Palmeiras 1 x 2 Bambis – BR14

O fresco e afetado presidente dos bambis, infelizmente, tem razão. Estão apequenando o Palmeiras. Depois de 35 jogadores contratados, no mês do seu centenário, o Palmeiras tem um apanhado de jogadores, muito, mas muito pior que o time rebaixado em 2012 ou o que disputou a Série B no ano passado.

A vergonha não tem fim. O time não tem um camisa 10. O titular, vejam os senhores, depois de umas férias fora de hora na Disney, deixou o campo hoje , depois de 13 minutos, eu disse TREZE, com tontura e mal estar. Tontura e mal estar está o palmeirense, de ser refém do futebol desse filho da puta…

Aí entra o Felipe Menezes em campo. Um lixo. Mas o curioso, pra quem não sabe, é como Felipe Menezes se tornou atleta do Palmeiras. Foi mais ou menos assim: Felipe Menezes era só um grosso que jogava no Sport de Recife. Por coincidência, ele tinha o mesmo empresário do Alan Kardec, que estava largado no time B do Benfica. O Palmeiras foi contratar o Kardec, por empréstimo, e o empresário, besta que não é, obrigou o Palmeiras a contratar o lixão do Sport em definitivo.

Os gênios da administração do Palmeiras pensaram que estavam fazendo um negócio da China. Pois é. Só que o desfecho dessa história todos nós sabemos. Menezes tá aqui até hoje, vai ficar por um tempo enorme ainda. E o Kardec? Com a camisa da inimiga, definindo o jogo em favor das meninas… Não é pra dar razão pro frescão mandatário cor de rosa?

E o Gareca, infelizmente, já não tem mais o direito de errar. Tudo que ele acertou afastando Wesley e Leandro do time ele perdeu ao escolher mais uma vez Felipe Menezes pra entrar no jogo. Tanto que, mesmo tendo entrado com o jogo em andamento, ele foi substituído pra dar lugar pro Leandro, só assim pro Palmeiras começar a esboçar alguma reação e, mesmo assim, insuficiente dada a limitação técnica do time.

Outro que abusou do direito de errar foi o goleiro Fabio. Hoje perdemos pro causa dele. Entregou o primeiro gol da inimiga e contou com toda a falta de sorte no segundo, outra vez tomando um gol com a bola batendo na trave e na sua costas. Mas aí não tem como mexer. Enquanto Prass não volta, as alternativas são o mão de alface e o paneleiro, dois malditos que já deviam estar fora do Palmeiras há tempos.

E neste momento, há 09 dias do centenário, o palmeirense se pega em frente à TV torcendo contra Botafogo e Figueirense pra não acordar na zona do rebaixamento.

Parabéns aos responsáveis. Vocês jamais serão esquecidos.

AVANTI PALESTRA!    

SERÁ QUE É PRAGA?

Salve meus amigos Campeões do Mundo, primeiros por sinal, com times de ponta da Europa e do mundo, sem a presença de All Nasser e Raja Casablanca e com Maracanã lotado para aplaudir Fiume, Cattani e principalmente Jair da Rosa Pinto. A situação está crítica!

Durante a insônia que tive essa noite (afinal sonhei com Kleina, Josimar , Wesley e prá fechar com chave de ouro no Valpinga) daí acordei. Prá piorar, nem na Disney estava, foi então que me deu na brilhante ideia de buscar nas crenças ocultas algo que tenhamos feito de errado nessa vida prá ter sofrido tanto, ou melhor, o que o Palmeiras fez de mal nessa vida prá pagar tantos pecados por tanto tempo!

Por essa razão, quero pedir desculpas ao todo poderoso , divino (que não é o Ademir) que nos perdoe por ter mudado de nome na década de 40 e continuar vencedores e ter feito o time dos aristocratas fugirem de campo e ter feito frente ao time do mais iluminado jogador da terra.

Quero pedir perdão aos Deuses do Olimpo, por ter dado ao Brasil o primeiro Título de cunho Mundial da História em 1951, sim, os Italianinhos lá da Zona Oeste deram esse presente ao País que adotaram, logo após a tristeza de Barbosa e Cia.

Gostaria em nome de todos os Palmeirenses, a pedir desculpas a Nossa Senhora pelo fato de ter ganhado vários jogos do time da Marginal sem número, os fazendo ficarem na fila durante 23 anos, inclusive em 02 Libertadores da América, em anos seguidos, e ter levantado o caneco em um deles e no outro um Vice-honroso.

Por favor, Anjos e espíritos, deixem de atormentar as almas frágeis que temos hoje que atendem pela alcunha de Leandro e Wesley, deixem-nos em paz, jogando o futebol de 2013 e antes, aproveitem e ilumine a cabeça do Sr. Ricardo Gareca para que afaste definitivamente Weldinho, Josimar, Felipe Menezes, Eguren e Victorino, e que promova mais uns 03 garotos da base.

Excelentíssimo Papa Francisco, ore pelos seus Hermanos Allione, Mouche , Tóbio e agora Cristaldo , para que tenham a tranquilidade e não entrem no pânico dos limitados citados acima. Desculpas pelo que fizemos com o Boca em 1994 , aplicando um 6X1 humilhante no Palestra, em tempo, acho que já pagamos todos os pecados com o Boca…

Deus Baco, ilumine o cachaceiro do Valdívia, para que nesses próximos jogos dê um toque de classe no meio campo, colocando o Mouche ou Henrique na cara do gol para liquidar o goleiro de Hóquei.

Santo Expedito sei que causas perdidas são a sua praia, por favor, faça o Henrique dar menos caneladas na bola, que o Wendel acerte um cruzamento e que Wesley acerte um chute no gol. São Camilo, santo dos enfermos, faça o Fernando Prass se recuperar logo para dar uma acalmada na atabalhoada zaga alviverde.

Por fim, San Genaro, guie as mentes perturbadas que temos no nosso comando diretivo, para que entendam a diferença de custo e investimento e principalmente a razão de ser de nossa existência, que está longe de ser as quadras de saibro ou as canchas de bocha…

Amém!

Atletico MG 2×1 Palmeiras – BR14

Pouco a ser dito, pois do contrário seria repetir um discurso que já cansou de ser falado.

O Palmeiras é um dos piores times do campeonato. O conjunto é péssimo, o time não consegue ficar com a bola no pé por mais de 15 segundos seguidos, os jogadores de ataque atravessam uma fase terrível, e o treinador fica refém de um banco de reservas de dar calafrios até nos mais otimistas.

Foram trocentas chances do Atlético ganhar, teve pênalti não marcado, bola tirada dentro da pequena área, várias defesas incríveis do Fabio, e o Palmeiras esperando peloamordedeus pelo fim do jogo, até que coube ao Josimar, “que surpresa”, entregar a bola que decretaria nossa derrota.

E a culpa é de quem? Do treinador? Difícil dizer isso, olhem o elenco e digam se a culpa é dele mesmo… Claro que dava pra não escalar o Lenadro como titular, não colocar Josimar nunca mais no time, mas, enfim, não ia fazer tanta diferença, ou ia?

A culpa também não é do torcedor, que paga os tubos pra ver esse bando de tranqueira jogar, em defesa apenas da nossa camisa, sem qualquer perspectiva. Estamos lá todo santo jogo passando apenas  nervoso e vergonha.

Então, a culpa só pode ser da diretoria mais amadora e vergonhosa que já vimos, contrataram 40 jogadores, 95% imprestáveis, o único que valia a pena foi dado de mão beijada pro rival, e os jogadores que tinham que ser contratados logo que começou a Copa ainda estão sendo especulados e prometidos.

O palmeirense tá cansado de sofrer.

Chega. Ainda faltam 24 rodadas. Ou reage agora, ou pode preparar mais um inferno.

Contra os viados, ganhar é OBRIGAÇÃO!

ACORDA PALESTRA!

Palmeiras 1×0 Avai – Copa BR 2014

O Palmeiras entrou em campo hoje com um pé na próxima fase, graças à vitória por 2 gols conseguida em Santa Catarina.

Poderia até se esperar um time misto, mas Gareca decidiu deixar só Marcelo Oliveira no banco, pra nossa alegria. O que é até compreensível, a se considerar as péssimas partidas do Palmeiras nos últimos jogos, o que justifica a presença do time quase completo.

A estreia oficial do argentino Allione acabou ofuscada pela quantidade de erros de Wesley, Leandro e Henrique, que enquanto estiveram em campo, cagaram simplesmente tudo.

E foi justamente quando eles começaram a ser substituídos, no meio do segundo tempo, que o Palmeiras finalmente entrou no jogo. Tanto que o gol saiu de uma batida de primeira do Mouche, que entrou no lugar do Leandro. Wesley saiu no Marcelo Oliveira e o Henrique no Bruno Cesar Menotti e Fabiano, não é esse o nome dele?

O Leandro e o Wesley, já não é de hoje, beiram o descaso e a filhadaputagem tantas e tantas atuações ridículas. Curiosamente, Leandro foi comprado e teve que aceitar muito menos do que pedia de salário pra renovar o empréstimo, e Wesley também não conseguiu até agora prorrogar seu vínculo. Coincidência?

Mesmo com um bagre como Felipe Menezes em campo, a simples presença de um jogador com a qualidade do Allione já mudou a disposição do time no ataque e algumas jogadas apareceram, o Palmeiras chutou no gol e criou oportunidades, e não fosse a falta de qualidade o Palmeiras teria obtido um bom resultado com 03 ou mais gols.

Na zaga, Lucio abusou nas saídas de bola erradas, e Tobio das faltas. Mas o Avai é tão limitado que mesmo assim não ofereceu perigo.

Mas o grande fato a se lamentar hoje foi a 200ª partida de Wendel com a camisa do Palmeiras. Como se já não fosse vergonha suficiente ter visto duzentas vezes um pereba desse jogar, sem nunca ter feito um mísero golzinho, ainda há sádicos no Palmeiras que acham que o fato devia ser alardeado ao mundo, com uma camisa com o número vexatório estampado nas costas do perna de pau. Já não tinha sido demais o Márcio Araújo, agora mais essa mediocridade festejada?

Pelo menos uma boa notícia: o cartão amarelo do Leandro foi o terceiro e, pelo menos na próxima partida na Copa BR, seremos poupados desse verme.

E amanhã tem coletiva do Valpinga! Já até imagino o fã-clube dançando ao som de OOOOOOO, o Valpinga voltooooouuuuu! Me poupem… Vamos ver só o que vai ser a desculpa da vez.

Domingo pra cima do Galo, só a vitória é admissível.

AVANTI PALESTRA!

Palmeiras 1 x 1 Bahia – BR14 R13

Na quarta-feira, enquanto o Palmeiras ganhava – até aquele momento – por 2×0 da Fiorentina, comentei com os camaradas do alambreado: – só faltava ganhar hoje e empatar domingo, que é o jogo que importa. Houve quem se indignasse comigo, como se fosse eu em pessoa que resolvi um dia que Wendel, Marcelo Oliveira Leandro e outros mais seriam jogadores do Palmeiras…

Dito e feito, o Palmeiras ganhou da Fiorentina, jogo que podia ter perdido por 10000 x 0 que não ia mudar nada pra ninguém, e deixou de conseguir os 03 pontos contra o saco de pancadas do Brasileirão e, pior, concorrente direto na fuga contra o rebaixamento.

E não há lingua podre alguma a ser culpada, porque zica nenhuma supera a falta de qualidade do elenco do Palmeiras. A culpa é exclusiva de quem montou essa merda de time.

Ainda na quarta-feira, depois do jogo, me incomodou uma cena vista ali do alambreado mesmo, um pai levantando seu filho pequeno no colo pra ele poder enxergar a “festa”da conquista da “taça” Julinho Botelho. Na qualidade de pai de dois pequenos palestrinhas, senti na pele o sofrimento daquele pai tendo que fantasiar pro seu filho um título que, na verdade, não vale porra alguma… Como é difícil fazer o filho ser palmeirense. E eu que cogitei levar os moleques hoje pela primeira vez no Pacaembu, mas a luz divina me iluminou antes que cometesse esse erro mortal. NINGUÉM MERECE IR A PRIMEIRA VEZ AO ESTÁDIO PRA VER O TIME QUE ENTROU EM CAMPO HOJE COM A CAMISA DO PALMEIRAS…

Como também, a partir de hoje, sou absolutamente contra a estreia do novo estádio este ano. Porque o Palmeiras não merece entrar em campo em sua nova casa a primeira vez com tanto grosso e vagabundo vestindo sua camisa. Deus queira que ano que vem toda essa tranqueiragem suma do Palmeiras e da nossa vista…

Sobre o jogo em si, podemos falar que Gareca cometeu seu primeiro erro – apenas a ele atribuível – no comando do Palmeiras: inexplicavelmente, optou por Marcelo Oliveira improvisado na zaga, tendo deixado Tobio no banco. Por pior que Tobio tenha ido nos últimos jogos, falhou no primeiro gol contra o Gambá e contra o Cruzeiro, definitivamente a solução não é Marcelo Oliveira como zagueiro (ou em qualquer outra posição).

E o gol do Bahia, imediatamente após o nosso, foi marcado justamente por um jogador que o Marcelo Oliveira estava marcando mas, nó cego que só ele, deixou o cara livre no meio da área pra ir marcar a bola…

Josimar no lugar do Renato, já pelo segundo jogo, também não dá pra entender a opção do treinador, mas enfim…

Mas não é só eles que têm que sair do time pra nunca mais voltar. Leandro recebeu dois cruzamentos perfeitos na cabeça, mandou os dois pra fora com a mesma displicência do nosso último 9, Kleber Capricho… Isso sem falar na quantidade absurda de ataques que morreram nos pés dele. É verdade que ele tem que jogar invertido quando Mouche – mas pode chamar de Maikon Leche – está em campo, mas com a saída do argentino, o descompromissado camisa 38 continuou fazendo o mesmo, ou seja, nada.

Wesley e Felipe Menezes já provaram que não seguram o rojão – e hoje não foi diferente – enquanto Mentireta segue sendo só mais uma mentira, dentre tantas outras que essa diretoria contou ao palmeirense.  Enquanto isso, o Valdívia segue na Disney, recebendo salário do Palmeiras…

O único que honrou a camisa foi o lateral esquerdo Victor Luis, mais uma vez mostrou que às vezes a resposta pra um problema está embaixo do nosso nariz. Será que não tem um lateral direito na base que consiga ser menos pior que os dois atuais? Tinha o Bruninho, mas nossa diretoria decidiu emprestá-lo, vai ver que achavam que Wendel e Weldinho tavam voando…. Pois é…

Por Deus, pelo menos, Wendel tomou o terceiro amarelo e está fora do jogo do próximo domingo, contra o Galo lá em Minas. Até lá Alione deve ter sua documentação regularizada e aí podemos começar a ter uma pontinha de esperança em sair dessa zica maldita. Seis jogos, 02 pontos. Incrível… ou pior, não é não…

Jogo domingo a tarde, 16:00 hs,  com 16 mil pessoas. Sabado 18:30, no Panetone, 45 mil pessoas. Porque a diferença? Primeiro, porque os frescos estavam apresentando um bom jogador pra sua torcida (mais um) – que nem sequer jogou – segundo que por aqueles lados a diretoria já aprendeu que se quiser estádio cheio tem que baixar o preço – até no Groupon vendeu ingresso pro jogo delas desse sábado.

Então, senhores gestores, não adianta ir na TV pedir o apoio da torcida pra ver esse time ridículo em campo, com o ingresso mais caro do Brasil. Contratem jogadores minimamente qualificados pra vestir nossa camisa e parem de cobrar os olhos da cara da nossa torcida, e vejam o resultado. Ou calem-se.

Sem ficha técnica ou lances, por motivos de profunda preguiça de ver de novo tanta tosquice.

REAJE PALESTRA!

NOVA ARRANCADA HEROICA

Finalmente o mês de Agosto chegou e com ele o Centenário de nossa paixão máster e definitiva: a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Nada é por acaso e justamente no próximo domingo (10 de Agosto) enfrentaremos nosso inimigo maior, time dos aristocratas de São Paulo, que sempre hostilizaram os imigrantes e tentaram roubar o nosso patrimônio. Além disso, sofrem de inveja declarada atual em razão da nossa nova arena, que roubará o único trunfo que tem hoje, o faturamento com o panetone para eventos diversos.

Coincidentemente,em Setembro de 1942, contra eles e no mesmo Pacaembu, surgia um time que seria referência nos corações dos Brasileiros, sem distinção de cor ou classe social, sem esquemas com meios de comunicação ou Governos, em tempo, nossos maiores rivais se cansaram de utilizar e se beneficiam até hoje desses meios.

Sugiro à área de Marketing que pense numa campanha vinculada a  NOVA ARRANCADA HEROICA, que teria início já no jogo com o Bahia (nesse domingo) e com várias ações de Marketing e Imprensa, uma grande evento na praça Charles Miller , onde o caminhão do AVANTI, poderia distribuir camisetas alusivas a data em alguma atividade com os associados. Além disso, será o dia dos Pais contra os Bambis, e algum presente poderia ser dado aos pais que forem com os filhos no decisivo jogo do próximo domingo. Blitz em diversos pontos do Estado podem ser outra ação interessante  -em todo mês de Agosto, com a presença de  ídolos e distribuição de brindes com o símbolo do Centenário.

Como causa maior dessas ações, uma arrancada no Campeonato Brasileiro, buscando a Libertadores em 2015, jogando na nossa arena e já com um time entrosado e qualificado e com um Ricardo Gareca, experiente na Competição. Isso é PLANEJAMENTO.

Concordo que o Centenário não deve ser motivo de loucuras financeiras, todavia não podemos passar em branco um momento único como esse. Além disso, as crianças que são Palmeirenses ficariam extremamente orgulhosas da opção que fizeram e aqueles que não são ficarão bem impressionados com a história e glórias alcançadas.

O Palmeiras precisa da torcida agora e sempre, porém o momento atual deve ser de muito apoio e vibração, caso contrário, teremos sérios problemas no final do Campeonato. Ouvi outro dia um absurdo do tipo: “quero que seja rebaixado, assim o PN e Brunoro se ferram”, espera lá, que pensamento é esse, quer dizer que o Título da Copa do Brasil 2012 não valeu pela presença do Tirone ou o então os gols do time na era Mustafá não deviam ser comemorados. Temos que ser Palmeiras acima de tudo!

A nossa união, nesse momento será fundamental para que o Projeto Gareca vingue e estejamos certos que na semana que vem uma boa surpresa será anunciada (ainda boto fé no Pratto) e com um time motivado, os resultados tendem a ser bem melhores.

Por fim e não menos importante, a Diretoria poderia rever a política de preços dos ingressos nesses 03 jogos e lotar o Pacaembu (incluo o do Avaí no meio de semana), não falo em 20 e poucas mil pessoas não, quero dizer mais de 30 mil e nos mês de nosso aniversário de 100 anos seria algo ainda mais especial.

Pensar GRANDE não significa gastar mais, significa fazer mais e ter criatividade!

Palmeiras 2 x 1 Fiorentina – Copa Euroamericana 2014

O Palmeiras venceu a Fiorentina por 2×1 na noite desta quarta-feira, pela Copa Euroamericana, partida que valeu a taça Julinho Botelho, atleta que vestiu a camisa de ambos os times.

O jogo foi marcado por várias novidades.

Logo de cara, a estreia do bom meia argentino Augustin Allione, que enquanto esteve em campo deu outra cara pro meio de campo que era composto também por Josimar, Wesley e Mendieta. Com ele em campo o Palmeiras teve uma boa postura ofensiva, mas com a sua saída, o Palmeiras morreu do meio pra frente. Apesar de não ter participado de nenhum dos gols, já foi possível ver muito mais bola no meio do que no domingo passado, por exemplo, em que o time não conseguia trocar 03 passes na sequência. Ponto pra diretoria, tem tudo pra ser a segunda contratação acertada, de trinta e poucas. Mas sem euforia, afinal, era um jogo amistoso.

A partida serviu também pra ver mais uma boa partida do lateral esquerdo Victor Luis, que fazendo a terceira atuação como titular da lateral esquerda, mostrou mais uma vez bom futebol, e ainda acertou um bom chute de fora da área pra abrir o placar do jogo. De contrato novo, assim como Renato, os moleques vem tendo mais chance com Gareca, e amém, tem correspondido. Ponto pro treinador.

E, acreditem, o jogo de hoje teve a estreia de Victorino, jogador contratado em janeiro e que, R$ 800 mil reais a menos nos cofres do clube, fez hoje sua primeira partida com a camisa do Palmeiras. – Bobagem, irão dizer, ele tem estrela, primeira partida pelo Palmeiras e já é campeão. Pois é… Piadas de mau gosto à parte, sempre foi um bom atleta, apesar dos mais de 700 dias sem entrar em campo. A dúvida é se, vindo ele a ganhar ritmo de jogo, teremos condições de armar uma zaga com 02 zagueiros com mais de 30 anos… Será,, quando muito, o primeiro reserva. Bem caro, por sinal… Ponto negativo pra diretoria.

Teve, ainda, a estreia da bela camisa azul do Centenário (a sexta ou sétima, sei la eu), e a ridícula, horrível, medonha, inexplicável, camisa de goleiro, numa versão cabocha (abóbora japonesa) que, se ao menos tivesse sido intransponível, poderiam dizer que de tão feia assusta os atacantes adversários, mas como já levou bola na rede num amistoso, nem pra isso serviu. Ponto negativo pra Adidas, e muito mais negativo ainda pra quem aprovou essa bizarrice. Só não me digam que foi a diretoria de Marketing…

Infelizmente, o jogo não serviu pros pontos mais importante: os 03 na tabela do Brasileirão. Isso, só domingo, contra o Bahia, de novo no Pacaembu. Jogo pra matar ou matar. Pra cima, Palmeiras!

OS GOLS:

A FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 1 FIORENTINA-ITA

Local: Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/ hora: 30/07/2014
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Marcio Luiz Augusto e Vicente Romano Neto (ambos de SP)
Público/renda:
 20.285/R$ 921.182,50

GOLS: Victor Luis (13’/1ºT), Leandro (35’/1ºT), Rossi (27’/2ºT).

PALMEIRAS: Fábio; Weldinho, Wellington (Victorino, 29’/2°T), Marcelo Oliveira e Victor Luis; Wesley (Mazinho, 25’/2°T), Josimar, Mendieta (Bernardo, 12’/2°T) e Allione (Léo Cunha, 12’/2°T); Leandro e Érik (Patrick Vieira, 8’/2°T). Técnico: Ricardo Gareca.

FIORENTINA: Neto, Tomovic, Hegazi, Savic; Pasqual, Bakic (Piccini, 27’/2°T), Lazzari (Vargas, 8’/2°T), Matías Fernandez (Vecino Falero, intervalo), Ilicici (Rossi, 18’/2°T); Babacar e Joaquim (Pizarro, 8’/2°T). Técnico: Vincenzo Montella.

AVANTI PALESTRA!

Cantina Palmeiras

O tempo dita as regras da sobrevivência e seleciona os que irão sobreviver e os que deverão se reinventar, senão a morte é próxima.

É com esse pensamento que conto aqui a estória da Cantina Palmeiras, que foi única e soberana durante muito tempo e hoje mostra ao mundo como não se deve gerenciar um estabelecimento que pretende perdurar e malograr. Vamos à estória:

Na cidade de São Paulo, quando se falava de gastronomia se pensava na Cantina Palmeiras que teve Chefs renomados como Osvaldo Brandão, Filpo Nuñes , Luxemburgo e Felipão. E na equipe, desde a cozinha até o salão contou com profissionais como Oberdan, Leão e Marcos (que já salvou vários pratos) e xerifões da cozinha do naipe de Luis Pereira, Antônio Carlos e mais recentemente Henrique.  Não que os atuais responsáveis da cozinha -Prass e Lúcio sejam ruins, só que não fazem milagre!

No salão já contou com Maitres do naipe de Dudu, César Sampaio e Mazinho, sempre com a maestria e facilitando o trabalho dos Garçons, que teve o maior deles, que atendia pela alcunha de Divino , porém já teve garçons que extraiam o máximo do cliente , exemplos de César Maluco e Edmundo, esse último, um apaixonado pela cantina e pele seu público.

Falando em público, a Cantina tem um público apaixonado e cativo, ultimamente um tanto quanto cansado com o nível da cozinha, do atendimento e da gerência, mas que nunca arreda pé dessa paixão.

Os anos 2000 têm sido catastróficos para a cantina, pois em duas ocasiões foi rebaixada no ranking dos restaurantes e deixou de figurar como protagonista no cenário gastronômico e, além disso, os gerentes que lá passaram ora primaram por economizar dinheiro bobo , ora por gastanças absurdas, deixando salários e caixinhas da equipe mais atrasados que ônibus aos domingos.

Assim que chegou o novo Gerente, os clientes se empolgaram e imaginaram dias melhores, pois a equipe que lá estava não era das piores, tinha um dos garçons que faltava demais (o apelido delem era chinelinho) , mas quando estava afim de trabalhar atendia com magia, assim como um outro que saiu para um restaurante GLS ao lado da cantina, por migalhas. Fora o assédio ao restante da equipe, que basta um convite para que a rotatividade aumente.

Como última cartada, os administradores da cantina resolverem inovar, trazer um Chef Argentino, que traria também garçons Argentinos (não pela capacidade, mas pela empatia e custo). Muitos clientes pensaram: agora vai!

Enganaram-se, pois além da carência na equipe, onde a equipe da cozinha nem ferramentas tem para cozinhar, falta talento, falta tesão, falta capacidade para trabalhar nessa cantina, que deve ter o melhor salão do País em meses, mas pode perder muitos dos clientes, pois salão imponente e comida/serviços ruins não atraem ninguém.

A cantina tem 02 alternativas:

1) Fechar de vez as portas para o público e viver de festas fechadas como casamentos e formaturas;

2) Apostar na capacidade do novo Chef e dar a ele uma equipe de primeira linha, com profissionais da cozinha e do salão com sincronismo e sinergia.

Não vamos deixar a cantina entrar para a História apenas, afinal são 100 anos de existência e conquistas únicas e marcantes. Fome todos têm, mas gororoba ninguém quer comer , ainda mais com os preços abusivos que são cobrados. Pensem nisso!

Gambá 2×0 Palmeiras – BR14

Mais uma vez, faltaram jogadores aptos a vestir nossa camisa.

Nenhuma análise de jogo precisa ser feita, quando se vê que o Palmeiras não conseguiu sequer chutar no gol do fraco time do Gambá no primeiro tempo.

E se não deu jogo no primeiro tempo, era só olhar pro banco e ter certeza que no segundo tempo não seria muito diferente. Wendel, Marcelo Oliveira, Wesley, Henrique, Felipe Menezes, Leandro, Mendieta, entre outros, não merecem vestir nossa camisa.

Dava pra esperar bem mais do Palmeiras hoje, afinal, jogamos com um velho freguês, que sempre treme pra gente e hoje não foi diferente: se o Palmeiras tivesse um mínimo de qualidade, o atropelo na freguesia seria como de costume.

 Como eu disse há algum tempo atrás, quando o técnico foi contratado, que ele não seria milagreiro, é o que estamos vendo: 03 jogos, 03 derrotas, e o que falta é nitidamente jogadores que sejam dignos de jogar pelo Palmeiras. São tão poucos os bons que, machucados apenas 02 (Lucio e Diogo, nossos melhores) já parece que não temos um time inteiro em campo.

E a diretoria, como sempre, só esta preocupada em contar moedinhas. Venderam os dois laterais esquerdos, dois meias, inclusive o camisa dez, e até agora não se ouve falar de peça de reposição. Não temos um lateral direito desde o início do ano. Perdemos o camisa 9 pro rival. E nem falo mais nada sobre patrocínio. Isso que é planejamento e profissionalismo?

Que vergonha no ano do centenário ter que lutar pra não cair. Parabéns aos responsáveis.  

Única coisa da qual podemos continuar nos orgulhando é a nossa torcida. Essa sim é digna da camisa, mas continua sem merecer o time modorrento que veste nosso manto.  Parabéns aos que puderam nos representar no Entulhão, que carregaram nossas cores, que vestiram máscaras pra não sentir o cheiro da podridão que aquela estrutura representa, levantada dos nossos restos.

Sem ficha técnica ou lances.  

AVANTI PALESTRINOS!

Avai 0x2 Palmeiras – Copa BR 14

Enfim, a primeira vitória de Ricardo Gareca no comando do Palmeiras. Mesmo com todos os defeitos, mesmo com o time misto, mesmo com vários jogadores que não tem qualquer condição de vestir a camisa do Palmeiras, a vitória veio. É verdade que o adversário modesto contribuiu, mas isso não importa pro merecido resultado.

A evolução do Palmeiras no segundo tempo, em comparação com o primeiro, deste e do jogo anterior, parece indicar que temos um treinador que sabe ganhar jogo no intervalo, mesmo sem mexer no time logo na volta do jogo. Um cara que entende do riscado. O mesmo time que matou o palmeirense dos nervos no primeiro tempo foi o que, no segundo, começou a apresentar um futebol mais condizente com o que esperamos, considerados, é claro, os evidentes limites técnicos dos jogadores que hoje foram pra campo.

04 jogadores da base em campo (Fabio, Wellington, Victor Luiz e Gabriel Dias) também é sinal de novos tempos no Palestra , algo que há muito tempo não se via. Nenhum deles foi mal, e isso vem em benefício do time. Investir na base depende, necessariamente, dos jogadores terem chance no time principal, coisa que acontecia muito pouco com os treinadores anteriores.

Mas, otimismo a parte, sabemos que só isso não é o bastante. Ainda falta muito pra termos uma equipe competitiva, ainda virão muitos tropeços, como os dois da semana passada, mas, vindo os reforços que tanto precisamos, estaremos no caminho certo.

Quem diria que algum dia ganharíamos um jogo (oficial) com dois gols do Felipe Menezes? Pois esse dia chegou. Muito antes de olhar o nome que está nas costas, temos que ver como o cara defende o escudo que leva no peito. Hoje, depois de um primeiro tempo de entristecer (e depois de muitas e muitas partidas lastimáveis), o camisa 18 honrou o escudo. Que siga assim.

Mas que ninguém se iluda de achar que o Menezes é o novo Alex, pois que será um terrível pecado. Ele é o Menezes, e pra ganhar do Avaí, hoje, serviu. Pode ser uma boa opção de banco, mas nunca o camisa 10 do Palmeiras. Esse, ainda falta comprar. Assim como um 9, um lateral direito, um primeiro volante, etc.

E Domingo eh dia de fazer a Laje do entulhão tremer igual tremia quando ainda era um concreto de primeira linha no Palestra, lá pelos anos 90. Pra cima do Lixão, Palestra!  

OS GOLS:

A FICHA TÉCNICA:

AVAÍ 0 X 2 PALMEIRAS

Local: Ressacada, em Florianópolis (SC)
Data/Horário: 23/7/2014 
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Assistentes: Paulo César Silva Faria (MT) e Lincoln Ribeiro Taques (MT)
Cartões amarelos: Eduardo Costa, Marrone, Marquinhos (Avaí); Josimar, Wesley, Mouche, Victor Luis (Palmeiras)
Público/renda: 8.512 presentes/R$ 147.440,00

GOLS: Felipe Menezes, aos 17 e 25 do 2º tempo.

AVAÍ: Vagner; Marrone, Pablo, Bruno Maia e Eltinho (Revson 28’/1º T) ; Eduardo Costa, Eduardo Neto, Cleber Santana (Diego Jardel 37’/2ºT), Marquinhos; Paulo Sergio (Roberto 10’/2º T) e Anderson Lopes. Técnico: Geninho.

PALMEIRAS: Fábio; Weldinho, Wellington, Marcelo Oliveira e William Matheus; Josimar (Gabriel Dias 35’/2º T), Wesley, Felipe Menezes (Mazinho 31’/2º T) ; Leandro (Bruno César 15’/2º T), Mouche e Henrique. Técnico: Ricardo Gareca.

AVANTI PALESTRA! 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 4.825 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: