Honesto, Burro ou um Safado?

Essa foi, ontem, a dúvida que surgiu no twitter num debate com alguns amigos, sobre a atitude de Valdívia ao dar entrevista após o jogo contra o Flamengo, no qual, depois de ter contribuído diretamente para o Palmeiras empatar o jogo, foi expulso por uma imbecilidade digna dele mesmo.

Some-se a isso o fato de que o jogador, que teve sua re-estréia depois da Copa retardada por uma muito mal explicada transferência fracassada pro Oriente Médio, que ainda teve direito a uma semana de sumiço na Disney, voltava de longo período de contusão, depois de ter atuado apenas 13 minutos contra o São Paulo, ocasião em que disse ao mundo (e aos médicos do Palmeiras) que o problema era uma fratura no nariz – ocorrida dias antes – e não a coxa, essa sim, que o tirou de campo todo esse tempo. Desde a Copa, que acabou há 60 dias, ele jogou até aqui 50 minutos…

Todo esse contexto já fez boa parte da torcida nem sentir raiva do árbitro quando o camisa 10 foi expulso, tamanha a consciência de que nem precisava de replay pra saber que ele tinha feito mais uma fuleragem com o Palmeiras.

Mas aí, pra piorar ainda mais a própria situação, eis que ele decide explicar nos microfones o lance: “Fiz cagada, peço desculpas e peço que não peguem muito pesado…”

Ah, Valdivia, puta que o pariu! Se tinha alguma chance de o jogador não ser suspenso por trocentos jogos, ela foi jogada na latrina com a declaração e confissão da agressão. Podiam falar que foi sem querer, que ele tropeçou, que tentou apoiar o pé mas não conseguiu, que foi um lance de jogo, enfim, nenhuma dessas defesas, por mais que fossem argumentos pra brigar com uma imagem clara da agressão estúpida, poderão concorrer com a confissão imbecil e desnecessária da própria cagada.  

E aí é que fica a dúvida: se o Valdívia, assim como o palmeirense, tá cansado de saber que a Justiça Desportiva é implacável com o Palmeiras e com ele, tendo inclusive suspendido o jogador por confessar que forçou o terceiro cartão amarelo – coisa que tantos outros fizeram e não aconteceu absolutamente nada, né Rizek? – fica “difícil” dizer se a entrevista dada depois do jogo do Palmeiras foi burrice, honestidade, ou simplesmente a mais pura safadeza pra ganhar mais alguns dias de mamata e sem honrar o salário astronômico que pagam pra ele jogar bola..

Eu ia até subir uma enquete aqui, mas, honestamente, qual o propósito disso? Opinião, cada um tem a sua, e em se tratando de quem é, a relação da torcida está dividida entre amor e ódio profundos, ou seja, a enquete ia dar empate e embate, com o perdão do trocadilho.

Mas, não posso deixar de dizer pros que gostam do meia, sigam venerando ele daí, que eu sigo venerando só o Palmeiras daqui. Acordem…

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 2×2 CBFlamengo – BR14

Antes de mais nada, Valdivia deveria ser surrado. Mas como sou contra violência (como diz um grande amigo meu), que seja multado em pelo menos 95% do seu salário, podendo aumentar caso – pela expulsão infantil e irresponsável – ele pegue mais do que 01 jogo de suspensão, o que é bem provável que ocorra, em se tratando de Palmeiras, ainda mais com time carioca no Z4…

Dorival errou feio na escalação do time. Embora tenha acertado, e muito, nas alterações na zaga e no gol, do meio pra frente montou um time com um 4-2-4 sem pé nem cabeça, com dois volantes e quatro atacantes. Inentiligivel, especialmente porque os dois meias do time estavam no banco, voltando de contusão.

Na coletiva, o treinador disse que não podia colocar os dois – Alione e o Cachaceiro – juntos desde o início. Que tivesse ao menos colocado um em cada tempo, mas não, esperou o Palmeiras tomar um baile no primeiro tempo pra colocar os dois juntos no segundo. Vacilo.

Agora, o erro fatal foi ter apostado mais uma vez em Juninho como volante. Lamentável, Dorival. Em 13 minutos, falha individual do jogador – mais uma, gol do Flamengo. Nem me preocuparei em rever o lance no replay, prefiro ficar com a imagem já sinistra o bastante ali do alambreado, meio sem ângulo mas suficientemente dolorosa. Se já saiu o Fabio e o Weldinho, que venha outro moleque da base e o Juninho passe uma temporada – não muito longa, só até o fim do contrato dele – lá em Guarulhos.

O 2×0 veio num lance daqueles que só vale pra times cariocas. Dizem que era o mesmo árbitro de linha que deu pênalti pro Fluminense no sábado passado e não deu –  no lance exatamente igual – para o Palmeiras, que dessa vez deixou o jogador do Flamengo ajeitar a mão com a bola e passar pro outro fazer o gol em posição de impedimento. Uma vergonha, mais uma, a favor do Flamengo. É incrível como são reiteradas as coincidências de erros de arbitragem a favor de times cariocas, quando estão disputando o título ou perigando serem rebaixados. Só nas últimas 02 rodadas, 04 pontos pro Flamengo no apito.

O primeiro tempo ainda teve tempo para um pênalti escandaloso pro Palmeiras, que o juiz obviamente não deu. E sabem porque? Porque o Palmeiras é um time bunda mole. Não tem um dirigente pra pegar o microfone e meter a boca no trombone. Depois de ser prejudicado no domingo, Kalil apitou alto na imprensa e disse que o Galo não seria mais roubado. Vamos ver se acontece de novo nessa rodada, eu duvido. Já o time que é roubado toda semana e ninguém fala nada, esse pode preparar a raba que sempre vem mais…

Pro segundo tempo Dorival tirou Henrique e Mouche, inúteis, e colocou Allione e o morfético andino. Logo de cara o Palmeiras fez 2×1, com Diogo – finalmente. Aos 23, depois de passe do comédia da 10, Victor Luiz empatou – o que seria a virada do Palmeiras, não fosse a arbitragem tendenciosa que sempre conta com a complacência da nossa diretoria… Vão esperar cair de novo pra reclamar dos pontos ROUBADOS de nós? AMADORES!

E quando o Palmeiras  tinha tudo pra virar – de fato e não de direito – o jogo, lá foi o canalha botar tudo a perder, com uma expulsão completamente imbecil. E não adianta ele pedir desculpas. Perdemos dois pontos hoje, que farão muita falta. Desculpas não devolvem esses pontos. Se a parcela da torcida que defende esse verme fosse sensata, reveria sua posição. Mas como esperar sensatez de quem idolatra um jogador que só desserve à nossa camisa e à instituição? É pedir demais… Pois sigam daí venerando esse salafrário que daqui nos seguimos venerando apenas o Palmeiras.

No final, a antes felicidade pelo improvável empate deu lugar pra uma frustração imensa com a perda da chance de virar o jogo, dar moral pra esse time e consolidar de vez a reação do Verdão.

Pra completar, a rodada não poderia ter sido pior, o Palmeiras foi ultrapassado pelo Bahia e pelo Coritiba, este último vencendo um jogo contra os bambis de merda – malditos, enfiem no rabo a vitória contra o líder, não adiantou de nada – e agora caímos para a décima oitava colocação, depois de 04 rodadas fora da zona maldita.

Contra o Goiás, o Palmeiras tem obrigação de recuperar os pontos perdidos hoje. E Dorival precisa refletir bem. Não terá à disposição o irresponsável que veste a 10, e não poderá repetir os erros bizarros na montagem do time pro primeiro tempo. Henrique, Juninho e Mouche não dá mais.

SEM LANCES HOJE

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 2 FLAMENGO

Estádio: Pacaembu, em São Paulo (SP)

Público Pagante: 20 mil
Data/hora: 17/9/2014 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: José Javel Silveira e José Eduardo Calza (RS)
Cartões amarelos: Juninho (PAL); Alecsandro, Chicão, Cáceres e Canteros (FLA)
Cartões vermelhos: Valdívia (PAL)

GOLS: Canteros, aos 12’/1ºT (0-1); Alecsandro, aos 31’/1ºT (0-2); Diogo, aos 2’/2ºT (1-2); Victor Luís, aos 23’/2ºT (2-2)

PALMEIRAS: Deola, João Pedro, Lúcio, Nathan e Victor Luís; Renato, Juninho, Diogo, Cristaldo (Patrick Vieira, aos 45’/2ºT); Mouche (Valdivia, intervalo) e Henrique (Allione, intervalo). Técnico: Dorival Júnior.

FLAMENGO: Paulo Victor, Léo Moura, Chicão, Chicão e João Paulo; Cáceres (Amaral, intervalo), Márcio Araújo (Elton, aos 29’/2ºT), Canteros e Everton; Eduardo da Silva (Luiz Antonio, aos 15’/2ºT) e Alecsandro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

AVANTI PALESTRA! 

STJDense 3×0 Palmeiras – BR14

Às vezes, a melhor explicação tem que ser desenhada antes do que falada.

Então deixa eu desenhar pra vocês: o Fluminense chutou 06 bolas no gol, 05 delas certas, 03 delas foram gols. O Palmeiras chutou 17 vezes, 03 delas foram certas, nenhuma delas foi gol.

Isso só demonstra o quanto o Palmeiras é ruim na defesa E no ataque. Tomamos 03 gois ridículos. O primeiro podia resultar na demissão sumária de Weldinho, tamanha a vergonha. O segundo, é culpa da diretoria, pois o pênalti marcado pros caras foi bem menos pênalti do que o sofrido pelo Diogo logo depois. Adivinhem qual foi marcado, qual não foi?

E o terceiro, bom, o terceiro vai na conta do frangueiro do Fabio, mais um gol sofrido por esse morfético e não há cristo que tire esse desgraçado do gol. Cazzo, Dorival! Mexe na porra do gol, caralho!

No ataque, é inexplicável a insistência com Juninho no meio e não um meia de ofício, Mendieta, por pior que seja, jogou muito mais bola do que os demais pseudo meias do time. Henrique seguir como titular é outra pra ir na conta do treinador. Apesar de que os gols que o Cristaldo perdeu são inaceitáveis…

Enfim, o Palmeiras é hoje um time de merda, que perde pra adversários que não fazem o menor esforço pra vencer, e ainda conta a partir de hoje com a pior defesa do campeonato e um ataque medíocre, e o treinador segue forçando a barra com os mesmos morféticos de sempre. Tem mais é que se foder mesmo.

Abre o olho Dorival, sobe os moleques e para de brincadeira, antes que seja tarde demais…

Maldita Portuguesa…

Quarta-feira, contra os lixos cariocas, 03 pontos não é mais que obrigação.

ACORDA PALESTRA!    

Palmeiras 1×0 Cricíuma – BR14

Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras - Divulgação

Crédito da foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Começar o segundo turno com o pé direito era fundamental, e tudo que o palmeirense queria. E a missão foi cumprida com requintes de crueldade pro coração do palestrino.

Foram 81 minutos de tensão, em muitos dos quais o adversário dominou as ações em campo, principalmente no segundo tempo.

Pra variar, o Palmeiras criava pouco, muito por conta da lesão de Tobio, terceiro zagueiro a se contundir na seqüência, e que obrigou Dorival, com 30 minutos de jogo, a mandar Marcelo Oliveira pra zaga e Eguren pro campo.

O uruguaio, por mais voluntarioso que seja, dificilmente acerta passes, e o que aconteceu, depois de um primeiro tempo parelho, foi o Criciúma dominando o meio de campo e as ações de ataque no segundo tempo.

Nem perderei meu tempo pra comentar os gols feitos perdidos por Leandro, no primeiro tempo, logo no início do jogo, e por Henrique, já no fim, que teria fechado o caixão do Tigre. Eles não prestam, não servem pro Palmeiras. Ponto.

Espero que o Dorival faça a leitura correta do jogo e entenda que ou um ou o outro, ou os dois, tem que sair pro CristalDios jogar. As melhores oportunidades foram criadas por ele e, enfim, fez o gol quando não podia perder, ao contrário do 19 e do 38… E o 18, melhor jogar com um a menos do que com esse cadáver em campo. Não fode, Professor!

Com o resultado o Palmeiras abre um ponto da zona maldita, independentemente do resultado dos demais jogos da rodada. A próxima partida é o Fluminense no Rio de Janeiro. Temos uma dívida pra cobrar lá, desde 2009. Que seja neste sábado.

Luis Felipe e João Vitor, tão aí? Recadinho do CristalDios: Que la sigan mamando! AHAHAHAHAHAHAH CHUPA REFUGADA!!!!

OS LANCES:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 X 0 CRICIÚMA

Data/Horário: 10/9/2014, às 19h30
Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Árbitro: Cleisson Veloso Pereira (MG)
Assistentes: Marcus Vinicius Gomes (MG) e Frederico Soares Vilarinho (MG)

Público/ renda: 17.173 pagantes/ R$ 367.975,50

Cartões amarelos: Victorino, Eguren e CristalDios (PAL); Luis Felipe, Rodrigo Souza, João Victor (CRI)

Gol: CristalDios, aos 36’/2°T

PALMEIRAS: Fábio; Weldinho, Victorino, Tobio (Eguren, aos 29’/1°T) e Victor Luis; Marcelo Oliveira e Renato; Leandro (Felipe Menezes, intervalo), Diogo e Juninho (CristalDios, aos 16’/2°T); Henrique. Técnico: Dorival Júnior.

CRICIÚMA: Luiz; Luis Felipe, Ronaldo Alves (Gualberto, aos 7’/1°T), Fábio Ferreira e Giovanni; Rodrigo Souza, João Vitor (Maurinho, aos 39’/2°T), Paulo Baier (Ricardinho, aos 27’/2°T) e Cléber Santana; Lucca e Silvinho. Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

AVANTI PALESTRA! 

    

Atlético/PR 1×1 Palmeiras

PUTAQUEPARIU!

Nunca fiquei tão feliz com um empate.

Tivemos chance até de ganhar, não fosse a arbitragem sempre discutível do Vuaden, que não deu um pênalti e ainda expulsou o Josimar direto, num lance que amarelo tava de bom tamanho, a sorte seria outra.

Ainda é cedo pra falar, mas a atitude mudou. Se isso significa que um boicote foi armado pro argentino, também é prematuro dizer, mas os responsáveis responderão no futuro.

Enfim, rei posto, rei morto, valeu Gareca, o que importa agora é o Dorival, que estreou sem perder, mesmo jogando fora de casa e com um a menos.

A combinação de resultados trabalhou a favor, de novo, e apesar de ter marcado um ponto nos últimos dois jogos, o Palmeiras terminou o primeiro turno fora da Z4. Já são 03 rodadas fora da zona, e que siga assim até o fim do ano.

Triste fim que nos restou, torcer pra não cair no ano do centenário, mas é isso que tem pra hoje, que no ano que vem o palmeirense saiba eleger um presidente que tenha a mínima dimensão da nossa grandeza.

RESSURGE PALESTRA!

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-PR 1 X 1 PALMEIRAS

Local: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Data: 7 de setembro de 2014, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden – RS (FIFA)
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Jose Javel Silveira – RS
Cartões amarelos: Cleberson, Dellatorre e Weverton (ATL).
Cartão vermelho: Josimar, 17’/2ºT (PAL).

Gols: Dellatorre aos 29’/1ºT (1-0) e Henrique aos 8’/2ºT (1-1)

ATLÉTICO-PR: Wéverton, Mário Sérgio, Cleberson, Dráusio (Willian Rocha, 23’/1ºT) e Natanael; Deivid, João Paulo (Paulinho Dias, 10’/2ºT), Nathan (Bady, 30’/2ºT) e Marcos Guilherme; Marcelo e Dellatorre. Técnico: Claudinei Oliveira

PALMEIRAS: Fábio; Weldinho (Josimar, Intervalo), Tobio, Wellington (Victorino, 4’/1ºT) e Victor Luis; Renato, Marcelo Oliveira, Leandro (Eguren, 30’/2ºT), Diogo e Juninho; Henrique. Técnico: Dorival Júnior.

OS LANCES:

 

 

Atletico/MG 2×0 Palmeiras – Copa BR14

Então…

Eu disse aqui no último post que o problema não era o treinador.

Acho que isso ficou bem claro no jogo der hoje.

Sob o comando de Alberto Valentim, o Palmeiras continuou sendo um apanhado de tranqueiras que só serve pra envergonhar o torcedor.

E vou falar mais, melhor assim, porque a última coisa que precisávamos no segundo jogo do novo treinador, há 20 jogos do fim do BR 14, era passar do Galo e afrentar Gambá+Globo+Arbitragem no estádio Federal de São Paulo.

E nem vou perder mais meu tempo pra falar de Copa do Brasil. Já foi. Melhor assim.

Somem mais uma vergonha ao currículo mais que vexatório de Paulo Nobre e companhia. Nunca tínhamos perdido um mata mata pro Atlético a sei-lá-quantos-anos. Mais um vexame. É a cara dessa gestão: uma vergonha atrás da outra. Parabéns, Paulo Nobre, pela graça alcançada: É PIOR QUE O TIRONE!

TOMA VERGONHA, PALMEIRAS! 

 

Que venha o Dorival…

… mas, todos sabemos, o problema do Palmeiras não é treinador. Desde 2009 não é.

Por aqui passou a maior parte dos técnicos de ponta, e nenhum deu resultado.

Isso, porém, é assunto que fica para outro dia.

Dorival Júnior, que já foi, entre 87 e 92, nosso volante Junior, só precisa repetir como treinador o aproveitamento como jogador, que ninguém terá o que dizer: em 157 jogos, teve 74 vitórias, 52 empates e 31 derrotas.

É verdade que Dorival andou meio mal das pernas como treinador no ano passado, esteve na comissão técnica dos rebaixados Vasco e Fluminense, este último ainda na Série A graças às filigranas jurídico-desportivas e à cabacice da Portuguesa.

Mas o Palmeiras também não tem sido nada próximo da grande Academia de futebol de tempos passados, e a cada ano vai se relegando ainda mais ao segundo escalão do futebol sulamericano, o que já teria se efetivado não fossem as conquistas e glórias de tempos atrás.

Quem sabe, então, seja justamente isso que Palmeiras e Dorival estejam precisando agora: um recomeço.

Ao novo treinador, toda a sorte do mundo e a benção de San Gannaro. À torcida, na medida do possível, só resta apoiar e ter paciência. E à diretoria, mais vergonha na cara pra, pelo menos, contratar um meia e um lateral direito que tenham mínimas condições de vestir nosso manto. E ingresso baixo até o fim do ano, é obrigação.

E que esse 2014 acabe logo.

AVANTI PALESTRA! 

 

ESTADO DE SÍTIO

Salve meus amigos Centenários, infelizmente e lamentavelmente chegamos ao ponto de ter que adotar medidas extremas e que vão na contramão das gestões profissionais bem sucedidas, que definitivamente não fazem parte do nosso show! De horror por sinal!

A gota d’água foi no último sábado, diante de mais de 30 mil abnegados, com a presença maciça de familiares, todos com cara de assustados, parecendo um verdadeiro cenário de filme de terror, realmente melancólico e preocupante, basta ver a quantidade de brindes jogados no chão ao final do massacre Gaúcho.

Em suma, saímos do estado de atenção e entramos no chamado estado de sítio, sem água (no nosso caso dinheiro), energia (no nosso caso motivação) e sem pessoas habilitadas para resolver essa crise sem precedentes (nossos dirigentes e comissão técnica).

Pegando o gancho dos 12 mandamentos que o Blog desenvolveu (na despedida do Marcão), elenco aqui 05 ações imediatas, que não podem ocorrer de forma isolada e 100% delas devem ser colocadas em prática prá ontem:

1) Infelizmente não deu liga a gestão de Gareca, precisamos de alguém que tenha pulso e busque resultados o quanto antes. Outra coisa, Coloquem o Marcos ou Evair para tratarem com os jogadores, mudem o Departamento de Futebol. O Valentin pode ter êxito em alguns jogos, mais é muita responsabilidade para ele nesse momento.

2) Mudar a rotina de treinamentos, intensificando a carga e concentração, quem chiar, rua! Empenho total e intensificado, nem jogadas ensaiadas temos, lembrando que na draga dos anos 80 essa alternativa nos salvava. Cruzamentos, escanteios e jogadas repetitivas na defesa.

3) Avaliar psicologicamente 100% dos jogadores e efetuar tratamento naqueles que estiverem desequilibrados emocionalmente ou incomodados com essa pressão. A bola está queimando nos pés de muitos.

4) Presidência e alianças se empenharem ao máximo nas tratativas com a CBF, arbitragem e imprensa para que amenizem nas falhas e no terrorismo desenfreado. Deixem a eleição prá depois de Outubro.

5) Inaugurar o quanto antes a ARENA, o Pacaembu não é nosso caldeirão e essa fator tem feito a diferença contrária ao que precisamos. Aparem as arestas com a construtora, deixem a arbitragem rolando e quando a decisão vier, as partes se acertam. Por hora, a Arena funcionando nos dará dinheiro e será a nossa casa.

Geralmente um Estado de Sítio tem duração de 30 dias, mas no nosso caso como o buraco é mais embaixo, podem adotar essas medidas por tempo indeterminado e contem com a torcida para que as cobranças e exigências sejam cumpridas, afinal, em 2015 boa parte desses perebas terão sumido do mapa, nós, apaixonados torcedores, estaremos por aqui, como sempre! Tolerância ZERO.

 

 

E sobrou pro treinador…

No início da tarde de hoje, o Palmeiras anunciou a demissão do treinador argentino Ricardo Gareca. Em sua trajetória relâmpago pelo clube, foram 12 jogos oficiais e um por torneio amistoso, tendo sido alcançada a péssima marca de 4 Vitórias, 1 Empate e 8 Derrotas.

Mesmo assim, fiquei bastante decepcionado com a saída do treinador, apesar de concordar que o momento para alteração já tinha mesmo chegado. A gota d’água foi a substituição de Leandro por Eguren no intervalado do jogo contra o Inter, com o time perdendo. Inexplicável. Estava perdido.

Mas podemos dizer que foi a crônica de uma morte anunciada. A começar pela não demissão de Gilson Kleina ao final do ano passado. Convenhamos, GK nunca teve perfil pra ser treinador do Palmeiras. Foi contratado em 2012 há 15 rodadas do fim do campeonato brasileiro daquele ano pra tentar reverter um quadro praticamente definido. Não conseguiu.

Eu não teria esperado nem acabar o campeonato da Série B: classificação matemática pro acesso garantida – o que ocorreu em novembro -, tchau Kleina, e que ali se trouxesse o argentino, pra começar a se ambientar com o clube, definir quem fica, quem vai e quem vem.

Mas não, GK foi mantido até conseguir a proeza, dentre tantas outras, de ser eliminado em casa pro Ituano no campeonato Paulista mais ganho do universo. Pasmem, ainda foi mantido por mais algumas rodadas do BR2014, até que a diretoria finalmente se desse cara do óbvio.

Ai, mas uma eternidade pra confirmar o novo treinador que, acreditem, chegou e só dirigiu o time pela primeira vez depois de 60 dias. Onde já se viu isso, me digam? É um jogo da tribuna, no jogo seguinte já tem que estar no banco. Mas o cara me fica 04 rodadas na tribuna. Que porra é essa?

E mais, as contratações pedidas não vieram, pelo menos não vieram as primeiras opções pretendidas pelo argentino e muito menos no tempo necessário. Cristaldo, por exemplo, estreou há 02 semanas… Lateral direito, até hoje não veio, meia armador, idem…

Vejam só, então, que paradoxo, o Palmeiras contratou o cara mais certo que podia dirigir o time, no momento mais errado possível. Tentaram mudar de mentalidade, fugir dos mesmos Neys Francos, Dorivals etc e trazer um cara de fora, e não qualquer cara, mas um dos mais vitoriosos.

Mas mantiveram a mentalidade do bom e barato, não capacitaram o time pro cara, trouxeram a terceira opção da lista pra cada posição, e ainda muito tempo depois do que minimamente aceitável. E ainda, com o time em meio a disputa do campeonato.

Fica claro, assim, que sem aquele tal de planejamento, nem as escolhas mais acertadas dão certo. Se essa diretoria fosse visionária, como muitos acreditaram, o Gareca teria sido contratado em janeiro, teria tido o primeiro semestre inteiro pra montar um time e achar padrão de jogo, e agora, poderíamos facilmente ocupar o lugar de times como Sport, Goiás, Atlético/MG, etc, poderíamos estar de fato na disputa da Copa do Brasil e quem sabe almejar até uma vaga na Libertadores.

Mas não, estamos fora do Z4 nem mesmo nos pontos, mas pelo número de vitórias, podendo a cada nova rodada voltar à última posição da tabela. Duas rodadas seguidas longe do rebaixamento ameaçam viram motivo de uma vergonhosa comemoração pro palmeirense. A que ponto chegamos… Nem o mais otimista rival poderia sonhar em ver o Palmeiras em situação tão catastrófica no ano do seu centenário.

E só nos resta agora apoiar o Valentim, ou quem quer que seja o novo treinador, que o 25 e o 10 voltem logo pro time, e este último deixe de vagabundagem e mostre pelo menos o mínimo respeito com a camisa do Palmeiras. Que o 11 e o 38 decidam se querem jogar bola ou se preferem continuar habitando o ódio profundo da torcida. Que os preços dos ingressos sejam mantidos no menor valor possível e que a diretoria deixe a torcida fazer sua parte.

E que, no ano que vem, se San Gennaro nos permitir, ainda no seu lugar de direito,  o Palmeiras se livre finalmente dessa gente, dirigentes e jogadores, que tanto desserviram nossa pátria.

Ao Gareca, boa sorte. Quem sabe um dia, noutra vida, quando o Palmeiras recobrar o rumo de sua história de grandeza, você não venha fazer parte das nossas lutas e glórias como protagonistas e não como esse restolho de time de futebol a que hoje fomos reduzidos?

GRACIAS, RICARDO!

FORZA PALESTRA!

Palmeiras 0x1 Inter – BR14

E lá se vai pelo menos mais um ponto na conta do goleiro. Já tinham ido pelo menos outros 6 por conta dos jogos com Bambis e Sport. O filme de 2012 se repete. De novo estamos sucumbindo por falhas individuais daquele que nãos pode falhar nunca.

Dirão, os mais coerentes, que ele faz de duas a quatro defesas impossíveis em cada um desses jogos. No que estão mais do que corretos. Mas, vestindo uma camisa como a do Palmeiras, reconhecida por ser a melhor escola de goleiros do Brasil desde sempre, posso afirmar com segurança que fazer defesas impossíveis não é mais que obrigação pra quem defende nossa meta.

Agora, falhar, e falhar seguidamente como tem falhado o Fabio, não combina com jogar no gol do Palmeiras. Sinal de que não está segurando o rojão. Se o treinador ainda não percebeu, a gente desenha pra ele: tá na hora de trocar o goleiro, ainda que seja pelo Deola, ou mesmo pelo mão de alface. Está literalmente fritando o Fabio, que até é bom goleiro, mas não tá segurando a bronca de vestir a camisa do Palmeiras no atual momento do clube.

Gareca também abusou dos erros. Voltou pro intervalo com o time perdendo e me saca um atacante – por mais que fosse o cuzão do Leandro – pra botar um volante de marcação? E ainda mais o Eguren, que não tem a menor condição de vestir nossa camisa? E ainda manteve o Mendieta morto em campo, até colocar mais dois mortos – Menezes e Bruno Cesar, deixando o Cristaldo sozinho na frente com o time perdendo?

Aliás, a turminha que queria Bruno Cesar de volta ao time caiu na real, ou ainda precisa mais alguma partida deplorável desse morfético pra se convencer?

É Gareca, a paciência da torcida tá acabando… Hoje foram 33 mil abnegados torcedores apoiando uma das maiores vergonhas que já ousou subir a campo dizendo que era o time do Palmeiras.

Na coletiva, o treinador disse que não sai, que tem competência pra tirar o time do Palmeiras (junto dos jogadores e diretoria) dessa zica maldita. Então, tá na hora de começar a mostrar serviço.

Se quiser ajuda, gringo, porque você parece BEM perdido, posso dar algumas dicas: Fabio, Leandro, Menezes, Eguren, Bruno Cesar, Wendel e Wesley, podem ser afastados do elenco e mandados treinar em Guarulhos. Se você não sabe, Gareca, é lá que iam os restolhos e perebas do elenco, quando os outros treinadores os descartavam do grupo. Promova quem tiver que promover da base para essas posições, põe o Gabriel pra jogar ao lado do Cristaldo e vamos pra cima. E pense se não é o caso de começar a jogar com 03 zagueiros, porque nossa defesa somada aos pontos nulos nas laterais não tão dando a menor conta do recado. Faça só isso e veja se domingo que vem não traremos pelo menos 1 ponto de Curitiba…

Alow diretoria mediocre e incompetente, viram só como quando o preço do ingresso é justo o torcedor comparece? 33 mil pessoas hoje no Pacaembu. 750 mil reais de renda. Contra o Cortiba foram 18 mil pessoas, e 715 mil reais de renda. Sabem contar as moedinhas ou querem que desenhe?? Mantenham essa porra desse preço do ingresso baixo até o fim do ano, cazzo!!    

E bora lá torcer pro Bambi, Sardinhas, Flamengo, Gremio, Atletico e Sport… Que várzea!

REAGE PALESTRA!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 4.889 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: