Parabéns, Matador!

Há 46 anos atrás, no dia 21 de fevereiro, na cidade mineira de Ouro Fino, nascia Evair Aparecido Paulino.

O menino Evair, dos campos de várzea de Crizólia, chegou ao Guarani de Campinas em 1980, onde foi morar embaixo das arquibancadas do Brinco de Ouro.

Em 1984 passou a integrar o time profissional do Gaurani, chegando à seleção brasileira em 1987. Depois de ser o artilheiro do Paulistão de 1988, transferiu-se para a Itália para defender o Atalanta.

No ano de 1991, Evair volta ao Brasil contratado pelo Palmeiras, que mandou pro Atalanta o jogador Careca Bianchesi. Teve começo difícil no Palestra, graças ao incompetente do Nelsinho Baptista, que o deixou treinando afastado por deficiência técnica por mais de 05 meses. Quando a diretoria percebeu que a deficiência técnica (e mental) não era dele, mas de Nelsinho, e trouxe Otacilio Gonçalves pro cargo, as coisas começaram a mudar.

O primeiro gol do Evair que me marcou, ainda lembro como se fosse ontem. Oito de novembro de 1992, um domingo chuvoso, fase semi-final do Paulista, Palmeiras x Gambá. Eu tinha viajado com a família no final de semana. Na hora do jogo, estava na estrada, voltando para São Paulo. Com muito custo, consegui convencer meu pai (que é gambá), mãe, duas irmãs e o cachorro, que naquele trânsito e debaixo daquela chuva, iríamos voltar pra casa ouvindo o jogo pelo rádio. Depois de muita briga, só a voz do Silvério na Ipanema 87 prata do Bigode. Jogo tenso, sem muitas oportunidades, num campo encharcado. Segundo tempo, falta na boca da área, perto dos 30 minutos. A essa altura, estávamos perto do Km 40 da Castelo Branco. A narração daquele instante que se mantém até hoje na minha memória é exatamente esta:

Gritei tanto que, como castigo, não pude mais ouvir o jogo. Aquele gol jamais esquecerei. Foi a primeira vez que me lembro de ouvir uma desculpa esfarrapada pelo gol sofrido. Segundo o frangueiro dos gambás, se não fosse uma poça d’água, ele teria defendido a cobrança. Nem se você fosse o Marcos, Ronaldo! Nem se fosse o Marcos!

Em 1993, Evair seria o grande expoente do Palmeiras e da conquista do título paulista depois de 16 anos, em cima da gambazada. Naquele paulistão, Evair não foi artilheiro, marcando um gol a menos que Viola na competição. Mas na arquibancada, só se ouvia Boi, Boi, Boi, Boi do Maranhão, Viola é artilheiro, Evair é campeão!

Foi no dia 12 de junho de 1993, um dia pra ser lembrado pra sempre, mais uma vez em cima dos Gambás, em quem fez 09 gols ao longo da carreira vestindo o manto alvi-verde, que finalmente eu vi, pela primeira vez, o Palmeiras campeão. Evair fez dois, como vocês todos lembram.

Ainda naquele ano, Evair fez um dos gols do título brasileiro em cima do Vitória. Estava no laranja, atrás do gol onde o Matador guardou o dele e, lembro, da inocência dos meus quinze anos, que fui eu quem puxou o coro depois do gol: Eô, Eô, Evair é o terror!

Evair foi negociado no final de 1994, depois de ser bi-campeão paulista e brasileiro, em cima dos Gambás.

Voltou ao clube em 1999, pra cumprir seu papel de ídolo eterno do Verdão ao conquistar a América. Fez o primeiro gol na final:

No Mundial Interclubes daquele ano, não foi colocado em campo pelo Felipão na derrota para o Manchester, enquanto Oséas e Paulo Nunes perdiam gol atrás de gol…

Foram ao todo 128 gols com a camisa do Palmeiras, num estilo único de jogar, calmo, frio, inteligente, matador, sabia como poucos jogar de costas pro gol, o que lhe rendeu o apelido de garçom, além do inconfundível Matador.

Peraí, 128 gols? Não foram 127?, você pergunta… É verdade, foram 127 gols como profissional do Palmeiras. Mas Evair ainda fez mais um. Foi em 09 de julho de 2010, na despedida do Estádio Palestra Itália. Na partida preliminar, no gol da Matarazzo, Evair marcou o último gol do Palmeiras no Estádio Palestra Itália:

Evair é e sempre será o meu primeiro ídolo no Palmeiras. Não só pelo currículo exposto acima. Isso é só o detalhe. O que eu nunca vou esquecer mesmo é aquele gol que ele marcou, e saiu como sempre, braços abertos à meia altura, e veio comemorar… comigo!

E ainda terá mais. Evair ainda será técnico do Palmeiras e, se depender da sua estrela, será o mais vitorioso de todos os tempos. Quem viver, verá!

Obrigado por tudo, Matador! Feliz aniversário!

AVANTI PALESTRA!


Publicado em 21/02/2011, em Geral e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. EVAIR obrigado por tudo que fez pelo nosso palmeiras, aquele gol de penalt na final de 93 foi para lavar a alma, fico arrepiado so de lembrar!!!!!!
    valeu matador
    um grande abraço
    Regis

  2. pqp!!! de arrepiar as narrações do Silvério….eu estava nesse jogo, pqp foi foda!!! sem palavras….

    Evair obrigado por toda a dedicação nos anos em que vestiu o manto sagrado e pelas inumeras alegrias que nos deu….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: