Palmeiras 2×0 Rosario Central – Libertadores16

E finalmente saiu a primeira vitória em casa em 2016. Estamos em março…

Foi um jogo com a cara da Libertadores no primeiro tempo, e com a cara do Palmeiras de 2016 no segundo.

E o Palmeiras jogou muito bem a primeira etapa, arrisco dizer que foi o melhor primeiro tempo deste ano, fizemos o gol com o Churry, Dudu mandou uma na trave, Gabriel Jesus sofreu dois penaltis não marcados, ainda teve um impedimento inexistente marcado contra ele, em lance que ele teria entrado no gol com bola e tudo. Podia ter fechado em 3×0 tranquilamente.

Aí  veio o segundo tempo pro palmeirense sofrer como poucas vezes se viu. Se o Verdão já não ficava muito com a bola no pé na primeira etapa, mas criava diversas chances de ataque e tinha solidez na defesa, no segundo tempo abrimos mão de marcar bem e de tentar atacar. O resultado foi um verdadeiro massacre.

Principalmente pelo lado do Lucas e Robinho, o Palmeiras entrou na roda, o time do Rosario avançava a marcação e roubava a bola em menos de 30 segundos, e quando tinha a bola no pé, com um jogador aberto em cada lateral do campo, ia abrindo caminho pela defesa do Palmeiras com poucos toques e as chances de gol foram aparecendo, uma atrás da outra.

E dá-lhe Fernando Prass, pegando uma, duas, três, pegando penalti, operando um milagre atrás do outro. Monstro.

Quando o palmeirense já estava no limite de infartar, lá pelos 48 do segundo tempo, finalmente encaixou aquela uma bola que o time esperou – sem muito merecer – o segundo tempo inteiro: passe do Dudu, Allione driblou o zagueiro e tocou na saída do goleiro: 2×0, fim de jogo e fim do sufoco da palestrinidade aflita no Allianz e mundo afora.

O que vale é sempre os três pontos, mas não precisava ser com tanto sofrimento. É verdade que em parte essa pressão adicional que o Palmeiras sofreu vem desde domingo, por causa da derrota pra Ferroviária, mas a bagunça tática do time continua tornando os jogos uma verdadeira novela mexicana.

Isso é, também, culpa do treinador (hoje, por exemplo, demorou demais pra mexer no time e tirar o Robinho, que fez uma péssima partida, tanto na defesa como no ataque), mas também é potencializado pela falta de opção no elenco pra, por exemplo, ter um meia de ofício à disposição que pudesse cadenciar o jogo e impedir que a bola queimasse no nosso pé.

Em resumo, precisa melhorar muito o sistema de jogo, mas também precisa qualificar o elenco urgente. Esvaziar o DM, pra começar, faria o Palmeiras ter CX, Edu Dracena, Barrios e Gabriel à disposição. E, é claro, equilibrar o elenco, com 02 ou 03 contratações pontuais, é pra ontem.

Como tá tarde pra caraio, sem ficha técnica, notas e lances da partida. Me cobrem amanhã, que agora vou desmaiar ali no chiqueiro do Maluco…

AVANTI PALESTRA!

Publicado em 04/03/2016, em Geral, Palmeiras em Campo e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. É maluco, agentem tem que dar graças a Deus que choveu, senão íamos tomar uma aula de futebol, porque a chuva atrapolhou os caras que tocam mta bola.

  2. Júlio Faria

    Realmente é muito nítido a falta de treinamento de movimentação, o time não sabe tocar bola, jogador faz o passe e não movimenta pra abrir espaço ou receber a bola de novo… Meio campo e ataque não dão opção de saída.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: