Arquivo mensal: janeiro 2014

Palmeiras 1 x 0 Penapolense – Paulistão 2014

Desde a época do Caio Junior, está mais que comprovado que o Palmeiras não sabe jogar com um jogador a mais em campo. O time simplesmente não encaixa quando o adversário perde um jogador e se fecha inteiro atrás. Bom que, mesmo assim, o resultado veio, quarta vitória em quatro jogos.

Aliás, se o juiz não fosse um comédia, tinha expulsado o jogador do Penapolense logo aos 3 minutos. Num lance covarde, acertou a cara do Lúcio. Se fosse jogador nosso que tivesse feito isso, seria banido do futebol. E, depois aos 41, o animalzinho deu com a sola da chuteira nas costas do Wesley. Merecia dois vermelhos, esse tal de Heleno. E o cara ainda reclamou de ter sido expulso. Tá achando que joga no Gambá? ahahahahahha

Kleina segue insistindo com o limitado Mazinho, ao invés de colocar logo como titular o Marquinhos Gabriel. o 40, que só entrou no intervalo no lugar do desfocado 10, fez o gol da vitória e, ao lado de Wesley e Wendel (não, não é uma dupla sertaneja), foram os que melhor se apresentaram hoje.

Mas no geral foi um jogo bem fraco, de um time só atacando e outro só se defendendo. Por isso mesmo, na defesa, tivemos muito pouco trabalho pra poder avaliar o que será da nova dupla de zaga.

No fim das contas, o que valeu foram os 3 pontos, e só o que importa é o jogo de domingo, esse sim o verdadeiro desafio desse elenco. Não disputamos um clássico desde o 1×1 com os Sardinhas na Vila pelas Quartas do Paulista no ano passado. Em 2013 foram só empates, o Palmeiras nem perdeu nem ganhou os jogos contra os maiores rivais, o que não acontece desde o Palmeiras e Santos em Prudente em 2012. Tá mais do que na hora de voltar a ganhar.

Falta muito pra domingo?

OS LANCES:

A MANCHA:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 X 0 PENAPOLENSE

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 30 de janeiro de 2013, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Junior e Alexandre Basilio Vasconcellos (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Marcelo Prieto Alfieri e Camilo Morais Zarpelão (ambos de SP)
Público/renda: 11.232 pagantes/ R$ 410.187,50
Cartões amarelos: Leandro, Wendel, Serginho e Juninho (PAL); Heleno e Gualberto (PEN)
Cartões vermelhos: Heleno (PEN) (41’/1T)

GOL: Marquinhos Gabriel, aos 21’/2T (1-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Wellington e Juninho; Marcelo Oliveira, Wesley, Valdivia (Marquinhos Gabriel, no intervalo) e Mazinho (Felipe Menezes, aos 24’/2T); Leandro (Serginho, aos 35’/2T) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina

PENAPOLENSE: Samuel; Rodnei, Jaílton, Gualberto e Rodrigo Biro; Liel (Fernando, aos 31’/2T), Petros, Heleno, Washington e Guaru (Rafael Ratão, aos 12’/2T); Alexsandro Créu (Lukas, aos 26’/2T). Técnico: Narciso.

AVANTI PALESTRA! 

E Venderam de Novo o Capitão…

Dentre as INÚMERAS mentiras que os torcedores de gestor empurram goela abaixo dos palmeirenses mais influenciáveis, está a que o Palmeiras, apesar de não ter contratado nomes de expressão (me desculpem, Bruno Cesar, pra mim, não se qualifica como tal), tinha mantido a “espinha dorsal” com Prass, Henrique, Wesley e Valdívia e que, com isso, o time seria competitivo e brigaria por títulos no ano mais importante de sua história.

Pois bem, eis que o capitão do time, o chefe da zaga, o cara que que ia dar segurança com a aposta feita no Lúcio (que já não tem mais idade pra ser um zagueiro rápido), vai embora pra Itália.

E agora, o que vão falar? O de sempre, oras… que o Henrique é ruim de grupo, que é indisciplinado, que é baladeiro, que tava errando todos os jogos, que o salário dele era muito alto, que tava devendo pro empresário dele, que vão trazer o Bruno Uvini e bláblablá. Vão desqualificar o jogador, como sempre fazem, vão prometer jogador que não vai vir como fizeram quando venderam o capitão do ano passado – Barcos. Ou o Marcelo Moreno já foi apresentado?

Outros vão falar que o valor era irrecusável. É mesmo? 5 milhões de euros? Na verdade, são 4, porque 20% não são do Palmeiras. E com esses 4 milhões, vamos comprar quem? Ou vamos pagar dívidas, quitar empréstimos, comissões atrasadas e tal?

Porque são coisas distintas. Vender o capitão e usar o dinheiro pra trazer outro jogador que tem, no mínimo, potencial pra ser do mesmo nível ou melhor, ok. Agora, vender o capitão e usar o dinheiro pra deixar mais contas no azul, aí é de foder…

A zaga não era preocupação pro ano do centenário até hoje. Trouxeram o Lúcio, 35 anos, depois de uma temporada ridícula no São Paulo e sem jogar desde julho de 2013. Tudo bem, afinal, ele ia jogar do lado do Henrique. Trouxeram o Victorino, sem jogar desde novembro de 2012, 32 anos, mas tudo bem, ele ia jogar do lado do Henrique. E quando nenhum dos dois estivessem disponíveis – o que é bem provável por se tratarem de dois jogadores na casa dos 30 anos – tudo bem, tem o Tiago Alves, que ia jogar do lado do Henrique. Se precisar, improvisa o Marcelo Oliveira, do lado do Henrique. Tudo tranquilo, contanto que o Henrique estivesse em campo.

Agora, tira o Henrique. E o que sobrou? Lucio e Victorino? Lucio e Tiago Alves? Tiago Alves e Victorino? Lucio, Victorino e Marcelo Oliveira? E aí? Qual zaga titular dessas opções agrada? A mim, NE NHU MA.

Outra coisa interessante a ser analisada: o valor da multa rescisória do Henrique só seria 5 milhões de euros no fim deste ano, ou seja, no momento, a multa era maior do que o valor que o Napoli vai pagar. Se o Napoli tivesse depositado a multa, e o Henrique quisesse sair, o Palmeiras não teria o que fazer. Mas não foi esse o caso.

Só que no Palmeiras, ninguém é inegociável, aliás, muito pelo contrário, chegou, levou, não importa se o cara é imprescindível pro time, se é o capitão, o maior ídolo (me refiro ao Barcos), nada disso, vendemos o capitão e melhor jogador do ataque ano passado em fevereiro, esse ano foi embora o capitão e melhor defensor em janeiro.

Quem não quiser sair do Palmeiras, que não ponha no braço a tarjeta de capitão, porque daí é um passo pra porta da rua… Aliás, pensando bem, Juninho capitão JÁ!

Agora pergunta pro treinador como é que fica o planejamento pro ano do centenário, com o melhor zagueiro saindo fora com o campeonato Paulista em andamento?

Sério, é de dar desgosto ver o que fazem com o torcedor do Palmeiras. E ainda há quem defenda, que queira analisar as coisas com a razão e os caralho… Na boa, nem percam seu tempo comigo. Ninguem vai me convencer que a venda do melhor zagueiro do time foi bom negócio. Pro torcedor que quer ver o time campeão, foi UMA MERDA!!!!!!!!

A não ser que amanhã apresentem o Dedé ou o Rever, ai nesse caso eu mastigo a tela do computador pedacinho por pedacinho e carregarei uma foto do CEO e do presidente na carteira, como muitos aí já fazem.

Até lá, essa negociação só significa pra mim abandonar qualquer chance que esse time tinha de ganhar alguma coisa esse ano. E caso venham falar em dificuldade financeira do clube, já podem trazer resposta pronta pra seguinte pergunta: Cadê o patrocínio master, que desde maio até hoje podia ter rendido esses MESMOS € 4 MILHÕES PROS COFRES DO CLUBE?

Em tempo, acabo de ser lembrado no twitter pelo @JotaJr11, Gambazada tá vendendo o reserva Edenilson  por 6 milhões de Euros. Só pra constar…

AVANTI PALESTRA! 

Atlético Sorocaba 1×4 Palmeiras – Paulistão 14

O Palmeiras conseguiu uma vitória tranquila, apesar do susto de sair perdendo no placar de novo, segunda vez em três jogos. Nada de alarmante a se considerar que nos dois casos se trataram de falhas individuais bem com cara de início de temporada – a do Prass no jogo contra o Linense, e a do Lúcio/Henrique mo jogo de hoje, que foi mais uma falha de comunicação do que algo que precisemos nos preocupar.

Mas essa história de sair atrás do placar e ter que reverter o prejuízo é bem a cara do time da Série B, é bem a cara do Gilsão. E no ano passado, já vimos que às vezes a virada não vem. Enfim…

Dessa vez o Kleina acertou o esquema tático, jogando com “só” dois volantes (Marcelo Oliveira e Wesley), embora tenha insistido com Mazinho, que já tinha ido mal no jogo passado e hoje também não foi bem, provavelmente por estar sendo escalado fora de posição. O resultado disso é que Valdivia tinha que fazer sozinho o trabalho de armação, enquanto o Mazinho não conseguia se achar em campo.

Com a virada do Palmeiras, num belo gol do Leandro, que entortou o forgado do zagueiro do Atlético, Kleina mandou pro campo o Marquinhos Gabriel, e aí ficou claro o quanto o Mazinho tava jogando mal: sem afobação, o camisa 40 deu duas assistências, uma pro Juninho e outra pro Wesley, que carimbaram a estreia nota 10 do meia.

Enquanto o Bruno Cesar não fica disponível, o time tem que ser com o chinelo e ele no meio, Leandro e Kardec na frente e com “somente” dois volantes. Principalmente em jogos contra adversários fracos como o de hoje, não tem o menor cabimento jogar com 03 volantes.

E por falar em chinelo, ele mostrou o quanto ele é “o cara” do Palmeiras. Além de ter jogado muito, ainda matou com a havaiana esquerda e arrematou com a havaiana direita sem deixar cair  – a bola e as sandálias – pra fazer o gol de empate do Verdão. O que só aumenta minha raiva quando ele não está disponível. Se ele jogasse sempre, o Palmeiras teria conseguido resultados bem melhores nesses últimos 4 anos…

Merecem menção, também, os dois laterais, ambos renegados pela torcida, mas que tem cumprido com o que se espera deles quando vestem nossa camisa.

O time tá começando a ganhar cara, o Verdão é o único grande 100% ao lado do Gambá do Abc, que ganhou do Gambá da Capital ontem no Pacaembu. Mas o teste mesmo virá no próximo domingo, quando a gente enfrenta os bambis no Pacaembu. Quem sabe até lá já temos o Bruno Cesar disponível também. Quinta, 17horas, o Buin nos aguarda pra mais uma vitória do verde.

Ah, e pra quem achou o público da estreia no Pacaembu bom, hoje, em Sorocaba, com o Palmeiras jogando como visitante, tinham mais pagantes. Só pra constar..

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

 

ATLÉTICO SOROCABA 1 X 4 PALMEIRAS 

 

Local: Walter Ribeiro, Sorocaba (SP)
Data/Hora: 26/1/2014 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Cássio Luiz Zancopé
Assistentes: Carlos Augusto N. Júnior e Maria Eliza Correia Barbosa
Público/Renda: 11.218 pagantes/ R$ 537.260,00

 

Cartões Amarelos: Alex Willian, Boquita Fabão, Kasado e Montoya (ATS); Marcelo Oliveira e Valdivia (PAL)
Cartões Vermelhos: –
GOLS: Ewerthon, aos 13’/1ºT (1-0); Valdivia, aos 21’/1ºT (1-1); Leandro, aos 22’/2ºT (1-2); Juninho, aos 30’/2ºT (1-3) e Wesley, aos 47’/2ºT (1-4)

 

ATLÉTICO SOROCABA: Fábio; Fabinho Capixaba, Fabão, Montoya e Alex Reinaldo (Allan, 41’/1ºT); Boquita, Kasado (Michel, 32’/2ºT), Chico e Douglas Packer; Ewerthon e Alex Willian (Jefferson Maranhão, 7’/2ºT). Técnico: Ivan Baitello.

 

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Henrique e Juninho; Marcelo Oliveira, Wesley, Mazinho (Marquinhos Gabriel, 19’/2ºT) e Valdivia (Felipe Menezes, 28’/2ºT); Leandro (Mendieta, 31’/2ºT) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

AVANTI PALESTRA! 

Comercial 0 x 2 Palmeiras – Paulistão 2014

Vitória bem folgada em Ribeirão Preto, sem surpresas, inclusive na escalação meio esquisita num 4-3-2-1 ou 3-5-2 ou sei lá que porra que o Kleina quis fazer, com o Mazinho/Serginho de meia armador, ora com 3 volantes, ora com 3 zagueiros, e com o Felipe Menezes, único meia de criação à disposição, no banco. Vai entender…

De qualquer forma, o adversário era fraco demais pra oferecer alguma resistência. E teria sido melhor não fosse um erro grosseiro da nave, digo, da auxiliar Renata Xavier, que anulou um gol do Serginho. Tá perdoada, linda!

Quanto às estreias de Lucio e de William Matheus, foi dentro do esperado, em especial o zagueiro, que estava sem jogar há seis meses, mas não comprometeu, e a falta de entrosamento foi superada pela presença de Henrique nos quatro cantos da zaga. Já o lateral jogou pouco, mas não pareceu ser um jagunço do nível do Juninho, que nem com o gol marcado merece desconto, não pelo jogo de hoje, mas pelo conjunto da obra.

O outro gol, de fora da área e de primeira, foi do Wesley, mas que saiu mesmo graças ao Henrique, que insistiu e conseguiu ficar com a bola na volta do rebote de um escanteio.

Enfim, jogo sem graça, com cara de início de temporada mesmo. Só podia se esperar vitória, mesmo porque com esse formato maluco de campeonato, qualquer vacilo no Grupo do Palmeiras (em que o último tá no mesmo nível que os bambis, por exemplo) é morte.

Mudando de assunto, hoje foi confirmada a contratação do meia Bruno Cesar. Agora acho que acaba a mamata de alguém, ou será que não? Veremos em breve. Vai ter que correr, safado!

Domingo tem mais, dessa vez em Sorocaba. E pra quinta que vem, ingresso já tá na mão.

OS LANCES

A FICHA TÉCNICA:

COMERCIAL 0X2 PALMEIRAS

Local: Dr. Francisco de Palma Travassos, Ribeirão Preto (SP)
Data-Hora: 23/1/2014 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Welton Orlando Wohnrath
Auxiliares: Marco Antônio Gonzaga da Silva e Renata Ruel Xavier de Brito

Gols: Juninho, aos 13’/1°T (0-1); Wesley, aos 37’/1°T (0-2)
Cartões amarelos: Marcus Winícius (Comercial);
Cartões vermelhos: –
Renda e público: R$ 420.415,00 / 8.815 pagantes

COMERCIAL: Júlio Sérgio; Graffite (Leandrinho, 32’/2°T), Edimar, Reniê e Wilian Simões; Xaves, Marcus Winícius e Cacá (Leandro Oliveira, 14’/2°T); Cassiano Bodini, Marcelo Toscano e Macena (Rodrigo, intervalo). Técnico: Toninho Cecílio.

PALMEIRAS: Fernando Prass, Lúcio, Henrique e Marcelo Oliveira; Wendel, Renato (França, 27’/2°T), Wesley (Felipe Menezes, 22’/2°T), Mazinho e Juninho (William Matheus, 16’/2°T); Serginho e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×1 Linense – Paulistão 2014

Enfim, começou o ano do centenário. Falando exclusivamente em termos de resultado, estreamos com vitória e ponto. O que vale é 3 pontos e a vitória em casa.

Ainda é cedo pra falar mal do time e dos jogadores, mas não do treinador. A escalação montada pro jogo de hoje foi algo de desastroso e seria até cômico, se não fosse com o Palmeiras. Uma bagunça com Serginho de ala, três volantes com o Marcelo Oliveira de falso terceiro zagueiro e só o Mazinho na armação.

Aliás, foi ele quem salvou a pele do treinador, fez um e deu o outro gol que livrou o Palmeiras de começar o ano do centenário com dois pés esquerdos. Isso e a contusão do Tiago Alves que obrigou o Kleina a abandonar a viagem de ácido e  voltar ao 4-4-2 com dois meias.

É bom o Kleina se espertar e vamos torcer que tenha sido apenas em função da dificuldade de montar o time com todas as peças à disposição.

E o Valdivia que não jogou hoje, hein? Não sei porque a torcida pega tanto no pé dele… No ano passado ele ficou de fora só em três ocasiões: no inicio, durante e no fim da temporada… Esse ano caminha pra mesma coisa. Isso é perseguição…

E o ingresso a 60,00 foi mais um tiro n’água dessa diretoria tão apegada às finanças: apenas pouco mais de dez mil pagantes numa tarde eneolarada de sábado que era pra ter o Pacaembu bombando. Público vexatório, e mais vexatório ainda é defender esse abuso com a nossa paixão. Entendam: ninguém é obrigado a contratar o Avanti e, por outro lado, o jeito certo e ético de fazer as coisas é tornando o programa de sócio torcedor mais atrativo, e não obrigando o torcedor a contratar porque não tem dinheiro pra pagar o valor normal do ingresso.

Um torcedor que tenha Avanti individual, por exemplo, e decida levar mais a mulher e dois filhos no jogo, teria desembolsado nada menos que R$ 180,00, isso só pra entrar no estádio. É um cara que contribui com o time e paga o programa de sócio torcedor, mas no minuto que decidir esporadicamente levar a família no jogo, tá pego.

Se o ingresso tivesse custado R$ 30,00 hoje, será que não teríamos 20 mil pagantes no jogo? Na prática, provavelmente seria a mesma matemática, mas será que em campo as coisas são iguais? O desempenho do time com mais torcida apoiando e pressionando o adversário não importa nada? Enfim, com a palavra os sábios gestores.

Próximos dois jogos do Verdão são fora de casa: Comercial e Atlético Sorocaba. Voltaremos ao Pacamebu dia 30, 19:30. Estaremos lá.

OS LANCES

[yputube=http://www.youtube.com/watch?v=XyG_0kbOCCE]

A FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 X 1 LINENSE

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data-Hora: 18/1/2014 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: João Edilson de Andrade e Maiza Teles Paiva
Público/Renda: 10.717 pagantes, R$ 400.755,00
Cartões amarelos: Renato (Palmeiras), Tobi, Anderson, Alex Moraes, Thiago Santos, Marcelo (Linense)

GOLS: Anselmo (0-1, aos 35/1ºT), Mazinho (1-1, aos 14/2ºT), Alan Kardec (2-1, aos 22/2ºT)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Serginho, Tiago Alves (Felipe Menezes), Henrique e Juninho; Marcelo Oliveira, Renato, Wesley (França) e Mazinho (Vinicius); Diogo e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

LINENSE: Anderson; Gedeílson (Rodriguinho), Tobi, Alex Moraes e João Lucas; Thiago Santos, Leandro Ferreira (Oliveira), Marcelo e João Paulo (Branquinho); Fernandinho e Anselmo. Técnico: Bruno Quadros.

AVANTI PALESTRA!

 

 

Feliz Ano do Centena_ _ _

Feliz ano novo, palestras!

Começamos os trabalhos em 2014, o tão esperado ano do centésimo aniversário do Palestra, com uma simples pergunta: Palmeirense, seja muito honesto, você está realmente satisfeito com as contratações feitas até aqui e as ainda por serem anunciadas, mas que já correm soltas na mídia?

Porque, sinceramente, não me animaram nem um pouco. Até agora, pra mim a melhor contratação que o Palmeiras fez foi dispensar o Marcio Araujo, único gol de placa da diretoria até aqui. De resto, muitas promessas, muitos jogadores contratados em péssima fase, e tantos outros que não dá nem um pouquinho de chance de chegar e encher a boca pra falar o nome e esfregar na cara dos rivais, como deveriam ser as contratações num ano do centenário. Só medalhão, no mínimo…

Eu queria ver o Palmeiras anunciando Dedé, Gaúcho, Hulk, etc, montando um esquadrão digno de representar a camisa palestrina nos 100 anos da sua existência.

Ao invés disso, contratamos nomes bem aquém do esperado – pelo menos por mim.

Pra zaga, Lúcio, de qualidade inquestionável há 10 anos atrás, mas que teve uma passagem pavorosa pelos bambis e, mesmo aos 35 anos, foi contratado por DUAS TEMPORADAS, e o zagueiro Victorino, sem jogar desde 2012. São duas apostas bem arriscadas.

Pro meio, foi trazido até agora o volante França, que ninguém sabia quem era até meia hora atrás, vindo do Hannover, onde mal jogou em 2013 devido a uma tuberculose. Ainda não assinaram Marquinhos Gabriel, que fez boa temporada pelo Bahia e Bruno Cezar, ex base do Palmeiras e profissional dos Gambás, que ninguém faz a menor ideia de como estava jogando no Al Ahli. Mais apostas arriscadas, a se considerar que estamos falando do ano do centenário, em que as cobranças da torcida serão ainda maiores do que o normal, e o normal no caso é “só” a torcida mais exigente do Brasil.

Pras laterais, foi apresentado William Matheus, que fez boa temporada pelo Goiás (lembram do Vitor?) e ainda pode vir Moreira, mais um que ninguém sabe quem é ou como joga. Ou seja, mais apostas arriscadas.

E pro ataque, lembrando que o Alan Kardec tem contrato apenas até junho deste ano, foram apresentados Diogo, ex-Lusa, e Rodolfo, ex- Rio Claro. O primeiro surgiu há alguns anos como um excelente jogador, foi pro exterior e voltou com péssimas passagens em Flamengo e Santos, onde mal jogou. De volta à Lusa, dizem que foi bem, eu não vi nada disso, mas… O segundo é um total desconhecido. É capaz de nem ter vídeo dele no youtube. E agora surge o nome de Danilo Neco. QUEM? DA NI LO  NE CO. Conhece?

Antes que alguém defenda que o clube está com dinheiro curto e blablablá, isso aqui é um blog de torcedor, não o fórum do infomoney. Quero que se foda se o Palmeiras está sem dinheiro. O Atlético Mineiro é o clube mais endividado do País, uma dívida que aumenta 400, 500 milhões por ano, mas tá aí ganhando a Libertadores, disputando o Mundial e tal. P:pergunta se o torcedor do Galo tá preocupada se as contas do clube fecham no fim do mês? Do outro lado, o Coritiba, por exemplo, deve estar com as contas em dia, mas tá disputando o que mesmo? Enfim, a discussão deste post não é essa.

Prass; Moreira, Henrique, Lúcio e William Matheus; Eguren, Wesley, Bruno Cesar (Marquinhos Gabriel) e Valdivia; Leandro (Diogo) e Kardec. Era realmente isso que o palmeirense queria pro ano do centenário?

Espero estar errado, e se estiver serei o primeiro a falar, mas pra mim não era. Mas eu penso grande, sou meio megalomaníaco  Penso como um torcedor de uma camisa centenária, acostumada a vitórias e conquistas, que defende os postos de campeão do século e de maior campeão nacional.

Mas tem gente que prefere pensar em contas no azul, superávit e blablablá. Esses aí devem estar felizes da vida. 8 reforços que cabem no bolso? ‘Taqueparil!!! Yessssss!!! Bora pra Paulista comemorar…   

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: