Palmeiras 2×0 Chapecoense – BR15

Ontem o Palmeiras conseguiu um resultado bem mais expressivo do que o placar, e o adversário, sugerem.

Ganhar de 2 x 0 do Chapecoense em casa parece não ser grande coisa, mas se engana quem pensar dessa forma.

Porque, nos últimos anos, o Palmeiras vinha meio que se especializando em perder pontos justamente nos jogos “fáceis”, e que tanta falta fizeram depois no fim do Campeonato. Perder um clássico, perder um jogo pro Grêmio fora de casa é até aceitável, dependendo das circunstâncias. Mas perder pontos em casa pra times menores é inadmissível e, nos últimos anos, se mostrou ser fatal pro Palmeiras em suas pretensões nas competições.

E a impressão que dá é que a sorte do Palmeiras começa finalmente a mudar, desder o jogo contra o Fluminense, vencido na bacia das almas com um gol-quase-perdido pelo Cristaldo, que seria uma tragédia, não tivesse a bola cabeceada na trave voltado inteirinha pro atacante empurrar pra rede e decretar a virada e os 03 pontos pro verdão.

Domingo, contra a turma do Jardim Leonor, o primeiro gol do Palmeiras saiu de um chute do Leandro Pereira que desviou no zagueiro e matou reserva do Marcos, abrindo caminho pra confortável vitória do Verde.

E ontem, de novo, o chute de Egídio desviou no zagueiro e deixou o goleiro do Chapecoense vendido no primeiro gol do Palmeiras.

Dizem que a bola não entra por acaso, e acho mesmo isso, mas um pouquinho de sorte pros lados do Palestra finalmente está vindo em muito boa hora.

Egídio, de novo, com um gol e o cruzamento que originou o segundo, sobrou em campo, mas Robinho e Dudu também sobraram em campo, assim como Gabriel, Arouca, Victor Hugo, enfim, todo mundo jogou de forma consistente.

Por outro lado, como nem tudo são flores, a entrada do torcedor no estádio foi algo de bisonho. Primeiro, no Portão B, um injustificável caracol de cancelas fazia com que o torcedor andasse em “procissão de pinguim” por quilômetros até chegar na revista, onde 04, isso mesmo apenas quatro PMs faziam a revista. Eu demorei, sem brincadeira, 35 minutos pra entrar no estádio, mas teve gente que só conseguiu chegar no intervalo.

Do lado do Portão A, me disseram que quem precisa trocar o ingresso comprado pela Internet enfrenta filas absurdas, onde um punhado de funcionários tem que pegar o cartão de crédito do comprador e fazer um decalque, vejam só, o estádio mais moderno do país operando cartões como se fazia na década de oitenta…

Não é possível que, depois de 08 meses de funcionamento, o Palmeiras e a W Torre ainda não tenham conseguido organizar a entrada do torcedor junto com a polícia de forma decente e no mesmo nível que o estádio de primeira linha e o ingresso mais caro do país exigem.

Outra coisa que merece comentário foi a quantidade de crianças que estiveram presentes ontem no jogo, lá no Gol Norte estava cheio delas, pequenos e pequenas palestrinhas que, apesar de não serem nada bem-vindos lá – quer pela falta de estrutura adequada, quer pelo fato bisonho de se cobrar ingresso de um torcedor menor de 05 anos – foram dar o ar de sua graça e apoiar o Verdão em mais um triunfo.

Tá até rolando uma petição eletrônica por aí pra pedir gratuidade pros nossos pequenos palmeirenses até 05 anos, e apesar de eu não botar muita fé na efetividade desses tipos de documentos (especialmente em se tratando de Palmeiras que não liga muito pra opinião do torcedor), essa causa vale o esforço, quem quiser participar acesse o link aqui e divulgue também no twitter com a hash #CriançasdoPalmeiras. Abre o olho, Presidente!

Mas, pra não falarem que eu só reclamo, ontem o valor dos ingressos foi reduzido, e os valores cobrados foram de 60, no Gol Norte, a 150, nas Centrais. O que é um bom começo e mostrou boa vontade da diretoria na iniciativa, mas ainda está longe de ser o ideal, a se considerar que o ticket médio foi de R$ 50,80, ou seja, ainda assim seria o segundo mais caro dentre todos os clubes da Série A (os gambás cobram, em média, R$ 54,82).

Porém, contra os R$ 65,92 que, em média vinham sendo praticados até então, é um bom avanço. Vale a diretoria refletir ainda, que a redução do preço teve um resultado muito positivo em termos de público, pois um jogo sem muitos atrativos no meio de semana teve um público de mais de 32 mil pessoas, acima da média do estádio na competição, que é de 31 mil.

Agora, acertar mesmo eles vão a hora que pararem de cobrar mais caro no anel superior do que no inferior, e quando finalmente for criado um pacote pro torcedor família (02 adultos, e duas crianças, com preço mais em conta). Enquanto isso, seguimos aguardando e fiscalizando.          

Com a vitória sobre o 10º colocado, e a derrota do Inter em Recife, o Palmeiras virou de página e garantiu, até o fim dessa rodada, a 9ª posição e, dependendo do resultado de Gambá e Ponte e Santos e Fluminense hoje, tem chance de chegar a algo tão impensável há 15 dias atrás como a 5ª colocação, já no fim de semana, caso vençamos a dificílima Ponte Preta em Cuiabá, graças a dois confrontos diretos na parte de cima tabela (hoje, Gambá e Ponte, e no final de semana, Bambis x Fluminense).

Ganhar da Ponte fora não será nada fácil. A Macaca já empatou fora de casa com Gremio, Cruzeiro e Santos e ganhou do Vasco, só perdeu um jogo contra o Fluminense no Rio e só perdeu 02 pontos em casa contra o Goiás, num empate sem gols pela 7ª rodada.

Mas agora é assim, daqui até o final do ano serão 28 finais de campeonato, e se jogarmos com a mesma pagada de domingo e ontem, vamos dar trabalho.

OS GOLS:

A FICHA TÉCNICA: 

PALMEIRAS 2 X 0 CHAPECOENSE
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 1/7/2015 – 21h
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB)
Auxiliares: Luis Filipe Gonçalves (PB) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Renda/Público: R$ 1. 663.574,99 / 32.742 pagantes
Cartões Amarelos: Wagner, Wiliam Barbio e Neném (CHA)
GOLS: Egídio, 27’/1ºT (1-0) e Cristaldo, 24’/2ºT (2-0)
PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Egídio; Gabriel, Arouca (Andrei Girotto, 38’/2ºT) e Robinho; Rafael Marques, Dudu (Zé Roberto, 20’/2ºT) e Leandro Pereira (Cristaldo, 23’/2ºT). Técnico: Marcelo Oliveira
CHAPECOENSE: Danilo; Apodi, Rafael Lima, Neto e Dener; Elicarlos, Gil (Neném, 21’/1ºT), Cleber Santana e Camilo (Hyoran, 32’/2ºT); Wagner (Wiliam Barbio, intervalo) e Edmílson Técnico: Vinicius Eutrópio.

AVANTI PALESTRA!

Publicado em 02/07/2015, em Palmeiras em Campo e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Rogerinho Fumo

    Time ta no caminho certo…Dudu voltou a jogar bem e não deveria ter sido substituído.
    Agora as filas pra entrar estão um NOJO. Bagunça geral, a PM não organiza nada e pior, ainda distribuiu pancadas nos torcedores da fila ontem.
    Alo Paulo Nobre, você só se preocupa com a arrecadação? E o Patrimônio maior da SEP, seu torcedor, aonde fica o respeito???

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: