Arquivo mensal: setembro 2015

Bambi 1×1 Palmeiras – BR15

Podia ter sido uma partida melhor do Palmeiras. Mas do jeito que acabou, ficou até que bom demais.

Num dia em que Gabriel Jesus e Rafael Marques foram muito mal, coube ao faz-me-rir do goleiro de hockei dar mais uma pixotada no pé do Robinho – que até então ia seguindo o mesmo caminho dos nossos atacantes – e aí, parça, não tem perdão: vai outra cobertura aí? AHAHAHAHAH

O gol sofrido aos 47 do segundo tempo só fez por calar ainda mais a lastimável apresentação da torcida mandante o que, aliás, não é nenhuma novidade. No fim do jogo só se ouviu a gente, Eu sempre te amareiiiii…

Sobre o jogo, o Palmeiras foi a campo com Thiago e Girotto no meio, Robinho mais a frente e Gabriel, Rafael e Barrios fechando no ataque.

Demorou pro time encaixar, os bambis vinham chegando, umas bolas mais perigosas, mas a maioria sem muito perigo. Quando o Palmeiras realmente conseguiu chegar, Andrei cruzou pro Robinho mandar de cabeça no travessão.

Logo na sequência, o juiz parou o jogo pra marcar uma falta no Gabriel na meia lua e não viu que o Rafael chegava sozinho, na cara do eterno reserva do reserva do Marcão pra fazer o primeiro. E ele teria feito… clara interferência da arbitragem, mais uma, como não cansam de prejudicar o Palmeiras…

O segundo tempo veio e o Marcelo tentou acertar o meio, trazendo o Lucas da lateral no lugar do Andrei e colocando o JP na lateral direita.

E por 13 minutos, parecia que o Palmeiras tinha achado o jeito de jogar. Até que depois de um contra-ataque malsucedido e numa jogada de distração inaceitável do Gabriel, os bambis abriram o placar pela nossa direita, em mais uma falha de marcação do JP – igualzinho o lance do jogo contra o Goiás.

Daí parecia dar tudo errado, não tinha um lance que o Palmeiras conseguisse chegar com perigo, Robinho, Rafael e Gabriel, junto com Barrios, não conseguiam fazer nada de produtivo. O time sentiu demais as ausências de Arouca, Dudu e Zé Roberto.

Marcelo tirou o Lucas e colocou Kelvin, e depois Barrios pra entrada de Alecsandro. Nada. Enquanto isso, do lado de lá, Osório ia trancando o time, mostrando satisfação com o placar magro, que tava de muito bom tamanho pro futebol fraco que o time dele tinha jogado.

E quando o Palmeiras parecia ter jogado a toalha, num daqueles lances que o time adversário fica trocando passes pra fazer o tempo passar, veio o castigo: graças a uma arrancada nunca antes vista de AlecDonalds, Goalie Ceni pixotou mais uma vez na saída de bola, e ela foi parar justo nos pés dele, o aplicador oficial de coberturas, que olhou e perguntou: “caramelo ou chocolate? Quer castanha de caju?” AHAHAHAHHAH

Ok, foi divertido, mas o futebol do Palmeiras hoje foi pífio, com Gabriel como pior em campo e Thiago Santos disparado o melhor. Thiago que, aliás, não enfrenta o Chapecoense no próximo domingo, levou o terceiro amarelo. 

Antes, porém, tem a volta contra o Inter, e que o bom resultado do jogo de ida não engane o Palmeiras. O jogo é complicado.   

Inter 1×1 Palmeiras – Copa do Brasil 15

Tava tão na cara, mas tão na cara, que o Palmeiras ia ganhar fácil do Inter, que não ganhou.

Em pouquíssimo tempo o Palestra conseguiu imprimir o seu jogo, como se estivesse em casa, e as chances foram aparecendo, e o Palmeiras perdendo.

Barrios não conseguiu repetir as boas atuações dos últimos jogos e perdeu dois gols feitos, um ele e o goleiro e um penalti.

E o primeiro tempo podia ter virado 2×1 pra nós, acabou 0x0. Se no ataque nao funcionou, tivemos sorte na defesa. 

Veio o segundo tempo, o Palmeiras seguiu mandando no jogo mas sem liquidar a fatura, até que num lance despretensioso o Inter acertou um chute na gaveta, indefensável pro Prass, embora Amaral, Jackson e Lucas ficaram olhando ao invés de encurtar o espaço.

Jesus mandou uma bomba no travessão logo na sequência. A bola teimava em não entrar. 

Até que saíram Barrios e Arouca e entraram Cristaldo e Rafael Marques. E logo no primeiro minuto, cruzamento do Lucas e um belo gol de cabeça do Rafael. O empate era injusto, o Palmeiras merecia estar ganhando, de muito.

Ainda teve tempo do juiz não dar um pênalti claro no Jesus, mas convenhamos, o dia em que o Sandro Meira Ricci marcar dois penaltis pra nós no mesmo jogo, vamos ter virado o Gambá. Melhor assim…

As circunstâncias do jogo mereciam um placar melhor, com vitória folgada do Palmeiras. Mas ela não veio. Paciência, virá em casa.

Agora foco total no jogo do final de semana, vamos invadir o panetone.

AVANTI PALESTRA!

   

Palmeiras 3×2 Gremio – BR15

O Palmeiras fez uma boa apresentação no seu retorno ao Pacaembu, onde não jogávamos desde a derrota por 2×0 pros reservas do Atlético Mineiro, no Brasileiro do ano passado.

Com muita consistência no ataque, com Gabriel Jesus, Rafael Marques, Robinho e Barrios sobrando em campo, e alguma inconsistência na zaga, apesar da partida excelente de ZR, Lucas, Thiago Santos e Arouca, o placar de 3×2 não fez justiça ao futebol jogado.

Podia ter sido 4 ou 5, tranquilamente, mas, também, a zaga podia ter sofrido mais gols. De qualquer forma, a balança pesou a favor, apesar de mais um penalti marcado contra o Palmeiras desses duvidosos mas que, como é contra a gente, nunca tem dúvida: É PENALTIIIEEEEE, diria Milton Leite… isto é, se for na nossa zaga, porque quando é no ataque é sempre bola na mão…

Mas, honestamente, prefiro assim, a última coisa que o Palmeiras precisa é ajuda de juiz, isso daí deixamos pra outros times menos capacitados…

E o penalti foi “cometido” justamente pelo Amaral, que deve ser, San Gennaro nos ajude, o substituto de Arouca, que levou o terceiro amarelo e não enfrenta os bambis lá no Panetone domingo que vem.

E com 4 gols do Barrios em 02 jogos, meu amigo Nigri já quase não se lembra mais dum certo venezuelano que jogou por aqui há algum tempo atrás e que judiava da nossa camisa 10, a mesma com a qual o paraguaio não conseguiu fazer muita coisa pelo Verdão. Mas agora, com a 8… Pois é, Nigri!

Outro que tá voando é o Gabriel Jesus, acho até que é bem capaz do Dudu começar no banco em Porto Alegre, porque o Rafael Marques também fez uma partidaça ontem, apesar do vacilo no primeiro gol dos caras.

Agora, todas as orações voltadas ao Zé Roberto não ter se lesionado ontem, porque ninguém merece o futebolzinho do Sr. Egídio, séloko o que esse maluco tá entregando não é moleza não. Incrível como tem uns caras que não guentam o rojão de vestir nosso manto…

Bora pra Porto Alegre então!

AVANTI PALESTRA!

OS GOLS:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 3X2 GRÊMIO

Local: Estádio Pacaembu, São Paulo
Data-Horário: 18/09/2015 – 18h30
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Bruno Raphael Pires (GO)
Público/Renda: 21.257 / R$ 971.475,00
Cartões Amarelos: Arouca, Thiago Santos (PAL); Bressan, Lucas Ramon, Marcelo Oliveira, Moisés (GRE)

GOLS: Vitor Hugo, 6’/1ºT (1-0); Luan, 20’/1ºT (1-1); Barrios, 31’/1ºT (2-1); Rafael Marques, 13’/2ºT (3-1); Luan, 40’/2ºT (3-2)

PALMEIRAS: Prass; Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio, intervalo); Tiago Santos, Arouca (Amaral, 33’/2ºT), Rafael Marques, Robinho (Allione, 37’/2ºT) e Gabriel Jesus; Lucas Barrios. Técnico: Marcelo Oliveira.

GRÊMIO: Tiago; Lucas Ramos (Bobô, 34’/2ºT), Bressan, Erazo e Marcelo Oliveira; Walace, Moisés, Pedro Rocha (Yuri Mamute, 11’/2ºT), Douglas e Fernandinho (Everton, 11’/2ºT); Luan. Técnico: Roger Machado. 

Fluminense 1×4 Palmeiras – BR15

Depois de um primeiro tempo digno do palmeirense querer cometer um suinocídio, Marcelo Oliveira – esperamos que para TODO O SEMPRE – se convenceu da imprestabilidade de Egídio e AlecDonalds, e mandou pra campo Rafael Marques e Lucas Barrios.

E o resultado foi gritante, 4 gols marcados em questão de minutos, 03 deles do “reserva” Lucas Barrios.

Fica complicado tentar entender a motivação do treinador em insistir com jogadores em gritante má fase, sacrificando o time durante toda uma etapa de jogo, pra depois corrigir e buscar a vitória fácil, não sem antes impor ao palmeirense um sofrimento infinito de 45 minutos, se é que isso é fisicamente possível… Sem falar que, por vezes, os 45 minutos do segundo tempo não foram suficientes pra reverter o resultado negativo do primeiro tempo… Pra que isso, professor?

A diferença de comportamento do time nos dois tempos de jogo mostra não que o treinador é genial, mas sim que teve a esperteza de corrigir uma cagada imperdoável na hora de escalar o time pro jogo.

Curioso que esse “defeito” era recorrente também com o último treinador, e agora vemos a mesma coisa acontecendo com o Marcelo. Será que o problema é mesmo o treinador?

Que a partida lastimável do 666 e do 90KG seja emblemática pra eles nunca mais comporem o escrete inicial da SEP. E que os 03 gols de Barrios sejam definitivos pra confirmar sua titularidade, mesmo porque ser reserva dum caneludo e barrigudo como Alecsandro deveria ser motivo pra rescisão imediata do contrato por culpa do empregador.

Só nos resta orar pra que o Marcelo tenha essa sensatez já pro próximo sábado.

Que venha o Pacaembu, que venham os gaúchos.

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 1 X 4 PALMEIRAS

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 16/9/2015 – 19h30
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Jose Javel Silveira (RS) e Rafael da Silva Alves (RS)

Renda/Público: R$ 403.865,00 / 11.063 presentes
Cartões Amarelos: Wellington Silva (FLU) / Egídio, Thiago Santos e Fernando Prass (PAL)
GOLS: Jean (36’/1ºT 1 – 0), Lucas Barrios (23’/2ºT 1 – 1), Gabriel Jesus (30’/2ºT 1 – 2), Lucas Barrios (45’/2ºT 1 – 3) e Lucas Barrios (47’/2ºT 1 – 4)

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Wellington Silva, Antônio Carlos, Marlon e Léo Pelé; Edson, Jean (Vinícius – 31’/2ºT), Cícero e Gerson (Osvaldo – 30’/1ºT); Marcos Júnior (Michael – 34’/2ºT) e Fred. Técnico: Enderson Moreira.

PALMEIRAS: Fernando Prass, Lucas, Victor Ramos, Jackson e Egídio (Rafael Marques – Intervalo); Thiago Santos, Arouca (Allione – 15’/2ºT), Robinho e Zé Roberto; Gabriel Jesus e Alecsandro (Lucas Barrios – 15’/2ºT) Técnico: Marcelo Oliveira 

      

Guerra Declarada ao Torcedor Palmeirense

O que pensar de uma administração que vilipendia seu maior ativo sempre que pode?

Em qualquer sociedade normal, isso seria caso pra interdição imediata. Mas no Palmeiras doentio de hoje, Paulo Nobre é idolatrado por muitos.

Não bastasse um time mediano pra bom, pouco condizente com a camisa vitoriosa do Palmeiras, em contrapartida ao ingresso mais caro do País, sempre justificado sobre a falácia de “se o torcedor quer time campeão e vitorioso, tem que pagar por isso”, eis que, voltando ao Pacaembu, o Sr. Paulo Nobre pratica uma das maiores afrontas à nossa torcida, ao deslocar os torcedores organizados e os sócios Avanti Ouro para o pior ponto do Pacaembu, o tobogã.

O prejuízo para o fator campo será imensurável, pois o coração da torcida está sendo afastado do gramado o suficiente para que os jogadores do Grêmio não se sintam pressionados de forma alguma. Vão jogar como se estivessem em casa, já que a sua torcida organizada estará bem mais perto do gramado do que a nossa.

Não há justificativas para uma atitude dessa, senão o desprezo profundo com que Paulo Nobre e sua administração tratam o torcedor organizado e, também, os palmeirenses de menor poder aquisitivo.

Enquanto nossos rivais se preocupam em incentivar a ida dos torcedores aos seus estádios, com promoções e preços acessíveis para todos os níveis sociais, o Palmeiras trata o pobre e o organizado como um mal a ser extirpado do campo de futebol.

E isso num dos jogos mais difíceis do campeonato, um concorrente direto por uma vaga na Libertadores que acabou de ter sua vida facilitada pela ignóbil administração palmeirense, que se diz ser “da arquibancada”, mas que parece não saber bem que o coração e o pulmão da torcida, precisa estar colado ao gramado, justamente pra deixar o adversário desconfortável, e pra empurrar o time nos jogos mais complicados.

Outra coisa: pago 109,00 por mês pra ser Avanti Ouro, que eu sou desde sempre, que sempre me deu direito de assistir o jogo no Amarelo ou no Verde com 100% de desconto, e agora tenho que pagar 22,00???? O que mudou, Presidente???

É uma vergonha. E há quem apoie e aplauda.

O Palmeiras de Paulo Nobre não me representa.

Mesmo assim, quando esse time fracassar, e ele vai fracassar, porque esta alicerçado em diversas premissas erradas e falaciosas, eu ficarei triste. Porque por mais que eu discorde de boa parte das atitudes dessa diretoria, o apoio à camisa será sempre incondicional.

E vocês, torcedores de dirigente, abram o olho: Paulos Nobres passarão e virão, mas a torcida e o Palmeiras ficam. Não existe clube grande sem torcida, E o que esse senhor está fazendo é uma guerra declarada contra o nosso torcedor, especialmente o organizado e o pobre. Não tem como isso dar certo, simplesmente não tem.

A prevalecer essa rotina de desrespeito e descaso com a parcela maior da nossa torcida, só quem perde é o Palmeiras. Só não vê quem não quer.

Que triste dia pra história gloriosa do Palmeiras…

FORZA, PALESTRA!   

Palmeiras 2×0 Figueirense- BR15

E depois de três jogos sem vencer, o Palmeiras reencontrou os três pontos na sua última partida no Allianz Parque neste mês de setembro.

E o jogo, tecnicamente fraco, foi marcado por diversos fatos curiosos, entre eles:

– foi o primeiro jogo do Palmeiras sem sofrer gol desde 19/07, quando vencemos o Santos, por 1×0.

– foi o primeiro jogo do campeonato em que se marcou um penalti a favor do Palmeiras – depois de 24 rodadas…

– O Palmeiras é, de novo, o melhor ataque da competição. Ah, se a zaga tivesse mantido a pegada quando o Gabriel ainda tava em campo…

Espero também que tenha sido o último jogo em que tenhamos que ver Egídio e Alecsandro como titulares do Palmeiras. Chega a ser ultrajante a lentidão do Alecsandro. Às vezes da impressão que ele precisa chamar o Easy Taxi pra chegar nas bolas, tá loco… E o Egídio então, erra tudo e mais um pouco.

PelamordeDeus, Marcelo, chega desses caras…

E, depois da partida do Jackson e do Tiago Santos de hoje, chega de Leandro Almeida e Amaral também. Já deu.

Com a vitória, chegamos aos 38 pontos e quinta colocação. Amanhã é dia de torcer pra Chape e Gremio. E pro Joinville, é claro.

Quarta-feira, contra o Flu no Rio, não teremos Vitor Hugo, suspenso, mas com a possível volta do Arouca, o Marcelo poderá voltar o ZR pra lateral esquerda e deixar o Egídio “descansando” aqui em São Paulo. E pro lugar do 31, Victor Ramos é, dos males, o menor.

E sábado que vem, voltamos pro Pacaembu. Que bom que eu guardei as fichinhas do Buim na carteira durante esses dez meses…

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 x 0 FIGUEIRENSE

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Horário: 12/9/2015, 21h
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Assistentes: Rodrigo Henrique Corrêa e Luiz Claudio Regazone (ambos do RJ)

RENDA/PÚBLICO: R$1.349.988,75  / 22.794 pagantes
Cartões amarelos: Vitor Hugo, Egídio, Jackson e Andrei Girotto (PAL);Paulo Roberto, Marcão (FIG)
Cartões vermelhos: Leandro Silva (FIG)
GOLS: Jackson, 1’/2ºT (1-0) e Zé Roberto, 42’/2ºT (2-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass, Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Egídio (Kelvin, intervalo); Thiago Santos, Zé Roberto e Robinho; Rafael Marques (Andrei Girotto, 34’/2ºT), Gabriel Jesus e Alecsandro (Cristaldo, 24’/2ºT). Técnico: Marcelo Oliveira

FIGUEIRENSE: Alex Muralha; Leandro Silva, Saimon, Thiago Heleno e Cereceda; Paulo Roberto, Fabinho, João Vitor e Celsinho (Juninho, 29’/2T); Elias (Alemão, 19’/ºT) e Marcão (Thiago Santana, intervalo). Técnico: Renê Simões 

Inter 1×0 Palmeiras – BR15

Que a baciada de desfalques ia atrapalhar o desempenho do Palmeiras hoje, todo mundo já sabia.

Mas, mesmo assim, nosso treinador conseguiu piorar o que já estava difícil.

A entrada de Allione no clássico só parecia fazer sentido porque, depois de ter confirmadas as suspensões de Robinho, G. Jesus e Dudu, o jogador deveria ser titular no jogo de hoje.

E não foi. Mas o Leandro Almeida foi. Mesmo depois de um jogo pífio – tendo feito duas faltas em que saíram gol do inimigo no último jogo.

Mas não parou por aí. Porque o Leandro Almeida que já podia muito bem ter sido expulso no primeiro tempo, e que foi pro vestiário com um cartão, não foi sacado da equipe. O mesmo se diga do inútil e obeso Alecsandro. Que vergonha de ver esse cara vestindo nossa camisa, sério mesmo…

Com um minuto do segundo tempo, o juiz fez o que o Marcelo devia ter feito no intervalo: mandou o Leandro Almeida pro vestiário. E por incrível que possa parecer – só pro Marcelo Oliveira – o time sem o Leandro Almeida, mesmo com um a menos, melhorou.

Depois, o Marcelo finalmente colocou o Allione, e aí o Palmeiras começou a crescer mesmo. O Inter, que não tinha esboçado o menor interesse em aproveitar a vantagem numérica, parecia que ia entregar a rapadura.

Daí, foi a vez do juiz querer fazer uma média – depois de ter sido prejudicial como sempre – e expulsar, aos 38 do segundo tempo, um jogador do Inter.

Marcelo sacou um volante e colocou Mouche, e aos 44 a bola do jogo caiu nos pés do Jackson, justo dele…

Um jogo que podia ter sido mais fácil, que podia ter valido pontos pro Palmeiras, mas que – apesar dos desfalques – teve o dedo do técnico pra complementar a dificuldade pela ausência dos principais jogadores. Cristaldo e Alecsandro juntos e o Allione no banco, esse maldito Leandro Almeida de novo como titular – aliás, graças a Deus que tá suspenso esse traste – enfim, coisas óbvias que pro Marcelo não deviam ser nenhuma surpresa. Errou.

E com isso, as chances do Palmeiras chegar e ficar no G4 vão minguando. Já são 5 pontos pra mais ou pra menos; dependendo do fechamento da rodada, terminamos em décimo.

Por outro lado, ficou claro que o Inter não é nenhum bicho de sete cabeças, e o Palmeiras tem plenas condições de passar pelo time gaúcho na Copa do Brasil. Daí, serão 4 jogos pra chegar na Copa Libertadores do ano que vem e que se foda o G4.

Mas pra isso, o Palmeiras vai ter que trabalhar muito, principalmente na defesa. A começar pela saída do Leandro Almeida, que nem no banco pode ficar. E treinar essa porra dessa bola parada, já são 03 gols seguidos do mesmíssimo jeito.

Acorda aí, professor… Domingo tem que trucidar o Figueirense se não quiser começar a perder o apoio de parte da torcida.

AVANTI PALESTRA! 

 

Palmeiras 3×3 Gambá – BR15

O ódio me impede de escrever qualquer coisa coerente.

Ainda to tentando entender a presença do Leandro Almeida no time titular. Do Amaral também.

Queria entender qual o critério do Marcelo para colocar um zagueiro que estava quase um mês sem jogar porque, pelas partidas que tinha feito antes, ficou claro que não tinha a menor condição de vestir nossa camisa.

Amaral é jogador pra jogo pequeno. Não aguenta o rojão de jogar clássico. É nítido isso só não vê quem não quer. Puta que pariu, que falta faz o Gabriel…

Rafael Marques, nossa melhor arma em clássicos, foi preterido pra dar lugar pro Allione, voltando de 07 meses de contusão.

Difícil compreender mesmo.

A vitória hoje seria um divisor de águas pro time no campeonato.

Tivessem vindo os 03 pontos, o Palmeiras mostraria força e colaria de vez na briga pela vaga da Libertadores.

Como terminou, o Palmeiras deixa claro que é um time ainda em formação, com claras limitações na defesa – são 14 gols sofridos em 07 jogos – embora no ataque, com 39 gols marcados em 23 jogos, as coisas vão muito bem obrigado.

Embora não possamos reclamar diretamente da arbitragem, dói saber que se fosse o Prass que tivesse dado aquela dividida sem pegar a bola no atacante do Gambá, seria pênalti, nosso goleiro seria expulso e provavelmente ia levar um gancho daqueles.

O juiz também não deu falta de Gil no Arouca, no terceiro gol do Gambá – a camisa foi puxada o suficiente pra impedir que o Arouca cortasse o cruzamento que resultou no gol; nosso time foi inteiro amarelado (perdemos 4 jogadores pro próximo jogo), faltas invertidas, faltas não marcadas no nosso ataque, enfim, foi um serviço muito discreto, mas mesmo assim prejudicial.

E o pior, o palmeirense não pode reclamar, afinal, essa diretoria é dada a elogiar as arbitragens tão nefastas e vexatórias desse campeonato, com que propriedade vamos vociferar contra mais uma ruim?

Mas a verdade mesmo é que o Palmeiras deixou os três pontos escaparem pra si mesmo. A única coisa que não podia acontecer era oferecer a bola parada, mas foi justamente isso que fizemos.

Levamos 02 gols iguais, falha totalmente do Palmeiras, mérito nenhum do adversário.

Pelo menos, somamos 4 pontos contra o rival, não tivemos o prazer de ganhar em casa deles – mas isso virá na hora certa – porém fechamos o ano com uma vitória e uma eliminação em cima deles lá no lixão.

Pro time que é sempre o do ano que vem, tá de bom tamanho.

Só fico esperando esse ano chegar…

AVANTI PALESTRA!

Goias 1×0 Palmeiras – BR15

É por perder 6 pontos prum time ridículo como o Goiás que o Palmeiras não irá ser campeão.

Sobre o primeiro jogo tudo o que precisava ser dito já foi.

Sobre hoje, além das diversas chances de gol perdidas, ainda contou-se com toda a patifaria da arbitragem pro resultado negativo. Um gol mal anulado, um penalti escandaloso não marcado, e um primeiro tempo que podia ter encerrado 2×0 e o caixão do Goiás lacrado, terminou empatado sem gols.

Até aí, normal, em se tratando de Palmeiras.

Mas esperar o que de uma diretoria que quer sempre ser a virgem no puteiro?

O Palmeiras, que em todo o campeonato não teve NENHUM penalti marcado a favor, que teve vários lances duvidosos marcados sempre contra a gente, teve a PACHORRA de emitir uma NOTA OFICIAL repudiando a PRESSÃO que a arbitragem sofria dos rivais…

Pois é… só que enquanto o rival vai somando pontos e mais pontos com erros de arbitragem a favor, disparando na liderança do campeonato, nós vamos deixando pontos e mais pontos pra trás graças a erros bizarros como os cometidos hoje por esse senhor que vai de nome Marcelo Barison…

Aí dá pra criticar jogador, treinador e o caralho? Não dá, né?

Então boa noite.

Parabéns diretoria juvenil do caralho! Não vai ser campeão nunca assim.

AVANTI PALESTRA! 

%d blogueiros gostam disto: