Palmeiras 2×1 Vitória – BR16

Depois de 03 jogos, o Palmeiras voltou a vencer no Campeonato Brasileiro e, na última rodada, retomou a liderança que foi nossa mais do que de qualquer outro time até aqui.

O Palmeiras começou indo pra cima do Vitória e, como se tornou característico dessa equipe, com 15 minutos já tinham sido criadas pelo menos 03 chances de gol, duas com Erik e uma com o Leandro Pereira, mas nada de gol.

Na zaga, os perigos vinham de erros individuais, mas as bolas pararam num inspirado Jaílson, que defendeu quase tudo que pôde, foi uma partida quase impecável, não fosse um azar danado no segundo tempo. Mas, sem discussão, achamos o goleiro que vai suprir a ausência do Prass até o fim do ano.

O jogo começou a mudar quando Leandro Pereira, machucado, deu lugar pro Barrios, e foi nítida a diferença: o paraguaio joga de costas na área com a mesma facilidade que joga indo buscar o jogo (o que o LP não faz), ficando a dúvida do por que ele não é titular nesse time, em especial com a ausência do GJ.  

Lá pelos 20 e poucos, Cleiton foi puxado na área e o juiz não tinha como  não marcar o penalti. Jean bateu no canto oposto da cobrança contra a Chapecoense, fraco e rasteiro, e o goleiro do Vitória, quase 1 km adiantado, pegou a bola sem dificuldade.

Aos 35, em jogada ensaiada de escanteio, depois de um quase golaço de chaleira do Moisés (o melhor em campo), a bola sobrou pra ele, Barrios, só desviar pro gol, 1×0 pro Verdão.

No segundo tempo, o que já havia sido visto na primeira etapa, Dudu (que vestiu a braçadeira de capitão) jogou como o palmeirense sempre espera, foi pra cima  da zaga do Vitória e mostrou que nos últimos jogos tava mesmo pouco a fim de jogar bola. Num desses lances, depois de um belo passe de Barrios, o último dele no jogo (que também saiu machucado), Dudu achou CX entrando sozinho na pequena área: 2×0 pro Verdão.

E aí, achei que o Cuca errou ao colocar o Rafael Marques no lugar do Barrios. Marques sempre entra no jogo sem nenhuma inspiração, parece mesmo que não é com ele. Tirando umas bolas de cabeça em reposições do Jaílson, a única coisa que ele sabe fazer, no resto foi mal demais. Talvez a entrada do Roger Guedes, pra explorar a opção do contra-ataque seria melhor. Pode ser que o Cuca quisesse testar o RM, já que tinha perdido os dois centroavantes do elenco por contusão, mas não deu nada certo pra ele, só pra variar…

E o que se viu foi um jogo fácil começar a ficar complicado. Principalmente depois que o Cuca resolveu inverter Jean e Tchê Tchê (o que já havia acontecido no começo do jogo), e em três vacilos do 32, quase entregamos o empate de mão beijada pro Vitória: Primeiro, numa bola nas costas do Tchê Tchê, que rendeu um cruzamento rasteiro que o Jaílson espalmou e a bola bateu nas costas do Thiago Martins e entrou no nosso gol.

Depois, numa bola que o Tche Tche tentou sair jogando e foi cortando pro meio na frente da nossa área, que acabou num chute perigoso do jogador do Vitória, e por último, numa falta na cara do gol que, por sorte, não passou da nossa barreira.

Até entendo a alternância entre os dois, principalmente porque como o TS não estava jogando, Jean faz a marcação como primeiro volante melhor do que o Tche Tche. Mas precisa treinar melhor isso aí, porque quase nos custou os 3 pontos…

Ainda deu tempo do Jaílson fazer uma defesa monstruosa em outro chute de fora da área, e lá na frente, Allione, que tinha entrado no lugar do CX, driblou o goleiro do Vitória e ao invés de só rolar pro Dudu tocar pro gol vazio, resolveu chutar sem ângulo, e a bola foi pra fora.

No fim, apesar da emoção no fim, foi um bom jogo do Palmeiras e o reencontro com a vitória não viria de mão beijada mesmo.

A se confirmar o 1º lugar, o que só não ocorrerá se o Gambá golear o Cruzeiro no Pacaembu hoje a noite, o Verdão terá sido líder do BR em 10 das 19 rodadas até aqui disputadas e fechará a metade do campeonato com o título simbólico de campeão do primeiro turno.

E o que isso vale? Absolutamente nada, senão indicar que o Palmeiras está no caminho certo, mas as dificuldades daqui pra frente serão cada vez maiores. A começar pelo fato de que, dos 05 adversários diretos que seguem na nossa bota, jogaremos com 4 fora de casa pelo segundo turno: Gambá, Santos, Gremio e Atlético/MG. Só o Flamengo virá jogar no Allianz.

O caminho para o enea será o seguinte:

A/PR (F), PON (C), FLU (F), BAM (C), GRE (F), FLA (C), GAM (F), CTB (C),  STA (F), AME (F), CRU (C), FIG (F), SPO (C), SAN (F), INT (C), A/MG (F), BOT (C), CHP (C) e VIT (F).

A dificuldade da tabela fica ainda mais preocupante quando lembarmos que perdemos pontos pra Ponte Preta, Coritiba, Botafogo e Chapecoense, e que toda a gordura que o Palmeiras tinha, que chegou a ser de 05 pontos, hoje se reduz a 1 único ponto, podendo terminar a noite com uma diferença de saldo de gols apenas.

E os cabelos brancos do palmeirense começar a brotar quando vemos a quantidade de contusões que não para, de acontecer: Prass, Dracena, Mina e Gabriel seguem fora, ontem perdemos Barrios e o Leandro Pereira, e com a suspensão do Alecsandro e o GJ na seleção, pode ser que no domingo não tenha um camisa 9 pra jogar contra o A/PR. Complicado…

Mas, como eu disse aqui outras vezes, quem quer moleza está torcendo pro time errado. Vamos assim até o fim, e seremos campeões, senão antes, naquele maldito Barradão, que tanta coisa ruim faz o torcedor do Palmeiras lembrar…

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 1 VITÓRIA
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data-Hora: 7/8/2016 – 16h
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Auxiliares: Nadine Schramm Camara Bastos (Fifa-SC) e Helton Nunes (SC)
Público/renda: 30.330 pagantes/R$ 1.975.055,20
Cartões amarelos: Zé Roberto e Tchê Tchê (PAL), Victor Ramos, Euller, Kanu e Marinho (VIT)
Cartões vermelhos: –
Gols: Barrios (36’/1ºT) (1-0), Cleiton Xavier (4’/2ºT) (2-0), Thiago Martins (contra) (29’/2ºT) (2-1)

PALMEIRAS: Jaílson; Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo e Zé Roberto; Tchê Tchê, Moisés e Cleiton Xavier (Allione, 24’/2ºT); Dudu, Erik e Leandro Pereira (Barrios, aos 25/’1ºT) (Rafael Marques, aos 5’/2ºT). Técnico: Cuca.

VITÓRIA: Fernando Miguel; Diego Renan, Victor Ramos, Kanu e Euller; José Welison (Serginho, aos 25’/2ºT), Willian Farias, Flávio (Vander, no intervalo) e Cárdenas (David, aos 36’/2ºT); Marinho e Kieza. Técnico: Vagner Mancini.

 

 

  

Publicado em 08/08/2016, em Geral, Palmeiras em Campo e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Palmeiras Sempre

    técnico no Palmeiras parece que tem prazo de validade de 6 meses até começar à fazer besteira..O Cuca tá acabando com esse time com essas substituições e formações mirabolantes,é uma pena por que eu pensava que no fim do ano a diretoria poderia renovar o contrato dele,agora eu tô torcendo pra ele ir embora. as últimas derrotas e o empate foram culpa exclusivamente dele.

    E Leandro Pereira contundido nunca será desfalque pra time nenhum do Brasil ou Bélgica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: