Arquivo mensal: junho 2016

Palmeiras 4×0 Figueirense – BR16

O Palestra não tomou conhecimento do Figueirense e com um 4×0 bem do tranquilo, manteve os 100% de aproveitamento em casa, 7 jogos, 7 vitórias, 20 gols pró e 3 contra.

Moisés, Dudu, e GJ (2), marcaram pro Palmeiras num jogo em que a equipe parecia nem fazer força pra conseguir os gols. Com 7 minutos, em mais uma variação em cobrança de escanteio – dedo do Cuca – Moyses acertou uma cabeçada precisa pra abrir o placar.

Lá pelos 40, Dudu, com calma, dominou a bola na marca do penalti, depois de mais uma ótima jogada de Roger Guedes,  e sentou o pé: 2×0.

Nos 10 do segundo tempo, jogada de Dudu em profundidade com o Zé Roberto, que num cruzamento curto no primeiro pau achou o Jesus livre pra fazer de cabeça.

E o Jesus ainda faria o quarto, em cruzamento de Roger Guedes que o Barrios, vergonhosamente, furou…

Barrios, aliás, que mostrou toda a falta de ritmo ao perder um gol ele e o goleiro, depois de ter roubado muito bem a bola do zagueiro do Figueirense. Como ele tava fora há 11 rodadas, não dá pra reclamar, mas pelo que mostrou em campo hoje, o paraguaio vai precisar falar bem menos e jogar bem mais se quiser ter vaga na equipe titular.

A rodada desse final de semana pode ser daquelas que o palmeirense vai dar risada à toa. Porque Flamengo e Gamba, e Inter e Gremio, os quatro adversários imediatamente abaixo do Verde na tabela, jogam entre si. E mais, o Verdão só entrará em campo na segunda à noite, e dependendo do que tiver acontecido nas partidas dos rivais, terá chance de abrir até 05 pontos de vantagem pro segundo colocado.

Mas, pra isso o Palmeiras terá que jogar na Ilha do Retiro como se estivesse no Palestra. É esse o grande desafio para o qual o Cuca vai ter que literalmente quebrar a cuca, com o perdão do trocadilho imbecil: fazer o time render pelo menos razoavelmente como visitante.

Melhor momento impossível pra cobrar, com juros e correção monetária, aquela doída derrota em 19/11/2014, na nossa volta pra casa. Que assim seja!

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TËCNICA:

PALMEIRAS 4 X 0 FIGUEIRENSE 

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/horário: 30 de junho de 2016, às 19h30, quinta-feira 
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Júnior (PE)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Clóvis Amaral da Silva (PE)
Público/renda: 32.834 pagantes/ R$ 1.935.544,72
Cartões amarelos: Rafael Moura (FIG); Róger Guedes (PAL) 
Gols: Moisés 7’1ºT (1-0); Dudu 42’1ºT (2-0); Gabriel Jesus 10’2ºT (3-0) e Gabriel Jesus 45’2ºT (4-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Tchê Tchê e Moisés (Matheus Sales 7’2ºT); Róger Guedes, Cleiton Xavier (Lucas Barrios 19’2ºT) e Dudu (Vitinho 36’2ºT); Gabriel Jesus. Técnico: Cuca. 

FIGUEIRENSE: Gatito Fernández; Ayrton, Marquinhos, Bruno Alves e Marquinhos Pedroso; Jackson Caucaia, Ferrugem (Josinei 29’2ºT) e Bady; Ermel (Yago 1’2ºT), Rafael Moura e Dudu (Everton Santos 29’2ºT). Técnico: Vinícius Eutrópio.

Cruzeiro 2×1 Palmeiras – BR16

A atuação do Palmeiras ontem diante do Cruzeiro foi abaixo da crítica. A derrota, que quebrou uma série de 6 jogos invicto do Verdão, foi mais que merecida. 

Nada deu certo, nem mesmo as alterações que o Cuca fez no intervalo. A entrada do Luan no lugar do CX, aos 5 do segundo tempo, terminou de enterrar de vez o Palmeiras no jogo. 

Mas o principal problema segue sendo a zaga. Ontem descobrimos porque a torcida do Cruzeiro ficou feliz da vida quando Fabiano foi embora, e o Vitor Hugo continua suspenso desde o jogo do Gambá, porque de lá pra cá, não jogou absolutamente nada. Egídio segue sendo ele mesmo, e só o Dracena se salvou; ao lado do Prass, evitaram que o Palmeiras fosse goleado. 

E só pra variar, ainda teve dedo da arbitragem, no fim do jogo, num pênalti não marcado sobre o Edu Dracena. O que não apaga a atuação pavorosa do Palmeiras. Todo mundo sabia que não seria fácil jogar lá em Minas, mas ontem o Palmeiras conseguiu o mais difícil, que foi marcar antes, mas depois foi presa fácil prum time bem do comum…

Sinal amarelo pra quem quer ser campeão: não tem que ganhar todas, mas um mínimo de qualidade precisa ter todo jogo. 

Pra cima do Figueira na quinta. 

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×0 América/MG – BR16

O Palmeiras nem precisou suar a camisa na noite dessa terça pra garantir os 03 pontos, e confirmar a liderança do Campeonato, que só escapa da nossa mão nessa rodada se o Inter ganhar de 5 gols de diferença do Coritiba.

Com o mesmo time que venceu o Santa, o Verdão contou com duas ótimas jogadas do Roger Guedes, disparado o melhor jogador em campo,  ainda no primeiro tempo, pra deixar o Gabriel Jesus finalmente marcar os gols que estavam escapando nas últimas rodadas. O mlq já fez logo dois, pra espantar a zica de vez.

E teriam sido 03, não fosse o bandeirinha anular mais um gol legítimo do Verdão, em que Gabriel Jesus, na mesma linha da bola, completou cruzamento rasteiro do Roger Guedes… É só pra não perder o costume, né Sêo Sergio Correa? Ei, juiz…

Na defesa, os perrengues das últimas rodada não se repetiram, tanto por mérito da marcação muito bem encaixada, como pela incompetência crônica do ataque do Coelho.

A moleza foi tanta que o Palmeiras cozinhou o jogo no segundo tempo, dosou bem as investidas e administrou o jogo com tranquilidade, em nenhum momento o placar construído no primeiro tempo sofreu ameaça. Foi perfeito, como deveria ser sempre um Palmeiras e América MG.

Agora o Verdão assiste os jogos da rodada, principalmente o de quinta, 19:30, quando o Inter vai ao Couto Pereira pra, assim esperamos, perder pelo menos 02 pontos pro Coritiba.

E no sábado, temos tudo pra vencer o Cruzeiro no Mineirão, inclusive um dia a mais de trabalho do que os mineiros, que nesta quarta enfrentam a Ponte em Campinas. Vale lembrar que as Marias são, provavelmente, os piores mandantes do campeonato, ganharam apenas 02 pontos de 12 disputados.

Pra cima Palmeiras!!!

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 0 AMÉRICA-MG
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data-Hora: 21/6/2016 – 21h30
Árbitro: Péricles Bassols (FIFA-PE)
Auxiliares: Clóvis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Público/renda: 27.429 pagantes/R$ 1.543.520,80
Cartões amarelos: Artur (AME)
Cartões vermelhos: –
Gols: Gabriel Jesus (18’/1ºT) (1-0), Gabriel Jesus (26’/1ºT) (2-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean (Fabiano, no intervalo), Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio (Zé Roberto, aos 25’/2ºT); Tchê Tchê, Moisés e Cleiton Xavier (Vitinho, aos 32’/2ºT); Róger Guedes, Dudu e Gabriel Jesus. Técnico: Cuca.

AMÉRICA-MG: João Ricardo; Helder, Artur, Adalberto e Danilo Barcelos (Bruno Sávio, aos 29’/2ºT); Juninho, Leandro Guerreiro, Ernandes e Eduardo (Victor Rangel, aos 38’/1ºT); Osman e Borges (Alan Mineiro, aos 38’/2ºT). Técnico: Sérgio Vieira.

 

Palmeiras 3×1 Santa Cruz – BR16

Cuca apostou num time bastante ofensivo pro jogo desta tarde. Thiago Santos deu lugar pro Cleiton, Dudu devolveu Rafael Marques pro banco e com isso o Palmeiras foi o que tinha de melhor atualmente à disposição do treinador.

E o resultado é que finalmente o Palmeiras jogou um bom primeiro tempo, abrindo 2×0 sem muita dificuldade e sem sofrer muita pressão na defesa. Dudu e Jean, em cobrança de falta, marcaram por Verde.

Por falar em pressão, a visita da diretoria a Sergio Correia na sexta-feira parece não ter surtido efeito, pois aos 5 do segundo tempo, Grafite, impedido, descontou para o Santa. Que voltem lá na comissão de arbitragem na segunda-feira…

Apesar da irregularidade, de novo, o adversário chegou sozinho pra cabecear numa bola parada. Precisa treinar direito isso ai…

Tirando um apagão num erro do Tche Tche logo no reinício da partida, o Palmeiras não se abalou e algum tempo depois, já chegaria ao  terceiro gol, em boa jogada de Jesus pra mais um arremate do Dudu que, junto com Moisés e Roger Guedes, sobraram em campo.

E o Jesus ainda teve mais uma chance, ele e o goleiro, e perdeu. Já perdi as contas de quantos gols feitos ele desperdiçou desde que os olheiros europeus pintaram na área. E o pior que o moleque tá jogando bem, mas não dá pra perder gol todo santo jogo. Vamo, Jesus!

Agora, se no ataque as coisas estão funcionando relativamente bem, na zaga não podemos dizer o mesmo. Hoje, se não fosse dois milagres do Prass, o Palmeiras teria jogado dois pontos fáceis no lixo de novo, como aconteceu em Curitiba.

Então, de duas uma, ou o Palmeiras começa a marcar 4, 5 gols, todo jogo, ou não conseguirá superar os erros recorrentes da arbitragem e da defesa.

Até amanhã, o líder é o Palmeiras, e caso o Inter não pontue no Orlando Scarpelli, assim permanecerá até terça, quando pegamos o América/MG e só um atropelo pra cima dos mineiros é aceitável. Arrisoc 4×0, isso se a zaga e o trio de arbitragem deixarem.

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 3 x 1 SANTA CRUZ

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/horário: 18 de junho de 2016, sábado, às 16h
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Público/renda: 34.162 pagantes / R$ 2.167.071,76
Cartões amarelos: Róger Guedes (Palmeiras); Néris e João Paulo (Santa Cruz)
Cartão vermelho: Uillian Correira, 47’/2ºT (Santa Cruz)
Gols: Dudu, 28’/1ºT (1-0); Jean, 47’/1ºT (2-0); Grafite, 6’/2ºT (2-1) e Dudu, 20’/2ºT (3-1)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Tchê Tchê, Moisés (Thiago Santos – 32’/2ºT); Cleiton Xavier (Cristaldo – 32’/2ºT), Róger Guedes e Dudu (Fabrício – 39’/2ºT); Gabriel Jesus. Técnico: Cuca.

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Vítor (Mario Sergio – 13’/2ºT), Néris, Danny Morais e Tiago Costa; Ullian Correia, Arthur, Lelê (Daniel Costa – 19’/2ºT), João Paulo (Wallyson – 35’/2ºT) e Keno; Grafite. Técnico: Milton Mendes. 

Quer ser campeão, ou quer ter razão?

Matéria veiculada pela ESPN Brasil na quinta-feira, dizia que Alexandre Mattos queria os torcedores que acenderam os sinalizadores “presos” e que iria “enviar um ofício e um DVD” à CBF por causa dos erros da arbitragem contra o Palmeiras. Lembro de ter pensado na hora que li a matéria: Porque não pediu pra prender os árbitros também?

Hoje, a manchete era algo do tipo: Paulo Nobre vai à CBF reclamar da arbitragem e diz que comportamento da torcida é “absurdo”. De novo, pensei: E o comportamento dos juízes, não é absurdo também?

E a questão pode ser resumida, pra mim, com um apetite monstro da diretoria pra comprar briga com a torcida organizada e uma lariquinha boba pra defender o clube na CBF e, principalmente, na Comissão de Arbitragem.

Precisou o Palmeiras ser prejudicado pela quarta vez pra sua diretoria parar de mandar ofício e DVD, tirar a bunda da cadeira e ir pressionar pessoalmente o Sr. Sérgio Correia, o que, pra mim e pra toda a torcida, devia ter acontecido na saída do Moisés Lucarelli, lá na segunda rodada… Com os até aqui 04 pontos perdidos, hoje teríamos 20, 1 a frente do atual líder. Pois é…

Mas, pelo menos fizeram isso hoje, até que enfim. PARABÉNS! Que continuem fazendo isso a cada nova patifaria da arbitragem contra o Verdão. Não pode deixar barato, tem que arrepiar mesmo, chega de ofício e DVD. 

Voltando ao tema, as entrevistas de Mattos e do PN dos últimos dias teriam sido perfeitas, se tivessem simplesmente desconversado a respeito do problema com a torcida e focado apenas na arbitragem. E por que? Simples, porque roupa suja se lava em casa, oras.

Que inocência achar que o STJD ou a CBF vão se solidarizar com ele nessa cruzada contra os “bandidos travestidos de torcedores” como ele mesmo define. Não vão mover uma palha. Eles estão cagando.

Logo, só tem um jeito de resolver: conciliação. Porque, quando as coisas não tem solução, quando se está diante de um impasse e nenhum dos lados envolvidos na querela quer ceder e reconhecer as próprias cagadas, alguém precisa ter a nobreza de se perguntar: – quero ser feliz, ou quero ter razão?

Por isso que, se San Gennaro puder iluminar o caminho da diretoria do Palmeiras, que eles entendam de uma vez por todas que não é na imprensa, na CBF ou no STJD que os problemas com a torcida vão ser resolvidos, mas sim entre quatro paredes, numa reunião fechada e que de preferência jamais se saiba que sequer ocorreu, e na qual todas as diferenças poderão ser avaliadas, algumas compostas, outras com certeza não, mas, enfim, que se sele um pacto pra que todos passem a remar pro mesmo lado rumo a mais uma conquista do Verdão.

E então, Paulo Nobre, faça jus ao sobrenome e dê o primeiro passo, ninguém precisa saber que você cedeu em prol de um bem maior. Afinal, presidente, quer ser campeão, ou quer ter razão?

AVANTI PALESTRA! 

Coritiba 2×2 Palmeiras – BR16

Olhando de volta pra esse jogo lá na frente, não vai ter como pensar que foram 02 pontos perdidos. Tomar 02 gols do Coritiba, num campeonato difícil como esse, não é admissível.

É isso que o Palmeiras precisa melhorar: a zaga. Além dos dois gols, foi uma partida pífia do Thiago Martins, Thiago Santos também foi mal e talvez por isso o Cuca decidiu, a cinco minutos do fim, tirar o Roger Guedes, um dos melhores em campo, pra colocar o Dracena.

Talvez um volante tivesse resolvido, talvez a saída do Jesus ao invés do Roger, difícil saber.

E os primeiros tempos do Palmeiras também precisam melhorar, o time começa sempre bem, às vezes faz gol, e depois despenca no jogo, terminamos a primeira etapa quase implorando pra perder. Daí no intervalo o Cuca resolve, o time melhora, mas mesmo assim perdeu vários gols.

Também temos que falar que se o empate não aconteceu apenas por causa da paralisação do jogo pelos sinalizadores acendidos na torcida do Palmeiras a 3 minutos do fim do jogo, com certeza não ajudou… Precisa repensar isso aí… 

Ah, e só pra não perder o costume, o gol saiu de uma jogada em que o jogador do Coritiba que ajeita a bola pro Leandro estava impedido. O bandeira que atuou na nossa defesa no segundo tempo não marcou nenhum… Mas qual a novidade? Amanhã será que vão mandar ofício pra comissão de arbitragem? porque a outra meia dúzia de ofícios enviados só nesse campeonato não parece estar dando muito resultado…

Resta agora rezar que os adversários na disputa pela liderança também percam pontos em Curitiba, caso contrário, esses 02 pontos vão fazer uma puuuuuta falta…

É isso. Ainda falta acertar a zaga de vez. Jesus tem que parar de perder 02, 03 gols na cara do goleiro, toda partida, e principalmente quando o Palmeiras começar a parar de perder pontos pra Ponte Preta, Coritiba e outras equipes de segundo e terceiro escalão, aí sim será candidato de fato ao título.

No fim, a liderança do campeonato veio, mas era pra ser de 02 pontos e terminou sendo de 02 gols de saldo. Apenas em caso de derrota do Inter amanhã continuaremos na liderança. E bora pegar Santa Cruz e América em casa, qualquer coisa que não seja os 06 pontos será tragédia…

AVANTI PALESTRA!

  

Palmeiras 1×0 Gambazada -BR16

Palmeiras x Gambá é sempre motivo de uma tensão extra. Dormir mal, acordar nervoso, preocupado com a hora do jogo que não chega nunca, sem vontade de comer, o corpo parece ficar imune à cerveja que não ajuda a diminuir a apreensão de enfrentar o maior rival.

Mas hoje não, não no dia 12 de junho. Essa data é nossa, desde 1993, e em nenhum momento me passou pela cabeça a hipótese de o Palmeiras não ganhar da gambazada num dia dos namorados.

O caminho pro estádio, a breve parada na padoca da Caraíbas, a descida pra encontrar os irmãos em frente às bicicletas da esquina da Venâncio, tudo na maior tranquilidade, parecia até amistoso.

Com a bola rolando, a serenidade diminui um pouco, mas não vai embora em nenhum momento. O Palmeiras é melhor, domina o jogo e quase marca logo de cara, com Gabriel Jesus, num lance daqueles que não se perde em clássico de jeito nenhum… Mas tá tudo certo, hoje o dia é nosso.

Passados os primeiros 20 minutos, o Gambá encaixa a marcação no meio, mas time bunda mole que é, não cria nenhum lance real de perigo.

No intervalo, Cuca garantiu os 03 pontos ao tirar o Roger Guedes e colocar o Cleiton, 4-4-2 clássico. Não demorou 03 minutos e o próprio Cleiton abriu o placar.

Um pouco depois uma bola na nossa trave já anunciava a certeza da vitória: hoje não! 

Dali pra frente o Palmeiras ainda teve pelo menos mais 03 chances claras de matar o jogo, além de um pênalti em cima do Dudu, obviamente não marcado, mas em nenhum momento perdeu o controle da partida, até porque o Gambá só chegava com algum perigo em bolas paradas. Olha que beleza, o Tite é o novo Muricy…

Destaque seja dado às atuações impecáveis de Thiago Santos e Edu Dracena, jogaram com o espírito de 1993 encarnado na pele. Como deveria ser sempre contra eles. 

Final de jogo, eu já sabia, vitória do Palestra. Qualquer outro resultado seria impossível, num 12 de junho.

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 X 0 GAMBAZADA

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Rogerio Pablos Zanardo (SP)
Cartões amarelos: Jean, Zé Roberto, Edu Dracena, Moisés (PAL), Giovanni Augusto, Cristian, Felipe, Fagner (COR)
Público e renda: 39.935 / R$ 2.763.659,36
Gol: Cleiton Xavier 2’/2°T (1-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Tchê Tchê, Thiago Martins, Edu Dracena e Zé Roberto; Jean, Thiago Santos e Moisés (Matheus Sales 43′ 2ºT); Róger Guedes (Cleiton Xavier – intervalo), Dudu (Rafael Marques 38′ 2ºT) e Gabriel Jesus.Técnico: Cuca

GAMBAZADA: Walter; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Cristian (Maycon 21′ 2ºT) e Bruno Henrique; Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto e Guilherme (Danilo 19′ 2ºT); Luciano (André 36′ 2ºT). Técnico: Tite

Giorno dell’Indipendenza

Já não é de hoje que se cobra aqui neste blog o fim da querela envolvendo Palmeiras e WTorre, que se estende desde antes mesmo da bola rolar pela primeira vez no Allianz, em 19 de novembro de 2014.

Sendo advogado de formação, e atuando na área contenciosa por opção – ou por ser maluco mesmo (quem é do ramo sabe o que eu tô falando kkk) – se tem uma coisa que eu aprendi a perguntar pros meus clientes, em determinadas situações, é: – você quer ser feliz ou ter razão?

Porque muitas vezes essas duas coisas não andam juntas. Querer ter razão, custe o que custar, pode não lhe trazer qualquer felicidade no final das contas. A demora e as consequências de uma batalha jurídica muitas vezes fazem a espera por uma vitória nos tribunais não compensar nem mesmo pra quem ganha. Pra quem perde então…

Em especial quando as partes não falam a mesma língua em hipótese nenhuma, mas se mantêm vinculadas por um contrato do qual nenhuma das duas pode se desvencilhar.

Esse enredo todo ganha contornos de novela mexicana quando o assunto é Palmeiras e WTorre.

Paulo Nobre e Walter Torre, pelo que se escuta, não se suportam e nem se aturam. E, em se tratando de dois sujeitos poderosos e que não estão habituados a serem contrariados em nada, isso certamente não ajuda a manter um nível mínimo de convivência.

O que se vê é que, a cada tantos dias, uma nova atrocidade é cometida contra o patrimônio alviverde.

Por exemplo: dias desses aí, com nosso narrador titular Marcos Costi viajando, a W. Torre, sem avisar o Palmeiras (por óbvio), anunciou Ademir da Guia pra promover a narração do jogo do verde contra o Atlético/PR. Logo depois, veio a notícia de que não seria mais o Ademir, porque o Palmeiras já tinha contratado o locutor do “O seu, o meu, o nosso PAAAAACAAAEMMMBUUUU” pra partida. Como quem manda no estádio em dias de jogos é o Palmeiras, prevaleceu a posição do clube.

Mas aí, eu pergunto: será que isso não foi tipo uma vingancinha? Não que eu vá um dia no estádio pra ver narração do Ademir – eu queria era ter visto ele jogar – mas será que, não fosse essa porra dessa briga interminável, não dava pra ter acomodado o Ademir na operação do jogo, pra narrar um dos 4 gols que o Palmeiras entubou no Atlético/PR??? Hein???

E eis que hoje, chega a notícia de que o Palmeiras não terá o Allianz à disposição, no próximo dia 22, contra o América/MG, porque a WTorre fechou um evento pra 5.000 pessoas assistirem ao filme Independence Day. MAS QUE PORRA É ESSA, MIO SAN GENNARO??????

Se já não bastasse termos ficado sem nossa casa 4 vezes esse ano (sendo um clássico), e mais sei lá quantas no ano passado, por conta de shows no Allianz, agora a porra do estádio virou cinema????

Alguma dúvida que uma putaria dessas só tem lugar num cenário de completa intolerância e falta de diálogo entre dois “parceiros” que precisam tratar um com o outro todo santo dia mas se odeiam profundamente???

E quem perde sozinho nisso tudo, e ainda por cima de goleada, chama se Sociedade Esportiva Palmeiras, o time de futebol. Perde sua casa, seu caldeirão, pra mandar jogo no insosso Pacaembu, ainda mais com o presida colocando a massa no Tobogã… Complicado…

Daí lembro que ainda estamos no segundo dos TRINTA anos em que essa parceria terá que ser mantida, e fico imaginando quanta merda ainda está por vir pra prejudicar o time do Palmeiras e a sua torcida…

E logo me vem na cabeça a pergunta: – e aí, Paulo Nobre, quer ser feliz ou ter razão?

Acaba de vez com essa porra de briga, compra logo o estádio dessa maledetta WTorre, mas resolve a parada, Dio Mio!!! Ninguém aguenta mais essa patifaria toda…

Que venha logo o Giorno Dell’Indipendenza! Compra o Allianz, presida! Pra quem tem todo esse capim, não vai nem fazer cócegas… Não quer ser lembrado como o maior palmeirense de todos os tempos?? Não é sangue na veia??? Então, fica a dica…

AVANTI PALESTRA!

Mulambos 1×2 Palmeiras – BR16

E não adiantou nem a mulambada vir com o excelentíssimo juiz Dewson, aquele mesmo disgramento que apitou A/pR 3×3 Palmeiras em novembro do ano passado pelo BR15.

Se a diretoria palmeirense fosse séria, esse Sr. jamais apitaria um jogo do Palmeiras depois daquele fiasco. Mas, devem ter mandado mais um ofício e um DVD, e o resultado tá aí, Palmeiras jogando fora contra os mulambos, e eis quem surge com o apito…

E não teve jeito, de 4 penaltis pro Palmeiras, 03 indiscutíveis, ele só marcou um, o único que não tinha a menor possibilidade de não marcar. Os outros 3, já viu né…

O Palmeiras começou de novo muito bem e aos 3:40 já vencia o jogo, mais uma vez com o Jesus aproveitando e guardando logo de cara, como deve ser sempre.

Mas numa daquelas coisas que só acontecem com a gente, Alan Patrick, ele mesmo, motherfucker, aproveitou mais uma falha do Thiago Martins e acertou um chute perfeito aos 9 e empatou o jogo.

E o Palestra não se abalou: Jesus teve pelo menos mais três chances claras de gol, uma de cabeça, duas com os pés, todas de boas enfiadas do Moises, mas o Palmeiras, dono do primeiro tempo, não soube aproveitar.

Voltou o segundo tempo e os mulambos subiram a marcação e deixaram o contra-ataque ao nosso dispor. E fomos perdendo, um dois, três. Ai Cuca mandou pro campo Luan, ele mesmo, que entrou em campo no lugar do Mateus Salles, sob os olhares desconfiados da palestrinidade. 

E não é que ele entrou e jogou bola? Meio enferrujado, é verdade, mas fez o que se esperava dele, não comprometeu, enfim, fez mais do que o Rafa Marques faz na maioria dos jogos que ele entra…

Mais uns minutos e o Cuca tirou o Roger e colocou Cleiton Xavier. A essa altura o Sr. Dewson já devia um penalti pro Verde, cruzamento do Luan que o zagueiro do Flamengo tirou com a mão. Mas foi só com uma defesa de Gordon Banks do zagueiro mulambo, em bola de cobertura que o Jesus mandou, que finalmente o juiz deu. Zagueiro expulso e Jean guardou. 2×1.

O juiz ainda podia ter marcado mais dois penaltis pro Palmeiras, mas sabe como é. né?

Rafael Marques ainda entrou no lugar do Dudu e sofreu uma entrada por trás dentro da área, dele, o grande Marcio Araujo (que falta ele NÃo faz), e ainda teve mais uma mão na bola em cruzamento do CX.

No fim, o único e gigantesco vacilo foi o Vitor Hugo ter tomado o terceiro amarelo aos 38 do segundo tempo, num lance besta, desnecessário, e que nos custará jogar o Derby, que vale a liderança da competição, com sabe-se-lá que zaga…

Com a primeira vitória fora de casa na competição, o Verde assumiu a quarta posição, com 12 pontos, 1 atrás de Gambá, Inter e Gremio. E vejam vocês, não tivesse o Palmeiras sido absurdamente roubado contra a Ponte e Bambi, teríamos pelo menos 14, ou seja, era pra ser líder isolado da competição. Em 06 jogos, fomos prejudicados em 04, sendo que nos 02 últimos foi possível vencer, apesar do juiz. Viu, presidente? Tá esperando o que pra se coçar?

Domingo vale a liderança contra os Lixos. E eu não dormirei até lá pensando em como o Cuca vai montar essa zaga e em quem a CBF vai “sortear”pra apitar o jogo com a conivência plena da nossa diretoria…

Meus cumprimentos pros amigos que estiveram em Brasília hoje e vão trazer os 03 pontos pra casa – finalmente… ahahahaha – e um salve especial pro Josué, esposa e filhão de 04 anos, palestrinos de Brasília que hoje foram pela primeira vez ver o Verdão jogar ao vivo no estádio. Que pé quente hein, Josué!? Continua assim, irmão!

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

Em breve.

A FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO: Alex Muralha; Rodinei, Léo Duarte, César Martins e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão, Everton (Cuéllar, aos 21’/2ºT) e Alan Patrick (Mancuello, 28’/2ºT); Fernandinho e Felipe Vizeu (Marcelo Cirino, aos 13’/2ºT). Técnico: Zé Ricardo.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo e Fabrício; Matheus Sales (Luan, aos 13’/2ºT), Tchê Tchê e Moisés; Dudu (Rafael Marques, aos 39’/2ºT), Róger Guedes (Cleiton Xavier, aos 20’/2ºT) e Gabriel Jesus. Técnico:Cuca.

Palmeiras 4×3 Gremio – BR16

Pacaembu, frio, chuva desde o minuto que o jogo começou, tobogã (obrigado, mimadinho) e a obrigação de vencer o líder do campeonato até a abertura da quinta rodada.

O Palmeiras, com 6 pontos, não podia nem sonhar em qualquer coisa que não fosse chegar aos 9, para manter em apenas 4 a diferença pro Inter, que venceu o Atlético/PR e assumiu a ponta da tabela.

E logo com 1 minuto o Verde já abriu o placar, enfiada monstra do Dudu, melhor em campo, e o Gabriel Jesus dessa vez não desperdiçou: caixa e 1×0 pro Porco.

Mas o time do Palmeiras não encaixou o jogo. Alecsandro, péssimo, garantia que o Gremio jogasse o primeiro tempo inteiro com um a mais, enquanto o juiz ia decidindo todos os lances a favor dos gaúchos.

Mas foi aos 50 – isso mesmo – do primeiro tempo que o tal de Marielson operou do vez o Palestra: num lance que até a gente do distante tobogã conseguiu ver que o zagueiro do Gremio estava impedido-pra-caralho, o safado deixou seguir. Erro tem limite e esse já tinha passado antes da metade do primeiro tempo: Palmeiras, se dependesse do juiz, não ganharia o jogo.

Voltamos pro segundo tempo finalmente com 11 – Alecsandro saiu e Roger Guedes entrou – o Jesus foi jogar de 9. Acontece que o Palmeiras tinha uma Avenida Francisco Matarazzo inteira pro Gremio aproveitar nas costas do Zé Roberto.

E numa dessas que o Roger errou um passe pro miolo da área do Grêmio, os gaúchos foram chegando pela esquerda, Zé Roberto ainda no campo de ataque, Moises também pesado não conseguiu segurar o bom lateral direito do Gremio e, numa falha de posicionamento do Thiago Santos, Giuliano virou o jogo pros caras.

Mas não deu nem dois minutos e Roger Guedes, num daqueles lances que a sorte dos justos aparece, encobriu o goleiro do Gremio numa puxada quase sem ângulo, e botou o Palmeiras de novo no jogo: 2×2.

E o Palmeiras começou a mandar na partida. Claramente, a alteração tinha surtido resultado, e a ineficiência do Alecsandro no primeiro tempo deu lugar pruma grande atuação do Gabriel Jesus, ganhou por cima, por baixo, roubou bola, entrou no meio dos zagueiros do Gremio, enfim, jogou como a gente quer ver sempre.

Só que o nome do jogo foi mesmo Dudu. Sinal de que o puxão de orelha do Cuca deu resultado: já tinha encaixado uma assistência pro Jesus no primeiro tempo, infernizou a vida do alemãozinho lateral esquerdo do Gremio e ainda encaixou duas cobranças de bola parada perfeitas – um escanteio e uma falta – pro Vitor Hugo e pro Thiago Santos marcarem. 4×2.

E ainda deu tempo do Palmeiras moscar e tomar o terceiro, gol do lateral direito Edilson, um dos melhores do Grêmio na partida.

Como o Flamengo ganhou do Vitória, terminamos a rodada na quinta posição. E agora, é justamente a mulambada que vem pela frente, e depois os Gambás.

Se já fomos prejudicados sem dó contra Ponte Preta e Grêmio, imaginem o que está por vir nas próximas duas rodadas?? Que tal, Sr. Paulo Nobre, parar de caçar assunto com a torcida e começar a defender o clube perante a Comissão de Arbitragem? O sr. não acha curioso o caseirão do Ricardo Marques apitar pros bambis, o Vuaden inventando falta pros gambás ganharem dos Sardinhas, e um puta jogo de dois times brigando pelo título vem um tal de Marielson-ninguem-nunca-ouniu-falar-antes?

Que tal largar do pé da torcida um pouco e pegar mais no da CBF com essas arbitragens de merda? Quer disputar o título ou não?

Domingo, Mané Garrincha, que finalmente venha nossa primeira vitória fora de casa. O embalo que esse time precisava pra ganhar confiança e vencer como visitante veio hoje. Aos amigos que vão pra Capital Federal, tragam os 03 pontos.

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 4 X 3 GRÊMIO

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data-Hora: 2/6/2016 – 21h (horário de Brasília)
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Assistentes: Rodrigo Henrique Corrêa (RJ) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Público/Renda: 19.196 pagantes / R$ 525.845,00
Cartões amarelos: Matheus Sales, Dudu, Vitor Hugo, Fernando Prass e Fabrício (PAL), Marcelo Hermes, Bruno Grassi, Pedro Geromel e Lincoln (GRE)
Gols: Gabriel Jesus 1′ 1ºT (1-0); Giuliano 49′ 1ºT (1-1); Giuliano 9′ 2ºT (1-2); Róger Guedes 11′ 2ºT(2-2); Vitor Hugo 27′ 2ºT (3-2); Thiago Santos 38′ 2ºT (4-2) e Edilson 45′ 2ºT (4-3)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Tchê Tchê (Fabrício 37′ 2ºT), Thiago Santos, Vitor Hugo e Zé Roberto; Matheus Sales e Jean; Moisés (Thiago Martins 31′ 2ºT), Gabriel Jesus e Dudu; Alecsandro (Róger Guedes – intervalo). Técnico: Cuca

GRÊMIO: Bruno Grassi; Edílson, Geromel, Bressan e Marcelo Hermes; Walace, Maicon, Giuliano (Bobô 35′ 2ºT), Douglas (Lincoln 25′ 2ºT) e Éverton; Luan.Técnico: Roger Machado

%d blogueiros gostam disto: