaço pra especulações de pré-temporada, finalmente voltamos a falar do Palestra neste que tem tudo pra ser um grande ano do Verdão.

Saíram Egídio (AMEM SENHOR) Erik, Arouca, Roger Guedes (GLORIA Ó PAI), Raphael Veiga e Yerri Mina, além do Zé, que aposentou e assumiu um cargo administrativo no Verdão.

Voltaram de empréstimo Thiago Martins, Victor Luis, Allione e se eu esqueci alguém – que já não foi emprestado – me lembrem aí.

E chegaram 6 reforços além do treinador Roger Machado: Lucas Lima, Marcos Rocha, Diogo Barbosa, Emerson Santos, Weverton e Gustavo Scarpa. Faltou algum? Só vale os que já chegaram kkkk

Até o anúncio dos 5 primeiros novos contratados o chorume da imprensa estava no seu nível normal – em se tratando de Palmeiras – aquela má-vontade padrão que a gente já conhece.

Mas foi com a chegada de Gustavo Scarpa, depois de deixarmos bambi e gambás comendo poeira de novo, que os arautos do fair play financeiro mostraram seus dentes cor de mostarda…

Já teve vários posts da mídia palestrina e – um ou outro – da esportiva convencional que arrebentaram os argumentos falhos dos invejosos das redações Brasil afora, então a mim basta dizer: fair play financeiro é meu ovo!

Do atual exemplo nacional de gestão esportiva, quer pelas arrecadações de bilheterias – que vem pros cofres do clube e não prum banco estatal – ou pelas receitas de sócio torcedor, pelo patrocínio legal e lícito de uma empresa privada, ou por ter negociado um dos melhores contratos de tv fechada para o ano de 2019 com umas luvas bem gordas na assinatura do contrato, não há o que se condenar na postura do Palmeiras no mercado, já que apenas desfruta da condição que, com muito suor e competência já de duas administrações, além do apoio massivo de sua torcida na geração de recursos, hoje o clube tem.

E que se explodam os outros, em especial o time do coração da maior parte da imprensa esportiva, que sempre fez vista grossa e passou pano, em especial quando implodiram o clube dos 13 pra receber o dobro do que os demais times da tv aberta. Não tinha fair play financeiro naquela época, hein seus comédias?

Dito isso, passemos ao jogo de estreia do Palestra nessa temporada, um 3×1 sem muito esforço e em ritmo condizente com essa fase do ano.

Verdão jogou com Jailsão, MR, AC, TM e VL, FM, Tche Tche, LL, Dudu e Bigode, Borja. E foi uma partida de destaque de vários jogadores, entre eles o Felipe Melo, monstruoso na cabeça de área e ainda encaixou vários passes de 50m, um deles resultando diretamente no primeiro gol do Verdão. Foi o dono do time em campo.

Lucas Lima, com um gol e uma assistência, também sobrou em campo, jogou o fino da bola com passes e enfiadas milimétricas o jogo inteiro. Esteve muito à vontade com a camisa do Verdão e a torcida gostou bastante do que viu.

E muitos discordarão, mas achei que o Borja fez uma das melhores partidas com a camisa do Palmeiras, tendo participado diretamente do primeiro gol, com uma assistência monstra pro Dudu desviar de calcanhar, na trave, e no rebote o William marcar.

No segundo gol foi jogada dele e William pela direita que, num chute do colombiano bloqueado pela zaga, a bola sobrou pro Lucas Lima bater de primeira e de canhota, pra fazer o segundo, um belo gol.

Ainda que claramente cansado no segundo tempo, continuou participando do jogo, inclusive auxiliando na defesa. Está longe de ser o 9 que a torcida queria, mas se jogar com essa pegada de hoje, merece o meu voto de confiança. Forza Borja!

Na zaga as coisas iam muito bem com AC e TM e Jailsão da Massa no gol, até que num lance em que MR, AC e Tche Tche foram vergonhosamente driblados de uma só vez, o Santo André chegou aos 2×1.

Ok, nada que fosse preocupante já que o Keno, que entrou no lugar do Dudu iria pouco depois fazer o terceiro, depois de um 1-2 com Lucas Lima – o nome do jogo -, jogada de playstation.

Está de muito bom tamanho o futebol apresentado pelo time de Roger Machado nesse primeiro desafio do ano, e ainda tem Guerra, Moises, Scarpa, Diogo, Dracena entre tantos outros, pra entrar nesse time.

As perspectivas são boas, mas os pés no chão é obrigação, pois melhor elenco no papel – e nem sei se temos, pelo menos ainda não KKKK – não é sinônimo de time campeão, e 2017 está aí pra provar pra quem quiser e tiver coragem de lembrar…

Por enquanto, só alegria de finalmente ver o Palestra em campo de novo e de estrear a temporada com o pé direito e vitória tranquila.

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: