Red Bull 2 x 0 Palmeiras – Paulistão 15

Nem cinco dias de paz o palmeirense consegue ter.

Minha mulher até tirou as crianças da sala.

Maldito complexo de Robin Hood.

Eu disse no último post que o jogo contra os bambis foi atípico, porque com 10 minutos a partida estava resolvida. Aí fica difícil medir qualidade…

No fim das contas, a euforia da torcida com uma vitória depois de 13 clássicos sem ganhar ou não serviu pra contagiar o time, ou só serviu pra atrapalhar. De qualquer forma, é preocupante,

E a derrota começou emblemática: um erro vexatório do inútil Dudu no ataque deu origem ao contra-ataque em que a defesa ficou assistindo (o Arouca de camarote) justo o lixo do Gambá marcar.

O time ainda tentava entender o que tinha acontecido quando Arouca ficou olhando de novo o Gambá cruzar, pro Vitor Hugo assistir o Matusalém Eller marcar o segundo.

O jogo que já tava amarrado, acabou ali. Perdemos prum time recheado de refugos. Vieram Gabriel Jesus no péssimo Cristaldo, o péssimo Victor Luiz no machucado Zé Roberto e o picolé de chuchu Alan Patrick no Robinho.

Ganhamos do Pink Bambis e perdemos pro Red Bull. Esse é o nível do Palmeiras do Oswaldinho.

Pra completar, ainda corremos o risco de perdermos o Zé Roberto pros jogos decisivos, um dos poucos que se salvou hoje, com uma possível contusão que pode tornar o futebol desse time ainda mais sofrível e limitado.

Falta criatividade no esquema tático, isso é visível. Oswaldinho fez alterações protocolares – aquelas só pra falar que fez – mas não consegue fugir do pobre 4-2-3-1 que, já vimos bem, nem sempre dá certo. 

Por mais empolgante que tenha sido a vitória de quarta, o resultado de hoje é digno de ódio e revolta. Justíssimo quem se sente assim, porra!

Enquanto isso vemos o rival, possível adversário das semis, nadando de braçada com um futebol modorrento, mas ainda invicto. É bom começar a jogar bola até lá…

E pra completar, praticamente sacramentamos a quarta posição entre os (4) primeiros, e só jogaremos em casa – salvo algum  improvável desastre pros rivais – na primeira partida da final. Porca Miseria.

Enquanto isso, tinha vagabundo passeando em Londres, mas com aval de muito deslumbrado aí.

ÊÊÊ Palmeiras…

AVANTI PALESTRA! 

Palmeiras 3 x 0 Gazelas Saltitantes da Floresta Encantada – Paulistão15

Bem-vinda, Bambizada!

Minhas escusas pelo atropelo.

Aliás, escusas porra nenhuma! CHUPA!

Não podia ter sido melhor. Um gol épico antes dos 05, uma expulsão aos 10 e os bambis já tinham jogado a toalha.

Daí foi só girar a bola e marcar mais dois gols, ver mais um afrescalhado ir brincar de gato mia no chuveiro mais cedo enquanto as 24 donzelas que ocuparam o setor visitante já iam embora de van de volta pra Floresta Encantada.

O que mais eu poderia querer? Um cafézinho e a conta! ahahahahah

Eram quase nove da noite quando estávamos entrando pela Matarazzo e o busão do Palmeiras acabava de chegar no estádio. Porra, tão atrasadosalguém comentou. E realmente, eram mais de dez da noite e o Palmeiras nem em campo tinha entrado. Sinal de que a conversa na porta do vestiário foi bem diferente do que aquele discurso que não importava ganhar clássicos do treinador e que gerou muito pano pra manga.

Enquanto essa equipe der a resposta em campo como foi hoje, eu cago um balde pro que o treinador fala pra imprensa morfética. Simples assim.

Sobre o time, fica até complicado avaliar de tão atípico que foi o jogo. O Palmeiras começou com tudo, já mandou bola pra rede, a torcida incendiou a arquibancada, e as meninas não aguentaram a pressão. Logo depois, com um a mais, aí foi só uma questão de tempo até os outros gols sairem, em jogadas muito bem trabalhadas, e uma precisão impar do Rafael Marques pra saber quando bater de primeira, e quando ajeitar antes de bater. Guardou as duas.

Lembrei que contra o Santos começamos com tudo também, abrimos o placar mas depois faltou bola pra segurar o resultado. Hoje, mesmo com as circunstâncias diferentes do jogo, a atitude do time foi de mais competência. Dá pra ver claramente que comparados os 03 clássicos, o time está evoluindo.

Se será o bastante pra disputar de verdade a próxima fase, saberemos em breve. Se jogar como hoje, vamos dar trabalho.

AVANTI PALESTRA!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 3 X 0 SÃO PAULO

Data: 25/3/2015, às 22h
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Árbitro: Vinicius Furlan
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro e João Edilson de Andrade
Público e renda: 25.804 pagantes e R$ 2.107.256, 20
Cartões amarelos: Vitor Hugo e Zé Roberto (PAL); Ganso (SPO)
Cartões vermelhos: Toloi, aos 8’/1ºT (SPO); Michel Bastos, aos 33’/2ºT (SPO)

GOLS: Robinho, aos 2’/1ºT (1-0); Rafael Marques, aos 22’/1ºT (2-0); Rafael Marques, aos 6’/2ºT (3-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass, Lucas, Tobio, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel, Arouca, Robinho (Alan Patrick, aos 36’/2ºT) e Dudu (Leandro Pereira, aos 39’/2ºT); Rafael Marques e Cristaldo (Gabriel Jesus, aos 14’/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Bruno, Toloi, Lucão e Carlinhos; Hudson, Denilson, Michel Bastos e Ganso (Centurión, no intervalo); Alexandre Pato (Edson Silva, aos 21’/1ºT) e Alan Kardec (Boschilia, aos 37’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

 

 

São Bernardo 0x1 Palmeiras – Paulistão15

Mais uma vitória na sofrência. Oswaldo segue amarrado nesse esquema tático que já começa errado na lateral esquerda, prejudicando a armação da equipe com o melhor armador da equipe sacrificado na defesa.

Até entendo que num jogo mais pegado, a experiência do Zé Roberto possa ser útil na lateral. Mas contra o modestíssimo São Bernardo, cujo lance mais agudo da partida foi ter o mascote expulso de campo, foi um desperdício.

Sem Allione, substituído por Rafael Marques (o melhor em campo), Robinho não conseguiu render o mesmo dos últimos jogos, além dos inoperantes Cristaldo e Dudu, e o que se viu foi um Palmeiras pouco eficaz.

Coube de novo aos jogadores de defesa resolverem a fatura. Vitor Hugo, numa meia bicicleta no rebote de um escanteio, garantiu os 03 pontos, assim como na zaga, ele Victor Ramos e Prass seguraram o placar.

Sim, o Oswaldo ainda não tem um meia à disposição, o time está em formação e tals, mas a essa altura já era tempo de ter achado uma solução pra esse problema. Tenta um 4x4x2, 3 atacantes, sei lá, mas não, é sempre esse 4x2x3x1 mais manjado que andar pra frente, que funciona na bacia das almas só contra os pequenos.

Mesmo porque tem clássico quarta-feira, e tem que entrar com fogo no zóio. Se o Palmeiras ganhar, passa a turma da Floresta enCantada na classificação geral, e isso vale o direito de jogar as quartas de final em casa. Além de ser um Palmeiras e bicharada, porra!

Pra cima delas!

O GOL:

A FICHA TÉCNICA:

SÃO BERNARDO 0 X 1 PALMEIRAS

Local: Primeiro de Maio, em São Bernardo (SP)
Data/Hora: 22/3/2015 – 19h30
Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Vitor Carmona (SP)

Renda/Público: R$ 308.945,00 / 11.650 pagantes
Cartões Amarelos: Cañete e Luciano Castán(SBE); Cristaldo, Rafael Marques e Fernando Prass (PAL)
GOLS: Vitor Hugo, 9’/2ºT (0-1);

SÃO BERNARDO: Daniel; Rafael Cruz, Diego Jussani, Luciano Castán e Vicente (Jean Carlos, 16’/2ºT); Dudu Lima (Vanger, 36’/2ºT), Moradei, Marino, Magal e Cañete (Lúcio Flavio, 30’/2ºT); Maikon. Técnico: Roberto Fonseca.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel, Arouca, Robinho (Renato, 40’/2ºT) e Rafael Marques; Dudu e Cristaldo (Gabriel Jesus, 24’/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

AVANTI PALESTRA! 

Palmeiras 1×0 XV de Piracicaba – Paulistão15

E o Palmeiras segue o roteiro de vencer times pequenos, mas sem fazer frente aos adversários importantes.

Com muito custo, quase no fim do jogo, o placar magro saiu de um chutaço de fora da área do volante Gabriel. Oswaldo tem problemas pra montar um meio de campo eficaz, e hoje ficou evidente que Allione e Robinho têm lá suas limitações, assim como Cristaldo e Leandro.

Falta um 10 e um 9 e isso está a cada jogo mais claro. Contra os Lambaris, e hoje, a mesma dificuldade: chutar no gol. Primeiro, porque o Palmeiras sofre pra criar boas jogadas que deixem os jogadores na cara do gol, com chance de finalizar. Depois que, quando o time cria, aí são os finalizadores que falham.

O 10 já temos, só que só joga em abril, na segunda fase da Copa do Brasil e do Paulistão.

Já o 9, esse vai ter que contratar.

Enfim, mais uma vitória, mas ainda falta muito chão pra esse time ficar bom. Essa é a real. E pro falastrão Dudu, menos rede social e mais futebol, hein amigão? Tá-lá nos 12 mandamentos do Maluco pelo Palmeiras, dá uma lida, fera…

E pro XV de Piracicaba do Toninho Descarte, o café com bacon virou café com salame italiano. Saudações!  

Agora peço licença pra fazer um apelo à Polícia Militar do Estado de São Paulo. Por gentileza, quem tiver a oportunidade e a dignidade de me explicar o porque um pai com duas crianças de 2 anos de idade pode ser proibido de adentrar num estádio de futebol portanto essas duas armas de destruição em massa?

11058208_1103796196303405_4380576357613148929_n

As mamadeiras estavam vazias. Além delas eu carregava um pote com o leite em pó que eles iriam tomar no intervalo do jogo, bem na hora em que eles almoçam, um pacote de bolachas, fraldas e troca de roupa.

O pior é que sequer consegui argumentar com o policial, que logo já chegou outro pra MANDAR eu me retirar. Um autoritarismo inexplicável.

Resultado, tive que deixar as crianças com a minha mulher e voltar até onde tinha parado meu carro, esvaziar a mochila e deixar apenas as fraldas e uma troca de roupas.

Voltei e passei na revista com o mesmo policial – E agora, posso entrar? - Ah, sinto muito, mas não podia mesmo deixar entrar com as mamadeiras, agora você pode entrar. 

Mas alguém me explique, pelo amor de Jesus, não o Gabriel, que porra que acham que eu ia fazer com duas mamadeiras vazias e leite em pó????

Aí você para pra pensar e lembra que há pouco mais de um mês atrás essa mesma polícia que me proibiu de entrar com duas mamadeiras vazias no estádio estava mandando bomba de efeito moral no meio de mulheres, idosos e crianças na rua Turiassú (pra mim, vai chamar sempre Turiassú).

Qualquer pai deve pensar que o melhor a fazer é não levar mais o filho ao estádio. Concordo.

Mas não podemos desistir. Minhas melhores lembranças de jogos de futebol são da minha infância. Não vou privar meus filhos dessa experiência incrível. Não vão me dobrar. Fiquem com as mamadeiras, nós ficaremos com o futebol.

Mas que eu queria entender qual o potencial risco de uma mamadeira vazia num estádio do futebol, ah, isso eu queria.

Com a palavra, a Policia Militar de São Paulo.

OS LANCES:

O GOL:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 X 0 XV DE PIRACICABA

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 15/3/2015 – 11h
Árbitro: Rodrigo Guarizo do Amaral (SP)
Auxiliares: Fabrício Moura (SP) e Maurode Freitas (SP)
Renda/Público: R$ 1.897.635,00 / 26.199 pagantes 
Cartões Amarelos: Vitor Hugo (PAL); Diego Silva, Clayton, Ednei e Tony (XVP)
Cartão Vermeho: Tony, aos 19’/2ºT (XVP)
GOLS: Gabriel, aos 39’/2ºT (1-0).

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Tobio, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel, Arouca (Leandro Pereira, aos 21’/2ºT) e Robinho; Allione (Gabriel Jesus, aos 10’/2ºT) , Dudu e Cistaldo (Ryder, aos 34’/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

XV DE PIRACICABA: Roberto; Ednei, Leonardo Luiz, Airton e Fernandes; Clayton, Diego Silva, Tony e Paulinho (Tiago, aos 33’/2ºT); Bruninho (Chico, intervalo) e Roni (Éder, 21’/2ºT). Técnico: Toninho Cecílio.

AVANTI PALESTRA!

Lambaris 2×1 Palmeiras – Paulistão15

Que esse time está em formação ninguém discute. Não se faz uma equipe que teve 19 contratações e 21 dispensas jogar bola da noite pro dia.

Mas torcedor quer ver time ganhar, e ganhar clássico. O último que o Palmeiras ganhou foi em fevereiro do ano passado. Inadmissível. Do nosso freguês praiano, desde 2012 que não ganhamos, dos lixos desde 2011. Difícil de assimilar…

A se comparar com as duas outras derrotas no ano – Ponte Preta e Gambás – teve como perceber uma certa evolução, principalmente no início do jogo, com o Palmeiras numa blitz que há muito tempo não se via até que Victor Hugo de cabeça fizesse numa cobrança de escanteio. Não tinha 10 minutos de jogo.

Depois a falta de entrosamento começou a pesar, contra um  time que, do 7 pra frente, é muito acima da média. Num bote errado do Tobio, que assim como o Cristaldo, some nos jogos grandes, os lambaris empataram o jogo. E logo na sequência, bola na trave do Prass, e a triste realidade de que o Palmeiras ainda está longe do ideal…

Veio o segundo tempo, Oswaldo tirou Allione e mandou João Paulo pra esquerda, com o Zé indo pro meio. Melhorou. Até fizemos gol, mal anulado pelo mesmo bandeira que, no primeiro tempo, errou também contra os bagres numa jogada em que o Robinho ia ficar na cara do gol (ou seja, sem choradeira).

E logo na sequência, num lance em que o Lucas ficou só olhando, Robinho deu um balãozinho pra área, Ricardo Oliveira venceu Victor Hugo num golpe de sorte dele e um pouco de cagada do zagueiro e aí jantou nosso goleiro. 2×1.

Gol de 9, o que o Palmeiras ainda não tem, assim como falta um 10 do nível de Lucas Lima, pra mim o melhor em campo das sardinhas.

Daí acabou o jogo. Oswaldo já tinha mandado Leandro no lugar do ausente Cristaldo, e tirou Robinho pra colocar Gabriel Jesus nos últimos 15 minutos de jogo. O moleque entrou de novo com muita vontade, mas a essa altura o resto do time já tinha jogado a toalha,

A razão até tenta me fazer compreender o resultado e as circunstâncias, mas o sangue italiano exige que eu arrebente o laptop na parede. Foda, mas pra entrar forte no Brasileiro esse time ainda precisa de pelo menos 02 ou 03 jogadores de expressão.

Dia 25, é ganhar ou ganhar. Se não esfolar os bambis em casa, a paciência vai acabar. Pelo menos a minha…

AVANTI PALESTRA!

 

Palmeiras 1×0 Bragantino – Paulistão15

Os reservas do Palmeiras deram conta do recado e garantiram ontem a sexta vitória seguida da equipe, contra o modesto Bragantino, que perdeu a sétima consecutiva.

Por falar nisso, o técnico do Bragantino é velho conhecido do palmeirense, Marcio Araujo fez parte daquele triunvirato magnifico com Sebastião Lapola e Américo Faria na direção de futebol do verde há alguns atrás. Bem se vê porque não deixaram saudades…

Prass, João Pedro, Victor Ramos, Jackson e João Paulo, Renato, Amaral e Zé Roberto, Maikon Leite, Leandro e Rafael Marques começaram jogando. Amaral, com pouco tempo, sentiu de novo lesão e deu lugar pro Vitor Luiz. Que coisa, seria o segundo jogo dele na temporada.

Como esperado, o rendimento caiu bastante, mesmo com o Zé Roberto no meio. Mas o time foi objetivo, a ponto de conseguir marcar o único gol numa jogada de lateral, com Leandro Pereira fazendo o pivô de calcanhar pro Renato deixar o Rafael Marques escolher o canto e abrir o placar.

Como o Bragantino não esboçava mais nenhuma reação, a torcida pediu e Oswaldinho atendeu: Gabriel JESUS 33 finalmente em campo pelo time profissional do Palmeiras. O Allianz veio abaixo, e o resto do jogo foi a torcida de olho só no moleque.

Não teve gol, mas ele foi bem, botou o Vitor Ramos na cara do gol no primeiro passe, mandou uma pra fora rente a trave da meia lua e quase chega num rebote do Zé Roberto. Tá bom prum menino de 17 anos vestindo pela primeira vez o manto alviverde. Esse promete!

30 mil pessoas mesmo com toda a chuva que caiu em São Paulo ontem. Imagina se o preço dos ingressos fosse decente…

Resultado importante, principalmente porque ontem foi dia de estreia dos sobrinhos do Maluco João Pedro e Luca num jogo do Palmeiras. Se fosse 1/2 a zero, tava ótimo. Benvenuti alla famiglia!

Pra cima dos lambaris lá na casa de praia verde.

OS LANCES:

[https://www.youtube.com/watch?v=JzffnSEC-Pk]

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 X 0 BRAGANTINO

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 7/3/2015 – às 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Eduardo Vequi Marciano (SP) e Fabio Rogerio Baesteiro (SP)

Público/Renda: 29.452 pagantes / R$ 2.223.055
Cartões Amarelos: Victor Luís (PAL) e Thiago Martinelli (BRA)
GOLS: Rafael Marques, aos 32’/1ºT (1-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Victor Ramos, Jackson e João Paulo; Amaral (Victor Luis, 6’/1ºT), Renato, Rafael Marques, Zé Roberto e Maikon Leite (Arouca, 12’/2ºT); Leandro Pereira (Gabriel Jesus, 26’/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

BRAGANTINO: Lauro; Diego Macedo (Muralha, intervalo), Ferreira, Thiago Martinelli e Thiago Feltri; Adílson Goiano, Anderson Uchoa, Caio e Léo Gago; Diego Maurício (João Vitor, 38’/2ºT) e Erick Luís (Igor Sartori, 31’/2ºT). Técnico: Márcio Araújo.

AVANTI PALESTRA!

Vitória da Conquista 1×4 Palmeiras – CopaBR15

De novo coube ao Robinho decidir a sorte do Palmeiras na partida.

Com um passe e um gol, o meia resolveu a classificação do Palmeiras pra próxima fase da Copa BR em Vitória da Conquista.

Em pouco mais de dois meses no Verdão, Robinho já fez mais que aquele meia safado o ano passado inteiro.

Calma, tô falando do Bruno Cezar. Mas podia ser do Felipe Menezes e também daquele que não se fala mais o nome por aqui, a quem só chamarei de agora em diante de O de Férias Eternas.

E o jogo ia se arrastando sonolento no segundo tempo com o 1×0 da primeira etapa – Cristaldo de pênalti – quando o Vitória da Conquista empatou e acordou Osvaldinho, o Palmeiras e também a gente que estava na poltrona.

Logo no reinício Oswladinho tirou Cristaldo e mandou Leandro pro campo, Primeira jogada e Robinho na linha de fundo cruzou rasteiro pro Allione desempatar de novo.

Mais uns minutos e Robinho fez o 3×1, um belo gol de fora colocado, quando o Palmeiras já não tinha Arouca em campo, expulso com justiça por um carrinho fora do tempo da bola – mas vinha razoável, fora a presepada.

Ainda deu tempo do Dudu fazer o quarto num bom lance de contra-ataque.

Na defesa, Prass teve trabalho e sem culpa no gol, enquanto Lucas, Tobio, Jackson e João Paulo bateram cabeça. Precisa melhorar.

No fim, 4×1 muito mais valioso pela importância de um resultado expressivo como retribuição pra torcida nordestina que sempre recebe o Palmeiras com uma puta festa legal, do que pelo futebol jogado em si, mas que vem numa crescente, isso é fato.

Próximo!

E que venha o Bragantino!

OS LANCES:

A FICHA:

VITÓRIA DA CONQUISTA 1 X 4 PALMEIRAS

Local: Lomanto Júnior, em Vitória da Conquita (BA)
Data/Hora: 4/2/2015 – 22h
Árbitro: Charles Hebert Cavalcante (AL)
Auxiliares: Daniel Vidal Pimentel (SE) e Ailton Farias da Silva (SE)

Renda/Público: Não disponíveis.
Cartões Amarelos: Robinho e Gabriel (PAL)
Cartão Vermelho: Arouca (PAL)
GOLS: Cristaldo, 13’/1ºT (0-1); Tatu, 18’/2ºT (1-1); Allione, 19’/2ºT (1-2) Robinho, 33’/2ºT (1-3) e Dudu, 36’/2ºT (1-4)

VITÓRIA DA CONQUISTA: Viáfara; Diego Aragão, Fernando Belém, Silvio e Mateus (David, 34’/2ºT); Fausto, Maicon, Paulo Almeida e Carlinhos; Erivelton (Tatu, intervalo) e Rafamar (Kaká, 14’/2ºT).  Técnico: Evandro Guimarães.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Tobio, Jackson e João Paulo; Gabriel, Arouca, Robinho e Allione (Amaral, 32’/2ºT); Dudu (Renato, 41’/2ºT) e Cristaldo (Leandro Pereira, 17’/2ºT).  Técnico: Oswaldo de Oliveira.

AVANTI PALESTRA! 

Palmeiras 2×0 Capivariano – Paulistão15

Gritar gol no meio da cetimônia de casamento: quem nunca? Foi inevitável. segundos antes da noiva entrar o Robinho faz aquela pintura de gol, fazer o que? GOOOOOLLLLL e um belo esporro da Dona Maluquinha. Faz parte.

Já o segundo, deu pra segurar o grito. Iam sendo trocadas as alianças.

Veio o apito final, o bambi Bernardo e a Karin já eram marido e mulher e mais 3 pontos na conta do Palestra.

Que venha a Baea – se fosse Salvador ia ter gringo novo em campo, hein? – e depois o Bragantino. Pra cima, Palmeiras!

AVANTI PALESTRA!

Crescimento e retenção de clientes

Salve meus amigos Palmeirenses.

Que fase estamos vivendo!  Quem diria que seríamos o exemplo de gestão em menos de 04 meses após aquele fim de campeonato tétrico que tivemos o BR2014. Nossa camisa vale R$65 Milhões por ano, temos quase 100 mil sócios torcedores, adicionalmente não adiantamos cotas de TV e temos um elenco competitivo, além disso nossa Arena foi considerada a TOP1 em âmbito mundial e no nosso maltratado País.

Mas tudo isso é maravilhoso e passamos em 2008/2009 por esse crescimento, só que agora é diferente, pois iremos exigir sempre times competitivos e que briguem por títulos e não por rebaixamentos. Esses hiatos devem ser coisa do passado, pois uma coisa puxa a outra, ou seja, times competitivos atraem torcedores, isso gera rendas expressivas, pois temos uma Arena de 1º mundo e isso faz com que tudo conspire a favor: Time competitivo, casa cheia e cofres expressivos, simples assim.

Todavia há uma máxima no Marketing que prega: É muito mais oneroso atrair novos clientes do que retê-los e isso deverá ser aplicado ao nosso programa de sócios torcedores, que se tornou uma base sólida de receita e tem tudo para superar espaços na camisa (R$65M) e cotas de TV (R$80M). Um cálculo rápido: com uma base de 150 mil torcedores com preço médio de R$50,00 mês teremos aproximadamente R$90M por ano, fora as bilheterias que podem nos gerar R$70M ano, em suma, um time com R$300M por ano, isso sem contar as ações de Marketing e licenciamentos, além da venda de jogadores. Cenário perfeito e inimaginável até pouco tempo atrás.

Visando a manutenção de nossa base de Avantis e se amparando no cenário atual de nosso país (crise econômica), seguem 05 sugestões básicas que podem atrair e manter nossos apaixonados torcedores:

1) Sorteio de 300 ingressos gratuitos por jogo aos sócios torcedores que não detém gratuidade e são do bloco mais suscetível a desistência. Esses deveriam ser oriundos dos ingressos destinados aos conselheiros do clube, que ganham bilhetes para os jogos e ficam distribuindo dentro do clube (em troca de votos passados e futuros) ou aos cambistas da Rua Turiaçu. Acabem com essa mamata e utilizem esses TKTS para manter o programa saudável.

2) Pacotes de transporte, estadia e Arena Tour aos sócios torcedores que vêm do interior, para que se sintam prestigiados e não tenham a preocupação de ter que se virar na selva de pedra.

3) Pacote exclusivo aos setores leste e Oeste da Arena, assim como tínhamos o Setor Visa no antigo Palestra Itália, onde teríamos uma mensalidade de R$250,00 mês e descontos de 75% nas áreas centrais, com isso acabaríamos com esses clarões que temos hoje nas áreas centrais do estádio e conseguiríamos transformar nossa casa num caldeirão.

4) Implementar uma pesquisa aos sócios torcedores e identificar quais produtos/serviços seriam adequados para vínculo de parcerias e aplicação de descontos. Seja nas lojas oficiais, seja em estabelecimentos parceiros (Prevent Senior, TIM e Faculdade das Américas), seja na própria arena. Exemplo: Sócio torcedor tem x% de desconto nos sorvetes, alimentos e bebidas.

5) Categoria sócio torcedor Caravana, onde pagaria um pouco mais e teria o ingresso gratuito, transporte com descontos e quando necessário hospedagem no local. Temos hoje arenas no Rio de Janeiro, em Minas, no Rio Grande do Sul e em Curitiba. Em Santa Catarina teremos 04 times, em suma, não seria restrito apenas aos abonados que podem aderir ao Palmeiras Tour e bancar pacotes de R$1.500,00 num jogo.

É meus amigos, se continuarmos nesse toada, será difícil segurar essa marca campeã e apaixonante.  Definitivamente, A CBF, a Globo e o PT não contavam com isso…azar deles, sorte a nossa!

Penapolense 0 x 2 Palmeiras – Paulistão15

O Palmeiras segue numa crescente. Dessa vez, com o mesmo time-base que vinha jogando as últimas partidas, exceção ao lateral João Paulo no lugar de Zé Roberto lesionado, o Verdão bateu o Penapolense, por 2×0, dois de Cristaldo, sem muita dificuldade e confirmou a terceira vitória seguida.

Robinho e Allione, assim como Cristaldo, foram os destaques. Dudu oscilou entre bons e maus momentos, um pênalti perdido sendo o lance mais emblemático. Na defesa a volta de Tóbio garantiu um jogo sem muitas surpresas, e as poucas que tiveram foram no lado do instável mas carismático Victor Hugo.

Prass, quando necessário, foi bem. Sem novidade.

E ainda falta jogarem Arouca e Cleiton Xavier, o último só na próxima fase. E logo mais uma chance pro Gabriel Jesus não seria pedir demais, hein Oswaldo? Pra quem botou Maikon Leite de titular contra os Gambás, aliás, não é pedir nada…

O Palmeiras tem tudo pra chegar forte na fase decisiva. Como tem que ser sempre.

Merece menção, por fim, o “sucesso” de vendas do pacote de R$ 1.599,00 vendido pelo Palmeiras Tour pra ver o jogo em Penápolis. Parece que foram dez pessoas que encararam a “promoção”. O “Palmeiras para os Ricos” segue a todo vapor. Só que não…

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PENAPOLENSE 0 X 2 PALMEIRAS

Local: Tenente Carriço, em Penápolis (SP)
Data/Hora: 22/2/2015 – 18h30
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (SP)
Auxiliares: Risser Jarussi Corrêa (SP) e Rafael Tadeu Alves de Souza (SP)

Renda/Público: Não disponíveis
Cartões Amarelos: Jailton (PEN); Allione, Vitor Hugo, Leandro e Robinho (PAL)
GOLS: Cristaldo, 45’/1ºT (0-1) e 34’/2ºT (0-2)

PENAPOLENSE: Leandro Santos; Arnaldo, Jaílton, Gualberto e Denner; Washington, Gilmak, Ronaldo Mendes (Wellington Bruno, intervalo) e Rafael Costa (Diego Rosa, intervalo); Crislan e Léo Melo (Sérgio Mota, 20’/2ºT).  Técnico: PC Gusmão.

PALMEIRAS: Prass; Lucas, Tobio, Vitor Hugo e João Paulo; Gabriel, Robinho, Allione (Rafael Marques, 42’/2ºT) e Alan Patrick (Victor Luis, 29′;2ºT); Dudu e Cristaldo (Leandro Pereira, 37’/2ºT).  Técnico: Oswaldo de Oliveira.

AVANTI PALESTRA!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.418 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: