Arquivo diário: 10/03/2011

Outros Tempos…

Depois de muito tempo, resolvi me render à grandeza dos maiores goleiros do Palmeiras e assistir ao programa infelizmente apresentado por Chico Lang e Flávio Prado, mas que uniu Oberdan, Valdir, Leão, Sérgio, Marcos e Velloso.

Ouvindo o Oberdan e o seu Valdir falarem, eles lembravam que na época deles, treino era chute a gol e olhe lá… Jogador jogava arrebentado, com dedinho quebrado, com bolhas nos pés, mas matava a pau pra defender as cores do clube. E quando o professor falava, ninguém ousava contrariar. Era lei suprema.

Hoje em dia, os tempos são outros. Todo e qualquer morfético que nasceu com dois pés esquerdos, mas é destro, tem um vídeo no youtube ou um famigerado DVD mostrando jogadas quase que bisonhas como se fossem pinturas do futebol. Jogadores podem ser contratados sem nem mesmo fazer um teste. Ah, as maravilhas do mundo moderno!

E a medicina esportiva então? Determina praticamente tudo no futebol: que tipo de treino é feito, o que o cara pode comer, quem joga, quem fica de fora. Mas, nem tudo é perfeito, na véspera de carnaval não há medicina esportiva que resolva tantas contusões insuperáveis. Que curioso, não?

E o treinador, que fica puto com razão e pede apenas que o jogador tenha cuidado e moderação na folia, de repente vira vilão, ingrato… O mesmo cara que deu a braçadeira de capitão, de repente virou um filho da puta… E a resposta vem por fibra óptica, num piscar de olhos, mas nunca olho-no-olho…

Por isso que sou a favor do retorno das cartilhas. Jogador tem que ter é medo do técnico. Tem que ter, acima de tudo, respeito pelo treinador e inteligência na hora de abrir a boca, saber a importância do seu ofício e de suas atitudes. Igual antigamente, na época do Oberdan e do Seu Valdir…

Chinelo no restaurante da concentração? R$ 10.000,00 pra caixinha dos funcionários do clube;

Atendeu celular no treino? Mais dez conto;

Fugiu da concentração ou levou mulher pro quarto? Deeeeeeez pilas;

Video-game na concentração? outros dezinho;

Falou mal do companheiro na entrevista? se continuar assim, o jardineiro vai trocar de carro, ô mané…

Tem conta no twitter e fez twitcam com mais um monte de macho de cuecas no quarto? Tá querendo jogar nos Bambis?? Ah, vai soltando os dez paus…

Respondeu para o treinador pelo microblog? se retratar, também no microblog, de preferência utilizando os 140 caracteres para escrever, repetidamente: “Fui babaca e prometo nunca mais criticar meu treinador pelo Twitter! Fui babaca e prometo nunca mais criticar meu treinador pelo Twitter!” E só pra não perder o costume, passa os dez mangos pra cá…

Quem sabe assim veremos mais futebol e menos falação. Como nos outros tempos, aqueles em que cachorro se amarrava com lingüiça e que jogador de futebol servia só pra jogar bola. E não existia essa maldição chamada twitter…

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: