Palmeiras, um time de massa e não das massas.

Salve meus amigos, todos na tensão pré Derby e é completamente normal essa ansiedade, afinal estamos numa fase ascendente e todo cuidado é pouco, pois clássico se ganha no campo com dedicação, garra e vontade. Mesmo em minoria no estádio (em tempo, eles nem deverão chegar a 25 mil ingressos vendidos) temos totais condições de jogar o jogo, no toque de bola e na primeira oportunidade liquidar a peleja, assim seja!

O tema de hoje é bem polêmico, mas se trata de algo que vem atrapalhando a evolução da Sociedade Esportiva Palmeiras.  Tenho certeza que boa parte dos Palmeirenses tem orgulho da nossa história e enaltece o esforço da Colônia Italiana, ainda mais considerando tudo o que se passou na 2ª Guerra Mundial e o quanto foram hostilizados.

Entretanto, com o advento das academias (décadas de 60 e 70), além da hegemonia dos anos 90, nossa torcida cresceu e se espalhou pelo Brasil, atingindo desde Marina Silva até Neymar e Hulk, passando por Chico Anísio e Moacir Franco.  Em suma, na década de 80, chegamos a ser a 3ª maior torcida do Brasil – mesmo no meio de jejum de títulos.

Só que o Palmeiras transcendeu a questão de time de colônia e se tornou um time de massa, sendo que é possível ver torcedores no Sul, Nordeste, interiores do Brasil e até mesmo no meio do Pantanal ou Amazônia. E isso tem que ser considerado e utilizado nas mensagens ao público alvo, afinal, quanto mais nos sentirmos parte do time, mas nos envolvemos e participamos ativamente, seja indo ao estádio, seja adquirindo camisas e afins.

Não significa que temos de abdicar da nossa história e deixar de homenagear a colônia, os fundadores e tudo o que foi conquistado. O que deve ser pensado é que muitas vezes podemos usar nomes em ações de Marketing ou em campanhas que não se relacionem diretamente com Palavras Italianas, tal qual Avanti, Cruz de Savóia ou cores da bandeira Italiana.

As cores do Palmeiras são Verde e Branco, arrisco a dizer que somos o maior Alviverde do mundo, mais vitoriosos e com maior torcida. No jogo contra os Bambis, a Mancha deu um show a parte com fitas verde e branco apenas (sem a cor vermelha), pois essas são as nossas cores e devemos utilizá-las em todos os materiais de Marketing e Comunicação.

Por fim e não menos importante, seria fundamental para nossa evolução que a gestão do Palmeiras não ficasse restrita apenas a sobrenomes Italianos e sim acessível para todas as etnias, pois a heterogeneidade agrega e muito, afinal temos diferentes aspectos comportamentais e isso promove a discussão e o crescimento. A disciplina Oriental, a Paixão Italiana, a flexibilidade Brasileira e por aí vai.

Lembrando a frase do nosso hino: “… que sabe ser Brasileiro ostentando a sua fibra.”

Marcelo Nacle

Publicado em 14/02/2014, em Geral, Marketing e Afins, por Marcelo Nacle e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Gerson Guarino

    Good little buddy !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: