Palmeiras 1×0 Coritiba – BR17

Em um jogo com até algumas chances pra cada time, foram os goleiros que acabaram tendo destaque. Cada um fez pelo menos duas defesas que eram gols certos do adversário e, no fim, se deu melhor o nosso goleiro que não levou nenhum.

O único gol do jogo foi de Jean, aos 28 1T, que encaixou um carrinho num cruzamento do Dudu pela esquerda e pegou o goleiro do Coxa no contrapé.

E depois de ter feito um bom primeiro tempo, o Palmeiras caiu de produção na etapa complementar e por alguns momentos até pareceu dar muita oportunidade pro Coritiba.

Os contraataques iam saindo mas nada de gol. Cuca triou o Keno e colocou o RG e depois, duma vez, colocou TS e Borja no Jean e Deyverson. Mas o gol que lacraria o caixão do Coritiba não veio e foi aquela tensão até o fim.

Pelo volume de jogo do 1T até que o Palmeiras agradou bem, mas a queda de rendimento depois do intervalo precisa ser corrigida. De qualquer forma, 3 pontos, chegamos de vez nos bagres e com a combinação certa de resultados podemos terminar a próxima rodada a 10 pontos da ponta e como vice-líder.

Se produzir 90 minutos no RJ como jogou os 45 primeiros hoje, o Fluminense num guenta os porco! Pra cima Palmeiras!

AVANTI PALESTRA! 

Atlético MG 1×1 Palmeiras – BR17

Foi um empate heróico com o Palmeiras jogando com 3 a menos, 2 expulsos e mai o Sr. Leandro Vuaden que SEMPRE prejudica o Palmeiras.

O Palmeiras perdeu pro Gambá em casa com quem apitando? Lembrem que este Senhor deu um pênalti pro Gambá e, logo na sequência, Balbuena cortou uma bola com a mão dentro da área, e lá estava o ilibado apitador, bem de frente pro lance, para nada marcar.

Ontem foi a mesmíssima coisa, logo no começo do jogo bola na mão do jogador do Galo, que parecia um bonecão de posto, e nada.

Fabio Santos chutou Deyverson no chão, não uma, mas duas vezes, e nada.

Depois penalti pro Galo, e foi penalti. Prass pegou, logo depois fizemos 1×0 com Deyverson num bom lance de ligação do Moyses pro William.

Dai foi o auge da canalhice, num lance em que o jogador do Galo está impedido, outro penalti pro time da casa e o Luan expulso. Aliás, Luan podia voltar pro Vasco…

Segundo tempo e Sr. Deyverson bateu um penalti de forma vexatória, inaceitável… Tavam reclamando que ele não quis bater na Libertadores, taí o porque…

Depois Valdivia dá um carrinho criminoso no William, que revida. O que faz o nobre apitador? Vermelho só pro Palmeiras, mas é claro…

2 a menos, e o Palmeiras não se acorvadou, ainda teve a chance de matar o jogo, em lance de Moises aos 45 que invadiu a área, limpou o zagueiro, foi tocado e… NADA… Mas ah se fosse na nossa zaga não é mesmo estimado apitador??

Vuaden a parte, que inclusive será motivo de reclamação formal do Palmeiras na CBF, podíamos ter conseguido voltar pra casa com 3 pontos na mala.

Deyverson fez um gol mas perdeu um penalti ridiculamente mal batido. Cuca precisa voltar a dar chance ao Borja. Simples assim.

Luan não pode ser titular. Minha zaga é Edu e Juninho, até o Mina voltar.

E o William precisa de um leve puxão de orelha, ainda é nosso melhor atacante mas ontem só vacilou, fez a falta besta do lance que antecedeu o gol do Galo e depois foi infantilmente expulso quando a gente já tava com um a menos… Será que ele ainda não tinha visto que o juiz tava no apetite pra foder a gente??

Sobre a escalação, não entendi pela opção do Cuca pelo Jean como titular ao invés do Thiago Santos, e quando o Palmeiras chegou ao 0x1 estava bem mal postado em campo, com o Galo chegando uma bola depois da outra no nosso gol.

De qualquer forma, a postura do Palmeiras foi muito boa depois que ficou com um a menos, e melhor ainda quando ficou com 2, inclusive tivemos mais chance de fazer o segundo do que o Galo. Uma pena que não saiu o gol, teria sido uma vitória épica…

Isso só mostra que a parada do BR fez bem pra gente, marcar ponto num jogo tão adverso como esse não é pra time mole… Tem 15 rodadas e 13 pontos pra buscar. Se continuar nessa pegada vamos dar trabalho até porque lá na cabeceira o Gambá vem despencando feito bêbado em ladeira.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 4×2 SPFC – BR17

Se o Palmeiras tivesse jogado com a mesma seriedade de hoje os últimos 03 jogos, estaríamos agora a 6 pontos do Gambá. Só pra vocês refletirem um pouco…

Mas, enfim, como não podemos voltar no tempo, olhemos para frente.Diferente do que aconteceu contra Chapecoense e Atlético/PR, dessa vez o Palmeiras soube reagir ao revés inicial.

Mas antes da reação falemos da porcaria que anda nossa defesa. Tomamos um gol em reposição de bola do goleiro em que o BH perdeu de cabeça pro Cueva… Inadmissível.

O Palmeiras não se abalou, William fez dois, o segundo um puta golaço.

E aí, mal deu tempo de comemorar e, dessa vez, Jean foi ridículo, aliás, foi disparado o pior em campo, uma bola fácil que ele deixou o Hernanes dominar e bater dentro da área.

Voltamos do intervalo com o mesmo time, até os 15, quando BH deu lugar ao Keno. Keno foi pra esquerda, William foi pra direita, Guerra fechou no meio com Moises e Tche Tche como volantes.

O jogo ficou aberto, e num contra=-ataque perfeito do Palmeiras, Deyverson achou Keno na meia-lua, pra bater de primeira e colocar o Verdão na frente de novo.

Cuca imediatamente corrigiu o meio de campo e colocou Thiago Santos no lugar do Deyverson, e depois colocou Hyoran no lugar do Guerra.

Deu mais do que certo: Thiago Santos não perdeu uma bola e o Hyoran ainda fez o quarto do Palestra.

Se teve um grande problema no primeiro turno foi o Palmeiras ter perdido os 3 clássicos. Pro returno já ganhamos o primeiro. Só precisa o Cuca acertar logo essa zaga, pro Verdão embalar de vez. VAMOS PALMEIRAS!

 E, olha lá, gol do Avaí… Ei você aí, o bambi vai cair, o bambi vair cair… AHAHAHAHAH Toca valsa agora AHAHAHAHAHAHHAHA

AVANTI PALESTRA! 

Palmeiras 0x2 Chapecoense – BR17

9 pontos disputados, contra A/PR, Vasco e Chapecoense. Dois jogos em casa. Estaríamos a 6 do lider, eles com um jogo a menos.

Mas ai me vai o Palmeiras e soma 1 ponto nesses 3 jogos ridículos de tão fáceis.

Nem vou me dar o trabalho de tentar entender o que aconteceu hoje. Ou nos outros dois jogos. 

Mas fica claro que a falta de padrão, a falta de 11 titulares como tinhamos no ano passado é o que está pesando negativamente.

Pra mim isso ficou evidente hoje depois da boa partida do Tche Tche, que substituiu o TS como 1o volante. Ele jogou na posição dele do ano passado depois de muitos e muitos jogos fora de posição. Hoje rendeu bem. Dificil perceber isso?

Outra coisa que atrapalha muito: os jogadores trocam de posição 4, 5 vezes por jogo. 

Keno, por exemplo, entrou bem pela esquerda. Dai o Cuca sacou o William pra colocar o Borja. O Deyverson foi pra esquerda e o Keno sumiu.

Não precisa ser um gênio pra saber que nada disso deve ser treinado. Seria inclusive impossível treinar tanta variação tática e de posicionamento pra uma única partida.

Mas isso nem se compara ao caos que virou a nossa zaga. Não sei nem por onde começar, mas é só olhar os dois gols que tomamos pra ter certeza que nossa tragédia começa na defesa. 

No primeiro gol, uma falta batida do meio de campo e entraram 4 atacantes contra dois marcadores nossos. Falha do Luan? MAS E O MICHEL, TAVA ONDE???

E no segundo tomamos gol de jogada de lateral que o Dracena cortou mal e o Jean não fez a linha de impedimento. É castigo demais…

Enfim, tá tudo muito errado. E o grande culpado é o treinador. Já tá mais que na hora dele escolher 11 e morrer abraçado com esses caras até o fim do ano pra quem sabe em 18 o Palmeiras entrar jogando um futebol aceitável. 

Chega de inventar. Chega de improviso. Menos calça roxa e mais futebol, por favor!

AVANTI PALESTRA!

Vasco 1×1 Palmeiras -BR17

Aquele empate com sabor de derrota já está virando marca registrada do Palmeiras. 

O que podia ter sido uma vitória pra acalmar os ânimos e deixar baixar a poeira das eliminações na CdB e na Liberta acabou se tornando mais dois pontos jogados no lixo melancolicamente.

E foi, de novo, um resultado justo, assim como em Guayaquil e no Mineirão na CdB. 

Não podemos reclamar porque simplesmente  não merecemos os 3 pontos. 

Aliás, ainda estou querendo entender porque entramos com 3 volantes contra um time tão inferior como o Vasco da Gama.

Tá cada vez mais difícil entender o Cuca. Ano passado ele inventava e dava certo, mas esse ano tá uma draga…

Colocar o Borja aos 46 do 2T foi a cereja do bolo, fechou com chave de ouro mais um dia pra ser esquecido.

Chega logo 2018. 

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1 (4)x(5) 0 Barcelona – Libertadores17

Difícil encontrar palavras pra expressar esse misto de raiva, decepção e, principalmente, vergonha.

Em menos de 30 dias jogamos fora a Copa do Brasil, a Libertadores e, no último domingo, abdicamos da já improvável disputa pelo bi-campeonato do Brasileirão.

Como explicar que um time inteiro poupado na última rodada do Brasileiro saía de campo todo arrebentado, com as lesões de Mina e de Dudu?

Assim como na Copa do Brasil, o preço de uma primeira partida muito mal disputada foi cobrado no jogo da volta.

Aquele Palmeiras covarde do jogo em Guayaquil mereceu perder de 1×0 com aquele gol moribundo já nos minutos finais de jogo. Mereceu porque abriu mão de jogar futebol como exige a nossa camisa, pra cima, seja de quem for, onde for.

E hoje, achei que o Cuca errou mais uma vez em cismar de colocar o Dudu no meio de campo, onde ele não consegue render nem a metade do que joga quando está aberto pelas pontas.

Ah o Moises e o Guerra não estavam 100%? Sem problemas, jogasse um cada tempo, e o Dudu aberto na ponta. Mas não, o Cuca sempre tem que inventar, sempre tem que ter alguém fora da sua posição de costume, senão não é o Cuca…

Com isso, além do péssimo jogo em Guayaquil, o primeiro tempo de hoje parecia que ainda estávamos no Equador, tamanha foi a inoperância do time, sequer chutamos no gol. Muito pouco pra quem precisava ganhar por dois gols de diferença.

Veio o intervalo, Cuca colocou o jogador certo mas mexeu errado: era o Keno e não o Roger Guedes que tinha que ter saído.

Poucos minutos do Moisés em campo, e do Dudu na ponta e já parecia outro jogo completamente diferente. Aquele golaço do Moisés foi o tempero que faltava pro time deslanchar, e nos dois lances seguintes fizemos um gol, anulado – parece que bem anulado, nem vou ver o lance – e ainda acertamos o travessão num chute do Keno.

E ai o mais surpreendente: aquele time 100% poupado no final de semana ra grande decisão morreu em campo. E quase levamos o empate. E não tivemos força pra chegar ao segundo gol. E fomos pra loteria dos penaltis. E veio o castigo.

Castigo de ter jogado pra não perder em Guayaquil, e mesmo assim perder. Castigo de ter jogado mais uma vez errado no primeiro tempo, de novo tirando nosso melhor atacante da frente pra fazê-lo jogar no meio. Castigo de abrir mão de tudo pela Libertadores e agora tchau Libertadores. Castigo pelo semestre sabático do treinador que na sua volta não consegue fazer um time repleto de bons nomes jogar bola. Castigo.

E muita gente achando que o problema do Palmeiras era o Felipe Melo, que o afastamento dele iria unir o grupo e blablablá. Agora durmamos com o barulho essa eliminação.

Que amanhã nesse cenário de terra arrasada ressurja o alviverde imponente, e não essa piada de mau gosto que virou o time campeão brasileiro do ano passado.  

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 0x1 A/PR

Uma derrota totalmente fora do planejamento.

Planejamento, aliás, foi o que faltou, tão óbvia que ficou a incapacidade técnica do elenco reserva do Palmeiras, sem precisar dar nome aos bois.

Que poupar era necessário, ninguem discute. Mas precisava poupar o time inteiro? é a pergunta que fique no ar. 

A única coisa que valeu a pena ontem foi ver Moises de volta. Como joga!!

É quarta-feira!

AVANTI PALESTRA!

Botafogo 1×2 Palmeiras – BR17

13 pontos marcados nos últimos 15 disputados, o Palmeiras definitivamente mostra que não está de turista no BR17. E o Jailson não perde desde a 19a rodada do BR 16, completou um BR inteiro sem perder, isso só pra baixar a bola de gambá que acha que 18 rodadas sem perder é alguma coisa….

Foi um jogo complexo. O Palmeiras teve um primeiro tempo volumoso, chutou pelo menos 8 bolas no gol, a maioria delas com Deyverson, que perdeu um gol incrível depois de ótima jogada do Keno pela esquerda.

No fim do primeiro tempo, o prêmio por um jogo bem disputado, veio numa falta besta de Roger, e gol contra na cobrança de Egidio. Verdão foi pro vestiário com um merecido 0x1.

Mas como nada na vida do palmeirense é fácil, num lance besta do Keno pelo meio, a bola foi trupicando pela nossa zaga até achar o atacante do Botafogo MUITO impedido pra empatar o jogo. Mas você não vai ver nenhum chororo na imprensa por causa disso…

Cuca sacou Keno quase ao mesmo tempo que o placar eletrônico tirou o zero do placar do Botafogo. Colocou o Veiga e tentou deslocar o Dudu pro lado esquerdo.

A partida continuava aberta, mas o Palmeiras não indicava que iria se dar por satisfeito. Cuca sacou o BH e colocou o ZR e sacou o RG pra colocar o Borja.

Num lance em que o Borja encurtou a reposição do Gatito, a bola sobrou pro Deyverson, sozinho, invadir a área e demorar demais pra lacrar o jogo. Era a quarta chance de gol que ele desperdiçava.

Mas aí vem a estrela do cara que não desiste: em uma jogada de profundidade, Egidio esticou pro ZR cruzar pro Deyverson chegar na voadora, no meio da fuça da bola e garantir os 3 pontos do Verdão.

Coisa linda de um time que teve competência e paciência pra vencer.

Se tivéssemos ganhado os 03 clássicos, o Palmeiras hoje teria 41 pontos e seria líder do campeonato. Ou seja, é manter o aproveitamento e vencer os 03 fregueses no segundo turno, que o caneco será nosso. E vai ser aquele golpe duro na imprensa que tanto odeia ver o Palmeiras vitorioso… VAMOS PALMEIRAS!

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×0 Avaí – BR17

Vou fazer igual o Cuca na coletiva, primeiro falo do jogo, depois do afastamento do Felipe Melo.

Sobre o jogo, o Palmeiras não teve dificuldades pra ganhar do Avaí, fez 2 gols sem muita dificuldades e o jogo terminou ainda no primeiro tempo, quando Juan foi expulso. Depois disso o Palmeiras administrou a partida e só esperou o tempo passar.

Dudu, de fora da área, fez o primeiro, já aos 10, limpou o zagueiro e bateu cruzado, abrindo o placar pro Palmeiras.

Aos 34, Deyverson recebeu de Veiga (que entrou no lugar do Guerra – machucado), girou e bateu no contrapé do goleiro, 2×0.

Logo depois o Avaí ficou com um a menos e aí já estava resolvida a partida.

Anotou a escalação palestrino? Jailson, Mayke, Mina, Luan e Egidio, Bruno Henrique, Jean e Guerra, Dudu, Guedes e Deyverson. Deve ser esse o time que joga contra o Barcelona daqui duas quartas-feiras, pela partida de volta das oitavas da Liberta. Mudanças pontuais podem ser o TS no lugar do Jean e o Moisés no lugar do Guerra. A conferir.

Sobre o afastamento do Felipe Melo, como aqui não é site de fofoca, não vou reproduzir o que eu ouvi de conselheiros do clube hoje, mas ninguém aqui começou a acompanhar futebol ontem, jogador que não encaixa no esquema tático não é mandado embora, mas quando muito é destacado para aprimorar fundamentos, forma física etc. Ou seja, a história que o Cuca contou na entrevista não cola.

Mas também não importa. Felipe Melo é passado. Nenhum jogador é maior que o Palmeiras. Obrigado pelo soco na cara do uruguaio – com responsabilidade – pela dancinha da vitória na Vila Belmiro e boa sorte nessa vida ousada e no resto da carreira.

AVANTI PALESTRA!

Cruzeiro 1 x 1 Palmeiras – CdB17

Sejamos honestos. A Copa do Brasil terminou pro Palmeiras no apito que decretou o fim do 0x3 no primeiro tempo da partida de ida, no Allianz Parque.

Tudo que se passou depois disso foi lucro. O empate milagroso e inesperado no segundo tempo daquele jogo serviu pra inflar o brio do torcedor palmeirense, mas o Cuca, na coletiva aqui em SP já indicava o golpe: podíamos ter virado e não viramos…

Entramos em campo pro jogo da volta e tivemos um primeiro tempo apagado pra quem tinha a obrigação de buscar o resultado. Nenhum chute a gol na primeira etapa, que foi cozida pela presença de mais um juiz caseiro que apita jogo do Palmeiras fora de casa depois de pressão do adversário dono da casa, vergonha alheia da diretoria que tudo vê silente…

Cuca mexeu bem, e conseguimos, aos 27, num lance único até então – de sorte, aliás – abrir o placar com um gol de Keno, com desvio de Lucas Romero.

Mas o Palmeiras cometeu o pecado mortal do desperdício. Num lance aos 30 e poucos em que estávamos 4 contra 2, Egídio podia abrir pro Veiga na esquerda ou pro Guedes na direita, enquanto o Borja fechava pelo meio, Ele fez a única coisa que não tinha nada a ver, tentou bater no gol…

O castigo veio logo depois, um cruzamento que o Guedes deixou acontecer, e pegou o Mina mal posicionado, acabou virando gol do Cruzeiro, aos 39 do segundo tempo. Castigo até injusto pelo jogo de hoje, e até pela reação no jogo de ida, mas também merecido pelo vacilo inadmissível do primeiro tempo do jogo de ida.

Convenhamos que essa desclassificação, assim como no Paulista, está bem aquém da expectativa do palmeirense pra 2017. Mas também serve de correção de percurso e choque de realidade, ainda temos 1 ou 2 torneios pra disputar, e está mais que na hora de definir prioridades, porque já está desenhado que não temos time pra ganhar todas as disputas, mas ainda temos muita lenha pra queimar nas duas que restam.

Pra cima Palmeiras.

AVANTI PALESTRA!

%d blogueiros gostam disto: