Arquivo diário: 29/01/2011

Tem Jogo! Lusa x Palmeiras – Rodada 5 Paulistão 2011

Alo palestrinos primo campione mondiale, oINctacampeões brasileiros!

Amanhã no Canindé o Palmeiras pode assumir a liderança isolada do Paulistão, dependendo também do resultado dos lambaris contra a bambizada.

Assunção está fora, lesionado, assim como Danilo, que viajou para a Italia e talvez nem volte mais. Mas o Santo foi relacionado, assim como Thiago Heleno e Max Pardalzinho. Eis os jogadores que podem ir pro jogo:

Goleiros: Marcos e Deola
Laterais: Cicicnho, Vitor e Rivaldo
Zagueiros: Mauricio Ramos, Thiago Heleno e Leandro Amaro
Volantes: Márcio Araújo, João Vitor e Bruno Turco
Meias: Tinga e Patrik
Atacantes: Kleber, Dinei, Luan, Adriano, Vinícius e Max Santos

Com isso, o time titular deve ser mantido no 4-3-3 com Marcos, Butt-Head (#2), Leandro Amaro (Thiago Heleno), Maurício Ramos e Conivaldo, João Vitor, Caramujo e Tinga, Kléber, @luansantanaevc e Telmário (#29).

Outra opção, refletindo o treino do meio da semana, pode ser o 3-5-2 com Marcos, Thiago Heleno, Maurício Ramos e Leandro Amaro, Butt-Head, Caramujo, João Vitor, Tinga e @luansantanaevc, Kléber e Telmário.

A Lusa não terá seus principais jogadores (Dodô, Mauricio, Marco Antonio, Fabrício e Heverton) e recebe o Palmeiras com Wéverton, Paulo Sérgio, Preto Costa, Domingos e Marcelo Cordeiro; Ferdinando, Sopa, Glauber e Ivo; Kempes e Luis Ricardo.

A arbitragem fica pro conta de Luis Alexandre Nilsen. A expectativa é que seja mais uma péssima arbitragem. Clássico tem que ter árbitro conhecido, macaco velho e não um mano que ninguém nunca ouviu falar, viu Coronel Marinho?

Se o Palmeiras almeja alguma coisa deste campeonato, não pode nem tomar conhecimento da Portuguesa. Não é um time bobo, mas sem seus principais expoentes, não pode fazer frente ao time de Felipão. A dúvida é saber como vai se comportar a zaga sem o Danilo, já que o Maurício Ramos tem falhado demais em bolas relativamente simples e o Conivaldo tem sido um fardo pra defesa, errando 103% das jogadas. Talvez por isso Felipão possa optar, antes ou durante da partida, pelo 3-5-2 visto nos treinamentos.

Por uma lambança da organização do Paulistão, amanhã à tarde estarão nas ruas as torcidas de Palmeiras, Portuguesa, Bambis, Lambaris e Gambás. O André Guerra, presidente da Mancha, chegou a mandar uma carta ao promotor Paulo Castilho exigindo que os jogos fossem alterados de data/horário ou que as medidas de segurança fossem devidamente adotadas. Até o momento não li que a PM ou o MP estariam adotando quaisquer precauções pra evitar confrontos. Depois reclamam, mas na hora de prevenir, eles proíbem a entrada de faixas e instrumentos musicais, verdadeiras “armas”. Vai entender… Muita atenção na ida e saída do jogo amanhã, galera!

Palpite do Maluquinho: 2×0 Palestra, gols de Adriano Michael Jackson (who’s bad?) e @luansantanaevc. Ah, e o Domingos vai expulso, aos 43 do primeiro tempo, se o juiz não for comédia.

AVANTI PALESTRA!

Arena Palestra Itália

Enquanto as obras da ARENA seguem a todo vapor, eu tava devendo um post decente sobre esta que será a primeira, maior e mais moderna arena multi-uso da América Latina.

A fonte das informações a seguir é o site oficial do clube.

Agência Palmeiras
27/05/2010 19h30
O torcedor palmeirense se despede do velho Palestra Itália, o estádio mais antigo em atividade no Brasil, palco de inúmeras glórias e alegrias, e começa a sonhar com a Arena, que será o mais moderno complexo esportivo das Américas. Prepare o coração, torcedor alviverde, porque o sonho de todas as gerações será colocado em prática e vai surpreender a todos com sua grandiosidade e beleza.

“Estamos prestes a sofrer uma verdadeira revolução na nossa história. O projeto Arena é um presente para todas as gerações de palmeirenses e palestrinos. Não é um projeto de uma Presidência ou uma diretoria, mas sim de todos os palmeirenses. Estamos muito perto de uma total independência financeira, da realização de ter um estádio moderno e um clube totalmente novo”, afirmou Luiz Gonzaga Belluzzo, presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras.

A concepção do projeto ficou a cargo do arquiteto Tomás Taveira, um português que atualmente é uma das principais referências da nova arquitetura européia, com a assinatura de importantes projetos esportivos, como os estádios do Sporting, Leiria e Aveiro, todos utilizados com sucesso na Eurocopa 2004.

A capacidade da Arena está definida: 45 mil expectadores, ideal para abrigar qualquer tipo de jogos finais e, ainda, competições importantes internacionais. Com relação ao estádio atual, mudanças fundamentais serão realizadas.

O anel inferior da arquibancada será fechado na parte das piscinas, passando para uma capacidade de 30 mil lugares. Acima, dois andares com cerca de 250 camarotes e cabines de imprensa se erguerão (um restaurante, com vista para o campo, será instalado neste novo anel). A capacidade total deste novo espaço ficará em torno de 5 mil lugares. A imprensa ficará instalada nos dois lados do campo (do lado da av. Padre Tomás ficarão as cabines de TV, e do lado da Turiassu, as cabines de rádio e imprensa escrita). Por fim, um anel superior, que será destinado às cadeiras especiais da nova Arena, comportarão um público estimado de 10 mil torcedores.

Para não prejudicar a área do conjunto aquático e, assim, causar transtornos aos sócios, o campo de futebol será deslocado cerca de 7 metros em direção ao lado do placar eletrônico. A parte inferior do gramado –onde hoje estão os vestiários do futebol profissional, de um lado, e os vestiários femininos, de outro—será totalmente aproveitado no novo projeto. Este local contará com quatro novos e modernos vestiários para as equipes de futebol, totalmente adaptados às exigências da FIFA.

A entrada dos times em campo, assim como a posição dos vestiários, também muda. Na Arena, os times passam a ter entrada comum, pela área central do gramado (onde ficam hoje as numeradas cobertas). Assim, os ônibus com as delegações do Palmeiras e visitantes vão ter acesso pelo portão da Turiassu.

O Jardim Suspenso, inovação do Palestra Itália, continua. Mas com modificações. Os torcedores, por exemplo, não transitam mais no corredor abaixo do campo, que passa a ser apenas para o corpo administrativo da Arena, autoridades, policiais, ambulâncias, etc. Haverá, ainda, um estacionamento interno para o uso de caminhões e veículos da imprensa, além de carros da polícia e ambulâncias.

A Arena será construída com tecnologia de última geração e terá projetos de sustentabilidade, principalmente no que diz respeito ao uso e reaproveitamento de água, energia elétrica, etc.

Mas a futura Arena não será destinado apenas ao futebol: será um importante pólo de eventos culturais, musicais e esportivos em geral. Para shows, por exemplo, a capacidade chegará a 60 mil. Além do estádio, o complexo irá contar com um auditório modular que comportará entre 500 e 2.000 pessoas e um anfiteatro modular para receber eventos de 2.000 a 20 mil pessoas.

A localização da Arena é um dos grandes trunfos do projeto. A proximidade do centro da cidade e acesso a grandes vias — como a Marginal Tietê, avenidas Sumaré, Francisco Matarazzo, Marquês de São Vicente e Pompéia— faz com que o projeto seja único e diferenciado. Isto tudo na maior cidade da América do Sul e principal centro econômico do País.

O projeto

Com investimento total de cerca de R$ 300 milhões, a WTorre inicia o projeto de transformar o estádio Palestra Itália na mais moderna Arena multiuso das Américas, nos moldes de qualidade e conforto e praticidade das principais praças esportivas da Europa, e totalmente dentro dos rígidos padrões exigidos pelo caderno de encargos da FIFA. Deste total, cerca de R$ 50 milhões ficam destinados para a construção de melhorias no clube social, além dos novos vestiários junto às piscinas, e na construção de prédios administrativo e esportivo no complexo da Arena.

O projeto Arena está regularizado na Prefeitura de São Paulo e já passou com aprovação por todos os departamentos e secretarias municipais envolvidos na questão. Todas as garantias bancárias estão asseguradas, o que oferece total garantia e segurança para o início e conclusão do projeto.

As obras, no clube, já começaram pela relocação das quadras de tênis. “Nossa previsão é que em aproximadamente um ano os prédios administrativo e de quadras estejam prontos. Já em relação à Arena, calculamos dois anos. Ou seja, em meados de 2012 todo o complexo estará pronto”, afirma José Cyrillo Jr, diretor de Planejamento do Palmeiras.

O Palmeiras ganhará em todos os sentidos. O associado terá um clube completamente novo, o mais moderno do Brasil, com novas quadras cobertas, ginásio, restaurantes, lanchonetes e todo o conforto possível.

Na parte financeira, novas fontes de renda –hoje inexistentes– vão garantir um futuro brilhante à Sociedade Esportiva Palmeiras. A renda de todos os jogos do Palmeiras na futura Arena serão 100% do clube. Pelo contrato entre Palmeiras e WTorre, todas as despesas para a utilização da Arena (luz, água, segurança, limpeza, seguros, manutenções do gramado, etc.) ficarão a cargo da empreendedora –estes gastos estão estimados em cerca de R$ 9 milhões anuais, estimando-se até 40 jogos por ano.

O Palmeiras terá uma participação crescente em todas as propriedades da futura Arena (camarotes, cadeiras cativas e especiais, restaurantes, lanchonetes, etc.), durante os 30 anos de concessão, que variam de 5% (as propriedades) a 20% (as receitas), valores estes que crescem 5% a cada 5 anos.

 

“A Arena, quando concluída, não será apenas um moderníssimo espaço para o futebol, mas será o principal local dos principais shows e eventos da cidade de São Paulo. Será uma referência mundial, um motivo de orgulho para todos os palmeirenses”, disse Cyrillo, referindo-se às múltiplas formas de utilização do espaço.

Os dois vídeos da Arena no Youtube:

Nos Blogs La Nostra Casa e Novo Palestra, pode ser seguida a evolução das Obras.

AVANTI PALESTRA!

Alguns números sobre torcida

Pra quem possa interessar…

Outro dia li que em 2010, o Palmeiras vendeu 1.027 milhões de camisas oficiais, contra 1.038 milhões da gambazada, no ano do seu centenada. Matéria da revista VEJA.

Esta semana, foi publicado que na venda de produtos licenciados, a miniatura do goleiro Marcos representa 47% de todas as vendas no Brasil, seguido de Valdivia (25%) e Kléber (16%). O boneco do Gordo representa míseros 2% das vendas. E o do mano do meião, 1%. Matéria do GLOBOESPORTE.COM.

Com 22 milhões de acessos em 2010, o site oficial do Palmeiras é o segundo mais acessado no Brasil. Dados comentados pelo AnyThing Palmeiras.

Alguns dados mais antigos, mas não menos válidos, também interessam…

Ranking – venda de camisas em 2009 – média mensal:

Fonte: Jornal Valor Econômico e site do globo.com

1° Flamengo: 92.022

2° Corinthians: 87.174

3° Palmeiras: 73.905

4° São Paulo: 70.716

5° Vasco: 63.617

Ranking – comercialização de Pay-per-view em 2009:

Fonte: Globosat / Ibope / Datafolha http://www.futebolfinance.com/vendas-de-pa…bes-brasileiros

1° Flamengo: 12,6%

2° Corinthians: 11,8%

3° Palmeiras: 8,9%

4° São Paulo: 8,0%

5° Internacional: 8,0%

Ranking – material esportivo Adidas mais vendidos no mundo – maio/2010:

Fonte: O Estado de SP

1° Real

2° Milan

3° Chelsea

4° Bayern

5° Palmeiras

Posso continuar a citar outros dados, que mostram que às vezes, pesquisas sobre torcidas não são coerentes. Mas, se preferirem ler apenas o resultado final da pesquisa do DataFoda-se, por exemplo, então posso parar por aqui.

Não adianta perguntar pra qual time que o cara torce e pronto. Para que se possa ter uma verdadeira dimensão do papel da torcida para cada time, tem que se avaliar a quantidade de torcedores sim, mas também de que forma esse torcedor contribui ao clube. Daí porque critérios como a avaliação da compra de produtos licenciados e/ou oficiais, pay-per-view, arrecadação com bilheteria, etc, pode dar uma dimensão mais precisa sobre a diferença entre torcedor e simpatizante, que é o tal do grau de interesse.

A explicação, sempre precisa, sobre a influência que o grau de interesse deveria ter no resultado das pesquisas é do Vicente Criscio, no 3VV, e a conclusão que se chega na brilhante análise é que quantidade não corresponde a qualidade. Exemplo disso é que, segundo os dados da pesquisa, dos 34 milhões de urubus no Brasil, mais de 8 milhões não tem nenhum interesse por futebol e, logo, raramente compram camisas, vão aos jogos, etc e, portanto, não geram receita para o clube.

Outra coisa importante. A bilheteria não é a maior receita dos clubes. Faça as contas: 1 milhão de camisas vendidas significa R$ 150.000.000,00 de receita. Pro clube sobram 10 milhões, se for considerado que o fornecedor de material esportivo leva a maior fatia.

Um público médio de 10.000 pessoas a um ingresso médio de R$ 25,00 significa um faturamento médio de R$ 250.000,00 por jogo. Ou 100.000, abatidos os gastos com a realização da partida, em especial pros times que por estarem sem casa (momentaneamente ou desde sempre), alugam o Pacaembu. Se o clube mandar 40 partidas por ano, fatura 4 milhões de bilheteria. Se forem 20.000 a cada jogo, ainda assim a receita com venda de camisas seria maior. Isso sem falar em venda de produtos licenciados, patrocínio ou cotas de TV, outras fatias gordas do orçamento dos clubes.

E um último dado, que pode parecer surpresa para alguns: a média de público nos estádios depende necessariamente da qualidade do time em campo. Em 2008, que o Palmeiras havia sido campeão paulista e disputou o título até a reta final do Brasileirão, a média de público foi de 16 mil pagantes. Em 2009, em que o Palmeiras disputou o título e liderou por metade do Brasileiro, a média foi de 19 mil. Já em 2010, em que o time se situou no meio da tabela, sem chances de título, e que o estádio fechou e os jogos passaram a ser mandados ora no Pacaembu, ora em Barueri, a média foi de 10 mil. Ou seja, menos gente no campo não significa que a torcida está diminuindo. Significa que a torcida está indo menos no jogo, seja porque o time vai mal, porque o estádio fica a 30 kms do Centro da cidade e está marcado pras 22hs, ou por qualquer outra razão.

Esse raciocínio vale pra qualquer time. A média dos Gambás em 2009 (décimo colocado) foi de 20 mil. No ano passado, em que a gambazada deixou passar o Brasileiro mais roubado de todos os tempos e disputou o título até a última rodada, a média foi de 27 mil. Sinal que a torcida aumentou? Obviamente que não.

Todo time tem torcedor que só vai no jogo quando o time está bem. E tem os que bem ou mal, estão lá todos os jogos. Assim como os zé poltrona, que pisam no estádio, quando muito, só em clássico e final. A frequência com que cada um desses tipos de torcedor comparece no estádio não pode ser sinal de que a torcida aumentou ou diminuiu, que a torcida envelheceu, ou qualquer bobagem dessas que falam por aí.

Concluindo, minha opinião é de que mais torcida no estádio não quer dizer, necessariamente, uma melhor torcida. Já o nível de fanatismo e de comprometimento do torcedor com o clube, seja no estádio, na loja do clube ou na poltrona de casa, isso sim faz a diferença.

Por isso que o Palmeiras é a terceira maior TORCIDA do Brasil, mesmo com as pesquisas indicando que os Bambis tem mais SIMPATIZANTES.

Sintam-se à vontade para discordar. A maioria desses dados já estavam disponíveis há tempos e essas considerações já foram feitas, com muito mais propriedade, por todos os sites da mídia palestrina.

Mas, nunca é demais relembrar…

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: