Arquivo mensal: março 2012

PorcoNews n. 75 + Tem Jogo!

Bom dia, Famiglia! Mais um PorcoNews no ar.

AINDA SOBRE O VALPINGA

Valpinga (by @geguarino) foi objeto da revolta deste blogueiro no último post publicado aqui. Alguns comentários lá tiveram a coragem de mandar um “O Palmeiras não é nada sem o Valdivia”. Vou fingir que não li isso…

De qualquer forma, o Forza Palestra expressou com muito mais precisão o que eu quis dizer naquele post. Leia aqui. O Verzdazzo também não deixou barato. E no Lance!, aqui pode ser visto todo o histórico de lesões do chinezuelano beberrão desde que voltou em 2010. O problema não é só o cara se machucar. É que, como tantos outros caras honrados que passaram pelo Palmeiras, como o Marcos e o Pedrinho, por exemplo, esperava-se que, ao menos, o vagabundo pedisse à diretoria que não lhe pagasse o salário, depois de tantas e seguidas contusões. É óbvio que a diretoria negaria, mas pelo menos mostraria que o cara sabe que está em dívida com o clube e com o torcedor. Mas, não, machucado pra jogar, mas com muito samba no pé no Anhembi durante o Carnaval. Essa é a filosofia do “Mago”. A única magia que eu vi até agora foi ele – jogador mediano que é – convencer uma parte ínfima da torcida que “sem ele, o Palmeiras não é nada”… Sério… É um vagabundo, na opinião deste blogueiro. E como já foi dito aqui. É carta fora do baralho.

RENATO CAJÁ

Justamente porque não dá pra contar com o camisa 10, começam rumores de que o Palmeiras já teria contratado Renato Cajá. A notícia é do 3VV. Ainda que não venha este jogador, alguém pra meia tem que ser contratado ontem. Assim como um segundo atacante. Porque o Ricardo Bueno, não dá. Ele deveria, no mínimo, trocar de camisa com o Barcos…

JUSTUS

E não é que o Sr. Você Está Demitido, que quando criança devia brincar de escolinha com as irmãs ou banco imobiliário quando o resto da molecada jogava bola descalço na rua, qu enunca deve ter pisado na laje de uma arquibancada com o seu sapato Gucci, quis bancar o tirador de sarro no futebol? Tenha dó, Roberto! A resposta do Verdazzo, porém, dispensa qualquer outro comentário. CALA A BOCA, JUSTUS!

GUSTAVO GOMES PEREIRA

Até que enfim alguém se pronunciou e coube ao meu amigo Gustavo Gomes Pereira cobrar a diretoria e o conselho deliberativo do clube quanto a mais absoluta indiferença do clube para com a torcida Mancha Verde, depois de todos os desdobramentos da emboscada de que foi vítima no último domingo. O comentário é do blog do Perrone, e só dessa vez vou permitir aqui o link da matéria. Eu recebi o email do Gustavo mencionado pelo Perrone e posso dizer que concordo com cada letra escrita ali. A torcida é o maior patrimônio do clube. Quem não vê isso não merece administrar um clube da grandeza do Palmeiras. Parabéns, Gustavo, pela iniciativa e pela coragem. Tamujunto!

Sobre esse assunto, também, imperdível o Forza Palestra e a demonstração de toda a incoerência com que as autoridades estão conduzindo o tema.

TEM JOGO! PALESTRA X Mirassol – PAULISTÃO 12 R.17

Vitória hoje recoloca o Palmeiras na liderança, ao menos até o complemento da rodada amanhã. Assunção, Amaro e Cicinho não foram relacionados, Descansam para o compromisso do Palmeiras pela Copa do Brasil no Ceará no meio da semana. Devemos ter em campo, então, Deola, Artur, Henrique, M. Ramos e Juninho, Araujo, Joao Vitor, Wesley e Daniel Carvalho, Barcos e Maikon Leite. Pode dar muito certo, hein?

Palpite do Maluco, que excepcionalmente não estará no BuimBom neste sábado, nem no Pacaembu, é de 3×0, 2 gols do Pirata e 1 do Daniel Caravalho.

AVANTI PALESTRA!    

SINVERGÜENZA!

Ei, Valdívia! Pra Fora do Verdão!

Esse venezuelano sem-vergonha faz o Pedrinho parecer o Homem de Ferro…

Por isso, chega! Ele é carta fora do baralho.

Alow, Bigode, promove um moleque da base pro grupo e começa a colocar o Carmona pra jogar. E manda o chinezuelano ir tomar na bunda dele lá no Chile/Venezuela ou onde quer que o aplique dele cole. Aqui já deu.

FORA VAGABUNDO!

AVANTI PALESTRA!

Paulista 0x1 Palmeiras – Paulistão12

E quando tudo parecia perdido, lá pelos 42 do segundo tempo, quando nada mais ia funcionar, eis que surge João Vitor pra salvar a lavoura do Palmeiras. E eu que pensei que jamais ia escrever uma frase como essa, no fim de um jogo do Palmeiras…

A estreia do Wesley deve ter vindo com um pouco de decepção, pra quem acreditava que ele seria o Messias verde. Sim, ele ainda vai ganhar ritmo de jogo. E sim, ele jogou pela esquerda (?) os primeiros 45 minutos, e só teve 15 no segundo tempo pra jogar do lado direito, com Valdivia e Daniel Carvalho fechando o meio, como todo mundo queria ver desde o início. Então fica difícil falar se a primeira partida do 87 foi boa ou frustrante. 

Foi uma partida decepcionante do Valdivia, mais uma. O Mago errou passes que normalmente acerta, e no geral, não teve uma boa partida nem mesmo quando Daniel Carvalho entrou no lugar do esforçado mais inoperante Vinicius, e acabou ficando meio perdido do lado esquerdo até sair zonzo de campo depois de sofrer uma falta mais forte. O esquema 4-5-1 vai ter que ser bem mais trabalhado pra funcionar.

Por isso, fica complicado criticar a escolha do Bigode pelo Vinicius como titular. E o moleque até que foi bem, ensaiou duas ótimas jogadas no começo do jogo mas depois sumiu. Já o senhor Ricardo Bueno foi 100%. Errou tudo que tentou: passes, dribles, chutes, posicionamento, tudo. De tanto estragar o meio de campo, Felipão chegou a pedir pro camisa 9 ir se esconder lá na esquerda, perto da bandeirinha de escanteio. Que fase!

O resultado foi que o Palmeiras criou muito pouco. Só no segundo tempo, com o Daniel Carvalho no lugar do Vinicius, é que os lances começaram a aparecer. Mesmo assim, de relevante se viu uma jogada do próprio Daniel Carvalho, num chute de fora, uma falta do Assunção que o Barcos “tirou”, e um lance do próprio Barcos, que entrou limpando e parou no ombro do goleiro. Era muito pouco pra ganhar.

E aí, lá pelos 42, quando já se amargava mais um empate de merda e a liderança de uma semana atrás ficar a 4 pontos de distância, num lance de fora da área, Joao Vitor limpou e bateu, a bola pegou na trave direita e foi entrando bem devagar até parar na rede do outro lado. Que sufoco…

No final, foi uma vitória importante pra não deixar a peteca do time cair e apagar a escorregada do final de semana, continuamos a 2 pontos da liderança e ainda tem 9 pra serem disputados. É cedo pra especular, mas pelas projeções do Maluco, pegamos o Bragantino nas quartas e Bicharada na semi. Mando nosso, é claro.

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PAULISTA 0 X 1 PALMEIRAS

Estádio: Jayme Cintra, Jundiaí (SP)
Data/hora: 28/3/2012 – 22h
Árbitro: Demétrius Pinto Candançan
Auxiliares: João Bourgalber Nobre Chaves e Matheus Camolesi

Cartões amarelos: Madson, Diogo, Barbosa, (Paulista); Juninho, Maurício Ramos, Daniel Carvalho (Palmeiras)
Gols: João Vitor, aos 44’/2ºT (0-1)

PAULISTA: Vagner; Samuel Xavier, Diogo ,Diego Ivo e Reinaldo; Madson, Wellington Katzor e Bruno Formigoni; Fabrizzyo (Diego Barbosa, aos 17’/2ºT), Rychely e Renan Marques (Carlão, aos 17’/2ºT). Técnico: Luiz Carlos Martins

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Román, Maurício Ramos e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Wesley (João Vitor, aos 16’/2ºT) e Valdivia (Ricardo Bueno, aos 17’/2º); Vinicius (Daniel Carvalho, no intervalo) e Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari

AVANTI PALESTRA!

Tem Jogo – Paulista x Palestra – Paulistão 12 – R 16

Dentro de minutos, o Palmeiras entra em campo pela 16a Rodada do Paulistão.

O time joga com várias modificações e em todos os setores do campo. Roman e M. Ramos substituem Henrique (suspenso) e L. Amaro ( doente). Wesley estreia no lugar de João Vitor e Maikon Leite, também doente, dá vaga para Vinicius.

O Paulista deve ter Vagner; Samuel Xavier, Diogo, Diego Ivo e Reinaldo; Madson, Wellington, Bruno Formigoni e Fabrizzyo; Renan Marques e Rychely.

Palpite do Maluco: 2×0, gols de Barcos e Vinicius.

É só. O Maluco segue em luto.

AVANTI JUSTIÇA!

Gambás 2×1 Palmeiras – Paulistão 12

Antes de mais nada, porque nenhuma rivalidade de futebol pode ser mais importante do que a vida, deixo aqui meus sentimentos à família do André.

 Sobre o jogo, pouco há a ser dito. Foi uma derrota por acidente. Perdemos pra nós mesmos e o adversário não fez por merecer tanta sorte. Duas falhas do Araújo e um jogo ganho, dominado, resolvido, foi pro saco.

Por pior que seja perder pros imundos, a derrota serve pra acabar de vez com essa babaquice de invenicibilidade e pra escancarar os defeitos do time, que ainda podem ser recuperados em tempo das decisões que virão logo mais.

 O Palmeiras não tem no banco uma alternativa de ataque. Ricardo Bueno é uma lástima. É tão ruim que não merece uma linha a mais sequer neste blog. E assim será até provar que merece ser tratado de outra forma. Precisa contratar urgente, porque não dá pra contar com o Maikon Leite – mas entre ele e o desgraçado que entrou…

O Bigode até que tentou sacudir as coisas, quando apostou em Carmona no lugar do Cicinho. E podia até ter dado certo. A não ser pelo fato de Valdivia e Carmona jamais terem atuado juntos, entrosamento ZERO.

Quando insisto aqui que o Palmeiras não pode jogar sempre com 3 volantes, sou tachado de chato. Mas vejam vocês que, se o Palmeiras estivesse mais acostumado a jogar com 02 meias, o que não aconteceu nenhuma vez este ano até hoje, talvez o time tivesse competência de buscar o empate e até mesmo a vitória contra os limitadíssimos Gambás (Libertadores? podem parar de sonhar…).

Então, quando falamos que não pode jogar com 03 volantes contra um São Caetano, um Botafogo/SP ou um Coruripe, é justamente por isso: quando o time precisa jogar com 02 meias, quando precisa correr atrás do prejuízo, não tem padrão tático algum, não sabe o que fazer. Culpa do treinador.

Márcio Araújo segue com crédito, apesar da tarde mais infeliz desde aquela noite da Sulamericana de 2010. O futebol dele melhorou demais de lá pra cá, mas tem que tomar cuidado pra não ficar marcado como jogador que se caga em clássico ou jogo importante.

 E, por fim, a grande decepção deste ano está por conta da zaga, o que acabou escancarado hoje. Tomar um gol daqueles já teria sido demais, o que se falar de dois… O segundo então, foi bizarro desde a falta besta no meio de campo feita pelo Henrique, o Deola assistindo a bola se preparando pra pingar dentro da pequena área sem fazer nada e o Araújo mandando contra o próprio patrimônio. PUTA QUE PARIU!

Que fique a lição pro Palmeiras: mesmo jogando mais bola – como sempre contra os Gambás – não pode dar chance pro nosso azar ou pra sorte deles.

Mas a gente tromba eles logo mais. Podem esperar! 

FOTOS:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 LANCES:

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 2 X 1 PALMEIRAS

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/Hora: 25/3/2012 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Rogério (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)

Renda/Público: R$ 902.189,00 /  29.284 pagantes
Cartões Amarelos: Liedson, Chicão, Emerson e Gilsinho (COR), Márcio Araújo, Henrique, Marcos Assunção e Ricardo Bueno (PAL)
Cartões Vermelhos: –
GOLS: Marcos Assunção, 17’/1ºT (0-1); Paulinho, 3’/2ºT (1-1) e Márcio Araújo, 6’/2ºT (2-1) (contra) 

CORINTHIANS: Julio Cesar; Edenilson, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Emerson; Danilo (Douglas, aos 43’/2ºT), Jorge Henrique (Gilsinho, aos 39’/2ºT) e Liedson (Elton, aos 43’/2ºT). Técnico: Tite

PALMEIRAS: Deola; Cicinho (Pedro Carmona, aos 24’/2ºT), Leandro Amaro, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vitor (Artur, aos 36’/2ºT) e Valdivia; Maikon Leite (Ricardo Bueno, aos 9’/2ºT) e Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari

AVANTI PALESTRA!

PorcoNews n. 74

PorcoNews voltando depois de uma breve pausa. E hoje só tem um assunto. Ou quase. Afinal, é a Edição 74. Como em mil novecentos e 74. Ano que afundamos os Gambás malditos. Passe de Leivinha, gol de Ronaldo, 1×0, e pode botar 21 anos na fila… Tem mais disso aí e muito mais no PorcoNews de hoje, mais um especial do Bem x Mal.   

PENDRIVE

O zagueiro Chicão, da imundicie, disse que iria estudar o Pirata num pendrive. Segundo a matéria, o Gambá costuma gravar videos dos seus adversários pra entregar aos juizes auxiliarem no esquema, digo, aos jogadores para que eles vejam os pontos fortes dos outros times. O trouxa do zagueiro Gambá podia baixar uma foto da Juanita, a bola esquerda do meu saco, porque do Barcos ele não vai ver nem a cor. Pode apostar: O Pirata guarda 2!

VALDIVIA

Se tem alguém que deve estar atravessado pra pegar os Gambás é o camisa 10. No ano passado, o Mago se machucou quando fazia sua melhor atuação desde que voltou pro Verdão, e no último jogo contra os imundos foi expulso absurdamente pelo Seneme. Agora, o Mago teve uma semana pra descansar e só pensar nos Gambás. Se o Palmeiras estiver ganhando, vai dar pena do Jorge Henrique e do Chicão… Sobre este último, vamos ver se ele é homem de palavra

 BAIXA OU MIGUÉ?

 Diz a imprensa que Daniel Carvalho não terá condições de jogo. Pode ser verdade ou pode ser que o Bigode esteja escondendo o ouro. A conferir.

PARPITES V!

Já deixou seu palpite do jogo no Verdazzo!? Vale uma biografia do Marcão!

CONVOCAÇÃO

A foto é do Forza Palestra! Leio o texto do post e já começo a olhar pro relógio… chega logo, domingo, porra! Peço licença ao Barneschi pra reproduzir aqui essa poesia:

Domingo, 25.03.2012. Seremos 2.000 guerreiros de alma verde na cancha municipal. Todos prontos para a guerra. À enorme nação palestrina que ficará do lado de fora, deixo a garantia de que lutaremos por vocês. Seremos a voz dos muitos milhões que gostariam de estar naquele pequeno espaço de arquibancada em meio às fileiras inimigas. Seremos poucos e bons, e lutaremos até o fim. Pela honra alviverde. Pela nossa camisa. Pela história. Pelo futebol.

A história pesa, senhores. A história nos precede, nos apresenta e nos fortalece. A história vai a campo. A história joga. A história decide. Quando surgir no gramado o alviverde imponente, junto estarão as grandes vitórias conquistadas em quase um século de história. Elas também jogam.

2.000 guerreiros de alma verde. Seremos os representantes de toda uma nação. Em alma, em espírito e na voz que haverá de se fazer ouvir na cancha municipal. Seguiremos juntos, desde a nossa casa até o Pacaembu. A pé. E assim voltaremos para a casa que construímos e que simboliza a nossa história.

Aos 11 que vão a campo, só um pedido: “Que honrem a camisa e lutem sem parar”. Nós lutaremos juntos!

Nesse bonde eu vou! Só falta arrumar o ingresso, kkkkkkk. Meio dia na Turiassu pra conseguir o ticket e depois, pé no asfalto até o Pacembu buscar 3 pontos e assistir mais uma surra na freguesada fiel.

MAIS QUE UM CLÁSSICO

E pra concluir sobre o Derby, me permito mais uma vez reproduzir o Mais que Um Clássico, pra que não venha Gambá dizer que o jogo deste domingo não vale nada:

 Ontem li no Facebook de um gambazão que nós estávamos falando desse jogo do próximo domingo como se valesse título. Discurso típico de derrotado é esse tal de  “não vale nada”.Palmeiras e Gambá vale TUDO. Senão vejamos:

1917 – O PRIMEIRO JOGO

Foi em 06 de maio de 1917. Os Gambás estavam invictos há 25 jogos e três anos, mas toda boa freguesia começa com um cartão de visitas: 3×0, no Palestra e pro Palestra, 3 gols de Caetano. Logo de cara, já se criou um dos mitos desse clássico: o Palmeiras ter um mesmo jogador marcando 03 vezes contra os Gambás em um único jogo. Feito este repetido por jogadores como Imparato, Magrão, Cristiano e Obina, e superado apenas por Romeu Pelicciari (feito que logo adiante vamos registrar).

1920 – O PRIMEIRO PAULISTÃO

Em sua coluna do 3vv, o Jota Christianini, um acervo histórico ambulante do Palmeiras, conta que desde a fundação do Palmeiras em 1914, a obsessão do clube era a conquista de um título paulista, feito que por pouco não ocorreu nos idos de 1917 e 1919.

Foi em 1920 que teve início a freguesia, justamente na conquista do primeiro paulistão pelo Verdão. O Palestra e os Gambás terminaram empatados com 26 pontos o campeonato. Embora o Verdão tivesse apresentado a melhor campanha, o regulamento determinava um jogo extra para determinara o campeão.

Diz o Jota que os relatos da época dão conta de que a cidade parou em razão da decisão. Não se falava me outra coisa, a Federação da época subiu o preço dos ingressos. E no fim das contas, prevaleceu a lógica: 2×1 Palestra, e o nosso primeiro título paulista faturado em cima da gambazada.

1933 – A MAIOR SACOLADA

Em agosto daquele ano, o Palestra já tinha ido na Fazendinha e sapecado 05 no lixão. Agora, era a vez da favela vir até o Palestra. O jogo foi no dia 05 de novembro de 1933.  Um domingo qualquer, mas como nenhum outro, como conta o Jota. Logo de cara, Romeu Pelicciari guardou três, isso ainda no primeiro tempo. Começa o segundo tempo e com menos de um minuto, Gabardo faz o quarto. Aos 7, Romeu faz o seu quarto gol no jogo, feito até hoje jamais repetido. Basta? Não, senhor, mais 03 gols de Imparato pra fechar o caixão. 8×0! OITO!

Dizem que a torcida dos Gambás invadiu a sede do clube e teve quabradeira e até incêndio. O presidente e o diretor de futebol dos Gambás “caíram” depois da partida.

1974 – SAIR DA FILA, AQUI NÃO!

Os Gambás já estavam 20 anos sem título. O último foi ganho justamente contra o Palmeiras, em 54, num jogo que acabou 1×1. Eis que mais uma vez os dois clubes iam decidir o Campeonato Paulista. 22 de dezembro de 1974, a confiança da Gambazada era imensa, tanto que a imensa maioria dos mais de 120 mil pagantes, maior público do clássico, era de favelados.

Mas, em cima da gente, rival não sai da fila. 24 minutos do segundo tempo, bola passada por Leivinha

(como o próprio Leiva contou pra mim, pro Guina e pro Saleta) para o gol de Ronaldo, calando todo o lixão. 1×0, pro Verdão e os palmeirenses do Estádio gritavam: Zum Zum Zum, é 21!

Dizem que um certo empresário de calçados da Zona Leste tinha mandado fazer 100 mil camisas do suposto título paulista. Imagino que fogueira bonita que devem ter virado…

1993 – SAIR DA FILA, AQUI SIM!

Essa eu posso contar sem recorrer aos historiadores! Sábado nublado, 12 de junho de 1993, dia dos namorados, finalíssima do Paulistão. Já se iam quase 17 anos desde que o Palmeiras tinha sido campeão a última vez, em 76.

O time com Sérgio, Claudio, Antonio Carlos, Tonhão e Roberto Carlos, Daniel Frasson, Mazinho, Zinho e Edilson, Edmundo e Evair havia sido derrotado uma semana antes por 1×0, jogo do “gol porco”.

O palmeirense tava com sangue nos olhos. Jogo do mais tenso até que, aos 41 do primeiro tempo, a bola vinha sendo conduzida pelo Edmundo, falta nele do henrique, o juiz deu vantagem, a bola sobrou pra Evair que achou Zinho na entrada da área, chute colocado, mas sem muita força, e abola foi devagarinho, quase como se os segundos durassem horas, rolando bem pro canto direito do gol de Ronaldo, quase rente à trave… GOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLLLLLLLLLLLL!

Bom, o resto vocês já sabem (e eu não consigo não ir às lágrimas quando vejo esse vídeo e o Silvério dizendo – E agora eu vou soltar a minha voz!):

1994 – BICAMPEÃO PAULISTA – DE NOVO EM CIMA DELES

O Palmeiras já tinha sido campeão no meio daquela semana, mas o último jogo era justo contra os vira-latas. Não era final, MAS ERA FINAL! Ganhar o título e perder pros Gambás não teria o mesmo sabor. Ainda bem que aqui é Palmeiras e mais uma sapecada pra cima deles:

Detalhe pro Gato Fernandez no vídeo AHAHAHAHAH

1994 – ATÉ BRASILEIRO

A rivalidade entre Palmeiras e Gambás nunca tinha sido posta à tão árdua prova (até então), do que em 1994, quando os dois times disputaram a final do Campeonato Brasileiro. E, de novo, sobramos em campo. 3×1 no primeiro jogo, show de RIvaldo e 1×1 no segundo, garantiram o bi-brasileiro em cima dos cachorro, mais um feito que eles nunca conseguiram…

Narração do segundo gol é do bosta do Galvão. Mas o RRRRRRRRRRRRRRRRRRRIvaldoooo é da hora!

1996 – PAULISTÃO

O time dos 102 gols, a segunda maior máquina de fazer gols, segundo a VW, 

também não deixou barato pra Gambazada e castanhou 3×1 neles, num jogo pra lá de inusitado:

O primeiro gol aos 40 segundos de jogo, e a comemoraçao mais esquisita já vista, protagonizada pelo Djalminha. 2×0 num golaço do gago Júnior, que também não deixou barato e foi dançar o Tchan. Djalminha e Edmundo foram expulsos, um a menos pra cada lado (isso, aliás, não teve nada de inusitado…). e o terceiro gol do Palmeiras foi num cruzamento de Cafu para Célio Silva deixar o dele, contra…

O Palmeiras é desde então e até hoje, o time que mais gols marcou numa edição do Campeonato Paulista.

1999 – LIBERTADORES I

São nas batalhas mais épicas que surgem os verdadeiros ídolos. Se essa frase tem alguma verdade, a prova dela se chama Marcos. Ele que, de terceiro goleiro, foi alçado à titular exatamente nas quartas-de-finais da Libertadores da América, obsessão alvi-verde que dias depois se tornaria realidade. Ele que, de umdesconhecido camisa 12, tornou-se São Marcos, o goleiro dos maiores milagres antes vistos, o maior goleiro do Mundo.

Primeiro jogo, 2×0 pro Palmeiras, numa das atuações mais impressionantes de um goleiro. Surge o ídolo:

E no segundo jogo, 2×0 pra eles, e aí, cobrança de penaltis, surge o Santo:

O Palmeiras, quatro jogos depois, conquistaria a América.

2000 – LIBERTADORES II

Novamente, o Bem e o Mal se cruzam na Libertadores. Dessa vez, semi-final. Quem ganhasse pegaria o Boca na final. E lá fomos nós… primeiro jogo, 3×1 pros caras, o Palmeiras consegue empatar e num lance dos mais cagados, os Gambás fazem o quarto gol no fim do jogo.

Na semana seguinte, o Palmeiras tinha que ganhar por 2 gols. Vitória simples levaria aos penaltis. E o juiz, pra quem não lembra, era o Edilson, só pra piorar.

O vídeo do Gabriel Santoro no youtube descreve bem melhor do que quaisquer palavras o que foi o chamado jogo do Século:

Mais uma vez, o Palmeiras superava os morféticos na Libertadores.

ESPECIAL – VALDÍVIA

Nunca um jogador incorporou tanto o espírito do torcedor quando se trata de um Palmeiras x Gambá. O Mago entendeu que o torcedor gosta de ver eles sendo humilhados, judiados sem dó. E assim o foi, sempre que El Mago enfrentou a favela:

Eu dava um braço pra ver ele entrando amanhã! Ia ser do CARALE-O! Quem sabe não brilha uma surpresa ai…

E esses são apenas os mais marcantes de todos os outros jogos em que entram em campos o Palmeiras e o Gambá. Nunca não valerá nada. Nunca.

No ano passado, o Palmeiras vinha de 03 anos sem perder pros favelados e acabou perdendo duas vezes, e só não venceu o jogo que terminou empatado porque, pra variar, fomos assaltados pela arbitragem.

Amanhã, Antonio Rogerio Batista do Prado, juiz de Campinas, será o encarregado do apito. Fica esperto, mano!

E nunca tivemos com tanta chance de espantar de vez a má fase dos últimos dois anos do que no jogo deste domingo, em que nem mesmo a galinhada tá abusando da sorte: dos 18 mil ingressos que tinham sido vendidos até sexta-feira, 15 mil foram pro Palmeiras.

Sempre vale alguma coisa. Pra nós, a paz que há muito anos não se via. Pra eles, um folegozinho pros jogadores e comissão técnica. Depois do vexame de quarta-feira, uma derrota pro Palmeiras, especialmente se for expressiva, vai custar várias cabeças…

Então, gambazada, não vale nada é o caralho! Contra vocês, vale tudo sempre!

Pode preparar a sacolada pra amanhã!

Pena que, como os Gambá vão de Kombi pro Pacaembu, não vai dar pra ver aquela cena típica de quando eles enchem o Tobogã: é o retrato exato de Serra Pelada!

AVANTI PALESTRA!

VALEU, NAZARENO!

Faleceu hoje, aos 80 anos de idade, Chico Anysio o pai de tantos e tantos personagens de humor que quem tem mais de 30 costumava ver às noites de sábado na TV. O meu favorito, Nazareno, serviu até de ilustração para um dos posts aqui do Maluco. O Chico era palestra. A foto aí não deixa mentir. A diretoria do Palmeiras irá homenagear o Chico, no jogo do domingo. Segundo o Mondo Palmeiras, dá onde eu emprestei a foto, os jogadores irão entrar em campo pra pegar os Gambás com os nomes dos personagens do Chico na camisa. Se o Daniel Carvalho for jogar, com certeza ele entra com a camisa do Seu Boneco! KKKKK

Valeu, Nazareno! E pode deixar que nós vamos mandar a galinhada ficar CAAAAAAAAAALAAAADAAAAA!

 AVANTI PALESTRA!

Terceiro Ato de Fé do Ano Santo

E a torcida do Verdão não para. Vem aí o Terceiro Ato de Fé do Ano Santo, em homenagem a São Marcos de Palestra Itália.

Dessa vez a homenagem será para Carlos Pracidelli, o preparador de goleiros e mentor do nosso Santo Goleiro na maior parte da Santa Carreira.

Representantes da torcida palmeirense irão entregar uma placa ao preparador de goleiros como reconhecimento pelos serviços prestados à coletividade alvi-verde na manutenção da tradição da escola de goleiros do Palmeiras, chegando ao seu ápice máximo na pele e nas luvas do nosso Santo Goleiro.

 Saiba mais sobre o Terceiro Ato de Fé do Ano Santo aqui.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 3×0 Coruripe

Acreditem se quiser, mas o Maluquinho simplesmente esqueceu de fazer o Tem Jogo! de hoje… E com um jogo as 19:30, não deu tempo de salvar a  lavoura… Definitivamente, este blog não vai longe. KKKKKKK

Se o Maluco não fez o dever, já o Palmeiras não vacilou. Lição de casa feita. Mas, com uma semana de atraso.

Na ausência de Valdivia e Daniel Carvalho, Felipão decidiu começar o jogo com Patrik. Por favor, os teóricos do futebol, me expliquem qual a função do Patrik? Pra mim ele nao é volante, nem meia, zagueiro ou atacante. Só serve pra me irritar esse picolé de chuchu… E com isso, conseguimos um primeiro tempo digno de 2010.

 Na volta, Felipão resolveu parar de brincadeira e botou o único meia disponível, Pedro Carmona, em campo, junto com o Ricardo Buneo – outro que só serve pra me deixar emputecido. E o Carmona jogou pra caralho? Não. Mas fez o que o Patrik nunca vai saber fazer: recebeu a bola no meio, pisou nela, olhou o jogo, distribuiu e, assim, o time cresceu, como era óbvio…

Foi então a vez do Assunção começar a decidir: primeiro, um belo gol de falta, que não entraria num clássico, mas que num jogo como hoje, entrou. Depois, um primoroso cruzamento de primeira na cabeça do Barcos, sangue-frio e matador que, sem pular, esperou pra deslocar o goleiro e fazer mais um, o nono gol em 11 jogos. Contra os Gambás, vai ter chuteira nova.

E ainda deu tempo do Juninho fazer o segundo gol dele neste ano de cruzamento-com-auxilio-do-zagueiro, igualzinho contra os Lambaris. E não podia deixar de ser feita justa homenagem ao Ricardo Bueno: que é isso, amigo, esse gol que ele perdeu hoje, é pra largar a carreira…

Destaque também seja dado a auxiliar de arbitragem catarinense Nadine Schram Camara Bastos. Que talento, G-Zuisssss!!! Esperamos vê-la mais por essas bandas…

Resultado bom, mas seria muito melhor só ter treinado hoje. E o Coruripe, que queria conhecer São Paulo, se veio de avião e desceu em Viracopos, não deve ter visto nem a Marginal Tietê…

Foco todo agora se volta para o Derby no domingo. A começar por amanhã, 15hs., com o sorteio da arbitragem: ouvi dizer que estão pré-selecionados para o sorteio PCO, que nos fodeu contra os Gambás na semi-final do Paulista no ano passado; Seneme, que tratou de repetir o serviço contra os mesmos imundos no último jogo do BR11; e o terceiro seria o Braguetho… Se for isso mesmo, a diretoria inteira do Palmeiras deveria estar lá na sede da FPF… Mas será que vai alguém?

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 3X0 CORURIPE-AL

Local: Jayme Cintra, Jundiaí (SP)
Data/hora: 21/03/2012 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Leandro Junior Hermes (PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Nadine Schram Camara Bastos (SC)

Público e renda: 11.143 pagantes / R$ 250.826,00
Cartões amarelos: Barcos (PAL); Jacó (COP)
Cartão Vermelho: –
GOLS: Marcos Assunção, 10’/2ºT (1-0); Barcos, 13’/2ºT (2-0); Juninho, 39’/2ºT (3-0)

PALMEIRAS: Deola, Cicinho, Leando Amaro, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção e João Vítor; Maikon Leite (Ricardo Bueno, intervalo), Patrik (Pedro Carmona, intervalo) e Barcos (Vinícius, 34’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

CORURIPE: Juninho, Rogério Rios, Jacó, Mello e Rogerinho; Geninho (Wallax, 41’/2ºT), Jota, Jair (Jacobina, intervalo) e Cleiton; Ivan (Jhullian, 40’/2ºT) e Washington. Técnico: Elenílson Santos.

OS LANCES:

 

AVANTI PALESTRA!

Plim-Plim

Muita gente reclamando – com razão – da divulgação pela CBF da tabela do campeonato brasileiro e, especialmente, da grade de programação da Rede Globo, que não terá nenhum jogo do Palmeiras como mandante transmitido no primeiro turno.

O que eu não entendo é a surpresa. Porque eu não estou nem um pouco surpreso.

Os primeiros 3 jogos do Palmeiras no ano, todos como mandante pelo campeonato Paulista, ocorreram numa quarta-feira, 22 hs. Porque um jogo que não tem transmissão para a TV aberta teria que ser as 22hs senão por pura e simples filhadaputagem?

Há pelo menos uma década o espaço de exposição da marca Palmeiras, e também o respeito à instituição, vêm sendo encolhidos debaixo dos narizes dos diretores que, incompetentes que são, não sabem o que fazer ou como preservar a quase centenária camisa repleta de conquistas e glórias.

A gota d’água veio no ultimo ano: depois de sempre ter feito parte do primeiro escalão das cotas de TV, o Palmeiras aceitou receber menos. Porque? Excelente pergunta, a ser feita não apenas ao presidente em exercício…

O mais curioso é que a chance de conseguir mudar as coisas foi jogada no lixo como num piscar de olhos, numa pagação de pau sem precedentes ao presidente fanfarrão do maior rival: a Record oferecia mais dinheiro ao clube dos 13 e, possivelmente, uma grade de programação que não fodesse tanto com o torcedor que vai ao estádio. Pois agora, a merda está muito mais do que feita.

Vale a leitura do post do Forza, que faz uma análise bem detalhada sobre a grade de jogos do Verdão para o brasileiro deste ano.

Agora, não se enganem: eu odeio a porra da Rede Globo. Mas ela está no papel dela. Se os clubes (e o Palmeiras, principalmente) abaixam as calças até os joelhos, mesmo quando têm as chances de botar a emissora na parede, não é culpa dela se está aproveitando.

A verdade é que o Palmeiras tornou-se uma piada nos bastidores. Um clube outrora temido e respeitado, hoje é achincalhado por qualquer babaca aspirante a repórter-comédia. Ninguem da Globo vai no treino do Gambá com uma balança pra pesar o Adriano, mas o corno vai na Academia com uma foto do Zé Ramalho. E ninguém da diretoria vocifera.

Mas não para por aí. Sim, porque não é só na TV que o clube é zoado a torto e à direito. O Palmeiras sofre pelo menos um penalti não marcado quase todo jogo. Em 15 jogos esse ano, só 1 penalidade máxima marcada. Já os rivais… Até o Palmeiras B foi vitima de mais um salafrário de apito na boca e ninguém fala nada, ninguém se indigna, ninguém manda todo mundo pra puta que pariu.

Então qual é a surpresa, minha gente? Qual a novidade da emissora que anuncia jogos do gambá como “a luta pela conquista da Libertadores” não transmitir jogos do Palmeiras na TV aberta? Enquanto o clube não fizer nada pra mudar esse cenário, vai continuar sendo desse jeito, na TV ou dentro de campo, vamos ser sacaneados.

Isso não é de hoje. Já se vão 10 anos que um certo locutor esportivo teve que sair amparado pela polícia do Palestra Italia, tamanha a falta de respeito com o clube. Mas quem tomou as dores foi o torcedor. Sempre à gente que cabe lutar pela defesa dos interesses do Palmeiras. 

E amanhã vai ter entrevista do presidente espinafrando a Rede Globo… Que bela merda, agora é tarde, bello… Deixou, acontecer, agora podixorá…

AVANTI PALESTRA! 

Uma Obra de Arte que Completa Uma Década

Bem nos lembra o Fabio Finelli, assessor de imprensa do Palmeiras, que neste 20 de março completam-se 10 anos do gol mais lindo já visto em um jogo de futebol de todos os tempos. Um gol pra enfeitar o futebol, como o definiu José Silvério, literalmente embasbacado com o que havia acontecido segundos antes. 

Foi tão golaço, mas tão golaço, que a Associação Comercial de São Paulo decidiu não premiar apenas o jogador pela façanha, mas também o narrador, que da sua perfeição quase conseguiu retratar aquela pintura que só mesmo a imagem era capaz de reproduzir.

Eu não ia no jogo válido pelo Rio São Paulo, naquele 20 de março de 2002, mas não sei como acabei convencido por um bambi lá do trampo, que iria ao Morumbi pra assistir o jogo na numerada inferior, onde à época, as torcidas ficavam misturadas. O bambizinho tinha ido pra Brasilia e voltado no mesmo dia, perdido vôo e o diabo e falou: Me fodi pra chegar aqui, agora não tem desculpa pra não ir no jogo…

Ok. Fui lá eu pra gaiola assistir um jogo num local do estádio que tinham apenas 6 palmeirenses e todo o resto de bicharada. Puta roubada. Aliás, sempre achei uma merda assistir jogo naquela porra de numerada…

E com poucos minutos de jogo, Magrão e Claudecir já tinham colocado o Verdão em vantagem: 2×0 e nem 20 minutos de jogo. Tadinho do Bambi, com a orelhinha cor-de-rosa ficando vermelha…

E foi aos 27. Não vou nem narrar o lance porque não faria qualquer justiça. Só sei que a cada chapéu eu berrava Puta que Pariu!, Puta que Pariu! e levava a mão à cabeça como quem não punha a menor fé no que tava vendo. O Silvério, depois fui saber, começou a gritar E que Golaço! ainda no primeiro chapéu e não parou mais… é só ver abaixo:

No dia seguinte, a torcida palmeirense não perdoou e contratou o outdoor da Marques de São Vicente em frente ao CT da Floresta Encantada:

E meu amigo bambi nunca mais me convidou prum Bambi x Palmeiras no Morumbi…

Parabéns, Alex!

AVANTI PALESTRA!


 

 

%d blogueiros gostam disto: