Arquivo diário: 06/03/2014

Palmeiras 1×0 Lusa – Paulistão14

Com gol de Juninho (quem diria), em cobrança de falta que na verdade foi penalti não marcado (quem não diria), o Palmeiras bateu a Lusa no Pacaembu, carimbou sua passagem pra próxima fase e como primeiro do grupo.

O que parecia um jogo fácil no primeiro tempo, com o Palmeiras dominando os lances de perigo e perdendo vários gols, começou a encrespar no segundo tempo, justamente logo depois do gol do Verdão e, se não fosse mais uma partida absurda de Fernando Prass, teria azedado o pé do frango. Foram pelo menos 03 defesas de cinema que garantiram a vitória palestrina.

E o Palmeiras teve chance de liquidar a fatura, mas Wesley fez questão de perder, embaixo da trave. Não pode.

No fim, prevaleceu o Verde, como deve ser sempre. Domingo vamos a Rio Preto (ou é Ribeirão?) jogar com o Paulista de Jundiaí, que de 36 pontos disputados marcou só 02 e já está rebaixado. É desses jogos que eu tenho medo…

Com a vitória do Santos hoje, os dois times seguem disputando ponto a ponto a melhor campanha da competição, e o direito de mandar os jogos finais em casa. No ano passado, depois de uma derrota esdrúxula pro Ituano (esse mesmo timeco que agora está rateando pros Gambás), o Palmeiras acabou enfrentando justamente o Santos na Vila nas quartas-de-final, e depois de um empate por 1×1 perdemos nos penaltis.

Ou seja, essa reta final é um caminhão, não pode vacilar nem mesmo com o pior time do campeonato. Tem que arrebentar todo mundo. Inclusive as sardinhas na Vila, no dia 23.

AVANTI

Na semana pasada, recebi e aceitei um convite da diretoria pra avaliar o AVANTI Ouro por 1 ano, gratuitamente, com o compromisso de seguir analisando as vantagens do programa. Como já era sócio desse mesmo pacote, seria programada no sistema a isenção do meu plano por 1 ano.

Melhor avaliando a questão, pedi que a isenção fosse cancelada. Como já era sócio do programa desse mesmo pacote ouro, preferi seguir contribuindo com o clube, afinal, essa é a troca que o torcedor faz para receber os incentivos que o programa oferece: o torcedor ajuda o clube pagando a mensalidade. Assim, para melhor avaliar, entendi que devo contribuir primeiro, pra depois poder sopesar os incentivos e vantagens e poder concluir, com propriedade, se o programa vale ou não a pena.

Não se trata de achar certo ou errado aceitar o desconto que foi oferecido. Não é nada disso. Acho até válido e entendo que quem recebeu o convite foi considerado qualificado pra fazer essa avaliação, são todos formadores de opinião da torcida palmeirense e merecem o voto de confiança. Apenas optei por continuar pagando, pois na minha concepção me permitirá avaliar de forma mais completa a experiência, o que, aliás, eu já vinha fazendo. E ponto. Não se fala mais nisso.

Isso dito, desde o último post que fiz sobre o Avanti, de positivo, vi que finalmente o sistema de rating foi corrigido e os 23% que tinha até o mês passado agora viraram 81%, percentual bem mais condizente para quem esteve em todos os jogos deste ano e só faltou em 4 jogos no ano passado (três desses fora de SP).

No site do programa, foi corrigida a informação de que o rating consideraria a média de presença do sócio Avanti nos últimos 02 meses, já que a contagem efetivamente considera todos os jogos desde setembro de 2013. Por isso da minha média ser 81% e não 100%. Outro ponto positivo.

De negativo, já é o segundo jogo seguido (mas houve outros nesta temporada e diversos na passada), em que a catraca não emitiu o recibo de entrada. Falta grave pra quem, como eu, acumula todos os comprovantes de jogos desde a década de 80. Problema este – do FutebolCard – que não é exclusivo do sócio Avanti, mas de todos os torcedores que entram no estádio.

Mas ruim mesmo foi a declaração do presidente na entrevista de hoje para o Lancenet (veja aqui):

Ninguém é obrigado a ser sócio, mas se quiser as vantagens, precisa ser, ou não reclama do preço

Eu seria o maior adepto desse raciocínio se tivéssemos uma presença de, digamos, 60% de sócios torcedores (algo em torno de 24 mil pessoas) em todos os jogos do Palmeiras. Isso seria um claro indicativo de que as vantagens oferecidas pelo Avanti compensam pro torcedor ir ao jogo.

Mas, hoje, por exemplo, num jogo em que, bem ou mal, é clássico, tivemos 11.180 pessoas no Pacaembu (o Coxa cravou 11.189, o mais perto que já vi até hoje). Nos dois últimos jogos de meio de semana, cerca de 7.000 pagantes. Num estádio que cabem 40.000 pessoas, em jogo de um clube com quase esses mesmo 40.000 sócios torcedores.

É evidente que não teremos nunca 100% de sócios-torcedores num único jogo, mas esse número tão baixo de presentes a cada partida (entre 10% e 15% do universo de sócios-torcedores, presumo eu) é preocupante. Significa que o torcedor contribui com o clube mas não usufrui da contrapartida.

E se isso não ocorre porque o preço do ingresso é muito alto, então precisa ser investigado profundamente o porque. Ora, nos bambis, por exemplo, há pelo menos dois anos, o sócio torcedor paga R$ 10,00 no ingresso de um determinado setor do Panetone. Algumas vezes, o preço é R$ 2,00. Enquanto isso, no Palmeiras, pro plano de entrada, o ingresso com desconto sai por R$ 30.00. Tá muito caro!

Se o torcedor que não quer ser sócio do programa não pode reclamar do preço, como disse o presidente, e o sócio torcedor, reclama pra quem?

Pra não falarem que só aponto os defeitos e não a solução, se não querem mexer no preço do impresso, então que se aumente o valor do desconto. Que tal subir pra 70% ou 80% nesses jogos de meio de semana? Porque, convenhamos, ter 30 mil sócios pagando R$ 20,00 por mês sem ir aos jogos não é vantagem nenhuma, nem pro sócio torcedor, nem pro clube.

Fica a dica.

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

Local: Estádio do Pacaembu (SP)
Data/Hora: 4/03/2014, às 19h30h
Árbitro: Vinicius Furlan
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Junior e Leonardo Schiavo Pedalini

Público: 11.180
Cartões amarelos: Lúcio, Juninho e Eguren (PAL); Renan, Willian Magrão e Henrique (POR)
Cartões vermelhos: nenhum

GOL: Juninho, 3’/2ºT (1-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e Juninho; Eguren, Wesley, Mendieta (França – 34’/2ºT) e Patrick Vieira (Rodolfo – 25’/2ºT); Vinicius (Bruno César – 19’/2ºT) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

PORTUGUESA: Gledson; Régis, Diego Augusto, Wagner e Bryan; Diego Silva (Coutinho – 14’/2ºT), Renan, Willian Magrão (Laércio – 34’/2ºT) e Rondinelly (Gabriel Xavier – 18’/2ºT); Leandro e Henrique. Técnico: Argel Fucks.

AVANTI PALESTRA!        

 

  

Tem Jogo! Palmeiras x Lusa – Paulistão14 R. 12

Bom dia palestrinos,

Semana de festa com o retorno da Escola de Samba Mancha Verde ao Grupo Especial do Carnaval de São Paulo. E mesmo quem não gosta de Carnaval, ou samba, ou das torcidas organizadas, deveria estar em festa também, porque no ano que vem o enredo da escola já está definido: será o centenário do Palmeiras, pro mundo inteiro ver a história fantástica do glorioso alviverde imponente. Eu, com certeza, vou estar no Anhembi, na avenida, como estive nos últimos anos, como estive no último domingo e como estarei amanhã, pra comemorar o vice-campeonato do Acesso. Arrebenta minha escooola!

Feito o registro e passando a falar de Palmeiras, hoje recebemos a Lusa no Pacaembu, 19:30, jogando por uma vitória para confirmar a classificação antecipada para a próxima fase do Paulistâo. Na verdade, isso pouco importa, porque não basta se classificar, mas tem que brigar pra ser o primeiro e manter a vantagem do mando de campo até o fim do torneio. Decidindo em casa, aí é com a gente no concreto e ninguém segura!

A Portuguesa, apesar de ameaçada de rebaixamento, vem em ascensão sob o comando do nosso ex-zagueiro Argel Fucks (ainda me pergunto porque ele não usava o sobrenome quando era zagueiro, seria uma combinação perfeita com o futebol parrudo ahahah), são 4 vitórias e 1 empate nos últimos seis jogos.

O Palmeiras segue com Marcelo Oliveira improvisado na zaga diante da ausência de Wellington. Na minha opinião, esse improviso é arriscado, não funcionou contra o Botafogo e nos custou a invencibilidade. O melhor seria irmos de Tiago Alves, com Marcelo Oliveira ou Eguren na frente da zaga. Pelo menos, do meio pra frente, Kleina parece ter entendido que não pode jogar com dois volantes de contenção, e deve mandar a campo Eguren, Wesley, Mendieta e Patrik Vieira, com Alan Kardec e Vinicius no ataque. Valdívia, que jogou 15 minutos ontem pelo Chile, e Leandro, Diogo e Marquinhos Gabriel, machucados, não estão à disposição.

Poderia até ser a primeira chance do Bruno Cesar como titular, mas diante do vacilo contra o Botafogo, que interrompeu a necessária sequencia de jogos, concordo que ele fique como opção para o segundo tempo, desde que não entre pilhado e numa roubada, já vimos no que deu lá em Ribeirão.

O apito fica por conta de Vinicius Furlan, e bandeiras nas mãos de Carlos Augusto Nogueira Junior e Leonardo Schiavo Pedalini, além dos dois figurantes na linha de fundo, cuja função será a de NÃO marcar penaltis para o Palmeiras, como de costume.

O adversário não é fácil, e será mais um teste pra avaliar a força do elenco. Triste mesmo será ver os menos de 10.000 presentes no jogo de hoje, o que tem sido a tônica das últimas bilheterias do Palmeiras em casa no meio de semana, conforme já comentamos aqui. Mesmo que passe dos 10.000, dificilmente passará dos 13 mil. Enfim, tomara que eu esteja errado, quero mais é ver o estádio abarrotado…

Palpíte do Maluco, finalmente de volta, é de 2×0, gols de Alan Kardec, sempre ele, e Lucio.

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: