Como recuperar o terreno perdido

Salve meus amigos, semi chegando e a ânsia e expectativa de mostrar aos Lambaris a força do manto verde, calma… temos o Ituano antes, em tempo, ansiedade é uma merda!

Excepcionalmente no artigo dessa semana, mudamos um pouco o rumo e vamos deixar o assunto Marketing Estratégico para o início do Brasileirão (tem mais a ver). Pois a 3ª maior torcida do Brasil (excluo os Bambis, pois simpatizantes são “café com leite”) está sendo tratada como palhaça pela detentora dos direitos futebolísticos no Brasil.  Jogo no meio de semana de um time decadente do Jardim Leonor, com 16 mil pagantes na sua partida e com direito a pancadaria no treino do dia seguinte, que beleza!

No final de semana, quando todos esperavam a transmissão ao vivo no canal aberto, vem a bomba : Jogo do Verdão as 18:30 do domingo, num horário mais inadequado do que 22hs do meio de semana. Por que não querem exibir o time que mais ganhou Brasileiros, que já vestiu a camisa da seleção, que teve academias e ganhou simpatizantes por todo país? Simples resposta: somos uma ameaça para a estratégia da toda poderosa e maquiavélica Globosta!

Pois no plano deles, apenas Bambis e Gambás,somados aos urubus e quem sabe um time de Minas deverão ter espaço nas telas dominicais e no meio de semana. Podemos viver sem a emissora? Tranquilamente sim, mas o espaço que essa emissora dá é o peso da balança para o patrocínio e valor envolvido, além de termos mais exposição e com isso aumentar a massa de torcedores.

Porém, não podemos apenas criticar o que estamos colhendo hoje, afinal foram anos e anos de ostracismo e desrespeito ao futebol, com direito a dois rebaixamentos em menos de 10 anos e pior, com dirigentes da época da “válvula” e com interesses escusos, quem não se lembra do festival de contratações e contratos que Cipullo e companhia efetuaram , ou senão das mancadas da dupla Chaves e Kiko, ops, Bananone e Ridifrizzo.

Não adianta chorar o leite derramado e o grande segredo é reverter esse quadro. De forma espontânea e com base na experiência de gestão de marcas , passo aqui 05 lições de casa que devemos fazer:

 

1)    Times competitivos e futebol insinuante: Não podemos mais, não temos mais espaço para jogadores medíocres. Quando houver sondagens, tem que haver consistência. Por exemplo, estão falando de Douglas Tanque, pelo amor de Deus, esse gambá não! Cara ruim e do outro lado da força…Pensem em trazer o Hulk depois da copa. Sei lá,temos profissionais muito bem remunerados no Palmeiras hoje, se virem para viabilizar essa contratação.

2)    Não descartem a classe C : Hoje no Brasil , temos o grande tema em torno da Classe Média Brasileira, que são quase 110 Milhões de pessoas, mais que a metade da população. Não podemos querer elitizar um time popular. O Avanti deve ser explorado, com toda certeza, só que não pode ser o divisor de águas entre bons e maus torcedores, longe disso. Adere quem quer e pode e ingressos mais baratos são garantia de casa cheia e isso tem que ser a tônica na nova Arena.

3)    Metam a boca no trombone: Nesse país o provérbio que mais vale é : Quem tem boca vai a Roma ou senão : Quem não chora não mama. Vamos parar com essa postura britânica e polida, que não combinam com a gente. Critiquem e cobrem a Federação ou CBF quando escalarem um árbitro que já foi FDP com a gente ou quando a tabela não for favorável, pois a que já foi divulgada do BR2014 é uma porrada na exibição da nossa marca. Jogos em casa no meio de semana e no final de semana nos horários mais esdrúxulos possíveis.

4)    Não se apequenar: Ficar indo a público e expor nossa fragilidade financeira ou senão economizar com a nutricionista não são coisas positivas a serem divulgadas. Todos os times estão quebrados e pior, muitosp ficam mamando na teta do governo até não poder mais. Vamos sanar as contas no silêncio, sem fazer alarde. E se possível, sem dinheiro próprio, sabemos muito bem como acabam essas estórias…

5)    Parcerias com times de ponta na Europa: Podemos aprender com times de ponta na Alemanha ou Itália os detalhes de uma gestão profissional, temos a Allianz em comum com o Bayern, além disso somos Adidas, assim como eles. Troca de jogadores, imersões e até mesmo empréstimos de jogadores podem ser uma alternativa mais do que viável.

 

Ainda há tempo para revertermos esse quadro incoerente com a história do mais amado Alviverde do mundo. Vamos arregaçar as mangas e começar esse processo de recuperação o quanto antes. Se os Deuses permitirem, poderemos em 02 semanas comemorar o primeiro título do Centenário. Assim seja.

 

“Pode ir armando o coreto
E preparando aquele feijão preto
Eu tô voltando
Põe meia dúzia de Brahma pra gelar
Muda a roupa de cama
Eu tô voltando…”

 

 

 

 

Publicado em 29/03/2014, em Geral. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. “#soquenao…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: