Com a Palavra, o Torcedor – Nathália Fumache

Depois do último post sobre o AVANTI e a decisão de vender ingressos do clássico na Vila somente pros sócios Avanti, foram diversos comentários, alguns a favor, outros contra, a maioria defendendo sua posição com respeito e educação.

O tema é bem polêmico e deve ser analisado por todos os ângulos possíveis. E veio a ideia de trazer um texto que encontrei pelas redes sociais e que muito acrescenta ao debate, especialmente porque aborda o ponto de vista de um dos diferentes tipos de torcedores que temos.

A Nathália Fumache, que escreveu esse texto no Facebook, não mora em São Paulo, é sócia torcedora e tenta vir aos jogos aqui e como visitante também sempre que pode. Eis o relato dela:

Boa tarde, Paulo Nobre!

Sou sócia torcedora, já fui torcedora comum e já viajei em caravanas de torcida organizada. Sou Palmeirense!

Estou acostumada a ir em jogos visitantes regularmente já tem uns 2 anos pra mais e não pretendo parar tão cedo. Também espero não enfrentar problemas com compra de ingresso pra esses… Já me basta o custo alto pra conseguir fazer aquilo que amo!!

Moro no interior e jamais terei a mesma pontuação de alguém que mora na capital em meu Sócio Torcedor. Também não me considero menos torcedora por isso. Se eu não consigo um ingresso, é uma coisa. Se sou simplesmente privada de tentar consegui-lo, é totalmente diferente.

Sou o tipo de torcedora que deixo de comemorar o próprio aniversário e datas com a família pra ver um jogo. Na minha maior loucura, fico até em torcida adversária se for necessário. Nunca recebi pra fazer meu papel de torcedora, sempre gastei e fiz o possível pra isso. O senhor não conhece a minha história. O senhor não conhece a história de cada Palmeirense dessas arquibancadas!

Completamos 100 anos este ano e espero também, que o senhor pare de ser um mimado birrento. O Palmeiras tem milhões de torcedores. Todos com a mesma vontade de torcer. Uns com possibilidade de acompanhar de perto e outros não. Quem decide a hora de poder acompanhar, é cada torcedor. O Senhor não paga as contas de ninguém. Nós é que pagamos as do Palmeiras!

Se deseja brincar de ser dono de algo, rei, vá brincar com suas empresas. O Palmeiras é NOSSO! Seu papel é presidir a instituição e não definir quem torce no estádio e quem torce em casa.

Quer criar programa de ST? Cria! Quer dar regalias a eles? Dê! Mas pare de tentar privar parte de nossa torcida por ego particular.

Torcida organizada e torcedor comum sempre existiu. Sempre vai existir. Como ótimo empresário que sempre ouvi dizer que é, deveria saber que todo setor de consumo tem sua importância dentro de uma empresa. Que assim como no futebol, todo torcedor tem sua importância para um clube.

Espero de coração que deixe de ser inconveniente e pare de brincar com a paixão de cada Palmeirense. Pare de achar que todos possuem a mesma posição social e o mesmo tempo livre pra ficar correndo atras das suas palhaçadas.

Não quero saber de política e o caramba a quatro. Quero saber do nosso Palmeiras em campo e de nossa torcida COMPLETA na arquibancada. Faça o seu papel e nos deixe fazer o nosso: TORCER.

Tive a oportunidade de comemorar nosso título da Copa do Brasil/2012 em seu bar. Juntos! Hoje, me sinto decepcionada com seu esquecimento do que é ser torcedor.

Domingo próximo, o Palmeiras joga contra o Santos fora de casa. Jogo típico que vou. Para este domingo, sequer tive a oportunidade de comprar um ingresso. Saiba que eu vou. Vou na minha loucura, assim como muitos vão. Na loucura e na paixão de ser Palmeirense. Não somos marionetes sua. O senhor não sabe com quem está tentando brincar…

Avanti, Palmeiras!
Att,
Alguém que torce a apenas 25 anos, mas exige respeito.

E ai, o que acharam da opinião da Nathy? Concordem, discordem, mas lembrem-se, comentem com respeito, ou serão bloqueados.

Fica o convite pra quem também quiser dar seu depoimento, é só entrar em contato comigo. Seria legal ler de alguém de fora do Estado, algum membro de organizada e um torcedor não organizado, assim teremos a maior parte dos pontos de vista pra analisar e tentar chegar a alguma conclusão, sempre em prol do Palmeiras e da sua torcida.

Lembrando, é claro, que cada opinião – a da Nathy e outras que vierem – é pessoal do autor e não reflete necessariamente a opinião deste blog, que, aliás, já se encontra devidamente exposta na última sequência de posts sobre o Avanti.

AVANTI PALESTRA!

Publicado em 21/03/2014, em Torcida e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 13 Comentários.

  1. sergio marangão

    A Nathy o defeniu claramente BIRRENTO e MIMADINHO !!para mim tá cada vez mais claro, o que a dupla MUSTANOBRE quer !!! Elitizar toda nossa torcida !!!VOCEis tem mesmo certeza que Nobre e Mustafá torcem mesmo para o PALMEIRAS ?? Ou é mais um investimento do investidor???

  2. Deixei meu comentário no post anterior, mas comentarei novamente aqui para esclarecer minha ideia sobre o tema.

    Moro em Curitiba e sou sócio-Avanti desde 2012 (desde a reestruturação que o programa passou, a partir do jogo contra o Grêmio pela Copa do Brasil). E, assim como a autora, vou em jogos quando o Palmeiras é mandante e em muitos outros quando é visitante.

    Acredito que deva existir uma categorização da torcida e não segregação, que foi a opção escolhida pelo nosso Nobre presidente. Concordo plenamente com o privilégio concedido aos ST com maior rating, mas não da forma como foi feito no jogo contra o Santos.

    A princípio, os torcedores seriam divididos em categorias básicas: torcida organizada; sócio-Avanti; não sócio-Avanti; torcedor da cidade/região que o Palmeiras vai jogar.

    Torcida organizada: Tenho os mesmos ideais do autor do blog e não questiono a importância das organizadas. Pra mim, é óbvio que a torcida organizada teria “direito” uma porcentagem (e grande!) dos ingressos. É um direito adquirido. Digamos, então, 40% para os organizados (Mancha, TUP, Savóia, Porks, etc..).

    Sócio-Avanti: Como já comentei, sou a favor de beneficiar os ST mais assíduos. É a mesma regra que usei para justificar o torcedor organizado. A representatividade dos mais assíduos não pode ser maior do que a das organizadas. Digamos, então, 20% para os sócios-Avanti mais bem colocados no rating. Ainda abriria duas “sub-categorias” aqui: uma para beneficiar o sócio-Avanti que mora na cidade/região que o Palmeiras vai jogar e outra que beneficie o sócio-Avanti de qualquer lugar, independente do rating. Por menor que seja essa porcentagem (5% para cada), o sócio irá se sentir privilegiado e continuará contribuindo mensalmente com o plano.

    Não sócio-Avanti: Não importa qual é o motivo para o torcedor não ser associado (todos são legítimos). Porém, esse torcedor tem o direito de ir em qualquer jogo. 20% para o não-sócio.

    Torcedor da cidade/região: É o mesmo esquema do não-sócio Avanti, apenas com a diferença de que esse ingresso seria vendido na cidade/região da partida e não em SP. 10%.

    Por exemplo, num jogo no Couto Pereira, como tivemos a final há menos de 2 anos, que tem aproximadamente 4.000 ingressos para o visitante: 40% para o organizado (1.600); 20% para o sócio-Avanti com boa colocação no rating (800); 5% para o sócio-Avanti que mora em Curitiba/região e 5% para o sócio-Avanti que mora em qualquer lugar (200 pra cada); 20% para o não-sócio Avanti (800); e finalmente, 10% para o torcedor de Curitiba comprar na bilheteria (400).

    As porcentagens podem ser discutidas dependendo do jogo, bem como as categorias; eu fiz apenas um esboço de como pode ser feito para que todos tenham sua chance de adquirir um ingresso. Injustiças sempre vão ocorrer, é inevitável.

    Aproveitando o debate e que, em breve começam as finais: cadê o carnê para todos os jogos da temporada? Ainda não entendo por que isso não ocorre..

    Daniel Portero

  3. Basta bom senso. Metade da carga de ingressos para os mais bem classificados no avanti em geral, a outra metade para os mais bem classificados no avanti que moram na regiao (quando jogar como visitante). Quando o verdao for mandante, 80% para quem eh avanti em São Paulo, 20% para os mais assíduos de fora de São Paulo. O que sobrar, repassa para os seguintes na classificação. O que não dá eh para ignorar a importancia do plano de socio torcedor porque meia duzia que tem dinheiro para acompanhar o palmeiras aqui e acolá ficou insatisfeita. Por causa de meia dúzia, o Nobre vai matar o plane de sócio torcedor???

  4. Paulo Antonio Borango

    Boa noite palestrinos.
    Comentar sobre a opinião única e exclusiva de uma pessoa é complicado. Ainda mais quando conhecemos a pessoa e sabemos da sua índole…
    Concordo com 90% do que a Nathy publicou, até porque a unanimidade é burra!
    Mais na minha discordância seria que as organizadas (da qual faço parte e com orgulho), deveria sentar e dialogar com a diretoria do Palmeiras – algo não tão fácil como estou escrevendo – mais que deve ser tentado.
    Temos que ter consciência de que somos 16 milhões, ou até mais, de apaixonados pelo nosso clube e, ele deve sempre estar acima de qualquer “birrinha”, de segundos ou terceiros…
    No mais, CONCORDO E MUITO COM ELA e, tenho o prazer de dizer que, sou fã dessa garota!
    Avanti Sociedade Esportiva Palmeiras!

  5. nayara costa

    Respeito a posição da Nathy. Já fui grande frequentadora de estádios desde 1986 e ficava muito brava com privilégios. Principalmente das torcidas organizadas que expulsavam pela ameaça quem chegava antes pra conseguir um lugar melhor, achando que eram donos daquele pedaço do Palestra. Pelo que entendi, não foi negado ingresso para esses torcedores (ou bandidos) que quebraram o patrimônio do clube, foi negada quantidade absurda. Lembro que na estreia da Parmalat no Palmeiras, só conseguíamos comprar um ou dois ingressos no máximo por pessoa. E toda a s vezes que nós reles mortais, não participantes de torcidas organizadas íamos comprar ingresso, nunca conseguíamos comprar em quantidade! A venda de poucos ingressos por pessoas não é de hoje, e acho muito justa, principalmente para evitar cambistas e abusos(o que quase nunca foi conseguido). Concordo com ela quanto aos privilégios do sócios torcedores em detrimento dos torcedores que não conseguem manter a fidelidade tão de perto por motivos diversos. Acredito no diálogo, não na violência.Acho que esse depoimento da Nathália pode abrir uma porta para que a diretoria e presidência do clube possam repensar sobre os torcedores de outras cidades que AMAM nosso Palmeiras como nós da capital,e merecem toda atenção e cuidado.

  6. Achei meio babaca.. não está privando ninguém.. está PRIORIZANDO. Tem jogo que não dá pra ir TODO MUNDO. PACIÊNCIA. Alguém precisa ser priorizado… estão usando um critério. Qual é o critério para priorizar você? Que você deixa aniversário pra ir pro jogo?! Eu moro em Brasília.. tenho que pagar vôo, hotel, e me manter em SP por 1 ou 2 dias pra ver um jogo… Todo ano vou uma ou 2 vezes… é um PUTA sacrifício… aí eu mereço mais?!

    • A Nathy só mora perto de SP e também vai a jogos fora, bem fora do estado. Já vi ela indo pra jogos bem longe daqui, de avião, tendo que pagar hotel e se manter em várias cidades do país, do PAÍS, isso quer dizer cidades do Sul, Rio, onde o Palmeiras estiver e muito mais que uma ou duas vezes por ano. Ela não está dizendo que merece mais, mas que todos merecem por serem torcedores.

    • Paulo Antonio Borango

      Lembre-se apenas Tiago que todos somos Palmeirenses… Uns até mais apaixonados que os outros, mais nunca melhores que ninguém.
      Cada um se esforça e não mede esforços, seguir o Palmeiras, onde quer que ele vá! Me orgulha em saber que têm pessoas como você, que se dedica ao Palmeiras, como um dia me dediquei também!
      A nossa união é o que nos dá o poder de ser e juntos, transformamos qualquer tempo!
      Forte abraço meu querido… E Vai Palmeiras!!!

  7. Sou suspeito pra falar da Fumachão….Sou fã incondicional!

    Já que somos……Com o Palmeiras, pelo Palmeiras e para o Palmeiras!

    • Marcio Gomes COXA

      Excelente texto da Nathy, sou torcedor organizado desde 99, sou sócio torcedor, sou sócio do clube e meu nome estava na famosa lista TOP 700, lista essa ridícula, querer forçar torcedor a se tornar sócio torcedor é inaceitável, o Palmeiras é de todos, não estamos sob regime da ditadura, é preciso respeito

      • Eu até poderia concordar que eh elitização, mas com o avanti por 19 reais de mensalidade, e entradas pela metade do preço para o socio, esse seu argumento cai por terra.

      • “Protoss”, deixe de ser ignorante. Ela é Avanti, você não entende o que lê? Ela reclama por todos. Pelo direito a ver um jogo, seja Socio Avanti ou não! Ela poderia ter comprado na quinta cedo, antes do ocorrido, pois estava liberado para todos os Avanti. O que não é justo é SÓ os Avanti poderem comprar ingresso. Por que? Os outros são menos Palmeiras do que eles? Entenda primeiro, escreva depois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: