Arquivo mensal: novembro 2010

Carta de um Palmeirense ao Papai Noel

Pro palmeirense, o ano já acabou. De novo, de forma melancólica. Assim como em 2009, em 2008, em 2007…

Vou sentir falta de 2010. Óbvio que os fracassos seguidos do Palmeiras na temporada não serão motivo de qualquer saudade.

Mas, como disse meu parceiro Rovaron, o palmeirense não vive de títulos, o palmeirense vive de Palmeiras. Foi mais ou menos isso o que quis dizer Ugo Giorgetti no artigo para o Estadão que postei aqui ontem.

Ser palmeirense é diferenciado, é especial e único. Só a gente sabe o quanto é difícil e o quanto é maravilhoso ser palmeirense.

É impressionante a quantidade de gente diferente e, ao mesmo tempo, tão igual, que se pode conhecer simplesmente por acompanhar o Palmeiras, ir aos bares da Turiassu, no L’Osteria, na quadra da Mancha, no Pacaembu e sua praça, nos bares da Vila Boim, na Arena Barueri e na filial Tamboré da Mazé Lanches, enfim, em todo e qualquer lugar em que se compartilhe o amor pelo Palestra.

É disso que vou sentir falta pelos próximos 50 dias. De viver minha palestrinidade ao extremo, como neste ano em que, como pá de cal do fanatismo pelo Verdão, decidi começar a escrever aqui. E de compartilhar esse amor incondicional pelo Palmeiras com tantos outros que, cada qual do seu jeito, tem o mesmo orgulho de ser palestrino que eu.

Mas o Natal do palmeirense podia ser melhor. Queria chegar semana que vem e ver acabar o campeonato e o Palmeiras, pelo menos, com uma vaga na Libertadores. Ou disputando uma final de torneio internacional. Queria uma perspectiva para 2011 melhor.

Agora, se nem Felipão, Valdivia e Kleber resolveram em 2010, o que esperar do ano que vem? Quem vai resolver?

Bom, eu vou apelar. Fim de ano é época de pedir ao bom velinho. Aqui vai a minha cartinha:

E aí, mio signore Babbo Natale!

Está na hora de olharem mais pelo Palmeiras aí no Pólo Norte.

O senhor deveria começar trocando de uniforme. Essa roupa vermelha com detalhes brancos e pretos pode confundir alguém. O Richarlysson pode achar que você é meio fresco. Coloca o manto verde aí, tio, e evite o constrangimento. Está na hora de voltar às origens. Papai Noel sempre foi verde e só mudou de cor pra atender interesses comerciais alheios. Bad Santa!

Depois, está na hora de mandar essas renas embora. Não pega bem um senhor da sua idade andando por aí cercado de bambis. Podem confundi-lo com um dirigente do Jardim Leonor…

Mas chega de falar do Sr.

O fato é que o palmeirense tá cansado de sofrer. Pro Sr. ter uma idéia, nosso último presente de Natal chamava-se Paulo Baier… Eu juro! E ele foi trazido pelo mesmo tiozinho que hoje tá dando as cartas no futebol palmeirense… Se o Sr. não interferir, lá vem outra tranqueira do Goiás parar no Palmeiras. MEU DEUS!

Mas, antes de pedir meu presente de Natal, queria falar com o Sr. de alguns rapazes que foram muito bonzinhos, respeitaram muito seus adversários, comeram toda a comida do prato e obedeceram direitinho o papai e a mamãe (ou a vovó) e, por isso, merecem ter seus desejos realizados.

Por isso, neste Natal, não deixe de atender às preces de Márcio Araújo, Danilo, Mauricio Ramos, Patrik, Rivaldo, Ewerthon, Tadeu, Dinei, Lenny e Lincoln (principalmente este último), e arrume contratos extraordinários para esses bons moços na Ucrânia, na Turquia, na Arábia, no Japão, na Coréia ou em qualquer outro lugar em que caiba o expressivo futebol desses gentis rapazes. Nós, palmeirenses, somos muito caridosos e vamos saber lidar com tão sentidas ausências.

Ainda antes de falar do meu presente de Natal, queria pedir ao Sr. que não esqueça que os velhinhos que cartolam no Palmeiras não foram muito comportados esse ano. Nada de presente pra esses senhores tão sedentos pelo poder político que se esqueceram que o Palmeiras deveria vir em primeiro lugar.

Não esqueça também de nostro comandante Felipão e encha de brilho a estrela do gaúcho de sangue italiano que tanto nos fez feliz um dia. Dê-lhe paciência pra aguentar os abutres da imprensa imunda, sedentos por carniça e que sempre irão tentar diminuir a grandeza do nosso clube. Dê a ele todos os jogadores da lista de 7 a 8 reforços que ele quer, dê a ele Kléber e Valdivia 100% (em condições físicas e financeiras), que o resto é com o Bigode.

Se o Sr. fizer tudo isso, Papai Noel, queria falar com o Sr. a respeito da sua crueldade com os favelados da Marginal s/n.

Pôôôôxa, Papai Noel, ano de centenada, digo, centenário, o Sr. não deixou eles ganharem o Paulista, a única coisa que eles ganham. Copinha, não. Levaram fumo no Carnaval. Libertadores, nem preciso dizer, né, eliminados por jogador que era nosso, só pra manter a tradição. Dança dos Famosos, levaram fumo! Eleições, fumo de novo (e aqui fica um bi-chupa Marcelinho)! Fazenda, ferro! Stock Car, nada! Apelaram até pro Barrichello, na F1, mas isso só podia ser piada. Musa do Brasileirão, niente! Daí o Sr. resolve arrumar 19 pontos no apito amigo no Campeonato Brasileiro e de novo eles não levam? PORRA, PAPAI NOEL, só 19 pontos? Porque já não deu logo 22??? Mas, que sacanagem com os Gambás… Queria pedir pro Sr. que, no ano que vem, é… hummmm…

Quer saber Papai Noel? Neste Natal, me traz um cafézinho e tá tudo certo!

AVANTI PALESTRA!

Ugo Giorgetti falou e disse!

Ugo Giorgetti é cineasta. São de sua autoria Boleiros e Boleiros 2, filmes que todo fanático por futebol já assistiu, três vezes cada. A paixão pelo futebol é também alimentada por uma coluna que Ugo Girogetti assina, semanalmente, no Estado de São Paulo. Ah, esqueci de falar? Giorgetti é palestra.

Hoje assistindo o Famiglia Palestra TV, fiquei sabendo de um artigo que ele escreveu em sua coluna de sexta-feira passada, que o Tarso Gouveia fez questão de ler na íntegra. E que eu faço questão de reproduzir, também na íntegra, pois é o mais fiel retrato da realidade do que é torcer pelo Palmeiras:

Normalmente escrevo às sextas-feiras. Espero até o último instante por um fato novo que possa ser objeto de uma coluna. Desta vez escrevo logo pela manhã de quinta, depois de mais um espetáculo grotesco proporcionado pelo Palmeiras em pleno Pacaembu, perdendo para o Goiás diante de 37 mil atônitas pessoas.

O que me leva a escrever não é mais esse fracasso de um time que já foi uma Legião Romana e agora não passa de um Exército Brancaleone, se me permitem a citação cinematográfica. O que me move a escrever é a torcida. O Palmeiras não merece a torcida que tem. Nenhum clube, nem o Corinthians, ninguém tem uma torcida tão fiel. O Corinthians, nos seus famosos anos de seca, contou sempre com seus torcedores fiéis, apesar das derrotas, mas que quase nunca foram derrotas humilhantes, absurdas. Eram derrotas para o Santos de Pelé ou para o próprio Palmeiras de Ademir.

Equipe menor. O que diferencia o Palmeiras de hoje é que parece que todos no clube, diretores, treinador e jogadores (com a exceção de Kleber), estão convencidos de que o Palmeiras é uma equipe menor, que ninguém precisa temer. Na verdade eles é que são muito menores que o clube. Quando foi dada a saída do jogo contra o Goiás, a bola foi recuada e dois zagueiros ficaram trocando passes laterais por um tempo absurdo, até que alguém do Goiás perdeu a paciência e foi apertar, provocando o inevitável chutão. Nesse momento tive um horrível pressentimento. Um time que se entende como grande não joga com o resultado, joga com seu status de grande equipe. Tem obrigação de obedecer a multidão orgulhosa, que avaliza a grandeza do clube cantando e gritando, e partir para cima do adversário sem medo e sem covardia. Dirão que falta jogador. Sim, se o adversário fosse o São Paulo, o Santos, o Corinthians. Mas não o Goiás.

Só a torcida está convencida da grandeza do clube. Ela lota estádio e mais estádio, submetendo-se a decepções a que nenhuma outra se submeteria. O clube só continua grande por ação e graça de seus torcedores, e unicamente por causa deles. Nenhum time perdeu tanto em seu próprio campo, para adversários fracos, medíocres, estupefatos diante da vitória. E a torcida em um espetáculo comovente não desiste, não diminui, não se entrega de jeito nenhum.

Pra que arena? Essa torcida não precisa de uma arena, precisa de alguém que a represente no vestiário, no interior do clube, nas entranhas da associação, e que infunda moral e confiança ao time. E que exerça o sagrado autoritarismo de proibir expressamente táticas e atitudes que atentem contra a grandeza do clube. Há pouco saiu um livro chamado “Ponte Preta – a torcida que tem um time”, de André Pecora e Stephan Campineiro.

Sugiro que algum palmeirense de talento, o poeta Régis Bonvicino, por exemplo, escreva um livro, e já me ofereço para colaborar com o título: “Palmeiras – a torcida que não tem um time”. Talvez, aliás, ela nem precise mais. Talvez essa torcida magnífica tenha tomado para si, independentemente dos resultados, dos dirigentes e do resto, a defesa do nome e da grandeza desse clube. E, se alguma coisa puder mudar essa situação humilhante, ela virá dessa multidão que, sem arena, sob chuva, sol, e mal-acomodada, enche qualquer estádio para ver esse time perder.

Antero Greco escreveu sobre o mesmo assunto na sexta-feira, uma boa razão para eu mudar minha coluna. Não pude, desta vez não deu. Desculpe, Antero.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1×2 Fluminense

O Palmeiras perdeu hoje para o Fluminense na Arena Barueri, pela Rodada 37 do Brasileirão, pelo placar de 2×1.

Pra quem achava ou queria que o time entregasse o jogo, encontrou um Palmeiras desinteressado no jogo, mas não entregão, como o São Paulo, na semana passada ou os gambás, há 1 ano atrás.

Logo que começou o jogo, o 29 acertou um pombo sem asa, cruzado, forte e com muito efeito para abrir o placar, 1×0. Jogo errado pra mostrar futebol, hein meu filho? Onde tava esse chutão na quarta-feira? Bom…

E o Fluminense passou a pressionar muito, quando quem apareceu foi o goleiro palmeirense, em ótima fase.

Deola jogou muito e foi até hostilizado por parte da torcida, que chegou a atirar copos de água contra o goleiro palmeirense… Nem sei o que falar de uma coisa dessas… Meu Deus…

De volta ao jogo, o Fluminense custou a empatar, num chute de Carlinhos, indefensável, encobrindo Deola.

Segundo tempo e Tartá desempatou o jogo, depois de rebote de Deola. E foi só, depois disso ninguem mais jogou bola, o resultado, bem ou mal, era exatamente o que os dois times queriam…

Triste terminar mais um ano secando os outros e não disputando merda nenhuma… Hoje na coletiva Felipão comentou que já apresentou 07 a 08 nomes de jogadores que interessam para o ano que vem. Vamos imaginar que 03 sejam contratados…

E ai? Alguma chance que esse time com 03 peças novas seja competitivo em 2011?

AVANTI PALESTRA!

 

 

Fala, Maluco! – Mauricio Bastos

Já não é de hoje que tenho convidado meus amigos e os seguidores deste espaço dedicado ao fanatismo pelo Palmeiras a participar junto comigo no desenvolvimento do dia-a-dia do Blog. Dias desses aí teve vários que escalaram os titulares pro jogo de depois de amanhã. Algumas escalações foram impagáveis!

Muitos já estão presentes nas fotos tiradas nos dias de jogo, nos palpites gravados no boteco antes da partida, nos videos filmados da arquibancada.

Mas esse espaço é nosso. É de todos os malucos pelo Palmeiras, inclusive este que vos fala, que vai pela alcunha de Maluquinho.

Fica inaugurada, então, a coluna Fala, Maluco!, espaço destinado a você, seguidor deste Blog, para mandar seu texto, sua foto nos jogos ou então em qualquer canto do Mundo representando o nosso Verdão.

Mande seu texto, foto ou link de video do youtube para o e-mail dgrandesso@terra.com.br e o resto é comigo. Se eu te conhecer, inclusive, conto sua história e sua relação de amor com o Palmeiras.

Mas é claro, como disse no primeiro post, não espere muita democracia! O blogueiro é o monarca deste site e se reserva ao direito de censurar e não utilizar materiais que julgar incompatíveis com a filosofia do Blog! E, lembre-se, sempre, a responsa, assim como o espaço, são seus.

E o palestrino que tem a honra de inaugurar o Fala, Maluco! é o meu brother Mauricio Bastos, o famoso Monkey. O Maurício tem mais horas de caravana da Mancha do que eu tenho de arquibancada. Pra você ter uma idéia, o Mau foi no bonde da Mancha, junto com o Guina, Saleta e Paolo, para São Januário, na Libertadores de 1999, assistir o Palmeiras eliminar o Vasco em pleno Rio de Janeiro, 4×2. O Maurício aparece no video da Libertadores de 1999. Preciso falar mais?

Na foto a seguir, o Maurício está do meu lado, de verde-limão. Essa foi tirada no épico Palmeiras x Bambi de 2008, semi-final do Paulistão, bicharada eliminada.

O cara é palestrino dos bão e, como não podia deixar de ser, está indignado com a eliminação na última quarta-feira, como todos nós. Abaixo o depoimento dele, aberto a todos os amigos palestrinos e que, a pedido meu, o Monkey autorizou incluir aqui no blog, com o título DESABAFO??:

Desabafar por causa do jogo de ontem?
O que dizer quando ví meu filho as lágrimas, sendo que seu último jogo tinha sido no aniversário do Palmeiras e derrota por 3 a 0 para o Atlético/GO?

Diversas crianças ao meu lado estavam aos prantos e eu ali, já acostumado com vexames, ouvindo e gritando “Time sem vergonha”.
Desabafo eu fiz em 2002, quando rolou o rebaixamento!
Hoje em dia, após 8 anos, eu só tenho a lamentar. É só ver a lista abaixo:
2001 – eliminação para o São Caetano nas quartas do Brasileiro
2002 – eliminação para o ASA de Arapiraca na Copa Do Brasil
2002 – rebaixamento para a Série B do Brasileiro
2003 – goleada de 7 a 2 contra o Vitória, eliminado da Copa Do Brasil
2004 – eliminação para o Santo André nas quartas da Copa Do Brasil
2006 – salvo da segundona novamente nas última rodadas
2007 – eliminação para o Ipatinga na segunda fase da Copa Do Brasil
2008 – eliminação para o Sport nas oitavas da Copa Do Brasil
2010 – eliminação para o Atlético-GO na Copa Do Brasil e Goiás na Sulamericana

Não tem o que desabafar, nossos rivais são Santo André, São Caetano, ASA, Vitória, Ipatinga, Goiás, Atlético-GO, Sport, e o pior é que andam vencendo o Palmeiras!
De 2001 até 2010 tivemos um mísero título paulista, enquanto Santo André, Paulista, Once Caldas e Sport ganharam títulos mais importantes que nós. Isto mesmo, nesta década somos mais inexpressivos que o Paulista De Jundiaí.
Caros amigos, não tem mais o que desabafar, pois a vida de torcedor do Palmeiras é um constante desabafo. A gente apenas lamenta, se irrita, sentado na cadeira ou no estádio, vendo outros torcedores perderem o senso de tempo e espaço e fixarem os olhos além do que as imagens elucidam e a recente história conta…..o Palmeiras, por culpa de seus diretores/conselheiros é um time derrotado e decadente!
Não adianta novo técnico, novos jogadores, nova torcida, novo estádio, o que precisa mudar é o modus operanti das coisas lá dentro, está óbvio, está claro…..ano que vem será a mesma coisa se não houver uma mudança!
É isto, não podemos esconder a realidade.
A gente só lamenta, vê o Palmeiras escorrer pelas mãos e as lágrimas pelo rosto. Sei que todos já dissemos isto, mas eu CANSEI…

Atenciosamente, 

MAURICIO BASTOS

E aí, galera, o que voces acharam do primeiro Fala, Maluco!? Não deixem de comentar mas lembrem, nem adianta querer cornetar os meus brothers malucos pelo Palmeiras que a censura vai rolar solta!

AVANTI PALESTRA!

PorcoNews n. 10

Amigo palestrino, o PorcoNews desta sexta-feira é redigido ainda ao som de uma nefasta marcha fúnebre.

Em luto, não me interessei em ler nada a respeito da derrota de ontem na imprensa de gambá, que se esbaldou com o nosso fracasso. Já ontem, ouvindo a coletiva de imprensa do Felipão, podia ser visto o prazer que mal dava para esconder nas vozes desses imundos. Primeira pergunta da coletiva, feita pelo Quartarollo, da Jovem Pan [corrigido], foi: “Você acha que essa desclassificação foi uma PALHAÇADA com a torcida do Palmeiras?” Não foi respondida, mas depois reclamam que  o Felipão é mal-educado.

Benjamin Back, o falso bom moço, só faltou xingar a mãe de Felipão. Chamou de arrogante, de antipático, etc. A coisa parece ser pessoal. Será que Felipão negou ao Benja uma entrevista naquele programa meia boca do Lance? Ou será que lhe passou um cheque sem fundo? Sigo em dúvida.

Enfim, vamos tentar juntar os cacos aqui e manter a tradição deste clipping semanal, excluindo tudo aquilo que resulta na esbórnia da mídia imunda pra cima da nossa desgraça.

REVOLTA

O palmeirense saiu indignado do Pacaembu ontem. A revolta dos torcedores foi mostrada pelo Lance. Protesto justíssimo. Mais que na hora de jogadores bunda-mole, chinelinhos, mercenários e, principalmente os pipoqueiros, saberem que não terão sossego NENHUM enquanto usarem a camisa do Palmeiras. Vocês sabem quem são. Vaza, corja!

FELIPÃO

Felipão me emocionou hoje. Não sei se era motivo para tanto, mas hoje foi um dia muito triste e talvez esse video abaixo, que não tem nada demais, acabou sendo o que eu precisava ver e ouvir. Veja se essas são as palavras de um homem arrogante, Sr. Benjamin Cretino Back:

Concordo que ontem Felipão não foi bem, como muitos estão dizendo. Poderia ter mexido diferente no time. Mas as peças de reposição que o cara tem à disposição são uma piada de mau gosto. Fácil criticar, mas vai fulano tentar transformar merda em ouro pra ver se é fácil…

Uma coisa é certa. É impossível negar a identificação deste italiano de terras gaúchas com a nossa camisa, com a nossa história. Não me lembro de um técnico se dar ao trabalho de pedir desculpas ao torcedor. Não desse jeito. Não com essa hombridade. Não com essa humildade. Não com esse amor pelo clube. Outros caras vieram aí com bagagem cheia de troféus, perderam títulos ganhos e saíram como se não fosse com eles.

Quem reclama do Felipão hoje, amanhã vai aplaudi-lo. Isso faz parte de ser palmeirense (by Periquito Verde). Mas não duvidem. Felipão é a nossa única salvação.

AQUI É PALMEIRAS

O palmeirense está judiado. Ontem foi um golpe duro. O segundo do ano. O primeiro até que foi aliviado, pra mim, porque enquanto o Palmeiras acabava de ser eliminado da Copa do Brasil pelo Atlético Goianiense, eu estava de férias e deu tempo de assimilar a derrota, de voltar de cabeça fresca. E ainda tinha muito chão até o final do ano…

Agora, de novo, depois da medíocre desclassificação de ontem, só nos resta lembrar porque somos palmeirenses. As manifestações no Facebook e no Twitter foram quase que unânimes. Muita gente indignada com o time, mas nunca com a Sociedade Esportiva Palmeiras. O amor ao Palmeiras é eterno, é irrevogável, impossível de diminuir. E uma imagem que começa a se espalhar no Face parece significar isso tudo e mais um pouco:

A mídia palestrina também destacou o amor pelo Verdão, incondicional, acima de tudo. Foi assim que se manifestaram o Verdazzo!3VV e a Tânia Clorofila, expressaram muito bem, cada qual da sua maneira, o amor pelo Verdão. É como disse o 3VV: Já enfrentamos duas guerras, perseguição política, uma fila de 16 anos, a ditadura de Mustafá, etc. É hora de lamber as feridas e seguir em frente.

Sumemo. Por mais doído que seja chegar a mais um fim de ano nessa melancolia, tenho a mais absoluta certeza que nada vai mudar o nosso amor, nossa paixão. Porque o Palmeiras é a nossa vida e mora no nosso coração. Aliás, como essa música tem  a ver com a gente… Mas isso fica pra outro dia.

O PorcoNews de hoje, ainda em luto, fica por aqui.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1 x 2 Goiás – E lá se vai 2011?

Muito difícil querer escrever com um pouco de razão.

Não, eu não chorei por esse time. Lincoln, Marcio Araujo, Mauricio Ramos, Luan, os dois Gambás que entraram no segundo tempo, etc, não merecem uma lágrima minha sequer.

A grande verdade é que Felipão tirou sangue de pedra. Sangue. Para um cara que chegou em 15 de julho, com esse elenco, levar o Palmeiras até a semi-final da Sulamericana foi feito muito maior do que classificar Portugal em quarto numa Copa do Mundo ou vice-campeão europeu.

Um time montado no segundo semestre não  ganha título. Um time jogando com volante na lateral direita não ganha título. Um time que depende de um jogador que, nos ultimos dois anos, jogou três meses, não ganha título. Mas, principalmente, um time que vive disputa politica tão ferrenha como o Palmeiras não ganha nada. NADA.

Podem me xingar (o campo comente é pra isso mesmo), mas o Califa deve estar rindo e dando cambalhotas. A ditatura mustafista foi a única época em que, nos ultimos 30 anos, o Palmeiras fez jus à sua grandeza.

Não esqueço que foi o Sapão que rebaixou o Palmeiras,mas enquanto ele imperou, o Palmeiras não perdeu títulos por causa de bagunça institucional.

Não, o Mustafá de volta NUNCA,  e nem seus pares. Mas, há que se abrandar a disputa política no Palmeiras e quem faturar o pleito de 2011 terá a dura tarefa de conciliar divergências e disputas políticas e, assim, minimizar os efeitos nefastos que são sentidos pela baderna geral que assola a cartolagem verde.

Que mais este fracasso sirva não de triunfo para a oposição, nao de derrota para a situação, mas de um momento de reflexão a todo e qualquer sócio da Sociedade Esportiva de que, com 11 anos de atraso, o Campeão do Século XX precisa entrar no Século XXI. Quer poder? Vá ser síndico do seu prédio, porra! Parem de empatar o nosso Verdão!

Por isso que, se eu votasse, minha escolha para o conselho seria na manutenção de Tarso Gouveia, de Gustavo Pereira, ou na chegada do Orelha, e outros jovens que estão aí para oxigenar nossa diretoria e contribuir com novos rumos pro nosso verdão.

Desde Della Monica, o que falta ao Palmeiras é uma gestão pulso firme e conciliadora. Mas já falei muito de política e disso eu não entendo porra nenhuma.

Se voce nasceu no fim da década de 70 ou começo de 80, mais esse tropeço do Palmeiras não é surpresa. Pra quem só gritou É Campeão a primeira vez com 12, 17 anos, o sofrimento faz parte do amor pelo Palmeiras. Perder jogos decisivos para Inters de Limeira, Cearás, São Caetanos, Asas de Arapiraca, Atléticos Goianenses e até o rebaixado Goiás, não é inédito. Está mais que na hora que comece a ser.

Não vou comentar o jogo. Não vou falar que o segundo gol do Goiás foi irregular. Irregular foi a postura do Palmeiras em campo. Sofremos da síndrome do cachorro molhado… o frio na barriga que todos nós sofremos o dia todo é prova disso. Estamos desacostumados a ganhar. Se isso pesa no torcedor, imagina em quem entra em campo…

Se alguma coisa de bom dá pra tirar dessa desclassificação, é a certeza (ou esperança) de que relevantes mudanças ocorrerão no futebol do Palmeiras. Em 2007, perdemos a vaga da Libertadores e um time decente foi montado, faturando o Paulista de 2008.

Teremos a chance de nos vingar dos bambis na Copa do Brasil. Temos a mais absoluta segurança de que o Palmeiras não precisa disputar uma libertadores pros gambás não serem campeões. Ano que vem, os lambaris fazem a nossa vez.Ou qualquer time cuja pronúncia seja em castelhano.

Enfim, estou chateado. Acreditava, contra todas as evidências, de que teríamos chance neste torneio. Mas tem sempre o próximo, se o palmeirense fosse um torcedor do tipo que desiste no primeiro fracasso, teríamos cantado uiuiui São Paulo na arquibancada. Aqui é Palmeiras! Quanto mais mal o time vai, mais a gente ama.

No fim das contas, podia ser pior. Podia não estar nas nossas mãos a aniquilação de qualquer chance dos gambás ganharem alguma coisa no ano do #centenada.

No fim, quem ri por ultimo ri melhor.

Domingo poremos as faixas no pó de arroz carioca e teremos decretado para os Gambás a perda do título mais roubado que um time sem estadio, sem historia deixou escapar.

Que mais dizer?

AVANTI PALESTRA!

Direto do Estádio – Palmeiras x Goiás

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tem Jogo! PALMEIRAS X Goiás – Semi-final Sulamericana

Estou tão ansioso para o jogo de amanhã que não consigo nem pensar direito no que escrever.

Podia falar que os ingressos esgotaram em tempo recorde, mas todo mundo já sabe disso.

Podia falar que amanhã pode chover igual hoje, mas quem segue este blog é tão fanático que, como o blogueiro, já olhou a previsão do tempo.

Podia dizer que o Mago está fora do jogo de amanhã, mas você também já deve saber que Valdivia fez novos exames hoje e que seu quadro permanece inalterado, sem previsão de retorno.

Podia escrever que o Assunção ficou depois do treino para treinar faltas e teve excelente aproveitamento, mas isso também não é novidade pra nenhum palmeirense.

Podia falar, ainda, que o rebaixamento do Goiás para a Série B, confirmado matematicamente nesta última rodada do Brasileirão, servirá como um fator a mais para o jogo de amanhã, já que os jogadores do esmeraldino limpariam do currículo a mancha deixada pelo fracasso no campeonato nacional com uma eventual conquista de vaga pra Libertadores. Mas quem acreditaria numa bobagem dessas?

A verdade é que o jogo de amanhã, e os dois próximos no torneio sulamericano, valem toda a temporada de 2011.

Afinal, em 2009 já deixamos escapar um título ganho e a vaga para a Libertadores. Ano passado estava muito mais fácil e o Palmeiras vacilou.

Este ano, as coisas são diferentes. O elenco, é tão modesto quanto, faltam reservas para substituir os titulares à altura, mas dessa vez temos a nosso favor um motivador, um especialista em fechar elencos, um especialista em mata-mata, 02 Libertadores nas costas, o que faltou, e muito, para o Muricy…

Ainda sobre o ano passado, não custa lembrar que a perda do campeonato e da vaga na Liberta rachou diretoria e comissão técnica, afastou o investidor e comprometeu 2010 de forma significativa. Nosso time só foi montado depois da Copa, já sem muitas chances de correr atrás do prejuízo e disputar alguma coisa no Brasileirão.

Eis que se apresenta a chance que o Palmeiras, o time de futebol, precisava. Num momento em que o Palmeiras, o clube, vive turbulências poucas vezes vista em sua política, a conquista da Sulamericana e da vaga na Libertadores significa muito mais do que outro título internacional para a nossa recheada galeria de troféus, mas uma promessa de um 2011 com contratações e investimentos importantes e, principalmente, no momento certo, já no início da temporada, prometendo um ano vitorioso.

Felipão chegou ao Palmeiras a primeira vez em 97 e, em pouco tempo, já colocou o time na final do Campeonato Brasileiro. No ano seguinte, faturou a Copa do Brasil e a Mercosul e, no ano seguinte a Taça Libertadores, obsessão.

Agora, pouco depois de seu retorno ao Verdão, não basta chegar à final, tem que ser campeão. E a Libertadores tem que ser em 2011 mesmo…

É isso que está em jogo amanhã, mas se tem alguém que pode conduzir o time nessa empreitada, é o Luis Felipe Scolari, não tenho nenhuma dúvida! Pra cima deles, Felipão!

O Palmeiras deverá jogar com Deola, Márcio Araújo, Danilo, Mauricio Ramos e Gabriel Silva, Edinho, Marcos Assunção, Tinga e Lincoln, Kléber e Luan. O mesmo time que enfrentou o Goiás lá e trouxe a vitória.

Não sei e nem me interessa quem joga pelo Goiás amanhã. Não importa, tem que ganhar nem que fosse La Furia em campo com a camisa branca do Goiás. Saibam apenas que nenhum jogador da seleção espanhola entra em campo. No lugar deles, serão 11 rebaixados.

Amanhã, serão 38 mil vozes e um único som – PALMEIRAS, PALMEIRAS, PALMEIRAS!!!!!! – debaixo de chuva ou não, temos que fazer a nossa parte e secar as cordas vocais até o último suspiro. No amarelo, no verde, no laranja ou nas tribunas, o Porcoembu tem que chacoalhar!!! O comportamento do time em campo começa no concreto da arquibancada e, sabedora disso, a Mancha já prometeu surpresa pra amanhã. Que torcida FODA que é a nossa!!!

Então é isso, nos vemos lá. Esquenta pro jogo no Buin Bom vai estar concorrido amanhã. Na semana retrasada faltou calçada pra tanto palmeirense. O que tinha de cerveja de garrafa acabou e o jeito foi servir latinha mesmo. Vou chegar cedo… bem cedo rsrsrs

Palpite do Maluquinho: 2×0 Palmeiras, gols de Kléber e Tinga.

AVANTI PALESTRA!

Palmeirense, escale os titulares contra o FLU!

E a história do fiel da balança vingou mesmo. Se não fosse a incompetência dos gambás, não faria nenhuma diferença se o Palmeiras jogaria com ou sem titulares nos dois últimos jogos do Brasileiro.

Entendam, Gambás, que muito antes de ser uma vingança pelo ano passado – e não tenham dúvidas de que é – o Palmeiras está disputando um título internacional (peçam para um torcedor de outro time ler no dicionário para vocês saberem a definição), o que justifica estarem sendo escalados jogadores que não os titulares, inclusive como forma de preparação do elenco para o ano que vem.

MUITO PIOR foi o Lixão jogar completo no ano passado contra o Flamengo e abrir as pernas feito uma gambazinha no cio. Nossos meninos vão dar o sangue em campo, porque pra eles vale a chance de jogar pelo Campeão da Libertadores 2011.

Mas já que os Gambás estão chorando (AHAHAHAH CHUPA, CHUUPA, CHUUUPA!), acho que devíamos jogar com os titulares. E não os titulares de hoje, mas os grandes fenômenos que já vestiram esse manto verde, justamente pra mostrar nossa boa intenção para com vocês favelados! Minha escalação do Verdão para o jogo contra o Fluminese é a seguinte:

Gato Fernandes, Índio, Alexandre, Edmilson Pantaneiro e Diogo Uruguaio, Dênis, Gerson Caçapa, Darcy e Ribamar, Buião e André Balada.

Pronto gambazada, pára de chorar que agora só tem titular. AHAHAHAHAH!

E você, palestrino, qual seu time titular pra enfrentar o FLU? Poste sua escalação do Verdão aqui no Blog ou no Facebook.

E CHUPA GAMBAZADA!

AVANTI PALESTRA!

Misto Verde 0x2 CAM + Resumão da Rodada 36 do BR10

Alguém aí tá interessado no pós-jogo do misto verde? Não né. Só vou dizer que o Palmeiras foi assaltado de novo, a expulsão do Gualberto foi absurda, ele não fez falta em nenhum dos dois lances mas tomou dois amarelos. Nem vi se o Lenny entrou, mas acho que não. Felipão deve ter pensado – vai que ele se machuca de novo… Atendeu a um pedido do RH e deixou ele de fora AHAHAHAHAH! Tô só brincando, acho que o Lenny ainda vai ser bom pro Palmeiras e espero que não seja só quando for embora..

O Sr. Pantufa quis fazer média com a torcida e não comemorou o gol dele, o primeiro do Galo. Vá se foder, mano! Quisesse fazer média com a gente deveria ter pedido desculpas depois daquela idiotice com a turma do amendoim.Só vai ser perdoado quando você eliminar os Gambás de algum torneio, como o Vagner Traíra… E mesmo assim vai continuar sendo odiado! Você que se foda, Diego Souza!

Por falar em apito amigo, nem no Sub-20 temos sossego. O Palestra está disputando a final do Paulista da categoria. O primeiro jogo foi hoje no Canindé e terminou 1×0 pra Lusa em uma jogada em que a bola saiu inteira de campo. Pra completar o juiz ainda expulsou jogador nosso. Impressionante! O Palmeiras é prejudicado em todos os níveis e instâncias do futebol. Quando isso vai acabar?

Assisti o jogo de hoje no mosaico multi-jogos do pay-per-view e estou com dor de cabeça até agora… Afinal, quatro telas, dois olhos, não dá muito certo…

Em Barueri, os bambis primeiro ficaram escondendo, depois deram com tudo e de quatro, AHAHAHA Entregou, Bambi? Entregay! (by @verdazzo). Por um minuto achei que o Muricy ia pipocar de novo. Os bambis com dois a menos e o jogo empatado? Porra Muricy, já não basta foder a gente o ano passado, o mínimo é tirar o título dos gambás este ano. Ou então vá se foder você tambem!

E no Barradão, pra variar o gambá foi beneficiado pelo Simon Apito amigo. Ele, que vai se aposentar no final deste ano, para o bem do futebol, parece querer encerrar a carreira comemorando e entregando mais um título pro seu amado Gambá. Se viu penalti do Ralf, teria que ter dado amarelo, que seria o segundo e, assim, o vermelho ao gambá burro que pôs a mão na bola dentro da área. 5 minutos antes, o lateral do Vitória tomou cartão pela mesma infração…E não chorem não, Gambás, esse penalti foi muito mais penalti do que o marcado a favor no jogo do Cruzeiro. O juiz ainda anulou um gol bom do Vitória e também não marcou outro penalti pros baianos, cometido pelos mascarado. O bom é que nem com toda essa ajuda os gambás incompetentes vão levar o título. Se o Palmeiras tivesse ganho 19 pontos da arbitragem, teríamos sido campeões na semana passada…

A próxima rodada nem precisaria acontecer. Com Palmeiras X Flu, Gambá x Vasco e Cruzeiro X Flamengo, ninguém vai perder ponto… Decisão só na última rodada e agora, com o Viola fora da Fazenda, o #centenada parece mesmo que vai se concretizar. Mas que pena, viu…

Pra fechar, hoje finalmente conheci as cadeiras do palestra que comprei como recordação. Ó elas aí:

É isso aí, quarta-feira é mais um jogo de vida ou morte, o anti-penultimo do ano, e a conquista desse título é fundamental pra um 2011 com investimento e disputa de Libertadores. Vamo bota o Pacaembu abaixo, galera! 38 mil naquela porra!

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: