Arquivo mensal: outubro 2017

Palmeiras 2×2 Cruzeiro – BR17

Mais um ponto diminuído. Já são 12 no total. E faltam 5 pra buscar. Hoje poderiam faltar apenas 03, não fosse uma partida lamentável do Juninho, que deu os 02 gols do Cruzeiro, um ele mesmo que marcou, e também não fosse a atuação decisiva do árbitro Heber Roberto Lopes, o grande responsável pelo resultado.

Eu disse aqui num dos últimos posts que não podia depender de arbitragem, pois na dúvida, é sempre contra o Palmeiras. Mas dessa vez teve exagero: o árbitro não marcou um penalti claro no Keno e ainda anulou um gol bom do Borja.

Mas nada disso seria de se lamentar se o Palmeiras não tivesse vacilado nos dois gols que o Cruzeiro marcou e ainda nos gols desperdiçados pelo Keno e pelo Dudu, ainda no 1T e que teriam lacrado o jogo.

De qualquer forma, tirando as mancadas do camisa 4, o Palmeiras fez uma partida muito consistente, teve muito volume de jogo e não se abalou com o revés logo aos 6 minutos de jogo, buscou o empate, fez o segundo bem mal anulado, podia ter feito mais dois, e o primeiro tempo terminou num injustíssimo 1×1.

No segundo tempo o time manteve o volume, com um pouco menos de intensidade, mas quase levou o segundo gol, evitado por uma defesa monstruosa de Fernando Prass. Seguíamos buscando a vitória, só que aos 20 e poucos novo vacilo do Juninho e outro gol do Cruzeiro.

Foi o pior momento do Palmeiras na partida, Valentin logo sacou Jean pra entrar o Roger Guedes e depois trocou Keno por Deyverson.

Seguimos amassando o adversário até que aos 40, de novo Miguel Borja – viu Cuca? – colocou o Palmeiras em igualdade no placar, um gol de centro avante, dominou e pegou a bola na subida, sem chance pro goleiro.

Ainda foram mais 9 minutos de pressão, mas a bola não entraria mais na rede do Cruzeiro. 4 jogos esse ano com as Marias, 3 empates e 1 derrota, a qual também teve um pênalti absurdo não marcado no Roger Guedes, bem debaixo o nariz daquele espantalho que fica fantasiado de juiz na linha de fundo, assim como o lance de hoje no Keno…

O balanço final da partida é que o caminho será longo nos próximos 7 jogos. 21 pontos em disputa e a ordem é pontuar o máximo possível, por isso, nos dois próximos jogos, mesmo fora de casa, a pegada tem que ser pra vencer e tentar diminuir ainda mais a distância pra liderança, que pode ficar a 2 pontos já no próximo domingo, caso o Palmeiras vença no Entulhão.

Se jogar como hoje, só com um pouco mais de atenção na defesa, a vitória virá, ah e como virá…

AVANTI PALESTRA!

Gremio 1×3 Palmeiras – BR17

Depois de um primeiro tempo em que o Palmeiras foi superior ao mandante mas não soube aproveitar as oportunidades, O Verdão liquidou o Grêmio em 20 e poucos minutos na etapa final. 

Abriu um 0x3 de responsa, 2 de Dudu e um de Moisés. 

Ainda teve um penalti claro no Keno quando o jogo estava 1×0, debaixo do nariz do juiz que não marcou porque não quis. Sem novidades, nunca dependemos de arbitragem pra conseguir as nossas conquistas.  

Aos 35 Deyverson fez uma falta imbecil, seu primeiro lance no jogo, e na cobrança pra dentro da área o Grêmio descontou. Mas nao teve outra chance até o fim da partida.

Antes diminuíram nossas vitórias porque foram contra dois times na zona do rebaixamento. Agora vão destacar que o Gremio que perdeu pro Palmeirss hoje não era o time titular. Deixem falar. Tambem nunca dependemos de elogios da imprensa pra chegar em algum lugar.

Quando o apito soar amanhã no Engenhão, a distância pra liderança será de 7 pontos. Pode voltar a ser de 9, ficar nos 7 ou cair pra 6. 

Não importa. 

Temos que seguir jogando um jogo de cada vez, 3 pontos de cada vez. E se for assim, SEREMOS!

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×0 Ponte Preta – BR17

Terceiro e subindo.

Os 14 pontos viraram 9. A distância pro segundo morreu.

E FALTAM 9 JOGOS.

Imagino como deve estar a cabeça do ex-treinador vendo que dos últimos 05 gols do Palmeiras, todos tiveram participação do Keno, sendo 4 assistências, uma pro Borja que não marcava desde as primeiras rodadas do BR, e ainda fez o seu na vitória de hoje…

Maior respeito pelo Cuca mas ele estava atrasando o nosso lado.

Agora começa a fase mais decisiva do campeonato, principalmente pra gente, que teremos  Gremio, Cruzeiro e Gamba, o primeiro e o último fora de casa. Será o desempenho do Palmeiras nesses 03 próximos jogos que definirá o que ainda pode acontecer neste campeonato.

É o famoso ou vai ou racha.

Se vitórias contra Atlético/Go e Ponte Preta não devem ser consideradas grandes feitos, também não é correto negar que o Palmeiras evoluiu, os jogadores evoluíram e os resultados que não vieram nem nos jogos fáceis voltaram a aparecer.

É hora de esquecer os fracassos até aqui e focar no que ainda pode ser feito este ano, e a depender desses próximos 03 jogos, muita coisa boa pode estar por vir.

AVANTI PALESTRA!

A/Go 1×3 Palmeiras – BR17

Será que o Cuca viu o jogo hoje? Será que ele viu o quanto o Keno é infinitamente melhor que o Roger Gudes? que o time rende muito mais sem o Deyverson em campo? Que esse time tem muito mais a oferecer do que estava apresentando?

Enfim, Cuca é rei posto, mas tomara que ele tenha visto o quanto ele foi teimoso e falhou nas suas convicções. E se tivesse visto, certeza que o Palmeiras estaria em melhores condições a essa altura do ano.

Antes que venham com o “foi só o Atlético Goianense”, vejam a tabela e verão que nos últimos 6 jogos o lanterna tinha perdido apenas 1 e ganhou fora de casa no Entulhão, na Ressacada e no Moisés Lucarelli, e ainda conseguiu pontuar na Arena da  Baixada. Só perdeu pro Cruzeiro e em nenhum jogo sofreu mais que 2 gols.

O que só reforça o quanto o Palmeiras jogou bem hoje. Keno voou. Deu três assistências, resolveu o jogo quase sozinho. Com passes precisos pra William, Moises e Dudu, o camisa 27 sobrou em campo e garantiu o resultado do Palmeiras. Disparado o melhor em campo. William também muito bem, assim como Bruno Henrique e Dracena.

Se ainda é cedo para apontar uma revolução no futebol do Palmeiras, ao mesmo tempo foi tarde demais pra diretoria ter finalmente se convencido que o trabalho do Cuca não dava mais liga à frente do time.

O Palmeiras jogou fácil, jogou simples, os jogadores que não vinham rendendo foram sacados do time, os que não eram aproveitados por nada,  como Keno, e ate o BH, foram decisivos, e o resultado se viu nitidamente em campo. Simples, fácil, como sempre deveria ser um A/GO x Palmeiras.

Que na quinta-feira o resultado venha com a mesma facilidade e bom futebol de hoje. O palmeirense merece um fim de ano com um mínimo de dignidade e futebol bem jogado.

AVANTI PALESTRA!        

Palmeiras 2×2 Bahia – BR17

Foi o último fiasco da segunda passagem de Cuca pelo Palmeiras. O treinador não resistiu a mais um mau resultado e deixou o comando do time nesta sexta-feira. 

Os 2 pontos perdidos ontem, somados aos 8 deixados contra Vasco fora e Chape a A/PR em casa, todos resultados inconcebíveis pro Palmeiras de 2016, estampam bem o quanto Cuca e o elenco não estavam mais em sintonia. Era pra estarmos a 4 do Gambá só com esses pontos aí…

Mas também não achemos que a saída de Cuca fará esse time magicamente começar a jogar bola. Porque falta qualidade pra alguns jogadores e pros que tem, está faltando compromisso.

De qualquer forma, a situação de Cuca no Palmeiras já estava alongada demais com as eliminações na Copa do Brasil e na Libertadores, e só foi piorando com os maus resultados do BR. 

Cuca merece nossa gratidão, mas foi tarde demais. A eliminação contra o Barcelona já devia ter sido a gota d’água.

A verdade é que o Cuca jamais devia ter saído no fim do ano passado e, menos ainda ter voltado. 

O Palmeiras meteu os pés pelas mãos com a contratação do EB, uma aposta arriscada prum time de torcida com nenhuma tolerância para novos treinadores. Falo por mim e por vocês também. 

A demissão do Eduardo foi até mais injusta do que a do Cuca, se pararmos pra pensar. A eliminação pra Ponte no Paulista não foi nada pior do que a derrocada ante ao Cruzeiro na CdB ou a eliminação nos penais no jogo contra o Barcelona.

Não que eu ache o EB não devia ter caído, ele não devia nem mesmo ter vindo.

E a volta do Cuca depois de tão pouco tempo, com essa pompa toda de Salvador da Pátria era o rascunho do caminho pro fracasso certo, e não deu outra. 

A diretoria pelo menos acerta ao iniciar o planejamento de 2018 da forma correta, mas isso tudo gira em torno de nâo se fazer mais apostas arriscadas. Vai montar o time o treinador que irá fazer a pré-temporada e conduzir o time no ano que vem. Por isso a escolha tem que ser certa. 

Enquanto isso, o Valentim, que muito palmeirense queria tivesse assumido o time ao invés do EB, terá chance de mostrar se merece mesmo toda essa confiança. 

Temos 11 jogos e 33 pontos em disputa pra garantir a Libertadores do ano que vem. 

Que comece 2018. 

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 0x1 Santos – BR17

Um gramado com menos de 48 horas de plantio. Uma chuva torrencial minutos antes da partida. Um time que veio pra não jogar e um juiz conivente. Era a receita perfeita pra um empate escroto.

Daí você acrescenta um treinador teimoso, um jogador com dedo (pé) podre pra clássicos e um zagueiro que não serve pra jogar nem no Palmeiras da Bahia, e o que já era um maldito empate vira derrota de dar nojo.

O pior é ter a convicção de que o Lambari, histórico passador de pano do Gambá que é, não tem chance nenhuma de tirar o caneco da mão do Lixão. Quando precisar ganhar do Avai em casa, vai peidar na tanga. Time safado, no máximo vai ser vice de novo…

O retrato da tragédia ontem: primeiro o lance do gol, foi falta no Guerra, não do Jean Motta, mas do Copete no primeiro lance. O Copete entra no meio do Guerra, desloca o jogador do Palmeiras, que se desequilibra, tenta dominar a bola, estica o lance e depois perde na dividida sem falta com o jean Motta. O juiz, em cima do lance, não marcou nem  no primeiro nem no segundo lance . Foi safado.

Mas e o Guerra, hein? Tinha que ser ele de novo? E o Cuca que é todo supersticioso me vai colocar em campo um jogador que entrega todo clássico?

Ainda sobre o lance do gol, Thiago Santos acompanha o Copete até a linha de fundo, e o Luan bem distante do lance, o que me faz? Dá um carrinho há 15 metros da bola, alguém me explica aí o que ele quis fazer… A bola cruzou  nossa área, o Bruno Henrique teve tempo de dominar e achar o Ricardo Oliveira sozinho na pequena área. Sozinho porque o Luan, que tinha dado o carrinho no vácuo, não conseguiu levantar a tempo de recompor a marcação. Que cara horrível esse Luan, devolvam pro Vasco pra ontem esse traste…

E a imagem final da tragédia foi o Cuca sacando o William, um dos poucos que se salva lá na frente, pra colocar o Borja. Porque tirar o melhor atacante do Palmeiras e não aquele pipoqueiro grosso, que não acerta um cacete?? Que vergonha é ver o Palmeiras com esse Deyverson de titular, e mais vergonha ainda esse técnico teimoso que vai morrer abraçado com esse pangaré antes de dar o braço a torcer…

Sobre o Cuca, o 2017 dele no comando do Palmeiras foi uma tragédia completa. Nenhum atacante joga bem com ele, mas é só o cara sair daqui – vide Barrios – que o futebol reaparece. Estranho, né?

Pra continuar assim, já podia ir embora amanhã mesmo. Uma instituição do tamanho do Palmeiras não pode ser refém de treinador nenhum. Pega a calça roxa, obrigado por 2016 e seja feliz em outro lugar. Não devia ter saído, muito menos ter voltado…

AVANTI PALESTRA!     

%d blogueiros gostam disto: