Arquivo mensal: dezembro 2013

Cruzamento de ações de Marketing, simples e que gera resultados.

Olá pessoal, nada na vida é fato isolado e as parcerias são o tempero do sucesso.  Tenho plena certeza que ninguém tenha dúvida nesse quesito, afinal temos diversos exemplos de ações de Marketing efetivas que se ampararam nos parceiros, sejam eles bancos, empresas diversas, ONG’s e até mesmo esferas do governo.

Há várias empresas interessadas nesses 18 milhões de torcedores esmeraldinos espalhados pelo País e mais do que isso, empresas que muitas vezes são elegíveis a utilizar recursos oriundos de Imposto de Renda e/ou ICMS e não o fazem, por pura ignorância. Prá piorar, na Sociedade Esportiva Palmeiras, os conselheiros (o que eles fazem mesmo?) trazem esses parceiros e inevitavelmente querem ganhar uma comissão na negociação, coisa do passado e quem perde com isso?

Dou um engradado de cerveja prá quem respondeu PALMEIRAS.

Recentemente foi lançado o filme de Santo Marcos nos cinemas, apenas uma sala exibiu o filme (Bourbon Pompéia, sessão das 18 horas) e era óbvio que não seria um sucesso de público, não havia parcerias…

Imaginem se assim fosse:  50% de desconto para os associados Avanti e quem fosse cliente Itaú também ganharia um copo de pipocas com recordação do filme (logo do banco, patrocinador do Marcos e do Avanti).  Só que nada disso foi feito!  A cereja no bolo seria o sorteio de 02 camisas do Marcão por sessão (aquela branca da Adidas). Atrairia público ou não? Claro que sim. Só que isso exige uma coisa fundamental que muitos dos gênios de Marketing não têm:  ATITUDE.

Essa preocupação excessiva com o patrocínio Master tem atrapalhado a efetividade das ações de Marketing, pois marca em evidência traz patrocínio e evidência se obtém com campanhas impactantes e parcerias.  Outra coisa, por um acaso foi aplicada alguma pesquisa com torcedores do Palmeiras sobre suas percepções, anseios e perspectivas? Em tempo, se aconteceu, não conheço um que tenha participado…

E o mundo digital? Bem, nesse quesito temos as mídias Palmeirenses que ajudam e muito,caso contrário estaríamos nos ostracismo total.  Nesse final de ano, várias ações em conjunto com empresas de varejo poderiam ter acontecido, exemplificando, quem for sócio Avanti tem 20% de desconto na compra de uma linha de produtos voltada para o centenário da SEP (eletrônicos, coolers, utensílios domésticos, entre outros). Até nesse momento de férias, o sócio Avanti  poderia usufruir das vantagens com hotéis e pousadas espalhadas pelo país, através de descontos, por exemplo.

E o público Infantil? Quem disse que não poderíamos ter criado um personagem infantil no centenário (Porquinho e Periquitinho) , com nomes alusivos a ídolos da nossa história e teriam até gibis (impressos e virtuais) , além do licenciamento com bichos de pelúcia e brinquedos. Quem não se lembra da feliz campanha dos Mamíferos da Parmalat e de seus resultados.

Ainda está a tempo e parafraseando um famoso locutor de Rádio e ilustre Palmeirense (Fiori Giglioti) : “O tempo passa…”

Menção de destaque: a molecada do SUB-20 está na final do torneio (21/12 as 19:30), após golear o Flamengo e despachar o Grêmio em casa. Parabéns rapazeada,que venha o Inter, vamo ganhar Porco!

Palmeiras, uma marca maltratada

Olá pessoal, não é de hoje que a nossa Marca Palmeiras é maltratada, seja por interesses paralelos, seja pelo amadorismo total.  Todavia, vale lembrar que essa marca já foi símbolo de modernidade, avanço e profissionalismo. Indo aos fatos, recordamos que fomos o primeiro time a explorar a logomarca do fornecedor de material esportivo, vestimos a camisa da seleção, enfiando um 3X0 nos Uruguaios e na década de 90 mostramos ao mundo a vitoriosa e saudosa parceria com a Parmalat.

Desde o fim da parceria com a Multinacional Italiana, nosso time foi visto e reconhecido como uma marca decadente e ultrapassada, tendo lampejos de recuperação entre 2007 e 2009, e só. Como recuperá-la? O que devemos fazer, nós reles torcedores para contribuir e ressuscitar esse símbolo de modernidade e vitórias?

Não é tão simples e os profissionais de Marketing que hoje estão no Palmeiras devem estar pensando todos os minutos o que fazer. O começo de todo esse plano de recuperação começa com a definição dos pilares de sustentação da marca Palmeiras, e como exemplo, podemos ilustrar os casos de marcas famosas como a General Electric que tem os seus pilares atrelados a liderança e inovação, ou seja, toda e qualquer ação de Marketing da empresa tem que estar atrelada a esses valores de sustentação, caso contrário não são aprovadas.

A Victoria Secret, por exemplo, adota os pilares de conforto e sensualidade, caso algum produto não atenda a esses requisitos, nem lançados serão.  Empiricamente posso afirmar que nossa marca  Palmeiras tem 03 pilares de sustentação – estão inclusive no nosso hino: Imponência, liderança e paixão. Todos os planos, ações e mensagens devem estar atreladas a isso.

Ilustrando, não podemos nunca, repito: nunca, ter uma postura de pensar pequeno, com mesquinharias e discursos negativos e depreciativos, tal qual vem ocorrendo com questões como a falta de dinheiro, contratos por produtividade e redução salarial, isso afasta jogadores e torcedores e se pretendem alavancar o programa Avanti dessa maneira, estão redondamente enganados.  A postura de liderança se vincula totalmente a esse pensamento imponente, de quem realmente sabe de sua importância e força. Líderes inovam, seguidores copiam e perdedores nada fazem. A Arena pode ser um excelente meio para mostrar liderança, fazendo do Allianz Parque um local de vitórias e respeito – pelos adversários.

Por fim, a Paixão, isso no mínimo é a reciprocidade pela atitude desenfreada de amor que boa parte da torcida tem, as mensagens devem emocionar, impactar positivamente e o uso de ídolos é o caminho acertado. Porque a Diretoria não pensa em promover 100 ações apaixonadas em alusão ao centenário? Ações essas que podem ser de cunho social, promovendo a inclusão ou até trazer alegrias a crianças carentes ou pessoas idosas abandonadas.

Meus amigos, e o nosso papel como torcedores?  Temos que cantar e vibrar, defender nossa história e acima de tudo, participar ativamente do futuro. Cornetar sem fundamento e jogar contra não nos levarão a lugar nenhum, pelo contrário, nos deixarão num marasmo e definitivamente não combina com o Campeão do Século XX. Oxalá, nesse segundo século de vida a  nossa marca seja reparada e recuperada , trazendo mensagens positivas e vitórias, itens essenciais para a longevidade.

Isonomia

Vejam só como as coisas são:

A opinião do Procurador Geral do STJD para aplicar ao Fluminense a pena por escalação irregular de jogador em uma partida válida pelo campeonato Brasileiro de 2010, e que poderia ocasionar a perda do título pelo time das Laranjeiras (a partir de 1:00):

 

Vale o destaque:

Não acredito que haja condição moral, digamos assim, disciplinar até e condição técnica, na técnica do processo, na técnica jurídica com base na jurisprudência, mas moralidade, disciplinar e tudo de rediscutir um título que foi conquistado no campo de jogo da forma como foi e agora abrir um precedente para não só o Cruzeiro mas vários clubes rediscutir tudo isso, eu prefiro acreditar que a decisão pode ser em algum momento revista…” 

A opinião do mesmo Procurador Geral do STJD para aplicar à Portuguesa a pena por escalação irregular de jogador em uma partida válida pelo campeonato Brasileiro de 2013, e que pode ocasionar o rebaixamento da Portuguesa e, vejam só, o livramento do Fluminense da Série B:

Também vale o destaque:

Se o clube efetivamente não cumpre e os atletas não cumprem a punição, isso acaba sem dúvida nenhuma impactando na isonomia em relação a todos, isonomia é isso, tratamento igualitário entre aqueles que estão na mesma condição jurídica, então a lei é para todos.

Sei. Vamos ver como acabará essa história. Eu aliás, não tenho nenhuma dúvida, mas vou guardar minha humilde opinião pra depois…

Só digo uma coisa: É, Portuguesa…

AVANTI PALESTRA! 

Nova Coluna – Marketing e afins

Olá pessoal, sou o Marcelo Nacle (apelido Lulu) e assim como o Daniel, sou maluco pelo Palmeiras!

Ele me convidou a participar do Blog, visto que nos “esquentas” dos jogos do Palmeiras , seja na saudosa Caraíbas ou Buin Buin (melhor excluir os esquentas de Barueri), nós sempre debatemos em alto nível o que o nosso amado Palmeiras deveria fazer.

Pretendo abordar assuntos relativos a Marketing , com base nos 20 anos de experiência profissional na área , inclusive lecionando e abordando o assunto de forma enfática nas Universidades. Além disso, outros temas irão discorrer com naturalidade, em face dos acontecimentos correntes.

Nessa primeira coluna pretendo relatar de forma simples alguns aspectos que serão abordados nesse período em que estaremos juntos, vamos lá:

1) Palmeiras, uma marca maltratada.

2) Cruzamento de ações de Marketing, simples e que gera resultados.

3) Como turbinar um programa de sócio torcedor.

4) O que as empresas buscam num patrocínio.

5) Palmeiras, um time de massa e não das massas.

6) Novos torcedores, como atrair?

7) Assessoria de imprensa, um assunto delicado.

8) Palmeiras Futebol Clube.

9) Mídias sociais, quando e como usá-las.

10) Mkt estratégico aplicado ao futebol.

Esses serão os temas iniciais e conforme for rolando a interação com os leitores, novos assuntos poderão surgir.

Vale mencionar que assim como o Daniel defende, não tenho rabo preso com ninguém e a liberdade de expressão irá acontecer de forma natural e objetivando sempre o bem do nosso amado e maltratado Palmeiras.

Abraços,

Marcelo Nacle

E queeeee Golllllllll!!!

Lá se vão 20 anos de uma das maiores obras primas que eu tive o prazer de presenciar na Gaiola das Lokas. Outra semelhante aconteceu em 2002, contra o mesmo adversário, no mesmo Panetone – mas não vem ao caso.

O Palmeiras enfrentava a bicharada pela semifinal do Brasileiro de 1993 e eu estava lá acompanhado do Laurão e do Rubão, na casa do inimigo.

Nada que eu escrevesse aqui iria fazer justiça ao que Cesar Sampaio, o Monstro de Palestra Italia, fez naquela tarde. Antes, vocês lembram, ele já tinha dado um corte seco seguido de um passe em profundidade pro Animal fazer o primeiro e carimbar o passaporte do Verdão pra final contra o Vitória (corrigido graças ao Caio Monaco que me lembrou que este foi o primeiro gol…).

Mas foi o gol antológico que se seguiu que nunca vai sair da memória daquele moleque de 15 anos, ainda muito juvenil na arte de frequentar estádios. Nada mais poderia superar aquela obra de arte, que começou bloqueando um chapéu do bambi Leonardo, seguido de uma arrancada de 40 metros, uma caneta  no zagueiro, um drible curto no goleiro e uma patada pro fundo das redes, daqueles gols que mereciam sair do estádio e pagar novo ingresso.

A narração, deixo por conta de Osmar Santos, um dos poucos com bagagem suficiente pra descrever o que se passou naquele lance:

 

Valeu,  Monstro, essa jamais vai sair da memória daquele moleque que encheu os olhos e rasgou a garganta de tanto comemorar.

Dá época que o Palmeiras era time que jogava naquela Bambineira como favorito. Outros tempos…

Avanti Palestra!

%d blogueiros gostam disto: