Arquivo diário: 30/12/2010

Feliz ano verde! 2011 chegou. E agora?

Meus amigos palestrinos, quero desejar a todos um ano de 2011 fantástico, forrado de realizações e alegrias, em especial as que resultam do nosso amado Verdão, em campo ou fora dele.

Se 2010 não foi um ano bom pro Palmeiras em campo, na arquibancada a torcida mostrou toda a sua força e amor pelo clube. Pego como exemplo este Blog que, em pouco mais de 100 dias, já teve mais de 5.500 acessos, sem nenhuma publicidade que não o boca-a-boca e um empurrãozinho dos ilustres Izidoro Lopreto, Gustavo Gomes Pereira, Tarso Gouveia e todo o pessoal do Famiglia Palestra, Tiago Aquino do Facebook do Palmeiras, Lidi Faria no twitter, entre outros, não menos ilustres ou palmeirenses, como Gé Guarino, Andrea Simi, Guina e Saleta, só pra citar alguns nomes. Isso é a mais concreta prova de que a torcida do Palmeiras é diferenciada no seu amor pelo clube, na forma de torcer e seguir o time, sempre apoiando iniciativas novas a favor do clube.

Isso sem nenhuma correspondência do Palmeiras que em 2010, assim como nos dez anos anteriores, não fez valer o “alviverde imponente” tão estimado por nós. Palmeirense não torce só quando o time ganha. Aqui não é modinha!

Este ano acabou da pior forma possível. Palmeiras eliminado pro Goiás na Copa Sulamericana, crise aguda entre elenco, comissão técnica e diretoria e, o pior, o Palmeiras entrou definitivamente pro rol dos times mau-pagadores, com uma administração financeira de arrepiar até mesmo os flamenguistas… O que mais espantou, porém, foi a absoluta falta de bom-senso que imperou nos últimos 60 dias, em especial por parte da diretoria, com declarações infelizes uma depois da outra e de todos os lados – Pescarmona, Raiola, Galeano, Palaia, Mustafá, Kléber, Valdivia etc, um mais poeta que o outro… mas sempre quando estão em silêncio!

Pra completar, ninguém chegou e ninguém foi embora. Muita especulação e o ambiente hostil tem prejudicado as contratações e, principalmente, as dispensas, já que o elenco profissional conta com quase 50 salários de presidente de multinacional, embora a maioria apresente futebol de aprendiz de trainee.

E o que podemos esperar de 2011? Na minha opinião, muito! Dizem que depois da tempestade, sempre vem a calmaria. A verdade é que no caso do Palmeiras, a tormenta ainda seguirá janeiro todo, com a eleição longe de ter um cenário definido e com poucas perspectivas de contratações do nivel que o Palmeiras merece.

Mesmo assim, o Palmeiras é foda. Ainda que nao venham nomes de peso, ainda que o candidato eleito não seja o preferido, essa camisa tem vida própria, ainda teremos Felipão, Valdivia, Kleber, Marcos, Assunção, entre tantos outros que engrandecem as nossas cores. E temos a nossa torcida, sempre representando o Palmeiras onde quer que seja, contra quem quer que seja.

Já em fevereiro teremos Carnaval e a Mancha vem muito forte este ano. Quem foi nos ensaios sabe do que eu to falando. Antes disso, teremos Copinha com boas chances de título e o início do Paulistão, o campeonato que só não vale nada pra quem perde.

A esperança é verde, palestrinos. Só nos resta desejar um feliz 2011, repleto de alegrias do nosso Verdão. E se não vierem as alegrias, é nóis mesmo assim, porque aqui é Palmeiras!

AVANTI PALESTRA!

Fala, Maluco! Rubens Bambini Jr.

Alguns de vocês conhecem o Rubão, meu tio. No ano passado estivemos juntos no Palestra Itália para assistir alguns jogos da campanha do Palmeiras no Brasileiro 2009. E ele entrou no ritmo da molecada, latinha na mão na Turiassu x Caraibas, na arquibancada atrás do gol, ao lado da Mancha Verde, ali onde o bicho pega!

O Rubão é meu tio, então sou suspeito pra falar, mas como já contei por aqui, essa maluquice toda pelo Palmeiras é devida a ele e ao meu avô, o Lauro. Já disse antes que nasci numa familia de Gambás, mas graças a esses dois, não teve um minuto sequer da minha vida que eu tenha sofrido a ameaça de torcer pro time da Marginal s/n. Camisa do Verdão na porta do quarto na maternidade, desde o dia 19 de julho de 1978. É nóis!

Foi com o Rubinho que gritei pela primeira vez “É Campeão!”. 12 de junho, 1993, vocês todos lembram a data. Não pudemos ir ao jogo, mas assistimos juntos. A tensão foi tamanha que só deu alívio quando o Evair foi bater o penalti e fechar o caixão da Gambazada de uma vez por todas. Ele olhou pra mim e disse: “Daniel, agora pode começar a gritar pela janela!” A comemoração teve direito a invasão do Palmeiras, das arquibancadas do Palestra e do salão de festas da SEP, em ritmo de carnaval!

O Rubão é tão fanático pelo Palmeiras que, ao deixar um cargo de diretoria numa empresa para seguir carreira solo, foi homenageado pelos seus funcionários com um jantar surpresa, adivinhem aonde? Na L’Osteria Palestra Itália, com direito a visita à Sala de Troféus com um certo César Maluco de guia. As fotos a seguir são desse dia:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Atualmente o Rubão reside em Copacabana mas, não tenham dúvida, não tem um carioca nessa terra que não saiba que ele é Palestra!

A mim só resta um sincero muito obrigado ao Rubão, por ter feito de mim o seu reflexo como um palmeirense de verdade, do jeito que tem que ser, fanático, apaixonado e representando o verde sempre e onde quer que seja. Valeu!

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: